Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Fábio De Nittis

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Dezembro/2019

Recommended Posts

Agora, Gvieira disse:

 

Deus me livre e guarde, curtiria algo nesses moldes

Média do mês mais frio: -5°/1°

Média do mês mais quente: 20°/31°

Precipitação anual: 1800mm

Horas de sol anual: 2500h/2600h.

 

Com todos os ambientes devidamente preparados para o frio e para o calor, 20/22 graus dentro de casa o ano todo, e uma grana boa pra comprar casacos..

Pra mim jamais 31/20, é perturbador.

Literalmente algo que chamo de sufoco.

Mês mais quente 20/10 eu não reclamaria.

Sem calor e sem frio.

Pra mim ideal:

Outono: 5/-15

Inverno: 0/-30

Verão: 20/10 ou 10/0

Primavera: 0/-10

Precipitação, uns 3000 mm

Horas de sol eu diria... Um dia de sol por mês no máximo.

Sempre nublado e chuvoso. 

ventos comuns do dia a dia uns 30/40 km

Nevascas frequentes...

No meu clima montado calor histórico seria tipo: 25° para calor

-50° para frio

 

Edited by Matheus Vinicius
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
55 minutos atrás, Sopron disse:

Eu estou acostumado com 30, 31°C aqui na cidade que é bastante comum até mesmo no inverno com tempo seco, para mim suporto até 34°C, passando disto é desconfortável principalmente quando fica abafado e cheio de umidade, mas nada como uma adaptação natural e a vida segue.

 

Agora, eu não vou ficar toda hora dizendo assim "20, 25, 30 graus e estou com calor" ou "saudade do tempo de inverno de 0, 5, 10 graus". Imagino que viver em cidades com médias negativas de temperatura é um "inferno" onde o solo fica boa parte do ano congelado, impróprio para a agricultura. Pelo menos aqui no Brasil e em países com clima mais equilibrado, pelo menos você colhe uma fruta no pé, já em lugares extremamente frios nem vida em determinadas circunstâncias é capaz de achar. Mas, cada um é cada um.

Cada pessoa tem uma percepção diferente do que é calor ou frio somente por causa do lugar em que vive, nos climas quentes temperaturas abaixo de 15 graus é considerado frio e entre 30/32 é típico quando não chove e nos meses mais abafados. Nos climas temperado/frio/polar a natureza ''morre'' durante uma parte do ano por causa das baixas temperaturas, muito inferiores a 0 graus; naturalmente as pessoas nestes locais são adaptadas a esses extremos, valores térmicos acima de 10 graus é tudo como agradável ou até quente.

Não faz sentido comparar ao pé da letra os climas do nosso país com os da Europa e América do Norte, são totalmente diferentes e os hábitos de vida por causa disso são incompatíveis.

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Tomás WRuas disse:

Máximas hoje no Rio Grande do Sul - 27/12/2019

41,4° Teutônia (Languiru)

40,6° Feliz

40,2° Campo Bom

40,1° Teutônia (Inmet)

40,1° São Gabriel (PWS)

 

39,6° Rosário do Sul

39,5° São Leopoldo

39,4° São Vicente do Sul

39,4° Poço das Antas

39,4° São Gabriel (Inmet)

39,2° Rio Pardo

39,2° Santa Cruz do Sul

39,2° Cachoeira do Sul

39,0° Vila Nova do Sul

 

38,9° Porto Alegre

38,9° Alegrete

38,8° Cerrito do Ouro

38,7° Dom Pedrito

38,6° Westfalia

38,4° Santana do Livramento

38,2° São Luiz Gonzaga

38,2° Campos Borges

 

Obs.: não vai ter comparações históricas hoje porque o calor ainda vai aumentar, então vou fazer quando terminar a onda de calor mesmo.

 

Atualizando: São Vicente do Sul subiu mais e bateu 40,0° entre 17h e 18h! Vila Nova do Sul foi a 39,9°.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Agora, klinsmannrdesouza disse:

Cada pessoa tem uma percepção diferente do que é calor ou frio somente por causa do lugar em que vive, nos climas quentes temperaturas abaixo de 15 graus é considerado frio e entre 30/32 é típico quando não chove e nos meses mais abafados. Nos climas temperado/frio/polar a natureza ''morre'' durante uma parte do ano por causa das baixas temperaturas, muito inferiores a 0 graus; naturalmente as pessoas nestes locais são adaptadas a esses extremos, valores térmicos acima de 10 graus é tudo como agradável ou até quente.

Não faz sentido comparar ao pé da letra os climas do nosso país com os da Europa e América do Norte, são totalmente diferentes e os hábitos de vida por causa disso são incompatíveis.

É, realmente cada um tem uma percepção diferente do frio.

Por isso que sempre fico impressionado com o povo agasalhado aqui as vezes com temperaturas nem tão baixas.

Não é nem só questão do organismo da pessoa, gosto e psicológico também devem influenciar.

Eu tinha uma amiga canadense que quando eu falava as temperaturas de curitiba ela falava que era quente, e olha que era na época do inverno.

Um dia perguntei para uma ucraniana "Está frio aí?" E ela disse "Não"

E era um dia com máxima de 14 lá.

Já vi um gringo zoar nosso inverno falando "Vocês não tem inverno, que lugar que chega a 27 graus no inverno?"

Edited by Matheus Vinicius
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

A infiltração oceânica trouxe umidade e formou grandes aglomerados de nuvens sobre a Serra do Mar neste final de tarde.

Refrescou... 19,5°C agora.

1577486480201.thumb.jpg.9e20c61b1547f0389eef5abff53f762a.jpg1577486447190.thumb.jpg.a6b90dc81fed02acfba30627486e92f5.jpg

  • Like 7

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Carlos Campos disse:

Alguns registros do (não tão) longínquo 2013, por volta da data de hoje, ocasião de outra forte onda de calor q atingiu o RS, o Uruguai...mas principalmente a Argentina.

 


Observem o calor que fez em Buenos Aires do dia 13 ao dia 31 de dezembro de 2013 e as médias finais do mes:
image.png.6d85345dac5b176ed98fbefe64a8cf69.png

 

E ainda teve isso apenas duas semanas depois, do dia 15 ao dia 24 de janeiro de 2014:
image.png.e38e17e35b403c96d0788610386e8120.png

Ou seja, um verao que teve duas máximas acima de 38°C, algo bem difícil de acontecer, mais uma máxima de 39°C e uma mínima de 28,2°C. Bizarro!

  • Like 7
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
31 minutos atrás, Fábio De Nittis disse:


Observem o calor que fez em Buenos Aires do dia 13 ao dia 31 de dezembro de 2013 e as médias finais do mes:
image.png.6d85345dac5b176ed98fbefe64a8cf69.png

 

E ainda teve isso apenas duas semanas depois, do dia 15 ao dia 24 de janeiro de 2014:
image.png.e38e17e35b403c96d0788610386e8120.png

Ou seja, um verao que teve duas máximas acima de 38°C, algo bem difícil de acontecer, mais uma máxima de 39°C e uma mínima de 28,2°C. Bizarro!

Parecem dados de alguma localidade brasileira qker, acima do paralelo 20°, onde não ocorrem grandes mudanças térmicas. Sufoco noite e dia.

 

1 hora atrás, Matheus Vinicius disse:

É, realmente cada um tem uma percepção diferente do frio.

Por isso que sempre fico impressionado com o povo agasalhado aqui as vezes com temperaturas nem tão baixas.

Não é nem só questão do organismo da pessoa, gosto e psicológico também devem influenciar.

Eu tinha uma amiga canadense que quando eu falava as temperaturas de curitiba ela falava que era quente, e olha que era na época do inverno.

Um dia perguntei para uma ucraniana "Está frio aí?" E ela disse "Não"

E era um dia com máxima de 14 lá.

Já vi um gringo zoar nosso inverno falando "Vocês não tem inverno, que lugar que chega a 27 graus no inverno?"

Nova recaída?

Vai recomeçar a velha ladainha?

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
7 horas atrás, João Tur POA disse:

Vamos aguardar, para ver se superará a fortíssima onda de calor de 2014, 

 

5 horas atrás, Tomás WRuas disse:

Campo Bom/Inmet com 40,2° agora.

Muito boa noite. 

 

Aqui em Campo Bom foi realmente um dia tórrido. Aquele desconforto específico que ocorre quando estamos em temperaturas acima da nossa temperatura corporal esteve presente por boa parte da tarde. Lembro-vos que esta automática do INMET está em local MAIS AMENO que a antiga (e desativada) convencional. 

 

Pois bem. 

 

A metsul trouxe à baila, hoje à tarde, o termo HEAT DOME. Logo lembrei que já estávamos há quase seis anos, desde fevereiro de 2014, sem presenciar este evento. E lembrei que registrei a atmosfera durante este heat dome de 2014, aqui em Campo Bom, num time-lapse que foi das 18h21 às 21h34:

 

 

 

Nessa época, a Metsul tocava o CEIC-Metroclima, órgão da prefeitura de Porto Alegre, e recupero uma notícia deles:

 

https://www2.portoalegre.rs.gov.br/ceic/default.php?reg=795&p_secao=4

  • Like 8

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em Conselheiro Lafaiete dia de sol, mínima de 18° e máxima de 28°, continuamos seguindo o protocolo instalado nos últimos 3 dias, assim deve seguir pelo resto do ano

Se tiver alguma novidade ou chuva, eu volto, mas parece que não...então até ano que vem e feliz 2020 galera!!

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites

Apesar do calor que tem feito nos últimos dias aqui em Curitiba, estou percebendo que ele não se estende com tanto força para o periodo noturno, geralmente no final da tarde a sensação fica bem agradavél principalmente hoje, influenciado seja por ventos maritimos, seja pela baixa umidade relativa do ar que hoje bateu os 38% ou aquele ventinho fraco mais constante durante o dia. Ou seja o que está ruim, poderia ser pior, nem tudo é desgraça. Poderiamos está em Porto Alegre/RS que hoje chegou a 39°, alias vai quarentar em POA ?


Agora é claro que ainda assim os ambientes internos ficam aquecidos, pela retenção do calor diurno. Porém ontem a noite vi algumas pessoas no onibus usando já um agasalho, fechando as janelas pela leve sensação de friozinho. Enquanto isso o Meteoblue já apresenta que haverá uma leve tregua entre os dias 02 e 05 de Janeiro.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, LeoP disse:

 

Acho difícil fazer esse tipo de correlação, pois não vejo muita consistência nos dados. De fato, de 2014 pra cá, estamos registrando valores abaixo da média de forma geral mas, da mesma forma, anos recentes estão entre os mais chuvosos do histórico das medições aqui na RMBH (embora não saiba se isso se aplica às outras regiões):

 

Anos mais chuvosos na capital

1983: 2305mm

2009: 2147mm

2008: 2024mm

2011: 2022mm

2004: 1931mm

 

Me lembro que, entre 2008 e 2011, ocorria o oposto do relatado por vc, as chuvas eram acima da média em quase todos os meses e geralmente superavam as previsões. Até mesmo meses muito chuvosos como dezembro e janeiro tinham suas médias atingidas com facilidade e não raro a média era dobrada ou triplicada, como outubro de 2011. 

Outro dado interessante é a década de 2000, que teve média anual 250mm acima do período 1960-1980. Acho que não dá pra culpar urbanização, pois o local da estação já é urbanizado há muito tempo.

(posto os dados da chuva na capital de forma mais completa no tópico certo.)

 

Na minha opinião, o problema maior é o histórico pequeno, que nos permite fazer colocações limitadas e muitas vezes pouco conclusivas sobre as variáveis climáticas. Ainda acho que vamos ter boas surpresas, afinal o histórico mostra mudanças de padrão muito rápidas na nossa região. Afinal, apesar de haver tendências claras, nossa temporada chuvosa é bem volátil e dinâmica, com pulsos "secos" e úmidos (que podem fazer meses como dezembro terminar com 100 ou 700mm, dependendo do ano).

Realmente são muitos fatores e sabemos muito pouco ainda sobre a complexa dinâmica das chuvas, este período chuvoso que se iniciou em 2007 e foi até 2012/2013 realmente trouxe acumulados bem altos para partes do SE, e a região de BH ficou bem no meio.

 

Mas, quando pegamos toda a área do SE/CO, já observo uma clara tendência de aumento do número de meses abaixo da média e diminuição do número meses acima (tomando como base 1961/1990, e sem ignorar a variação entre os anos e os ciclos).  O tempo dirá com mais clareza, mas não tenho dúvidas (até por questão intuitiva) que a diminuição das áreas florestadas impacta diretamente no total da chuva que cai em média sobre o corredor preferencial das ZCOU/ZCAS (do N até o SE), ainda que dentro desta grande área não seja impossível que a chuva pareça aumentar por um tempo em algumas cidades, até pela própria complexidade de tudo realmente não dá para generalizar.  É como a questão do ovo e da galinha, podemos especular se chove muito porque tem floresta ou se tem floresta porque chove muito (as duas coisas estão relacionadas, disso não dá para fugir), mas se alguém colocar um "tampão" sobre Amazônia desviando toda a chuva para o mar por vários anos, a floresta vai morrer de sede; depois, se tirarmos o tampão, um novo clima vai substituir o que conhecemos por ali (no mínimo por um bom tempo), pois a evaporação/evapotranspiração numa terra seca e nua será muito menor.

 

A ilha de calor, a medida que cresce, pode gerar incrementos de chuva mesmo em locais que foram urbanizados antes da ilha de calor atingir o tamanho atual, e afetar a chuva até nos arredores da mancha urbana dependendo da dinâmica atmosférica local (pode passar a chover mais de um "lado" e menos do outro, por exemplo), é uma questão bem complexa também e são muitas camadas, é extremamente difícil "isolar" o efeito de cada alteração ambiental nas chuvas pois há uma "cacofania" de influências, umas se anulando, outras se somando, é tudo muito caótico.  São Paulo é um caso especial, ali a ligação entre o aumento das chuvas e a ilha de calor é tão evidente que fala por si só, e basta se afastar da capital que as médias (do modo geral) permanecem com poucas alterações desde o século passado em grande parte do interior do estado, enquanto algumas áreas da capital viram a média anual saltar de 1200/1300 mm para mais de 1600 mm.

 

Mas tudo isso também alimenta meu fascínio pelos fenômenos atmosféricos, é claro a que busca pelo conhecimento é algo maravilhoso e deve continuar, mas se não houvesse algum mistério seria muito mais "sem graça" (ao menos para mim) acompanhar os fenômenos meteorológicos.

 

 

 

 

  • Like 3
  • Thanks 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sobre a onda de calor no RS, as últimas rodadas do modelo ICON, que é alemão e é meio que a mão do EUROREI (créditos a @Vitor V), apontam um calor absurdo para o dia 31 após seguir praticamente igual a hoje até dia 30. Diante da precisão do modelo, essa previsão para o dia 31 com valores de até 43-44°C no leste do RS não é tão outlier e não seria surpresa se valores próximos a isso fossem pontualmente atingidos no último dia do ano. Mas há uma variável importante a se considerar que é a nebulosidade.

 

O modelo europeu já aponta bastante nebulosidade alta em especial para o setor oeste do RS no dia 30, com céu mais claro no centro e leste do estado. Em geral, nebulosidade alta não afetam o balanço de energia, a não ser que sejam cumuliformes. No tempo de sol em minutos (em 1 hora, para as 15h), os dois modelos apontam cenários parecidos para o dia 30, com maior tempo de brilho solar no setor leste:

xx_model-en-178-0_moddeu_2019122712_78_15121_55.thumb.png.1f262f59b7b12cadd848d80952cf2dec.pngxx_model-en-178-0_modez_2019122712_78_15121_55.thumb.png.795ca339c8047628edd994a54a46eafa.png

 

E dia 31, que só tem o ICON (ao lado, imagem do IR simulada do Euro):

xx_model-en-178-0_moddeu_2019122712_102_15121_55.thumb.png.52d6f434248037724962c726cd3ee967.pngxx_model-en-178-0_modez_2019122712_102_15121_482.thumb.png.66f2803968bc258840d82016e75989a3.png

 

Os valores de temperatura máxima apontados pelos dois modelos:

xx_model-en-178-0_moddeu_2019122712_102_15121_147.thumb.png.ba625f67bfec2946d03db518a1363a69.pngxx_model-en-178-0_modez_2019122712_102_15121_147.thumb.png.4975b3b7bcd5c77d9ef82339c30abb1d.png

 

Outra variável que eu gostaria de destacar é a temperatura em 850hPa. Com a ciclogênese ocorrendo entre a Argentina e o Uruguai no dia 31, o aporte de ar quente em baixos níveis deve atingir seu pico neste dia. A solução do ICON é muito mais agressiva.

xx_model-en-178-0_moddeu_2019122712_102_15121_308.thumb.png.fcfe59f222f4b73220aa12c448fbe300.pngxx_model-en-178-0_modez_2019122712_102_15121_308.thumb.png.77f1d284706c41c55364a063c3451f25.png

 

No dia 31 deve haver uma elevação da temperatura muito mais brusca entre o amanhecer e o meio dia do que nos dias anteriores, provavelmente com locais batendo os 40 neste período. 

 

O heat dome no dia 29:

xx_model-en-178-0_moddeu_2019122712_51_1432_310.thumb.png.a04935da5f480b94723ecc7bdf7cd887.png

A temperatura sobe tanto com o passar dos dias na presença de altas de bloqueio pois a convecção é quase suprimida devido aos movimentos subsidentes (de cima para baixo), e a convecção é um meio de transferir calor da superfície para níveis mais altos. Com convecção prejudicada, o calor fica retido próximo à superfície.

  • Like 16

Share this post


Link to post
Share on other sites
7 horas atrás, Rodolfo Alves disse:

URGENTE......

 

ESTAÇÃO AUTOMÁTICA DO INMET EM PORTO ALEGRE, CHEGOU AOS 38,9ºC.

 

COM ISSO TEMOS UMA NOVA MÁXIMA ABSOLUTA EM 2019, DERRUBANDO OS 38,5ºC DE JANEIRO!!!

 

A TEMPERATURA AINDA PODE SUBIR MAIS. O RECORDE DA ESTAÇÃO AUTOMÁTICA PARA DEZEMBRO É 39,0ºC E NA CONVENCIONAL É 39,8ºC.

 

001.png.0f9561f683a6676f8fc90900db64ef3d.png

 

LEITURA NOTURNA DA CONVENCIONAL DE PORTO ALEGRE REGISTROU MÁXIMA DE 38,8ºC.

 

O RECORDE PARA DEZEMBRO DA ESTAÇÃO É 39,8ºC.

 

OUTRAS MÁXIMAS:

 

AEROPORTO  SALGADO FILHO: 38,3ºC

AEROPORTO DE CANOAS: 37,9ºC

  • Like 10

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mais um dia com máximas tranquilas no RJ, e sem previsão de mudanças até o fim do ano (as chuvas devem retornar no início de 2020).

 

Algumas máximas:

 

Santos Dumont aero (região central): 27,5ºc

Galeão aero (ZN): 30,5ºc

Santa Cruz aero (ZO): 29,9ºc

Praia do Pepino (ZS): 26,7ºc

Vila Militar (ZO): 32,2ºc

 

Mas, com a umidade bem alta, a sensação de foi de abafamento onde não batia vento, ainda que tranquilo para a época.  

 

O foco nos próximos dias está mesmo no RS, também pegando algumas áreas de SC.

Edited by Wallace Rezende
  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, klinsmannrdesouza disse:

Cada pessoa tem uma percepção diferente do que é calor ou frio somente por causa do lugar em que vive, nos climas quentes temperaturas abaixo de 15 graus é considerado frio e entre 30/32 é típico quando não chove e nos meses mais abafados. Nos climas temperado/frio/polar a natureza ''morre'' durante uma parte do ano por causa das baixas temperaturas, muito inferiores a 0 graus; naturalmente as pessoas nestes locais são adaptadas a esses extremos, valores térmicos acima de 10 graus é tudo como agradável ou até quente.

Não faz sentido comparar ao pé da letra os climas do nosso país com os da Europa e América do Norte, são totalmente diferentes e os hábitos de vida por causa disso são incompatíveis.

Acho que você não entendeu o meu posicionamento. Me referi ao Mateus em toda hora ficar dizendo as mesmas coisas a todo instante que não gosta de calor e afins, que sente frio quando esfria. Estava me posicionando em relação ao comportamento. Não quero ser chato, mas tem hora que é necessário postura. Mas isso é só uma observação.

 

Quanto as pessoas terem percepções diferentes em elação ao calor/frio, concordo contigo e não faz sentido comparar o nosso clima com climas mais frios.

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Matheus Vinicius disse:

É, realmente cada um tem uma percepção diferente do frio.

Por isso que sempre fico impressionado com o povo agasalhado aqui as vezes com temperaturas nem tão baixas.

Não é nem só questão do organismo da pessoa, gosto e psicológico também devem influenciar.

Eu tinha uma amiga canadense que quando eu falava as temperaturas de curitiba ela falava que era quente, e olha que era na época do inverno.

Um dia perguntei para uma ucraniana "Está frio aí?" E ela disse "Não"

E era um dia com máxima de 14 lá.

Já vi um gringo zoar nosso inverno falando "Vocês não tem inverno, que lugar que chega a 27 graus no inverno?"


Uai, mas nesse raciocínio seu, podemos dizer então que a Europa é um continente seco (salvo exceções), pois as médias são muito menores que as brasileiras. Belo Horizonte, São Paulo, Curitiba, Brasília, etc, tem quase o triplo do acumulado anual de Londres e Paris, por exemplo. Então quer dizer que na Europa não chove de verdade? Suas análises são muito sem noção.

 

E outra, via de regra, localidades frias não comportam grandes acumulados de chuva. Vc vai ter que escolher.

  • Like 11
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vinicius Lucyrio,

e o modelo Cosmo/Inmet, é baseado no modelo alemão?

Na rodada de 12Z do Cosmo/Inmet, indica os dias 29 e 30 como os de máximas mais altas no RS, no extremo oeste máximas de 42 a 44 e num ampla área do RS de 40 a 42.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, LeoP disse:


Uai, mas nesse raciocínio seu, podemos dizer então que a Europa é um continente seco (salvo exceções), pois as médias são muito menores que as brasileiras. Belo Horizonte, São Paulo, Curitiba, Brasília, etc, tem quase o triplo do acumulado anual de Londres e Paris, por exemplo. Então quer dizer que na Europa não chove de verdade? Suas análises são muito sem noção.

 

E outra, via de regra, localidades frias não comportam grandes acumulados de chuva. Vc vai ter que escolher.

 

Obrigado

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

São Paulo, apesar do tempo seco, não tem sido afetada pelo forte calorão.

A cidade vem tendo mais uma noite agradável e além disso, o céu está tomado por nuvens baixas vindas da infiltração marítima.

 

Temos 20/21 graus em grande parte das estações do CGE.

Já no extremo sul, 18 graus (nada de Marsilac hehe)

 

vvxzZth.png

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu tenho uma dúvida boba:

Como que faz a medição anual de precipitação em locais onde chove no verão e neva no inverno?

Tipo tem uma tabela de conversão de equivalência de cm de neve pra mm de chuva?

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
44 minutos atrás, LeoP disse:


Uai, mas nesse raciocínio seu, podemos dizer então que a Europa é um continente seco (salvo exceções), pois as médias são muito menores que as brasileiras. Belo Horizonte, São Paulo, Curitiba, Brasília, etc, tem quase o triplo do acumulado anual de Londres e Paris, por exemplo. Então quer dizer que na Europa não chove de verdade? Suas análises são muito sem noção.

 

E outra, via de regra, localidades frias não comportam grandes acumulados de chuva. Vc vai ter que escolher.

Acumulados de 3000 mm + anuais ocorrem sim em latitudes altas, como por exemplo no litoral do Alasca, sul do Chile, oeste da Noruega, mas... São localidades "amenas" se considermos a posição geográfica. As médias anuais nesses locais ficam entre 4°-10°, com minimas raramente ficando abaixo de -10°C. Não existe isso de -50°C em local que chove 3000mm.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
15 minutos atrás, Tavares disse:

Eu tenho uma dúvida boba:

Como que faz a medição anual de precipitação em locais onde chove no verão e neva no inverno?

Tipo tem uma tabela de conversão de equivalência de cm de neve pra mm de chuva?

Eu posso tá falando uma bobagem, mas se não me engano uma vez eu li que nesses locais existe um instrumento pra derreter a neve e aferir a quantidade de água líquida. É dito que 1mm de água líquida = 1cm de neve, mas isso é impreciso, não dá pra usar essa conversão como regra pq pode variar muito dependendo do "tipo" de neve.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
33 minutos atrás, Tavares disse:

Eu tenho uma dúvida boba:

Como que faz a medição anual de precipitação em locais onde chove no verão e neva no inverno?

Tipo tem uma tabela de conversão de equivalência de cm de neve pra mm de chuva?

Não é nada boba a dúvida, e na verdade não existe um padrão adotado globalmente.  Em vários casos a metodologia mudou bastante (dentro de um mesmo país) ao longo dos anos.  Mas hoje em dia, de uma maneira geral, utilizam pluviômetros aquecidos que derretem a neve registram a precipitação líquida equivalente.  Pode subestimar bastante se houver muito vento, ainda mais se for uma neve "seca" e pouco aderente.

 

Antigamente, ao menos nos EUA e no Canadá, muitos observadores simplesmente faziam uma conversão "1 para 10" (10 polegadas de neve,1 polegada de precipitação líquida).  1 polegada de precipitação líquida equivale a uns 25 mm.  Desnecessário dizer que este método (hoje geralmente em desuso) é altamente questionável, pois dependendo da temperatura (e de outras variáveis) uma determinada camada de neve com altura "X" pode conter mais ou menos água.

 

Para medir a queda de neve é ainda mais complicado, até num país onde são extremamente metódicos como o Japão houve mudanças significativas no método de medir a queda da neve em várias estações nos últimos anos.  Simplesmente medir a altura uma vez por dia vai resultar em dados subestimados até se não houver derretimento, por conta da compactação.  Nos EUA hoje são feitas várias leituras por dia quando está nevando (numa área designada para isso, tentando isolar efeitos como a formação de montes de neve por causa do vento, os "snow drifts"), e no final do dia somam os totais.

 

Medir a precipitação líquida e a queda de neve corretamente, em pleno século XXI, continua sendo um desafio.

 

E vou dizer mais, medir apenas a chuva, ao mesmo tempo que é simples, pode ser bem complicado também..  Eu gosto muito de pesquisar em bancos de dados pluviométricos (Hidroweb, DAEE, INMET, Funceme...), e já cansei de ver séries históricas totalmente não homogêneas em várias cidades, por conta de observadores que não efetuaram a leitura corretamente (quase toda série longa "passou" por vários observadores), ou mesmo por preguiça/desinteresse do observador, isso dá muito pano pra manga.  Também há casos de equipamento ruim, como proveta com marcação errada, boca do pluviômetro grande/pequena demais...

 

São raras as séries longas realmente homogêneas, a bem da verdade.

 

 

Edited by Wallace Rezende
  • Like 7
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Madrugada foi de muitas trovoadas por conta dos CBs que se formaram na região noroeste do estado de SP.

 

Em José Bonifácio-SP uma chuva forte, de 15 minutos, trouxe exatos 10mm de chuva. No INMET o total com as pancadas foi de 10.2 mm.

 

Screenshot_20191228-091119.thumb.jpg.c7c819a81d2307323ae1589fbf85e5a2.jpg

 

Impressionou a quantidade de raios!

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 horas atrás, Wallace Rezende disse:

Mas tudo isso também alimenta meu fascínio pelos fenômenos atmosféricos, é claro a que busca pelo conhecimento é algo maravilhoso e deve continuar, mas se não houvesse algum mistério seria muito mais "sem graça" (ao menos para mim) acompanhar os fenômenos meteorológicos.

Wally, teus conhecimentos me fascinam e mais ainda a tua recusa em kerer saber tudo no q diz respeito à climatologia.

A natureza é sábia em impor um limite à nossa existência física neste plano, caso contrário, viveríamos no mais absoluto tédio. 

Há um tempo atrás (coisa de uns 5 ou 6 anos) eu comecei a estudar mais a fundo os fenômenos climáticos e os mecanismos atmosféricos. Comprei livros, assisti muitas vídeo aulas, peskisei vários sites com assuntos relacionados à meteorologia em geral... Eu keria poder estar à altura dos mais entendidos no assunto e contribuir aki mesmo no fórum, com informações (q acreditava) serem relevantes... Até para mostrar q meu conhecimento não se resumia apenas ao básico de um mero aficcionado pelo clima.

Bem, não precisei de muito tempo para perceber o q estava acontecendo comigo: eu estava ficando profundamente entediado. E isso foi algo triste...pq eu estava indo além dakilo q eu tinha estabelecido como limite entre o q eu keria e o q eu necessitava no meu íntimo.

À meu ver (e isso vale apenas como reflexão), entender bem a "base" de como as coisas funcionam tem muita importância e isso basta.

Até mesmo porquê não escolhi obter a minha sustentação financeira através da meteorologia (nem q quisesse, poderia, pois detesto a matemática).  Cálculos matemáticos complexos me cansam, me deixam profundamente triste... melancólico, com vontade de não existir...

 

O "mistério" é fundamental na minha vida...

Quando estou na baixada litorânea e vejo nuvens escuras e ameaçadoras envolvendo a Serra do Mar, eu não procuro saber o q há além dos limites da Serra... simplesmente não preciso saber.

 

... café...

Abraços 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
9 minutos atrás, Carlos Campos disse:

Wally, teus conhecimentos me fascinam e mais ainda a tua recusa em kerer saber tudo no q diz respeito à climatologia.

A natureza é sábia em impor um limite à nossa existência física neste plano, caso contrário, viveríamos no mais absoluto tédio. 

Há um tempo atrás (coisa de uns 5 ou 6 anos) eu comecei a estudar mais a fundo os fenômenos climáticos e os mecanismos atmosféricos. Comprei livros, assisti muitas vídeo aulas, peskisei vários sites com assuntos relacionados à meteorologia em geral... Eu keria poder estar à altura dos mais entendidos no assunto e contribuir aki mesmo no fórum, com informações (q acreditava) serem relevantes... Até para mostrar q meu conhecimento não se resumia apenas ao básico de um mero aficcionado pelo clima.

Bem, não precisei de muito tempo para perceber o q estava acontecendo comigo: eu estava ficando profundamente entediado. E isso foi algo triste...pq eu estava indo além dakilo q eu tinha estabelecido como limite entre o q eu keria e o q eu necessitava no meu íntimo.

À meu ver (e isso vale apenas como reflexão), entender bem a "base" de como as coisas funcionam tem muita importância e isso basta.

Até mesmo porquê não escolhi obter a minha sustentação financeira através da meteorologia (nem q quisesse, poderia, pois detesto a matemática).  Cálculos matemáticos complexos me cansam, me deixam profundamente triste... melancólico, com vontade de não existir...

 

O "mistério" é fundamental na minha vida...

Quando estou na baixada litorânea e vejo nuvens escuras e ameaçadoras envolvendo a Serra do Mar, eu não procuro saber o q há além dos limites da Serra... simplesmente não preciso saber.

 

... café...

Abraços 

Mano, eu me matriculei no curso de meteorologia por duas oportunidades. Mas se juntar tudo eu não durei nem um semestre. Não tenho saco pra metodologias científicas, burocracias acadêmicas e prazos.

Fora que eu também odeio cálculo, sou muito de humanas.

  • Thanks 2
  • Haha 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os próximos dias na cidade do Rio de Janeiro devem ser de temperaturas não tão altas, apenas após a virada para 2020 com forte pré frontal para refrescar logo depois como sugere a saída 0Z.

 

Capturar.thumb.PNG.911daa0d7e0668b2149de8a223e3f111.PNG

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, Lucas Venturini disse:

Só passei pra dizer que Bagé bateu recorde de máxima de 76 anos chegando a 40.9, e ficando apenas um décimo de igualar seu recorde absoluto

Em qual estação isso ?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Calor extremo em Bagé-RS.

 

10 horas da manhã e o aeroporto já registra 35°C !!!

 

Screenshot_20191228-110110.thumb.jpg.d1d6fa798ac0fe561e4eddda1386b111.jpg

  • Like 5
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, Allef Matos disse:

O 40,9°C da convencional de Bagé é mais fake que a neve do Campo dos Goytacazes.

 

Muito Fake mesmo, na automática a máxima foi de 37,9°.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 horas atrás, Lucas Venturini disse:

Só passei pra dizer que Bagé bateu recorde de máxima de 76 anos chegando a 40.9, e ficando apenas um décimo de igualar seu recorde absoluto

 

Pelo que me consta, este dado é inconsistente.

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Carlos Campos disse:

Imagem bonita...a manhã começa animada em Buenos Aires 💣

 

Screenshot_2019-12-28-07-29-53-1.thumb.png.39ab03af7ac67e52295bc4bb573139d8.png

 

Com uma tempestade dessas, é possível até que ocorram alguns tornados nessa região, este núcleo chega a extrapolar a escala!

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estou em viagem em itajobi no interior de SP próximos a Catanduva-Sp , vou acompanhar o clima por aqui. E postar informações dessa cidade durante esses dias.

 

Agora 28.4 na estação de Pindorama que é a cidade próxima 

Edited by EvandroPR
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 minutos atrás, Pedro Victor P. disse:

Bom dia. A previsão vai se mantendo. Fogos o caramba. Eu quero raios! 🤣

 

AE072C51-D19E-450D-81D3-F36A593BD7A7.thumb.jpeg.3809f7de93f1a35ebbfc4236c7667585.jpeg

 

Pra ser sincero, eu não me recordo um ano novo que não tenha chovido aqui no interior de SP, seja no dia 31 ou no dia 1, aquela chuva da tarde/noite sempre vem.

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Vinicius Lucyrio disse:

 

Pelo que me consta, este dado é inconsistente.

Inconsistente ou não são os dados que estão registrados na convencional basta olhar lá se tiver alguma dúvida.

Dados esses que servem para registros históricos para comparações históricas.

Agora talvez eles corrijam esse esse número quando for consolidado e ir para o banco de dados do inmet.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom dia! Ontem Buenos Aires amanheceu com céu nublado mas, ao contrário do previsto, o tempo abriu no meio da manha e tivemos um dia ensolarado e de calor muito intenso. A mínima foi de 20,4°C, a máxima chegou a 33,3°C e a combinacao de calor e umidade elevada levaram a sensacao térmica a quase 40 graus.

De noite parecia que aos poucos ia refrescar, com 26,2°C às 22h, mas o vento norte e a nebulosidade impediram a temperatura de cair e a madrugada de hoje foi quentíssima e muito abafada, observem a variacao horária da temperatura e da sensacao térmica:

22h: 26,2°C - ST 28,8°C
23h: 27,2°C - ST 29,3°C
0h: 27,3°C - ST 29,8°C
1h: 27,5°C - ST 30,3°C
2h: 27,1°C - ST 29,4°C
3h: 26,9°C - ST 29,3°C
4h: 26,8°C - ST 29,1°C
5h: 27°C - ST 29,6°C
6h: 28°C - ST 30,7°C

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Lucas Venturini disse:

Inconsistente ou não são os dados que estão registrados na convencional basta olhar lá se tiver alguma dúvida.

Dados esses que servem para registros históricos para comparações históricas.

Agora talvez eles corrijam esse esse número quando for consolidado e ir para o banco de dados do inmet.

 

Não é porque estão registrados que devemos aceitar. Nenhuma estação naquela região chegou a valores próximos daquela marca, e num teste de consistência ele jamais passaria. A estação automática registrou 37,9°C. As duas estações não estão no mesmo local, mas tem pouca diferença na altitude: a automática está a 226m e a convencional a 246m. Não há complexidade suficiente no terreno para causar uma compressão adiabática, por exemplo, logo não há como considerar esse dado mesmo ele tendo sido registrado pelo INMET.

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, Vinicius Lucyrio disse:

 

Não é porque estão registrados que devemos aceitar. Nenhuma estação naquela região chegou a valores próximos daquela marca, e num teste de consistência ele jamais passaria. A estação automática registrou 37,9°C. As duas estações não estão no mesmo local, mas tem pouca diferença na altitude: a automática está a 226m e a convencional a 246m. Não há complexidade suficiente no terreno para causar uma compressão adiabática, por exemplo, logo não há como considerar esse dado mesmo ele tendo sido registrado pelo INMET.

 

Tá liberado para validação maximas de termohigrômetros instalados do lado de casas, sem abrigo, sob a sombra de árvores. 👍

 

-7°C de Cáceres com sincelo nunca foi tão real.

  • Like 4
  • Haha 2
  • Confused 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Agora, Maicon disse:

 

Pra ser sincero, eu não me recordo um ano novo que não tenha chovido aqui no interior de SP, seja no dia 31 ou no dia 1, aquela chuva da tarde/noite sempre vem.

 

Aqui onde moro eu não lembro se já houve chuva num ano novo. Eu sei que choveu 95 mm aqui em Pombal no 1° dia de 2002, mas eu só tinha 4 anos, então... Não vale.

 

Provavelmente ocorreu chuvas na virada de 2009 pra 2010, mas eu não estava na cidade. Então, se vier a ocorrer alguma chuva na virada aqui, vai ser a 1ª vez que presencio, até onde lembro... Kkkk.

  • Like 1
  • Haha 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Calor extremo em Bagé-RS.

 

12 HORAS, E 37°C.

 

Screenshot_20191228-130832.thumb.jpg.27762bfa6d2cff28454b5ebd09f2abc9.jpg

 

Impressiona o calor no norte da Argentina. FORMOSA, no que seria para a gente 11 da manhã, já tem impressionantes 38°C!

 

Screenshot_20191228-130803.thumb.jpg.28de218af6fda94115a6e27df4f2bc84.jpg

  • Like 4
  • Thanks 1
  • Sad 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.