Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Carlos Dias

Mudanças Climáticas - Discussões Gerais

Recommended Posts

Mas quem garante que é o aumento do CO2 que aumenta a temp global, e não o contrário?

Já li em mais de 1 fonte, q o gás estufa mais importante é o vapor d´água...

 

Você e o Coutinho levantaram a questão outro dia e o Mafili explicou com gráfico outro dia aqui que é contrário. Aumenta a temperatura e depois o CO2. E o Mafili dever ser o cara mais propenso do Fórum a falar de reações químicas.

 

Bom aqui no Vale do Itajaí, a cidade cresceu mais o ser humano ainda não conseguiu modificar o clima, tudo normal por aqui.

 

Estas horas os dados do Sr. Wolfang, do IAG e estações mais antigas fazem diferença. Podemos até tido alguns recordes de 30 anos, mas aí de 60, 80 a coisa já muda bastante, pelo menos pelo que foi apresentado aqui.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ué, mas é por isso mesmo que é apenas uma previsão, não existem garantias.

Mas foi o que eu disse.

As coisas são apresentadas como se fossem certeza e eu diria que são apenas tendências.

 

Independente de eventual aquecimento global causado pelo homem, as emissões devem ser diminuídas pela saúde pública.

Muitos gases são venenosos, cancerígenos, etc, enfim extremamente prejudiciais à saúde.

Óxidos de nitrogênio, compostos de enxofre, hidrocarbonetos aromáticos (Benzeno e família), etc, etc, além dos agrotóxicos, todos são produtos extremamente danosos à saúde humana e ao meio ambiente, a médio e longo prazo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O ponto do Ronaldo (mudança de clima) é tema interessante a ser debatido. O quê, de fato, é necessário para constatarmos uma mudança climática em um determinado local? Olhando apenas sob a ótica da temperatura, penso que a mudança tem que ser verificada em uma normal inteira (30 anos). Agora, quê variação na temperatura é necessária para que cheguemos a uma conclusão do tipo "esse local esquentou" ou "esse local esfriou"? Basta 0,1C na média do mês/ano? Ou tem que ser algo mais substancial como 2C na média do mês/ano? 2C é realmente substancial? E o efeito da urbanização deve ser compensado?

 

Nos últimos 2 meses construí tabelas trazendo números sobre a evolução climática de 5 cidades: Uruguaiana (Libres), Porto Alegre, Curitiba, Nova York (Central Park) e Chicago.

 

Elas estão aqui:

 

Uruguaiana: http://coolclima.blogspot.com.br/2014/12/evolucao-do-clima-de-uruguaiana.html

Porto Alegre: http://coolclima.blogspot.com.br/2014/11/evolucao-da-normal-climatologica.html

Curitiba: http://coolclima.blogspot.com.br/2014/11/evolucao-da-normal-climatologica-de.html

Chicago: http://coolclima.blogspot.com.br/2014/12/chicago-climate-and-2014-enigma.html

Nova York: http://coolclima.blogspot.com.br/2015/01/new-york-city-climate-evolution.html

 

O que me chamou a atenção é que a média anual - principal parâmetro para evolução - desenvolveu de forma modesta em cidades de baixo crescimento urbano. É o caso de Uruguaiana e Porto Alegre. Cidades de grande expansão e adensamento urbano esquentaram entre 0,5C e 0,6C na duas últimas normais (Curitiba, Chicago e NYC). Alguns podem argumentar que Chicago perdeu população em 60 anos. É verdade. Mas a região do aero de O'Hare, onde foi coletado os dados, está no subúrbio, uma região que praticamente quadruplicou de população no mesmo período.

 

Esses 0,6C a mais representam uma mudança climática? O quê acham?

 

Enfim, o tema é de fato muito complexo. Até mesmo pq na análise por estações do ano - ou até meses do ano - a mesma lógica não é obedecida...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Uma pesquisa rápida que fiz dos dados de Goiânia desde 1961 resultou nos seguintes dados:

61 a 70

Média das Máximas: 29,64

Média das Mínimas: 17,13

71 a 80 (Faltam alguns meses de 79)

Média das Máximas: 29,79

Média das Mínimas: 18,02

81 a 90 (Faltam alguns dados de 95)

Média das Máximas: 30,53

Média das Mínimas: 17,92

91 a 00

Média das Máximas: 30,74

Média das Mínimas: 17,59

2001 a 2010

Média das Máximas: 31,47

Média das Mínimas: 19,01

2011 a 2014 (Exceto os meses de Nov e Dez/14)

Média das Máximas: 31,65

Média das Mínimas: 19,14

 

Assim, da década de 60 para cá tivemos um aumento de 2°C na temperatura média das máximas e 2°C na temperatura média das mínimas.

Nesse caso, como configurar esse aquecimento?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Bom, no meu antigo "Umbigo"(Bagé) a coisa esfriou...

 

....Depois irei olhar os dados e vídeos postados pelos amigos com maior profundidade, mas por enquanto, é isto que tenho a dizer. Lembrando sempre, que os políticos e as ONG'($) tem muito a ganhar com um provável terrorismo climático.

 

POIS É,

 

Depois de algum tempo li aquilo que estava sem coragem.

 

Algumas vezes minha mensagens são taxadas de herméticas. Explico.

 

A leitura do gibi abaixo e das mensagens acima me levam a conclusão que o tão renegado achismo é uma constante com peso muito maior que os próprios achistas acham.

 

O texto do gibi abaixo não é uma criação espontânea e sim uma coletânea da história do aquecimento global.

 

Cada argumento pode e deve ser desconstruído e para isso [agora tenho consciência] tem que estudar muito.

 

Talvez seja uma ótima oportunidade para aqueles que acham que acham alguma coisa começarem a estudar a sério.

 

Abraços

 

Não tive coragem de ler:

 

Sejamos fortes, pois alguém vai lê, logo, todos deveríamos ler. :sarcastic:

 

Aqui tem um download...free.

 

Quem tiver coragem...me conta.

 

http://planetasustentavel.abril.com.br/herois-do-clima/pop-pdf.shtml?ln=PT

Share this post


Link to post
Share on other sites

ITAPIRANGA

 

MÉDIA MÁXIMA/DÉCADA

 

34/44 27,5

45/54 27,5

55/64 29,1

65/74 27,6

75/84 28,3

85/94 26,5

95/04 27,8

05/14 27,6

X; 27,7 +1,4/-1,2 OS EXTREMOS

 

MÉDIA MÍNIMA/DÉCADA

 

34/44 14,6

45/54 14,1

55/64 14,5

65/74 16,2

75/84 14,2

85/94 15,6

95/04 15,4

05/14 15,4

X; 15,0 +1,2/-0,9 OS EXTREMOS

 

MÉDIA/DÉCADA

 

34/44 21,1

45/54 20,8

55/64 21,8

65/74 21,9

75/84 21,3

85/94 21,1

95/04 21,6

05/14 21,5

X; 21,4 +0,5/-0,6 OS EXTREMOS

 

MÉDIA/DÉCADA

 

34/44 2111,2

45/54 2254,8

55/64 1979,5

65/74 2561,4

75/84 1930,9

85/94 2290,5

95/04 2338,0

05/14 2201,5

X; 2208,5 mm +352,9/-277,8 EXTREMOS

Share this post


Link to post
Share on other sites
Uma pesquisa rápida que fiz dos dados de Goiânia desde 1961 resultou nos seguintes dados:

.....

 

Assim, da década de 60 para cá tivemos um aumento de 2°C na temperatura média das máximas e 2°C na temperatura média das mínimas.

Nesse caso, como configurar esse aquecimento?

 

SIM, Rodrigo.

 

O planeta aqueceu.

Aqueceu uns 0,8ºC +/-0,3ºC desde 1850.

 

E Goiânia...GOYANA...GYM.

 

Cresceu muito desde 1934.

 

Por razões pessoais eu conheço muito bem este grupo da Federal.

 

Well, IPCC e seus contribuintes atribuem 0,1ºC para o efeito ilha de calor urbano.

 

Como habitualmente ocorre.....a realidade é bem diferente dos modelos.

 

Após as duas cansativas leituras abaixo cujo o texto ultrapassa com folga os 144 caracteres....

 

Sobre estes artigos consigo [acho] sanar alguma dúvidas.

 

Abraços

 

Ilhas de calor em Goiânia crescem 66 vezes

 

image%2B%25281%2529.jpg

 

Um estudo de pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG) comprova cientificamente o que o goianiense vem sentindo na própria pele: o clima na capital está esquentando. Num período de 24 anos (entre 1986 e 2010) as chamadas ilhas de calor (zonas de temperatura mais quente dentro de uma mesma área geográfica) aumentaram mais de 66 vezes no município de Goiânia. A principal causa apontada para esse aquecimento é o aumento da área urbana da cidade e a consequente retirada da vegetação natural.

 

O estudo foi feito no ano passado como parte da tese de mestrado em Geografia do geógrafo Diego Tarley Ferreira Nascimento, orientado pelo doutor em Geografia Ivanilton José de Oliveira. A intenção era avaliar a evolução da ocorrência das ilhas de calor no município de Goiânia num recorte de tempo. Para a análise, foram utilizadas imagens de satélite de três datas específicas dos anos de 1986 (23 de maio), 1996 (2 de maio), 2006 (30 de maio) e 2010 (23 de março), às 13 horas. O satélite (Landsat 5) indicou a temperatura do solo.

 

De acordo com o pesquisador, a ideia de utilizar o sensoriamento remoto para aferir a temperatura e não as estações meteorológicas ocorre porque a quantidade de estações é insuficiente. "Elas não conseguem indicar, por exemplo, uma variação de temperatura dentro de uma área como o município de Goiânia. Por isso usamos o sensoriamento para indicar a temperatura da superfície que, afinal de contas, acaba sendo correspondente à temperatura do ar", argumenta o geógrafo.

 

Sobe!

A pesquisa indicou que, ao longo dos últimas duas décadas, a área de ocorrência de temperaturas máximas na cidade vem aumentando, conforme a mancha urbana tem se espalhado. Enquanto em 1986 as áreas com temperaturas acima dos 26,1 graus (consideradas altas para o período do ano) ocupavam apenas 4,2 quilômetros quadrados (km2) no município (0,6%), em 2010, passaram para 279,8 km2 (37,8%).

 

Enquanto não há diferença no registro das menores temperaturas dentro no município num mesmo horário (19º C) entre 1986 e 2010, as temperaturas mais altas não pararam de subir. Em 1986, a máxima chegava a 29º C e em 2010 chegou a 36º C. Isso quer dizer que a diferença entre a mínima e a máxima aumentou 7 graus em 25 anos dentro de Goiânia. "Verificamos que o município, como um todo, está aquecendo. As áreas com temperaturas mais elevadas estão se ampliando cada vez mais. O pior é que não há nenhum indicativo de que possa ocorrer uma reversão nesse quadro", argumenta o geógrafo Diego Tarley.

 

De acordo com os mapas (veja na página 7) , as áreas com registro de temperaturas mais altas estão relacionadas com os pontos onde a cidade está mais adensada, como bairros de Campinas, Centro, Santa Genoveva, Jardim Nova Esperança, Cidade Jardim, Novo Horizonte, Jardim América e Setor Bueno. Já os pontos com registros mais baixos são os mais periféricos, onde ainda não houve a expansão da área construída.

 

========================

 

A conversão das coberturas naturais em antrópicas ocorreu de forma particularmente rápida no bioma Cerrado (Klink E Machado, 2005; Jepson, 2005), principalmente em razão da intensificação das atividades agropastoris, impulsionadas pelo avanço nas tecnologias de manejo do solo e do desenvolvimento de eixos de fluxo, relacionados à política de ocupação das áreas interioranas brasileiras (Calaçae Dias, 2010; Miziarae Ferreira, 2008). Da mesma forma, as conversões para uso urbano no bioma Cerrado ocorreram de forma intensa e acelerada, com destaque para a região metropolitana de Goiânia e a região de Brasília e seu entorno. Para Guerra e Marçal (2006, p.13), a expansão urbana acelerada geralmente não ocorre de forma planejada e sustentável, promovendo assim grande pressão sobre o meio físico urbano e, como conseqüência, grande diversidade de impactos ambientais.....

 

...........

 

img-3-small480.jpg

 

http://confins.revues.org/7631

Share this post


Link to post
Share on other sites
ITAPIRANGA

 

MÉDIA/DÉCADA

 

34/44 21,1

45/54 20,8

55/64 21,8

65/74 21,9

75/84 21,3

85/94 21,1

95/04 21,6

05/14 21,5

X; 21,4 +0,5/-0,6 OS EXTREMOS

 

Ronaldo,

 

Aquece a uma taxa de ~0,5ºC por século.

 

Aproximadamente 0,8ºC em 150 anos....muito coerente com o observado.

 

Parabéns ao senhor Wolfgang.

 

126bciq.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

Excelente explanação Mafili. Essa escalada da temperatura é muito preocupante, tomara que tenhamos chegado ao nosso ápice. Frio quase ausente, bloqueios frequentes, chuvas diminuídas, enfim, quase tudo de ruim em termos climáticos.

Espero que já tenhamos pago nossa "penitência climática".

Share this post


Link to post
Share on other sites
65 PARA CÁ, CAIU /SUBIU, ESTÁVEL NO GERAL.

 

Aqui, SUBIU, SUBIU, SUBIU.......

:negative: :negative: :negative:

 

:cray: :cray: :cray:

 

Rodrigo, espero que você não queira que plote aquilo que os modelos """prevem""" para 2100 para a querida GYN.

 

O interessante será em outra capital que a estação convencional estava blindada da ilha de calor urbano.

 

Anomalia negativa em Goiânia é coisa do passado.[ na atual estação]

 

2qwk95c.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

:cray: :cray: :cray:

 

Rodrigo, espero que você não queira que plote aquilo que os modelos """prevem""" para 2100 para a querida GYN.

 

O interessante será em outra capital que a estação convencional estava blindada da ilha de calor urbano.

 

Anomalia negativa em Goiânia é coisa do passado.[ na atual estação]

 

2qwk95c.png

 

O jeito vai ser construir minha casinha em São Chico mesmo. E plantar maçãs, pescar trutas e jogar conversa fora com o Gamboa, quando nos aposentarmos. O Coutinho já fez essa transição de calor para frio há mais tempo, assim como o Shima fez recentemente. Bruno e os amigos de POA tem planos futuros.

Se o aquecimento continuar, considerarei Ushuaia.

:laugh: :laugh: :laugh: :laugh:

Share this post


Link to post
Share on other sites

:cray: :cray: :cray:

 

Rodrigo, espero que você não queira que plote aquilo que os modelos """prevem""" para 2100 para a querida GYN.

 

O interessante será em outra capital que a estação convencional estava blindada da ilha de calor urbano.

 

Anomalia negativa em Goiânia é coisa do passado.[ na atual estação]

 

2qwk95c.png

 

O jeito vai ser construir minha casinha em São Chico mesmo. E plantar maçãs, pescar trutas e jogar conversa fora com o Gamboa, quando nos aposentarmos. O Coutinho já fez essa transição de calor para frio há mais tempo, assim como o Shima fez recentemente. Bruno e os amigos de POA tem planos futuros.

Se o aquecimento continuar, considerarei Ushuaia.

:laugh: :laugh: :laugh: :laugh:

 

Perto de Ushuaia tem o Cerro Castor, onde a treeline tá a apenas 600m de altitude! :ok:

Já pensou, um lugar onde o verão tem média menor que o inverno de St Joks?

Share this post


Link to post
Share on other sites

ANO MAX MIN MÉD

1935 28,5 15,1 21,8

1936 28,2 15,0 21,6

1937 26,8 14,9 20,9

1938 26,9 15,5 21,2

1939 26,9 15,8 21,4

1940 27,9 15,5 21,7

1941 27,1 13,7 20,4

1942 27,1 13,2 20,2

1943 27,4 13,6 20,5

1944 28,3 13,9 21,1

1945 28,4 13,4 20,9

1946 26,4 14,6 20,5

1947 26,8 13,9 20,4

1948 27,0 14,2 20,6

1949 26,9 14,4 20,7

1950 27,3 13,7 20,5

1951 27,9 14,1 21,0

1952 28,1 14,3 21,2

1953 28,4 14,4 21,4

1954 27,9 14,1 21,0

1955 27,9 13,1 20,5

1956 29,1 13,9 21,5

1957 29,5 14,9 22,2

1958 30,0 15,4 22,7

1959 29,3 15,3 22,3

1960 29,5 14,1 21,8

1961 29,7 15,6 22,7

1962 28,3 13,4 20,9

1963 28,9 15,3 22,1

1964 27,8 14,0 20,9

1965 28,2 16,8 22,5

1966 26,2 14,6 20,4

1967 27,1 15,1 21,1

1968 27,9 14,3 21,1

1969 27,3 15,3 21,3

1970 28,4 17,1 22,8

1971 27,2 16,8 22,0

1972 27,6 17,2 22,4

1973 28,7 17,6 23,2

1974 28,1 15,3 21,7

1975 29,2 16,6 22,9

1976 30,1 16,5 23,3

1977 28,6 15,0 21,8

1978 28,4 14,1 21,3

1979 28,3 13,9 21,1

1980 28,5 14,5 21,5

1981 27,8 13,8 20,8

1982 27,7 15,1 21,4

1983 26,6 15,2 20,9

1984 27,7 15,3 21,5

1985 28,3 15,5 21,9

1986 27,5 15,5 21,5

1987 27,1 15,1 21,1

1988 27,5 14,2 20,9

1989 26,3 14,3 20,3

1990 26,1 14,5 20,3

1991 27,2 13,8 20,5

1992 25,6 13,6 19,6

1993 25,1 13,1 19,1

1994 25,2 13,4 19,3

1995 25,7 13,1 19,4

1996 24,5 12,9 18,7

1997 27,7 15,7 21,7

1998 28,2 17,2 22,7

1999 28,4 15,9 22,2

2000 28,6 16,4 22,5

2001 29,1 17,3 23,2

2002 28,7 17,1 22,9

2003 28,8 15,4 22,1

2004 28,2 15,2 21,7

2005 28,2 15,7 22,0

2006 28,9 15,1 22,0

2007 27,7 16,1 21,9

2008 27,8 15,4 21,6

2009 28,2 16,0 22,1

2010 26,9 15,1 21,0

2011 26,9 15,1 21,0

2012 27,8 14,8 21,3

2013 26,7 15,1 20,9

2014 27,7 16,5 22,1

2015 0,0

 

MÉDIA 27,8 15,0 21,4

Share this post


Link to post
Share on other sites

MÉDIA + ALTA; 23,2 E + BAIXA; 18,7 (4,5°C)

 

MÁX.; + ALTA 30,1 E +BAIXA; 24,5 (5,6°C)

 

MÍN; + ALTA; 17,6 E + BAIXA 12,9 ( 4,7°C)

 

ISTO É MÉDIA ANUAL!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Olá galera!

Fiquei abismado por não ter visto esse vídeo na época que foi desenvolvido, é basicamente um documentário de uma hora e meia sobre o tema do Aquecimento global em que muitas autoridades e pessoas de altíssima competência foram consultadas e entrevistadas (de lugares como IAG, INPE, IPCC) , fora isso, todas as fontes para as afirmações feitas foram disponibilizadas junto com o vídeo no YouTube.

Me pareceu um trabalho extremamente sério e honesto, recomendo a todos que assistam!

 

[bbvideo=560,315]

[/bbvideo]

 

Entrevistas completas nesse canal:

https://www.youtube.com/user/PirulllaSuplementar/videos

 

Frost, o trabalho é muito bom ao explicar aspectos técnicos do efeito estufa. Eu desconhecia vários. Achei bem interessante. Porém, no final, cai naquela velha soberba da turma dos aquecimentistas que rotula os negacionistas de paranóicos e incapazes de provar a idoneidade do movimento científico que estuda o GW.

 

O vídeo manteve a minha dúvida: como vivemos num período de GW se nos últimos 10 anos o mundo esfria, embora ainda acima dos patamares de 20 anos atrás?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hoje (ontem) em um programa na globo antes daquele encontro, apresentaram uma animação do globo terrestre de 1800 e alguma coisa até 2014, iniciando bem azul e terminando amarelo/avermelhado. Disseram que foi apresentado pela Nasa semana passada, mas é interessante que não condiz com gráficos postados aqui no fórum advindos direta ou indiretamente dos EUA também.

 

Agora como explicar para uma dona de casa e/ou senhorita que assiste aquele programa que aquela imagem pode não ser bem 'verdadeira'? É questão de tempo para se presenciar a humanidade voltando a 'era das cavernas'.

 

No bate papo, algum tempo atrás, o Mafili postou uma imagem com gráfico de Co2 global pós 79, que já deveria encher de interrogações em várias postagens aqui no presente tópico e no próprio pensamento único vindouro tipo IPCC. É muita interrogação transformada em ponto final, quando não em exclamação.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Hoje (ontem) em um programa na globo antes daquele encontro, apresentaram uma animação do globo terrestre de 1800 e alguma coisa até 2014, iniciando bem azul e terminando amarelo/avermelhado. Disseram que foi apresentado pela Nasa semana passada, mas é interessante que não condiz com gráficos postados aqui no fórum advindos direta ou indiretamente dos EUA também.

 

Agora como explicar para uma dona de casa e/ou senhorita que assiste aquele programa que aquela imagem pode não ser bem 'verdadeira'? É questão de tempo para se presenciar a humanidade voltando a 'era das cavernas'.

 

No bate papo, algum tempo atrás, o Mafili postou uma imagem com gráfico de Co2 global pós 79, que já deveria encher de interrogações em várias postagens aqui no presente tópico e no próprio pensamento único vindouro tipo IPCC. É muita interrogação transformada em ponto final, quando não em exclamação.

 

Bruno Campos (a família Campos crescendo e bem representada).

 

É altamente provável que o gráfico (animação) que você faz referência seja essa (a equipe de criatividade confusa de cores ou nas palavras do Feltrim algo como " semiótica vesga".... enfim tons e nuances pasteis entre o azul e vermelho)

 

Well, para explicar alguma coisa é necessário colocar a frase abaixo naquilo que eu li na imprensa esses dias....depois faço o detalhamento.

 

A animação completa está no link abaixo.

 

É impressionante essas coisas passam na mídia soam como verdades pela repetição diária.....

 

(The global mean surface air temperature for that period was estimated to be 14°C (57°F), with an uncertainty of several tenths of a degree.)

 

GISS_1885-1894.png

 

http://earthobservatory.nasa.gov/Features/WorldOfChange/decadaltemp.php

Share this post


Link to post
Share on other sites
O vídeo manteve a minha dúvida: como vivemos num período de GW se nos últimos 10 anos o mundo esfria, embora ainda acima dos patamares de 20 anos atrás?

 

Como comentei anteriormente, nada garante que não estaríamos em um resfriamento caso não fosse nossa atuação, pelo contrario, sabemos que hoje em dia mais radiação é absorvida e transformada em calor (do total que vem do sol) graças a ação humana.

 

É importante que aceitemos o fato de que não somos insignificantes perante o clima e passarmos a dar validade a constatações já antigas da ciência que ainda são tratadas como mitos, como o "efeito estufa"

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Como comentei anteriormente, nada garante que não estaríamos em um resfriamento caso não fosse nossa atuação, pelo contrario, sabemos que hoje em dia mais radiação é absorvida e transformada em calor (do total que vem do sol) graças a ação humana.

 

É importante que aceitemos o fato de que não somos insignificantes perante o clima e passarmos a dar validade a constatações já antigas da ciência que ainda são tratadas como mitos, como o "efeito estufa"

 

Well, São tantos achismos que acho que perdi o jeito de lidar com achistas.

 

"È importante que aceitemos..." isto é quase um ato de fé.

 

No texto da Metsul .....No ano, segundo as agências científicas norte-americanas, a temperatura global ficou 0,69ºC acima da média do século XX, a maior da série histórica e superior aos registros dos anos de 2005 e 2010 em 0,04ºC.

 

No texto da NASA (The global mean surface air temperature for that period was estimated to be 14°C (57°F), with an uncertainty of several tenths of a degree.)

 

Agora se alguém comparar os números [isto números e não achismos] saberá que a incerteza da temperatura média do planeta Terra pelos dados da NASA/GISS é da ordem de vários décimos de graus e o algoritmo produz resultados da ordem de centésimos de graus e sabendo que as estações excelentes trabalham com acurácia de 0,2ºC validar resultados uma ordem de grandeza menores só no mundo dos modelos.

 

CONTINUO depois....passou de 144 caracteres.

 

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como comentei anteriormente, nada garante que não estaríamos em um resfriamento caso não fosse nossa atuação, pelo contrario, sabemos que hoje em dia mais radiação é absorvida e transformada em calor (do total que vem do sol) graças a ação humana.

 

É importante que aceitemos o fato de que não somos insignificantes perante o clima e passarmos a dar validade a constatações já antigas da ciência que ainda são tratadas como mitos, como o "efeito estufa"

 

Frost, o teu argumento inicial foi uma típica prática de polilogismo, o que Mises confrontava em seu livro em Ação Humana. Me impressionou vindo isto de ti!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como comentei anteriormente, nada garante que não estaríamos em um resfriamento caso não fosse nossa atuação, pelo contrario, sabemos que hoje em dia mais radiação é absorvida e transformada em calor (do total que vem do sol) graças a ação humana.

 

É importante que aceitemos o fato de que não somos insignificantes perante o clima e passarmos a dar validade a constatações já antigas da ciência que ainda são tratadas como mitos, como o "efeito estufa"

 

Frost, o teu argumento inicial foi uma típica prática de polilogismo, o que Mises confrontava em seu livro em Ação Humana. Me impressionou vindo isto de ti!!

 

Você diz em relação ao meu comentário de que poderíamos estar em resfriamento caso não fosse a atuação humana?

 

Não vejo isso como uma maneira "evasiva" de explicar a estabilidade da temperatura global, até por que a temperatura global oscila caoticamente de acordo com diversos fatores que sequer entendemos, imagine prevê-los?

Enquanto isso, sabemos que nossas emissões são significativas (podemos, por exemplo, medir e diferenciar a concentração de CO2 avindo da queima de combustíveis fósseis e de origem vulcânica) e que certos elementos (como CO2 e CH4) sempre foram responsáveis por regular a temperatura terrestre.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.