Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Bruno D

Members
  • Posts

    810
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    6

Everything posted by Bruno D

  1. Calor surpreendendo na Zona Sul de São Paulo, cheguei agora a pouco, aos 34,1°C em casa (Região do M'Boi)... E a Estação Sesc Interlagos até às 18utc, com máxima de 33,8°C... Outras Máximas (momentâneas), na região: CGE Cidade Ademar: 34,7°C CGE Santo Amaro: 34,4°C CGE Capela do Socorro (prefeitura): 33,7°C CGE Ipiranga: 34,1°C CGE Vila Mariana: 35,0°C CGE Butantã (Zona Oeste): 35,3°C E na estação Mirante de Santana (Automática): 33,4°C (18UTC).
  2. Poderoso evento de chuva em São Paulo, tinham um bom tempo que não via uma chuvarada raiz como essa. Chove de forma praticamente interrupta desde o final da tarde, variando entre chuva fraca e de moderada a forte, aqui na Região do Campo Limpo (Zona Sul). Alguns acumulados em estações CGE até às 00h50: CGE Perus: 52,6mm CGE Butantã: 59,4mm CGE M Boi Mirim: 60mm CGE Cidade Ademar: 64,2mm CGE Campo Limpo: 64,8mm CGE Capela do Socorro (Prefeitura): 62,6mm CGE Mauá: 58mm CGE Santana do Parnaíba: 74,6mm CGE Jabaquara: 57,8mm CGE SÉ: 40,8mm
  3. A máxima ficou na casa dos 19-20°C na zona sul da Cidade, isso com sol pleno.... Imagino que uma Máximas dessas com sol, possivelmente seja muito atípica para Novembro.
  4. Absurdo! Mas já sabemos que o GFS é biruta no final da grade... O mais surpreendente é que o responsável desta erupção toda, não seria um anticiclone forte (em valores de pressão ele seria bem irrisório)... Mas sim um poderoso cavado, com morfologia e intensidade totalmente invernais:
  5. Se o sistema Alta Polar + baixa (e cavado), se posicionasse de forma um pouquinho mais próximos do continente, o estrago poderia ser histórico.... A intensidade da baixa/cavado polar é bem atípica pra época, assim como sua perfeita interação com o anticiclone, se todo o sistema ficar uns 200km mais a Oeste, poderíamos ter recordes sendo quebrados.... Mas do jeito que tá sendo projetado, já teremos frio úmido em intensidade pouco habitual para Novembro.
  6. Tarde completamente gelada para uma segunda quinzena de Outubro em São Paulo (capital), em casa anoto às 16h50 12,7°C e caindo... Pela cidade temperaturas entre 11°C (no extremo sul) e 15°C nas áreas mais centrais. E isso tudo com vento gelado, e muita garoa/chuva moderada...
  7. Não sei se isso já foi debatido aqui. Mas esse ano o IAG está com umas temperaturas muito estranhas, muitas vezes registrando Máximas mais altas do que o Mirante, em um dia de frio úmido como hoje, o normal dele seria estar próximo da marca do SESC, e não mais quente do que o forno de Santana, e essas marcas iguais ou mais altas do que o Mirante estão bem constantes, o que não era o normal da estação...
  8. Europeu dando mínima de 9°C para o dia 22 (Sexta feira), deve ter muito tempo que algo assim não é registrado em uma segunda quinzena de Outubro. Se baixar de 12°C já vai ser uma marca e tanto:
  9. GFS tbm esta apostando em um MP muito forte para o padrão de Outubro na mesma data, e com morfologia parecida... Se seguir assim nos próximos dias, certeza que algo digno de nota chegará mesmo!
  10. Frio surpreendente. Tbm tive a mínima do mês hj em casa: 11,7°C ... No momento faz 15,6°C, pela cidade temperaturas entre 13°C registradas no extremo sul e 18°C registrada nas áreas mais centrais. A temperatura não deve passar dos 17°C aqui na Zona Sul, frio úmido típico do mês, nada fora da curva, apenas digno de nota, pelo padrão péssimo que Setembro vinha tendo até aqui.
  11. Queda livre da temperatura aqui em casa tbm (Zona Sul de São Paulo), mudança do tempo foi praticamente instantânea 😂😂😂😂... No momento faz 23°C e despencando... Só fico triste que uma mudança tão brusca não seja capaz de provocar fortes tempestades, ou pelo menos algumas pancadas pontuais.
  12. A diferença nas médias de setembro entre a zona sul e a zona norte vão ser bizarras. Enquanto aqui na zona sul a situação está muito longe do que foi Setembro de 2020, lá na Zona Norte o padrão é quase o mesmo, apenas um pouco menos extremo, e com a ocorrência de dias frescos pontuais.
  13. O radar chegou a mostrar uma área de chuva moderada passando bem em cima daqui de casa, mas fui olhar e não tava caindo nem Chuvisco, e o chão estava bem seco, então... Uma coisa que complica tbm, é que o radar de São Roque não capta direito às chuvas no seu entorno, acabo nunca sabendo ao certo quando uma chuva vai chegar aqui no Sudoeste da capital.
  14. São Paulo no mais completo azar para chuva, a LI teve uma evolução espetacular no começo da tarde, passou do centro do Paraná para o Sul de SP em questão de duas horas, mas só foi chegar na região do eixo Sorocaba-Miracatu-Peruibe prestes a entrar na RMSP que ela começou a estacionar/recuar. Agora pelo andar da carruagem se chover de noite deve ser algo bem pontual...
  15. Umidade relativa disparou em questões de minuto aqui em Casa na Zona Sul de São Paulo (M'Boi Mirim), da casa dos 29% para 50% de U.R, torcendo que todo esse mormaço faça as instabilidades chegarem atuantes até a RMSP.... Só não sei se o Timing da entrada da brisa marítima lá no Extremo Sul da região vai ajudar...
  16. Em relação a São Paulo, ainda não temos muito o que reclamar, os prognósticos estão longe do que era o normal para o mês, principalmente por causa dos pulsos de frio inexistentes ou incipientes, mas em relação ao calor, por mais que a previsão aponte dias com a temperatura beliscando os 35°C, a tendência é que esse padrão não aconteça em dias consecutivos e sem fim, deve ocorrer dias mais agradáveis entre os picos de calor abrasador, por hora a tendência é o mês não ser tão bizarro como 2020, mas deve fechar sim muito acima da média.
  17. No final o que nos salvou paradoxalmente de recordes foi a fumaça das queimadas que obstruiram parte da radiação solar... Com o sol totalmente a pino, certeza que os 34°C poderiam vir. Aqui em casa na Zona Sul, após a máxima de 31°C o vento virou para o quadrante Sul, e agora a temperatura já está em queda.
  18. Você tem toda razão, quando lembrei da primavera na década retrasada em essencial, quis destacar mais o fatos de dias isolados, pontuais, que por vezes eram de fato chuvosos, principalmente em novembro, e isso no meu imaginário me marcava muito, como sendo o ponto de partida da estação chuvosa. Diferentemente da primavera, o verão climatologicamente é mais suscetível a ocorrência de dias seguidos bastante chuvosos... Mas mesmo no verão, eles não vêm sendo comuns em São Paulo (capital), nos últimos verões, o que vem marcando boa parte da pluviométria da estação, são eventos que mais se assemelham a pesadas tempestades, que despejam uma quantidade enorme de água em poucas horas, e depois o tempo não transcorre de maneira de fato chuvosa... Antes o mais comum, eram as clássicas pancadas de chuva, em boa parte dos dias, e a ocorrência de alguns períodos verdadeiramente chuvosos, com dias de chuva quase contínua e bastante insistente. Hj as pancadas permanecem (em muitos verões estão ocorrendo em menos dias), mas no geral não existem mudanças profundas quanto a isso, mas os eventos mais robustos, não são mais dias de chuva prolongada, mas sim verdadeiras tempestades, que vem ocorrendo muitas vezes no período da noite e madrugada, e depois de 4-7h de chuva volumosa, o tempo tende a praticamente se estabilizar, não restando aqueles comboios de instabilidades que ia e vinha com chuva moderada por alguns dias subsequentes...
  19. Simm... Fevereiro de 2020 foi um mês com uma pluviométria absurda, como eu relatei no post, depois de janeiro de 2017 teve sim alguns meses que realmente acumularam muita chuva... Mas isso não necessariamente significa que choveu muito, com uma grande quantidade de horas com precipitação. O que vem sendo comum, são eventos chuvosos provocados pelo avanço de frentes, com a formação de boa Convergência de Umidade, mas isso se traduzindo em noites e madrugadas tempestuosas, com chuvas que duram 5-10h no máximo, mas logo começam a se enfraquecer, e os dias subsequentes não são totalmente chuvosos... Até mesmo em um passado recente eram comum dias de fato chuvosos, com a chuva indo e voltando a qualquer momento durante praticamente todo o dia, era aqueles dias que era impossível sair sem guarda chuva, pq ela podia parar por meia hora, mas depois logo voltava a chuva moderada, que por dias fio caia de maneira totalmente insistente. Nos tempos mais atuais, vem sendo mais comum, chuvas torrenciais que duram 2-3h, e que acumulam bastante coisa (80-120mm), mas que depois o tempo quase que se estabiliza. ZCAS clássicas com 4-7 dias inteiramente chuvosos virou artigo de luxo, quase que uma fantasia por aqui.
  20. Uma coisa que eu sempre notava na primavera, essencialmente em novembro era a ocorrência de dias completamente chuvosos... Era aquele momento, na minha infância que eu já encontrava sentidos de percepção do início da estação chuvosa, justamente com isso. Mas nos últimos tempos, apesar de comportado em termos de temperatura, novembro dificilmente vem tendo esses eventos robustos de precipitação, aquela chuva prolongada e moderada que durava o dia inteiro, está totalmente rara, inclusive no verão... Saudades das frentes semi estacionárias e com intensa atividade, dos CCMs primaveris que muitas vezes conseguiam ter influência sobre São Paulo. Outro ponto, é que além da diminuição no número de ZCAS sobre o Estado de São Paulo, eu venho notado que quando ela se forma, a chuva precipitada é cada vez mais aquela pontual quase como uma tempestade de verão (tipo uma madrugada chuvosa, mas já de manhã quase não há precipitação), nem esses sistemas estão conseguindo provocar chuva continua que vai e volta ao longo do dia e por dias a fio... Se não me foge a memória, a última vez que eu vi um evento robusto e prolongado de chuvas, com dias inteiramente chuvosos foi em janeiro de 2017. Após isso, tivemos meses com elevada pluviométria, mas isso com episódios de precipitação forte e volumosa, porém limitada na duração temporal, aqueles dias chuvosos, onde parece que a chuva praticamente não para, virou raridade por aqui.
  21. Real... Quase todos previam um mês abaixo da média, e pelos dados do Atlântico e Pacífico era algo com fundamento, mas pelos próximos 7-10 dias que serão tórridos, acho difícil Agosto fechar realmente abaixo da média em São Paulo, com muita sorte, talvez fique dentro da média, isso a depender de uma MP forte no final do mês. Quanto a sinótica de hj, não tem oceano frio que faça milagres, com uma circulação totalmente desfavorável, além de majoritariamente zonal, o efeito ASAS localizada mais ao norte e ligeiramente afastada do Continente, com o seu giro drenando ar quente juntamente com as áreas de baixa pressão é implacável. O mais estranho é que essa configuração deve durar muito tempo, e em um modo turbo não muito comum para Agosto, ainda mais em um ano de neutralidade fria e oceano Atlântico tbm frio. Mas uma coisa é certa, se a natureza não vem compensando tão de pressa períodos anômalos e prolongados de calor, o mesmo não se pode falar do frio, e o Atlântico deve se aquecer significativamente com esse maçarico da segunda quinzena.
  22. Por enquanto Agosto vinha com ótimas médias em São Paulo, no registro que faço em casa, até ontem eu tinha: Média Mínima: 11,79°C Média Máxima: 20,46°C Dia Agosto 2021 Tmin Tmax 1 9,3 19,2 2 9,9 21,4 3 10,6 18,5 4 10,2 18,2 5 11,3 19,7 6 12,8 22,9 7 13,1 21,2 8 13 24,6 9 13,2 26,9 10 13,9 28,1 11 11,8 17,3 12 11,6 15,3 13 12 13,9 14 12,3 19,2 Pena que essas médias devem ser dilaceradas pelos próximos 7-10 dias que prometem ser muito quentes. O maior destaque possivelmente será o longo período de temperaturas muito altas para o padrão de Agosto, com possíveis Máximas de 30°C ou mais por dias a fio na capital paulista. Máximas neste patamar, não é nada excepcional para uma segunda quinzena de Agosto na climatologia da cidade, o que pode ser um pouco mais atípico é a sequência de mais de 5 dias com temperaturas nesta ordem (30 ou + de máxima), normalmente os picos de temperatura acima dos 28-29°C ocorrem pontualmente em situações pré frontais (2-3 dias no máximo), algo como se desenha para os próximos 10 dias, poderá se configurar como uma onda de calor de fato, inclusive sobre os critérios técnicos e acadêmicos, já que as Máximas poderão ficar acima de 5-6°C em relação a média, por mais de 5 dias. Outro ponto, é que o continente poderá ficar quase inteiramente com anomalias positivas muito altas na próxima semana, algo totalmente atípico, geralmente como faz muito calor aqui no Sudeste brasileiro, o extremo Sul ou Norte do continente, costumam ficar frios, mas os modelos apostam em anomalias quentes generalizadas por toda a Sul América, e isso para menos de 70h, o que possivelmente elimina a hipótese de ser surto dos modelos, em menor ou maior grau, boa parte do continente ficará realmente acima da média na próxima semana:
  23. Para minha surpresa vou tendo uma das tardes mais frias do ano, no momento anoto 13,7°C e a máxima não passou dos 13,9°C aqui em casa. Por enquanto, se nada mudar essa será minha segunda menor máxima do ano, perdendo apenas para os 12,4°C de máxima que registrei no gélido dia 30/07. Pela cidade temperaturas entre 13 e 16°C. Em Paranapiacaba, na borda da serra fazem 13,5°C.
  24. Eu tou tendo a mesma impressão, nunca 26-28°C me causaram tamanha sensação de calor com agora, ainda mais essa temperatura com tempo seco. Antes da chegada da FF, senti muito calor em São Paulo (capital), com temperaturas desta ordem... Em qualquer outro ano, temperaturas assim em agosto apenas representaria um tarde de calor ameno e agradável típica de momentos pré frontais ao de bloqueio seco ao longo do mês, contudo desta vez a sensação foi diferente... E acho que seja por isso mesmo, nosso corpo se aclimatou ao padrão de inverno mais forte presente neste ano, e aí quando vem um calor bobo com uns 27°C, a gente sente como tivesse fazendo bem mais, isso mesmo com tempo seco.
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.