Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Felipe F

Monitoramento e Previsão América do Norte - 2019

Recommended Posts

15 horas atrás, Renan disse:

Essa época deve ser maravilhosa de se ver e viver nos EUA e Canadá, com as florestas temperadas perdendo as folhas e os primeiros pulsos de ar frio trazendo geadas e neve nos locais mais propícios. As 4 estações do ano bem definidas, ao contrário do clima tropical que tem apenas duas.

Sem falar das variações loucas de um dia para o outro: no dia 09/10 (anteontem) Denver no Colorado registrou máxima de 27ºc, e no dia 10/10 (ontem) a máxima diurna foi de 2ºc abaixo de zero, e com neve (a máxima do dia foi de -1ºc no início da madrugada)!

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 horas atrás, Wallace Rezende disse:

Sem falar das variações loucas de um dia para o outro: no dia 09/10 (anteontem) Denver no Colorado registrou máxima de 27ºc, e no dia 10/10 (ontem) a máxima diurna foi de 2ºc abaixo de zero, e com neve (a máxima do dia foi de -1ºc no início da madrugada)!

 

Fantástico o clima de Denver ! Também aprecio muito Oklahoma City. Climas temperados continentais são ótimos. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 10/10/2019 em 16:11, João Ignacio disse:

Se é que existe aquela correlação entre eventos de frio/calor mas metades leste/oeste com a América do Sul (especialmente o Brasil) como vc apontou muito bem recentemente e que eu apontei lembrando que o professor Eugênio sempre dizia dessa possibilidade (realmente nunca estudada), esse mapa de anomalias para AGORA na América do Norte pode ser um mau sinal para nós no ano que vem.  A porção Oeste dos Estados Unidos (incluindo o Alasca e obviamente a Colúmbia Britânica, Canadá) vem de um longuíssimo período de temperaturas muito acima da média - com intervalos de quebra - no outono/inverno (recordes de calor recentes em San Francisco, Anchorage, etc) que já tem coisa de uns dez anos (bate também com a crise hídrica da Califórnia).  Uma hora essa chave iria virar.  O professor Eugênio sempre dizia que em alguns anos não se notava nada dessa dinâmica (e há outras variáveis como El Niño, La Nina, aquecimento do atlântico, mudança do posicionamento da Asas, etc etc etc) para bagunçar o quadro. No entanto, dos períodos que ele acompanhou e que tinham correlação, funcionava quase com um espelho. O que é interessantíssimo de se acompanhar. 

Isso significa que no futuro, eventos de El Niño podem serem desastrosos para o Brasil, influenciando diretamente no aquecimento do Pacífico e jogando todo o calor para cá ??? Me corrija se eu estiver errado

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 11/10/2019 em 01:09, Wallace Rezende disse:

Sem falar das variações loucas de um dia para o outro: no dia 09/10 (anteontem) Denver no Colorado registrou máxima de 27ºc, e no dia 10/10 (ontem) a máxima diurna foi de 2ºc abaixo de zero, e com neve (a máxima do dia foi de -1ºc no início da madrugada)!

 

Semana passada por lá foi uma gangorra climática de dar inveja

 

DENVER/CO (NOAA)

06/10-     4,4º/16,7º

07/10-     3,9º/25,5º

08/10-     7,7º/26,6º

09/10 -   -2,2º/28,3º

10/10-  -10,5º/-1,6º (Recorde de mínima para esta data)

11/10-  -12,8º/10º (Recorde de mínima para esta data)

12/10-   -2,8º/19,4º

  • Like 4
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Sopron disse:

Isso significa que no futuro, eventos de El Niño podem serem desastrosos para o Brasil, influenciando diretamente no aquecimento do Pacífico e jogando todo o calor para cá ??? Me corrija se eu estiver errado

Bom, eu não tenho autoridade pra te corrigir, se tu estiveres errado, pois sou totalmente leigo. Mas, olhando pelo lado das correlações, e da aparente intensificação dos fenômenos, acho que poderíamos ter esse receio bem presente, sim. Basta lembrarmos de dois super El Niños (97/98 e o terrível 2015).  E há ainda 83 (e, se não me falha a memória, 86). Todos esses anos foram quentes, especialmente no Sul. Tiveram grandes cheias (e 83 o ápice da seca no semiárido nordestino). Escrevi "aparente intensificação" porque não sabemos, na realidade, se no passado, quando ainda não havia a conceitualização desses fenômenos se já não houve essa intensificação. Temos modelos de computadores que, a partir de inúmeros dados, tentam recriar o passado. Eu não sou cético, mas também não faço parte do grupo majoritário de pessoas que acredita sem restrições no aquecimento global antropogênico. Céticos como o Molion e o professor Ricardo Felicio apontam em outras variantes "major" para bagunçar o clima planetário como atividade solar, cobertura de nuvens, erupções vulcânicas, etc etc etc. Se estiverem certos, entraremos, a partir do ano que vem, num período de resfriamento acentuado do planeta. Como El Niño e La Nina vão se comportar nesse cenário, por si só, hipotético? 

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 horas atrás, ricardosilva disse:

 

Semana passada por lá foi uma gangorra climática de dar inveja

 

DENVER/CO (NOAA)

06/10-     4,4º/16,7º

07/10-     3,9º/25,5º

08/10-     7,7º/26,6º

09/10 -   -2,2º/28,3º

10/10-  -10,5º/-1,6º (Recorde de mínima para esta data)

11/10-  -12,8º/10º (Recorde de mínima para esta data)

12/10-   -2,8º/19,4º

Esta mínima do dia 09/10 foi à noite, poucas horas depois de ter feito 27/28ºc, a advecção de ar frio começou por volta de 17:30 e a temperatura despencou, até ocorreu uma "poeira" de neve (T) na mesma noite, os dados do aeroporto mostram bem a evolução da situação, desde o calor com URA abaixo de 10% à tarde até negativar com vento à noite: https://www.wunderground.com/history/airportfrompws/KDEN/2019/10/9/DailyHistory.html?req_city=&req_state=&req_statename=&reqdb.zip=&reqdb.magic=&reqdb.wmo=

 

No dia 11/10 o ar frio (bem enfraquecido) chegou ao litoral oeste/central do Golfo do México americano; Houston amanheceu com 25/26ºc, registrou máxima de até 30ºc por volta de 9:00/10:00 da manhã (Houston Hobby) e baixou para 15/16ºc no início da tarde (12:00/13:00), foi o primeiro sinal do outono em Houston após o setembro mais quente da história.  

Edited by Wallace Rezende
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 13/10/2019 em 17:38, Wallace Rezende disse:

Esta mínima do dia 09/10 foi à noite, poucas horas depois de ter feito 27/28ºc, a advecção de ar frio começou por volta de 17:30 e a temperatura despencou, até ocorreu uma "poeira" de neve (T) na mesma noite, os dados do aeroporto mostram bem a evolução da situação, desde o calor com URA abaixo de 10% à tarde até negativar com vento à noite: https://www.wunderground.com/history/airportfrompws/KDEN/2019/10/9/DailyHistory.html?req_city=&req_state=&req_statename=&reqdb.zip=&reqdb.magic=&reqdb.wmo=

 

No dia 11/10 o ar frio (bem enfraquecido) chegou ao litoral oeste/central do Golfo do México americano; Houston amanheceu com 25/26ºc, registrou máxima de até 30ºc por volta de 9:00/10:00 da manhã (Houston Hobby) e baixou para 15/16ºc no início da tarde (12:00/13:00), foi o primeiro sinal do outono em Houston após o setembro mais quente da história.  

Cuiabá tem umas doiduras desse tipo no inverno, mas cai tipo 20 C ou mais em menos de 24 horas ou de 48 horas, na Europa parece que não tem essas quedas bruscas, segundo minha tia que mora em Gênova/Itália, lá não sai de muito quente pra frio dum dia pro outro, lá é litoral, a Europa é recortada pelo mar, já as Américas do Norte e do Sul são mais continentais, e o centro de ambos os continentes sofrem mais essas variações bruscas, caso de Cuiabá e Denver. 

Edited by Leandro Leite

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.