Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Julho/2015


Recommended Posts

  • Replies 3.6k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

3:31 h agora.

 

Já tivemos uma pancada rápida em Jundiaí.

 

Por volta das 4 da matina, Melo & família ''partiram Canela'' com escala em Lages.

 

O Global não insistiu na resolução bombástica de ontem, mas quem sabe não rola uma ''paraguaia'' na semana que vem.

 

Bom dia todos.

Link to comment
Share on other sites

Também não, AAA. Ontem não entrei no trem da alegria pois estava na cara que se tratava de uma rodada muito extremada e isolada do modelo. Nem GFS nem Europeu sequer chegavam e chegam qualquer coisa próximo daquilo. Pelo que tenho visto a data-chave é entre 14-16 e o Global vai seguir atrasando e corrigindo como fez agora na 00Z.

 

Para a madrugada e amanhecer de sábado seguem chances muito pequenas pelo Europeu e quase zeradas pelo GFS. A 00Z GFS diminuiu ligeiramente o potencial em relação a 18Z, para SJ, e o Europeu segue com um cenário extremamente limítrofe. Aguardando algum incremento ou o cavado surpreender para podermos sugerir algo mais consistente.

 

No geral uma boa onda de frio, mas muito longe de ser memorável. Muito restrita ao RS e SC a sua fase mais forte.

 

Cabe destacar que o CFS vem insistindo em algo muito forte no final de julho/início de agosto. Já foram algumas rodagens que mostraram uma verdadeira bomba.

Link to comment
Share on other sites

De uma coisa não se pode reclamar neste momento, é da projeção de uma primeira quinzena recheada de novidades é uma possível sequência de erupções de ar frio.

 

Embora sem consenso nos detalhes, a maioria dos modelos aponta para um período marcado por sucessivas incursões de ar frio. Com variações na intensidade os modelos convergem para a entrada de anticiclones frios, e até possivelmente desenham rabiscos de uma potencial erupção no final da primeira quinzena. E logo após esse período frio no final desta e começo da próxima semana são baixas as chances de estabelecimento de um ASAS, bloqueio ou entressafra muito longa.

 

No geral esta primeira quinzena promete anomalias negativas para o Sul do Brasil, e ainda poderá trazer algo ainda mais forte do que o que veremos a partir desta sexta/sábado.

Link to comment
Share on other sites

Os últimos dois dias foram extremamentes chatos aqui em Campos do Jordão. As temperaturas tiveram pouca variação. Hoje amanhecemos sem muita mudança ainda; somente o vento é que está acima do normal.

Porém, já tem chuva no Vale, vamos ver quando ela chegará por aqui. Temperatura de 13,2°C agora aqui em casa.

Link to comment
Share on other sites

Cicloninho que o Mbar aposta consistentemente há várias rodadas, e amplia a janela de precipitação na serra para até o anoitecer de sábado. Se o tempo não abrir e sol não aparecer mesmo no sábado os pontos altos da serra geral no RS e SC podem ter máximas baixíssimas.

 

 

EM RELAÇÃO A ONTEM, DIMINUIU O FRIO.

Link to comment
Share on other sites

Interessante observar que o frio no GFS foi incrementado em 850mb e 800mb, porém nas camadas mais altas ele é fraco quando não há inversão.

 

Se pegarmos somente pelos dados da rodada numérica a chance de neve no GFS é zero para a serra catarinense por conta do fraco frio em 750mb e 700mb. Espessura da camada fraca.

 

Mas digamos que ele esteja subestimando acima de 800m, a janela de espera de paraguaias vai das 6h00 as 15h00.

 

Para os pontos acima dos 1.000 no RS as chances são mais elevadas.

Link to comment
Share on other sites

Interessante observar que o frio no GFS foi incrementado em 850mb e 800mb, porém nas camadas mais altas ele é fraco quando não há inversão.

 

Se pegarmos somente pelos dados da rodada numérica a chance de neve no GFS é zero para a serra catarinense por conta do fraco frio em 750mb e 700mb. Espessura da camada fraca.

 

Mas digamos que ele esteja subestimando acima de 800m, a janela de espera de paraguaias vai das 6h00 as 15h00.

 

Para os pontos acima dos 1.000 no RS as chances são mais elevadas.

 

PODES TER GAROA DE NEVE, NUVENS QUE ESTEJAM ENTRE 1700/2200 PRODUZEM NEVE FRACA.

Link to comment
Share on other sites

Prever alta os modelos estão bons... mas quando tem ciclone envolvido os modelos apanham.

/quote]

 

 

20150703_0.jpg

 

Nazar, Não creio que seja necessário modelo agora,

 

É SENTAR E MONITORAR.

 

Analise o modelito abaixo

 

 

25s4f11_zps291d907a.jpg

 

Legal vamos acompanhar o evento atual, mas os dois próximos eventos do dia 9 e dia 15 os modelos "piram" com qualquer alteração da baixa.....

Link to comment
Share on other sites

Aldo Santos, na carta sinótica publicada pelo Jornal do Brasil, a pressão na manhã de 1º de junho de 1979, foi entre 1028 Hpa com centro em Itapeva-SP.

Na véspera do dia 1º/06, centro da alta 9 da manhã estava em cima de Ponta Porã, com 1029 Hpa.

:good2:

Certamente confundi com outro evento. Já faz um bocado de tempo... :mosking:

 

--------------

Só quero uma sub-10 (9,9º que seja) para o Mirante não quebrar o recorde de mínima anual mais alta já registrada (se não me engano nunca foi maior que 10º, certo Aldo?) e se tornar uma nova BH ou RJ de vez.

Nunca.

Aliás, até 2000, a estação do Mirante nunca ficou mais que 3 anos sem registrar 5,0°C ou menos.

 

---------------

O mais engraçado é que o imaginário popular é que a Paulista está entre os locais mais frios da cidade por conta da altitude.

O problema da avenida Paulista é a sensação térmica.

Além de ficar acima dos 800 m, a sua orientação é SE/NO.

Os ventos de SE, "canalizados" pelos prédios, varrem a avenida do começo ao fim.

Por isso a fama de ser fria.

Link to comment
Share on other sites

Mas o Mirante consegue ser pior pras mínimas que a região da Paulista e Congonhas haha. Não dá pra utilizar como parâmetro da realidade da cidade como um todo ali.

Acompanho há muitos e muitos anos, pior que Congonhas não é. :laugh:

É verdade que Congonhas esfria primeiro quando há infiltração marítima.

Mas em termos de mínimas absolutas, Congonhas perde para o Mirante.

 

Não podemos nos esquecer que, além da urbanização, o Mirante é um super topo.

A estação do Mirante está a 792 m de altitude e a várzea do rio Tietê, a menos de 1 km de distância em linha reta, está a 722/725 m.

Veja: são 70 metros de diferença.

O aeroporto Campo de Marte, a apenas 2 km do Mirante, está na várzea a 722 m.

 

Congonhas também é um topão, a 803 m.

Só que não é tão pronunciado quanto o Mirante.

Link to comment
Share on other sites

Aqui segue nublado chuva foi bem pouca e as minmas bem altas entre 11°C e 12°C no momento faz 13°C , vamos ver se essa chuva que esta em SP chega por aqui a tarde !

 

Julho começou com temperaturas muito acima da média em MG, mas a situação muda no Domingo. Vamos ter máximas baixas nesse dia, talvez as mais baixas do ano, e vamos nos acostumar à umidade, William... Ela será frequente este mês.

Link to comment
Share on other sites

Aqui em Sampa, vamos tendo manhã chuvosa.

 

Choveu bem na 2ª metade da madrugada, com acumulados de 10 a 38 mm na cidade (CGE e CEMADEN).

 

Na automática do Mirante: 18,2 mm até agora.

Barueri: 32,2 mm

No posto do CEMADEN mais próximo aqui de casa (Tucuruvi): 19,5 mm

 

Agora, temos garoa/chuva leve.

 

Mirante e IAG nos 16,5/17°C.

Link to comment
Share on other sites

SP está em estado de atenção para enchentes

 

Uma frente fria que está entre o Sudeste e o Sul do país deixa o tempo chuvoso em São Paulo na manhã desta sexta-feira. Toda a capital paulista está em estado de atenção para enchentes desde às 06h. Atenção com os alagamentos intransitáveis. O volume já chegou aos 40mm em Barueri, em São Bernardo do Campo e em Campo Limpo, na zona sul da cidade. Este volume de chuva quase alcança a média climatológica de chuva do mês de julho em apenas algumas horas. A chuva vai acontecer a qualquer momento desta sexta-feira em São Paulo. “Ainda pode ter chuva forte em alguns momentos e o risco para transtornos está mantido”, comenta a técnica em meteorologia, Patrícia Vieira. A temperatura máxima não passa dos 20ºC. As chuvas diminuem de intensidade amanhã (04), mas é só no decorrer do domingo que dão uma trégua. As temperaturas despencam no domingo (05), com mínima de 12ºC e máxima que não passa dos 16ºC na capital. Em 15 dias, só volta a fazer calor no final da segunda semana de julho.

 

Somar

Link to comment
Share on other sites

Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share


×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.