Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Nestor Antonio Bresolin Junior

Members
  • Posts

    864
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    5

Everything posted by Nestor Antonio Bresolin Junior

  1. Há dias temos jornadas com frio noturno e pela manhã, e tardes agradáveis, ao redor dos 20ºC ou pouco acima. Hoje tivemos sorte e o sol apareceu mas amanhã tudo muda de novo. A mínima aqui na região ficou nos 7,4ºC. Até agora, o mês de setembro, apresenta médias mínimas com anomalias de -3,0ºC, mas rendendo dias bastante frescos e agradáveis. Menores mínimas: Por aqui, os próximos e últimos dias de inverno, assim como início da primavera, estão com cara de abril/maio:
  2. Primeira metade do mês no RS. Com exceção dos forninhos que são os vales (Teutônia, Lajeado) e o noroeste, as médias estão bem amenas. No geral os dias têm estado bem agradáveis.
  3. Dia nublado em Lajeado novamente, e tivemos alguma garoa durante à tarde. Nas minha andanças pela cidade vi algumas aberturas de sol, mas nada expressivas. A máxima ficou nos 21,6ºC mas ainda com intensa sensação de frio nos ambientes internos. Pude perceber que várias espécies (exóticas e nativas) já repuseram totalmente suas folhas, e algumas parcialmente.
  4. Mais um dia nublado em Lajeado. Ontem tivemos na parte da tarde uma abertura de sol, quando a temperatura subiu aos 22,8°C (idêntico à segunda-feira) de forma comportada. As máximas no geral têm sido comportadas. Por enquanto setembro está, e de acordo com a previsão tudo leva a crer que continuará, abaixo da média. Próximos dias em Lajeado: Mínimas hoje pela manhã no RS:
  5. Depois do final de semana com dias lindíssimos de frio e sol, hoje o tempo já está cinza de novo, que destruiu as mínimas. As menores foram majoritariamente na metade sul do estado:
  6. Manhã de 11 de julho no RS... ops! Manhã de 11 de setembro! Temperatura desceu a 2,6ºC aqui na parte baixa do Vale do Taquarí.
  7. Dê uma lida sobre evapotranspiração, cobertura vegetal e rios voadores, ai você vai entender como a Amazônia influencia o clima de todo o centro-sul do Brasil. Posso indicar inúmeros artigos e longos estudos sobre isso.
  8. O que acontece que faz setembro ter eventos de calor extremo no sudeste? Lembro de vários episódios assim em SP e MG nos últimos anos.
  9. Isso só corrobora coma minha afirmação. E eu não estou me detendo a Ausentes especificamente, mas em um todo sobre a metade norte com latitudes menores. A síntese é de que o 'verão' chega mais tarde na porção extremo sul do RS em relação à porção norte.
  10. Depende do contexto, né. Em Bangkok um tailandês chamaria 20 graus de frio. Mas o que eu me referi é sobre máximas.
  11. A 'vantagem' da altitude se dá pelos picos de extremos negativos, se não fosse isso, os números seriam muito parecidos. Mas o meu post não foi comparação/análise estatística. Mas então vou trocar o termo 'frio' por 'falta de calor', se melhor couber. E tudo mudaria se comparássemos PM Curral, por exemplo, que nem sei como está, mas acredito que parecidas ou até inferiores à Ausentes.
  12. Não sei se entendi o que você falou, mas o que me referi é sobre a constância de 'frio'. Não houve negativas mas não quer dizer que não tenha feito frio, até porque o que controla essa percepção de constância são as máximas, e nessas latitudes altas é exatamente o que risca essa linha. O clima dessa porção do estado tem característica bem marítima e 'fresca', e pelas tabelas se percebe a maior dificuldade de acesso das massas quentes na região. Diferentemente do verão, que é bastante quente. A gente sabe que quando mais se viaja em direção ao sul (ou ao norte, no HN) o clima é mais constante, por várias razões amplamente explanados na bibliografia clássica.
  13. Baita virada no tempo! Ontem tivemos máxima de 33°C na parte baixa do Vale do Taquarí e hoje tivemos mínima de 3,6°C. Mínimas hoje no RS:
  14. Desci a serra de Garibaldi para Lajeado e fui da primavera pro verão. Hoje é sem dúvida o dia mais quente desde o outono, mais precisamente desde 27/03. Tivemos 33,2ºC em Lajeado, com forte sensação de abafamento devido ao tempo nublado (poxa, nem pra ser um calorão com sol). Diferentemente do sul do estado, que o pré-frontal não foi nada comparado com aqui (tabelas abaixo), e segue o padrão sutil de transição estacional. É justamente nesse período do ano que se percebe como o inverno no sul do RS é mais "longo". Comparativo da metade sul do RS com a norte neste mês até agora, onde as mínimas na porção sul do estado já estão se invertendo: 17:30
  15. Bom dia, Carlos! Sim, os adjetivos às vezes são fortes mas não temos outros para caracterizar sensações/emoções. Eu também sou assim. Acho também que esses relatos trazem outra abordagem e percepção sobre os lugares e até a própria existência. Mas, nada simples na sua obra não! Muito bonita e fiel. E além do mais, arte não tem que ser bonita, tem que ser marcante, impactante e trazer algum tipo de sensação, nem que seja desconforto. Sobre as madeireiras e fábricas de celulose na região de Ausentes, lembro que todas as vezes que fui pra lá, no caminho Bom Jesus-Ausentes ou Cambará-Ausentes passei por várias, muitas muito isoladas que até precisam cenas de filme de horror. Um dos grandes problemas dos Campos de Cima da Serra são justamente a destruição do campo e cultivo dessas árvores exóticas, que descaracterizaram totalmente a região. Aproveitando, fica aqui o Manifesto Serrano dos moradores dos CCS que fotografei em um pequeno museu em São Francisco de Paula: Para não fugir completamente do tópico, então, estou em Garibaldi e chove no momento com 12 graus.
  16. Boa tarde, Carlos. Que belo e interessante relato esse seu. Realmente a região faz jus ao último nome de “Ausentes”, pois de fato é um lugar longíquo, isolado, sombrio. Tive a oportunidade de visitar a região algumas vezes, inclusive o vilarejo de Silveira que moraste. Interessante saber que há um pequeno museu municipal, acredito que valha a pena visitar. Uma das coisas que contribui para essa sensação de isolamento bucólico, é a distância longe entre cada “atração turística”, que mesmo visitadas, são extremamente solitárias e silenciosas. Eu gosto destas paisagens, como pôde-se ver na obra de Itatiaia que compartilhei aqui. Outra sensação estranha e um tanto desconfortável é perambular pelas florestas de araucárias da região, que traz um sentimento de ancestralidade com as árvores antigas e, como você disse, até assustador. Sobre a topografia, essa porção nordeste do município tem essas coxilhas/colinas lindíssimas que parecem feitas à mão, onde formam as baixadas que eu apostos serem as mais frias do RS. Identifiquei algumas muitas (em relação ao relevo suave do estado) acima dos 1.300m e algumas poucas acima dos 1.350. O Pico do Monte Negro é a grande excessão, que forma realmente um pico e o único lugar do estado que passa da cota 1.400m. Outro fato interessante do lugar são os afloramentos geológicas que, de acordo com próprios geólogos, são únicas no mundo. Um exemplo é o desnível dos rios, realmente incomum. Essas formações rochosas estranhas contribuem para o sentimento de misticidade do local.
  17. Sim, é exatamente esse o problema. É uma região bastante isolada, e consequentemente não há o interesse de fazer uma campanha de instalação de estações. Sobre as baixadas acima de 1.300m, há e são várias, mas são restritas ao extremo nordeste do município e do estado. Há pontos da estrada em direção à divida com SC com cota de 1.350 próxima o vilarejo de Faxinal Preto, por exemplo. Sobre o Rancho Felicidade, sim, tem encabeçado as mínimas no RS junto do Curral de Pedra em Pinheiro Machado, mas pelo que consegui ver no mapa se trata de uma baixada suave, e sem falar que está muito próxima do costão (pouco mais de 1km), então sofre bastante com a ação da umidade do oceano e, consequentemente, deixando as temperaturas não cairem tanto e não havendo muito perda de calor por irradiação. Essa estação só me mostra do potencial de locais com relevo semelhante porém mais afastados do costão.
  18. MP com frio de respeito no RS nesse final de semana, que garantiu dias lindos com estética de primavera e frio e inverno. Aqui na parte baixa do Vale do Taquarí a mínima foi de 1,8°C em Teutônia. São em episódios como esse que eu lamento muito por não termos estações localizadas de forma estratégica nos Campos de Cima da Serra, nas várias baixadas a 1.300m/1.350m em Ausentes, e as entre 1.100 e 1.200 em Cambará, Bom Jesus e Jaquirana, que até eu mesmo já identifiquei. Mas quem sabe em próximos invernos! As mínimas no RS hoje:
  19. Muito obrigado! Em praticamente todas as minhas obras eu acabo colocando essa atmosfera sombria, e felizmente meus clientes gostam kk
  20. Havendo recorde ou não (não consigo opinar pois não tenho conhecimento sobre instrumentação), coincidentemente estou enviando essa semana uma obra que fiz, que foi uma encomenda de um amigo de SP apaixonado pelo parque. Demorei 4 meses para finalizar essa obra, e vou usar agora como homenagem ao recorde especulado, ou somente à treta mesmo kk
  21. Meninos, não briguem. O recorde nacional claramente é de Carazinho! Mínimas no RS hoje: Brincadeira à parte, a MP já enfraqueceu bem no RS, mas amanhã já teremos mais um pulso. Com essa previsão para setembro em Lajeado, e analisando o inverno passado, percebo que este teve um frio mais concentrado, e consequentemente mais forte, em julho, enquanto que em 2022 está mais amplo e distribuído. O número de negativas no RS está muito parecido com o ano passado, então sei lá, me parece que há essa característica.
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.