Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

João Ignacio

Members
  • Posts

    331
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    5

Posts posted by João Ignacio

  1. 26 minutos atrás, Renan disse:

     

    Obrigado pela contribuição, a qual concordo. Como você vê, a ciência não se faz por proposições infalíveis. A aquisição de novos conhecimentos e novas tecnologias traz mudanças de tempos em tempos. Mesmo assim, seria um grande erro "apostarmos" que a teoria do AG antropogênico está errada e continuarmos mandando incontável quantidade de CO² pro planeta. QUe grande erro seria isso, à medida em que existem tecnologias de produção de energia muito mais limpas hoje em dia. Pelo bem da própria saúde respiratória das pessoas em grandes metrópoles.

    Sou totalmente a favor de tecnologias limpas. A própria Rússia, país onde desde sempre a democracia é uma ficção e de onde vem boa parte dos cientistas céticos (financiados pelo governo russo) , é um país que detona, com gosto, o meio ambiente e ninguém fala um "a" . Então, há que se ficar com um pé à frente e outro, bem atrás com esse pessoal. Também é verdade que a União Europeia, das liberdades individuais e do livre mercado, é uma das que mais fazem pressão sobre cumprimento de acordos sobre emissão de CO2. Mas não vemos - o que não quer dizer que não existam - acordos e financiamentos para incentivo de uso de energia limpa nos BRICS e no resto do mundo. É fácil para eles fazer pressão política e econômica, ameaçar... E oferecer, em troca, acordos sobre a Amazônia, o que é algo com bastante apelo midiático e muito fashionável. Medidas que teriam impacto gigantesco na melhoria da qualidade de vida da população pobre fora da Europa Ocidental, como financiar painéis solares a rodo e tratamento de esgoto doméstico e industrial - grandes vilões da poluição de água potável - dona Treme Treme e o marido da dona Brigitte não querem.  Quantas crianças morrem de diarreia ainda no Brasil, Honduras, Equador? Políticos antigos, velhas raposas, sempre dizem: "fazer tratamento de esgoto e enterrar canos não dá voto porque o eleitor não vê o benefício na frente dele e jornal não dá manchete disso". Ouvi muito de prefeitos, secretários municipais e estaduais. Serve para todos os defensores de primeira hora da floresta.  Aliás, por motivos bastante questionáveis, a Alemanha parou de investir em energia nuclear e partiu para termoelétricas a carvão. Justo na terra dos verdes.

     

    Já fui cético e não sou mais. O aquecimento e as mudanças, às vezes, são visíveis. Mas há muita informação velada e tendenciosa. 

     

    Continuo muito desconfiado de tudo que divide o mundo em bandidos e mocinhos. Os bandidos, muito provavelmente são realmente bandidos e muitos mocinhos podem ser apenas lobos em pele de cordeiro. 

     

    • Like 6
    • Thanks 2
  2. 13 minutos atrás, Renan disse:

     

    Se nada for feito em relação às emissões de CO2, a tendência é ser parecido com a década atual, ou até um pouquinho pior. Precisamos cair na real e parar de ficar acreditando que o consenso científico está equivocado. 

    Buenas, como contribuição para REFLEXÃO: já foram consensos científicos que homens eram mais inteligentes que mulheres, que a homossexualidade era uma doença (inclusive orgânica), que algumas etnias seriam "mais capazes do que outras", já se acreditou que o átomo era indivisível. E depois se descobriu que todo átomo tem um núcleo e também se julgou que este fosse indivisível, até que se descobriu que ele pode ser dividido em prótons e nêutron e atualmente a Física estuda para saber se estes podem - ou não - também ser divididos em partes menores. Em termos de tempos históricos, o Darwinismo ocorreu literalmente ontem. Antes o Lamarckismo era um consenso científico.  Faz poucos anos que se relacionou o câncer de colo do útero a um agente infeccioso. E não por causas genéticas ou alimentares. E tantos outros cânceres se provaram serem puramente genéticos, ao contrário da crença científica vigente....

    Se acreditou, com trocentos trabalhos científicos, de que a gordura animal causava doenças coronárias. Tese que paulatinamente vem sendo derrubada, estudo após estudo. 

     

    Um cientista da UFRGS (que, por sinal acredita piamente no aquecimento global antropogênico) descobriu recentemente que as fortes Tempestades destrutivas que atingem de tempos em tempos o RS têm como origem o mar de Weddel, na Antártica, e não a umidade da Amazônia.

     

    Ontem, um ovo por semana e você enfartaria. Hoje, coma ovos e tenha vida longa e próspera. 

     

    Nem sabemos quando vai ocorrer El Niño ou La Nina. 

     

    Não sou cético. E a meteorologia não é ciência exata. É o que eu, que sei muito menos que muitos que aqui participam, tenho a dizer. 

    • Like 8
    • Thanks 1
  3. Agora, Matheus Vinicius disse:

    É, este calor realmente está terrível.

    Frio agora seria mais do que bem vindo.

    Quais são as expectativas de vocês para o clima brasileiros na próxima década?

    2020-30

    Há quem diga que entraremos em um ciclo de resfriamento, principalmente pelo mínimo solar, agora se vai acontecer eu não sei

    Os céticos falam nisso. O professor Molion cita variantes como cobertura de nuvens e atividade sísmica. Há muitos anos ele vem colocando o ano de 2020 como a virada de chave nesse processo que seria global e teria impacto no Brasil, principalmente no centro sul. Se ano que vem não tivermos nada disso e continuar a esquentar vai ser difícil que ele continue afirmando isso... 

    • Like 5
  4. Agora, EvandroPR disse:

    Tem um rapaz aqui no fórum que mora em Altônia , próximo ao MS ele deve te ajudar.

     

    Aqui em Maringá , tem araucária principalmente na zona rural e nas baixadas .Londrina, Rolândia, Cambé , Jandaia , Arapongas TB tem araucária, mas principalmente em Apucarana tem muita araucária.

    Mas, se não me falha a memória, ele disse que as araucárias de Altonia não são nativas. Foram todas plantadas. 

    • Like 4
  5. Agora, Carlos Campos disse:

    Já ri um bocado ao mesmo tempo em q fikei chocado com essas palavras acima. Existe uma coincidência entre o q vc disse e os assuntos q conversei hj com meu filho. Sobre a trilha sonora ha ha, eu e ele temos os mesmos gostos musicais e não precisei dizer q ficou perfeita, pq ele já sabia disso sem me perguntar...

    Agora, voltando ao clima, vivi amargamente dias como o de hj, mas aí em POA na década de 1990. Tardes de calor intenso e quase insuportáveis, com essas pancadas insignificantes de chuva no pior momento do dia...

    A evaporação devido ao sol forte faz tudo piorar. Quando penso em Porto Alegre, só o calor me vem à mente. Isso q já passei alguns dias de frio aí..

     

     

    Todo mundo fala do padrão pós 2000, mas, até onde eu sei POA sofreu poucas mudanças. Acho que foi o Tomás que tabelou os dados e mostrou que as alterações são mais recentes aqui. E, com certeza, bem menos intensas e antigas do que em Curitiba e SP.   Tenho lembranças de calorões, tempestades de filme de terror, eu e meu pai escondidos sob a mesa da cozinha durante uma forte chuva de granizo que destruiu nossa casa parcialmente (quando ele morreu, muitos anos depois, deu outra, tão feia quanto, não por acaso em 1991, um ano que lembro de ter sido muito quente) Tenho umas lembranças de infância, eu tentando assistir alguma coisa na TV numa tarde calorenta com um baita ventilador fazendo barulho e impedindo de escutar o som da televisão e eu meio narcotizado (tenho pressão baixa). Mas também lembro de fazer "boneco de neve" com geada, das enchentes horríveis de São Leopoldo, das chuvas que não paravam nunca, da sensação de que a cidade estava toda apodrecendo de tanta chuva. De quase ter morrido congelado na tarde da neve de 84, porque quando saí para a escola não estava tão frio e não me agaselhei direito e quando voltei, com chuva misturada com neve, andando por campos alagados já tava só num treme-treme. De como o uso da estufa de resistência era racionado pelos meus pais para a gente não ir à falência financeira. Da touca de astronauta que minha mãe me obrigava a usar nas manhãs de geada ou vento gelado e da qual eu dava um jeito de me livrar tão logo estivesse fora de casa kkkkkk

    • Like 4
    • Thanks 1
  6. 2 minutos atrás, Lucas Venturini disse:

    Em Santa Cruz do Sul/RS a mudança do tempo veio com granizo. Só pra estragar a Oktoberfest da galera:
    EGzJwJsUUAAebJ-?format=jpg&name=medium

    Eu achei que teríamos o Terceiro Segredo de Fátima se abrindo pelos céus. Mas a temperatura caiu rápido, deu um vento e uma chuvica e acabou. Sem raios, sem trovão, nada. Já há um bom tempo que parou de chover (zona norte de POA). Metsul diz que o bicho vai pegar amanhã e terça com um dilúvio. O risco de temporais agora fica para a divisa com SC, principalmente na quinta-feira e, sobretudo, no Noroeste do estado. 

    • Haha 4
  7. 11 minutos atrás, Carlos Campos disse:

    Exatamente!

    A coloração e a visibilidade denunciam certas particularidades climáticas.

    A tarde foi...como posso te dizer? Estranha?: acho q isso define... 

    Sensação de vazio sob um terrível desconforto.

    Poucas vzs desejei uma situação pós-frontal fora do período invernal, qto desejei hoje.

    Kero chuva e (ugh) frio 😌 o mais depressa possível.

    Sobre a foto em kestão, enquanto eu fazia o registro, meu filho gravou um pekeno vídeo e veja as gotículas caindo de um céu pobre de nuvens e o sol brilhando intensamente, com 32°C de temperatura à sombra:

     

     

    Dias de Belém do Pará em Piraquara... Usar Echo e os Homens-Coelho na trilha foi covardia. Aliás, eles têm um disco chamado Sibéria kkkk

    • Like 1
    • Haha 1
  8. Agora, Carlos Campos disse:

    Boa noite...

    Devo admitir q o dia de hoje esteve muito desagradável devido ao calor.

    A máxima bateu os 33,5°C aki na vila e nuvens bem desenvolvidas verticalmente flutuaram despreocupadas durante a tarde, sem se importar com nossos sentimentos: houve uma pancada rápida às 15h00 mas mesmo assim o sol continuou a brilhar. Ouvi apenas uma única trovoada e foi tudo... 

    Agora, céu praticamente limpo e 22°C. Dentro de casa (na parte de cima...nos quartos) está horrível. 

    A chuva (com sol) às 3 da tarde. Depois dessa pancada rápida, a sensação de calor ficou pior do q já estava 👇1571009623101.thumb.jpg.997515bacc1a978189b2a681924ea1f9.jpg

    Interessante como às vezes se pode literalmente "ver" o calor e a umidade de uma certa paisagem apenas pelas fotografias, sem ter a presença de um "auxílio" extra (pessoas usando roupa curta ou um termômetro marcando a temperatura). Claro, tem a questão da posição solar pós equinócio e o modo como a luz incide sobre todas coisas. 

    • Like 4
  9. Agora, Lucas Venturini disse:

    Existe muitos lugares no Brasil que estão fora do circuito do frio clássico brasileiro que ou tem clima agradável ou ao menos tem registros de mínimas que de cara nem imaginamos. Já vi cidade com potencial para cair abaixo dos 10º no Sul do Maranhão, existe números expressivos também no Tocantins, Oeste da Bahia, e Sul do Piauí. Tem as conhecidas de clima ameno na região Nordeste como Piatã e Vitória da Conquista na Bahia, essa última com mais de 340 mil habitantes, Guaramiranga/CE quase a altura da linha do Equador, Triunfo/PE, temperaturas que chegam na casa dos 5º no Sul e Oeste da Amazônia ou menos, e potencial de registro de negativas em várias cidades do Centro-Oeste Principalmente em Mato Grosso do Sul e Goiás. Cristalina e Alto Paraíso de Goiás são cidades que estão no meio do Cerrado e mesmo nos períodos mais quentes não faz tanto calor por causa da altitude que se aproximam de 1.300mts e o ar seco na época mais quente do ano e os fatores principais são altitude e continentalidade.

    Quando vemos aqueles mapas de "climas do Brasil"  essas peculiaridades são total e solenemente ignoradas. Isso também colabora, e muito, para que tenhamos uma percepção equivocada do clima de um determinado estado ou região. 

    • Like 3
  10. Agora, sjmolive disse:

    Impressionante a anomalia de temperatura no Sul do Brasil.

    Enquanto isso, por aqui, até agora neste mês de outubro, a mais pura normalidade.

    Hoje a temperatura oscilou entre 16,3 C e 30,7 C - foi o primeiro dia, desde 20/9/19, que os termômetros superaram os 30 C por aqui.

    O mês tem temperatura média, até agora,  de 19,7 C - muito próximo da normalidade aqui para outubro.

    No momento, 20h20min, céu claro, vento fraco do quadrante norte: 23,5 C e UR 64%.

    Deve esfriar de novo agora só no final do mês - com chance de máxima sub-20 e chuva... aguardemos. 

    Por outro lado, teremos em quase todo o RS (menos na região Noroeste do estado) uma semana inteira de temperaturas baixas e chuva em todos os dias (de segunda a sexta). Assim como o calor absurdo para outubro, essa sequência de um certo frio com chuva não é lá coisa tão comum também nessa época do ano por aqui. 

    • Like 8
  11. 44 minutos atrás, LeoP disse:

     

    Pelo menos essa eu consigo te responder. Morei, a trabalho, alguns meses em Noronha e aprendi muito sobre a ilha. Parte da água vem da chuva e outra da dessalinização. Na verdade, a água acaba ficando levemente salobra para uso geral, a de beber que é dessalinizada mais de uma vez e vendida em galões. Eu já vi água saindo do solo (o que seria lençol freático), mas creio que essa fonte não seja significativa.

     

    A região tem clima tropical, com chuva em 6 meses e tempo mais firme no restante do ano. Diferente do Brasil central, não há variação praticamente nenhuma da temperatura ao longo do ano, não tem raio, não tem granizo (já perguntei moradores e eles falaram que nunca viram chuva de granizo lá), não tem ventania e não tem grandes tempestades. A única coisa que acontece no clima é sol, tempo nublado ou chuva, sendo que a chuva é só água como relatei acima, sem os outros ingredientes (mas pode ser fraca ou com grandes volumes).

     

    BH teve dia ensolarado e quente, variação de 20 a 32C no centro. Outubro paia.

    Uau, então, significa que a população permanente não pode crescer muito mais do que já existe ou haverá sérios problemas de abastecimento.

     

    Então, pra mim é um baita relato o que tu contas: sem granizo, sem raios, sem vendavais, abastecimento por dessalinização e por água da chuva. É um dos nossos maiores destinos turísticos em termos de fama e verdadeiro sonho de consumo (meu, inclusive). E pouco sabemos. Quantos brasileiros sabem disso? Aprendi agora. Obrigado. 

    • Like 3
  12. 3 horas atrás, Fábio De Nittis disse:

    Bom dia a todos! Depois de 15 horas de atraso por causa das chuvas e efeito cascata, ontem à noite por fim pude embarcar para Sao Paulo. O atraso caiu no esquecimento após vivermos momentos de susto durante o voo. Relato a seguir:

     

    O aviao, um Boeing 737-800 da Aerolíneas Argentinas, partiu de Buenos Aires às 21h22 com destino a Sao Paulo. Desde o comeco do voo o aviao se movia, primeiro de forma quase imperceptível e depois foi aumentando, mas ainda com fraca intensidade, algo absolutamente normal e que acontece na maioria dos voos, inclusive. Depois de 1h de voo, a turbulencia passou a ser mais moderada, gerando ambiente mais tenso, mas também totalmente normal, esses balancos comuns de quando atravessa nuvens, que o aviao mexe mais.

     

    Porém a situacao comecou a ficar complicada no meio do Uruguai. O aviao comecou a se mover com mais frequencia e intensidade. Se notava que o vento era mais lateral, pelos movimentos que fazia o aviao e sem muitas variacoes na altitude. Observando a rota da aeronave, nota-se que o piloto fez um grande desvio para tentar esquivar as tempestades:
     

    image.png.89af9c6f0a84ab239316d85505672c08.png

     

    Às 22h03, o susto: o aviao perdeu sustentacao muito rapidamente: uma queda intensa de uns dois segundos, um segundo de calma, e mais tres segundos de queda livre. Nesta segunda queda, uma passageira que estava do meu lado relatou que o aviao embicou pra baixo. Nao cheguei a ver (porque gritando desesperado e com olhos fechados haha), mas penso que pode ter sido o piloto tentando recuperar velocidade e sustentacao da aeronave. Se bem a situacao esteve bastante longe de ser uma tesoura de vento, objetos voaram, houve gritaria, choro, passageiros se sentindo mal e passageiro com ferimentos leves. Segundo o que vi no Flight Radar, a aeronave perdeu 180 metros de altitude durante o episódio. Este foi o local exato da perda de sustentacao:

     

    image.png.5c2116177751748b8e0a6b98fb67b477.png

     

    Imediatamente após isso, tivemos turbulencia leve por mais 2 ou 3 minutos e calmaria o resto do voo. A tripulacao saiu a atender e acalmar os passageiros. Conversando com uma aeromoca, ela me relatou que tínhamos tempestades cobrindo praticamente todo o Uruguai e que passamos em uma pequena área entre duas tempestades (de fato, por mais de meia hora vi raios dos dois lados da aeronave). O satélite atual (nao difere muito de como estava ontem, mas se alguém puder recuperar a imagem de seria genial) confirma o que ela falou:

     

    image.png.55c280783b6ee6e594238bcac4060bd0.png

     

    E que podia ficar calmo, porque estatisticamente nao deveria enfrentar mais nenhuma turbulencia assim, já que acontece uma em milhares. O resto do voo seguiu absolutamente tranquilo, já que o tempo no resto da rota estava aberto. Os passageiros comecaram a conversar e rir da situacao ainda assustados. No pouso se notava uma tensao no ar em cada pequena descida do aviao (eu já estava tranquilo porque essa hora é pra descer mesmo, né, mas fui um dos mais desesperados durante a turbulencia) e a tripulacao foi bastante aplaudida com o pouso. Em voos com destino ou origem na Argentina é comum que as pessoas aplaudam, porque é hábito lá, mas desta vez o aplauso foi bastante mais generalizado.

     

    Por fim, gostaria de dizer que a equipe foi toda muito profissional e que confio muito no trabalho da Aerolíneas justamente pelo clima mais louco da Argentina. Óbvio que os profissionais de todas as companhias sao bem preparados, mas como lá tem essas tempestades sempre no eixo Córdoba-Buenos Aires, tem o vento zonda no oeste do país, o vento intenso da Patagonia, a Cordilheira dos Andes pra ir pra Ushuaia, me passa confianca a ideia de que estao acostumados em voar em condicoes assim. Mas foi um susto tremendo, a ficha ainda tá caindo E PRECISO VOLTAR, acho que vou voltar andando (e sem falar que tenho voo terca e quarta porque vou dar um pulo com a minha mae em Trindade, Goiás).

     

    Meu Deus! Que horror. Só passei por uma grande - e infinitamente demorada - turbulência na minha vida, num voo Frankfurt - SP  e quase deixei todo o meu aparelho gastrointestinal no assento e não chegou a isso que tu contou. 

    • Like 2
  13. 3 horas atrás, Lucas Venturini disse:

    Madrugada equatorial no Sul do Brasil, olha essas minimas:

    São Luís Gonzaga/RS: 26.9º

    São Miguel do Oeste/SC: 26.2º

    Chapecó/SC: 25.1º

    Palmeira das Missões/RS: 24.7º

    E até Canela/RS, uma cidade que todos conhecem que fica na Serra Gaúcha, com elevação de 831mts de altitude, a altura do paralelo 29.3 S, a minima ficou em 21.5º

    Foi uma noite pavorosa. Acho que só o extremo sul do RS escapou desse horror. 

    • Like 3
    • Sad 1
  14. 7 horas atrás, Renan disse:

    O conhecimento e detalhamento geográfico que alguns aqui têm de certos países me impressiona. Países pouco habituais para nós, como a Rússia. O que sei daquela nação ? Só o básico...vocês conhecem cada lugarejo, detalhes das regiões... fantástico isso, parabéns. 

     

    Sobre esse assunto, vou resumir minha opinião: Uma cidade com clima semelhante a Paris para mim está ótimo. Grandes variações de tempo e temperatura, e sem invernos e verões extremos. 

    Não temos divulgação de como é toda a geografia de nosso próprio país.  Eu sei que faz frio em áreas de serra da Bahia e de Pernambuco desde aborrescente porque sempre gostei de geografia e não perdia um documentário ou reportagem na TV sobre qualquer coisa relacionada ao assunto. Mas só recentemente fiquei sabendo que faz "frio" também no Ceará e no interior do Piauí. O que nós sabemos sobre o Monte Roraima e sobre o platô das Guianas? De onde vem a água potável de Fernando de Noronha (nunca pesquisei isso até agora e minha resposta é: não faço a menor ideia).  O BAZ tem um papel fundamental em revelar ao país nosso "pedaço de Alasca" que é o alto do Itatiaia. Mas eu já procurei bastante sobre a flora de lá e não achei muita coisa....  Aposto que muitos brasileiros nem remotamente desconfiam que existe uma única cidade no RS em que é possível cultivar de forma comercial a rainha das frutas tropicais, o abacaxi (a cidade é Terra de Areia e isso só é possível por uma série de peculiaridades geográficas totalmente únicas do local). Aliás, eu nunca havia pensado nisso até ler uma reportagem no ano passado. E por aí vai... 

    • Like 8
  15. 2 horas atrás, Sopron disse:

    Isso significa que no futuro, eventos de El Niño podem serem desastrosos para o Brasil, influenciando diretamente no aquecimento do Pacífico e jogando todo o calor para cá ??? Me corrija se eu estiver errado

    Bom, eu não tenho autoridade pra te corrigir, se tu estiveres errado, pois sou totalmente leigo. Mas, olhando pelo lado das correlações, e da aparente intensificação dos fenômenos, acho que poderíamos ter esse receio bem presente, sim. Basta lembrarmos de dois super El Niños (97/98 e o terrível 2015).  E há ainda 83 (e, se não me falha a memória, 86). Todos esses anos foram quentes, especialmente no Sul. Tiveram grandes cheias (e 83 o ápice da seca no semiárido nordestino). Escrevi "aparente intensificação" porque não sabemos, na realidade, se no passado, quando ainda não havia a conceitualização desses fenômenos se já não houve essa intensificação. Temos modelos de computadores que, a partir de inúmeros dados, tentam recriar o passado. Eu não sou cético, mas também não faço parte do grupo majoritário de pessoas que acredita sem restrições no aquecimento global antropogênico. Céticos como o Molion e o professor Ricardo Felicio apontam em outras variantes "major" para bagunçar o clima planetário como atividade solar, cobertura de nuvens, erupções vulcânicas, etc etc etc. Se estiverem certos, entraremos, a partir do ano que vem, num período de resfriamento acentuado do planeta. Como El Niño e La Nina vão se comportar nesse cenário, por si só, hipotético? 

  16. 2 minutos atrás, Carlos Campos disse:

    @João Ignacio, tua visão poética e detalhada é impressionante. Eu não poderia deixar de dizer isso e dormir tranquilamente 🤔

    Abraço e bom descanso...

     

    Li outros posts bem interessantes tbm. Isso é ótimo! 

     

    Eu enfrento diariamente temperaturas abaixo de -12°C e já medi algumas vzs até -21° no meu trabalho. 

    De uns 5 meses para cá tenho ajudado um casal de amigos na linha de produção e armazenagem do melhor pão de keijo da região. Passo cerca de 2h por dia em média, dentro de 2 containers de estocagem e sou obrigado (com alegria) a enfrentar esses dias de calor usando casacos térmicos, touca térmica e luvas próprias para frio rigoroso.

    É muito divertido. Enquanto eu vejo o sol "torrando" lá fora através das grandes e grossas vidraças, meu ambiente de trabalho está permanentemente sob 10°C quando não estou na área de estocagem (-10/-20°C).

    Acho q sou um pouco privilegiado e provavelmente não terei muito o q reclamar nos próximos meses quanto ao verão 😌

     

     

     

    @Carlos Campos você é sempre muito gentil, obrigado. O detalhismo talvez venha pela frustração de não ter estudado Geografia na graduação, fui noutra direção, guiado por egos e não pelo que eu realmente queria.

     

    Trabalhar a menos dez ou - 20 graus no verão brasileiro é uma benção pela qual muitos bazianos dariam o braço. 👍 Eu acho lindo o trabalho de padeiros e pizzaiolos, pelo que proporcionam a outras pessoas, mas nem no auge do inverno acho que eu conseguiria 🙁.  

    • Like 2
  17. 5 minutos atrás, Wallace Rezende disse:

    O calor que fez em partes do Sul neste sábado realmente foi notável; além de várias cidades de SC terem aproximado ou superado recordes mensais, Porto Alegre teve máxima 38,4ºc na convencional, e parece que foi recorde para outubro.

     

    Caxias do Sul ainda registrava 29ºc na observçaão de 21:00!! (00Z), e deve ter quebrado o recorde de máxima para outubro também (o valor não foi divulgado).  Bagé foi outra cidade onde fez bastante calor (34,8ºc na automática, mas a convencional é mais quente e  deve ter superado os 36ºc), por lá a máxima também não foi divulgada o que pode indicar recorde mensal desde 1961.  Até a estação de topo em Pinheiro Machado chegou aos 31,8ºc (nas baixadas deve ter feito uns 33ºc).

    Caxias do Sul, além da população, tem uma area geográfica enorme. Certa vez, ainda na época do antigo primeiro grau, nas férias de verão, fui passar umas semanas na casa de parentes de um amigo no Distrito de Vila Cristina. Não tem nada a ver com o resto de Caxias. É literalmente um buraco no Vale do Caí, todo mundo lá é alemão e o lugar (que é lindo) é terrivelmente quente, em vez de pinheiros tem muitas palmeiras.  Durante o dia, tomando banho de Cachoeira, andando pelo mato e fazendo estripulias diversas o calor é só um detalhe na diversão. Até ajuda. Mas quando chegava a noite, depois de se empanturrar de comida boa e farta, tudo perdia a graça porque era muito abafado, bem mais que são Leopoldo, onde morava com meus pais. Dormi pouquíssimo naqueles dias. Ainda assim, voltei pra casa feliz, pois eu adoro o contato com a natureza, vermelho como um camarão, nitidamente mais balofo e com olheiras. Sempre quando passo próximo da Vila Cristina me lembro daqueles dias ótimos e do desconforto das noites abafadas e mal dormidas. 

    • Like 1
    • Thanks 1
    • Haha 2
  18. Agora, Carlos Campos disse:

    Madrugada kente nos topos e planaltos elevados. 

    Meia noite e quarenta e três:  17°C aki na vila em Piraquara e 23°C em média no centro de Curitiba. 

    Na Serra Dona Francisca/Joinville (868m), 15°C e alí perto, em Serra Smith (1.185m) 22°C.

    Bom Jardim da Serra tem variações entre 11°C (1.196m) e 18°C (1.317m).

    Centro de São Joaquim (>1.350m) com 22°C.

     

    22 graus em São Quincas na madruga, numa cidade em que quase ninguém tem ventilador, é pra matar. Aliás, lembro de inúmeras noites difíceis de dormir nos verões da minha infância lá no Boqueirão (que eu acho muito mais quente no verão do que São Joaquim sede). Mas não é nada comparável com o que temos aqui, nem em sonho (no caso, pesadelo 😂). 

    • Like 1
    • Haha 3
    • Sad 1
  19. Acho que todos sabem e até evitei falar para não ficar uma coisa lamurienta, mas está uma noite infernal em Porto Alegre. 25 para uma da manhã e temos 26 graus na zona norte de POA (ficou boa parte da noite nos 27). Durante o dia não coloquei o nariz pra fora de casa e felizmente não senti o horror que foi o dia. Mas agora à noite a sensação de incômodo veio com tudo. Minha irmã, que mora em Scharlau, São Leopoldo, disse que o split da sala dela (que é novo e tem trocentos milhões de BTUs) não refrigerou nada. Abriu a porta porta do quarto e ligou o split de lá também.  Aquela região registra algumas geadas fáceis no inverno, mas é muito mais abafada do que POA no verão e tem uma ausência quase total de vento. A luz começou a piscar há coisa de uns quarenta minutos e tenho receio de que tenhamos algum corte de energia. 🙄

    • Sad 8
  20. 9 minutos atrás, Lucas Venturini disse:

    Anchorage lugar perigosíssimo fica no chamado 'circulo de fogo' como o Japão,  em 1964 essa cidade foi desvatada por um terremoto de 9.2 de magnitude, muito provavelmente irá acontecer algo deste nível novamente ou pior.

    Foi ano passado ou retrasado que houve um grande terremoto nos limites do município de Anchorage, mas não afetou o centro da cidade (onde há arranha céus) e nem os subúrbios próximos. No entanto, houve enormes danos em subúrbios distantes (que já foram vilarejos independentes e foram incorporados à área da cidade). Ainda assim, tenho vontade de conhecer e já tive vontade de morar. É uma das cidades que mais crescem nos Estados Unidos, com ótimas colocações para estrangeiros, principalmente pessoal das áreas de energia. 

    • Like 4
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.