Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Tomás WRuas

Moderators
  • Posts

    1924
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    24

Everything posted by Tomás WRuas

  1. De minha parte posso dizer que estou plenamente satisfeito com esse episódio de calor no meu rincão. Estava com dois objetivos em mente: pico de calor histórico no dia 1 e madrugada com aquecimento noturno insano hoje, dia 2. Não só tive os dois, como ambos superaram minhas expectativas: o pico de calor de ontem trouxe uma das maiores temperaturas já registradas em outubro por aqui: 35,7°C. Como minha estação é recente, não dá pra ter certeza se foi a maior da história, já que o comportamento do Balneário dos Açores é muito mais propício aos picos de calor do que a estação do Inmet — que até o ano passado nunca tinha atingido 33°C em outubro. Aliás, se considerar os históricos de todas as estações de Florianópolis, esse 35,7°C é a terceira maior temperatura já registrada em outubro na cidade, perdendo pra 36,7° de Ratones e 35,8° do Itacorubi, ambos em 30/10/2019. fui dormir ontem com 22,3°/91% aqui nos Açores e acordei às 5h da manhã com a boca totalmente seca, morto de sede. Fazia 30,2° com 52%. O adiabático previsto tinha realmente chegado. Subi no terraço pra sentir na pele algo que nunca tinha experimentado: 30° de madrugada, sem qualquer sol, com ventania seca. É sensacional, recomendo a todos aliás. Vídeo do momento, gravado às 5h30 com 30°C: WhatsApp Video 2020-10-02 at 05.34.04.mp4 Atingidas as metas, o dia de hoje surpreendeu ainda mais. Enquanto regiões ao norte torravam com 43°C e recordes históricos, tive uma manhã sem qualquer vento, muito abafada e esfumaçada. A temperatura atingia o pico de 31,8° às 10h24 quando ele entrou. O soprar dos anjos, a dádiva de Floripa: o vento sul. Graças a ele, a temperatura ficou abaixo dos 24° a tarde toda, com mínima de 21,2° às 15h15. Depois das 18h o vento sul ganhou força e, pra coroar o dia com chave de fogo, a temperatura disparou pra 25,0° às 20h e ficou nesse patamar até 21h! Rajadas chegaram a 70 km/h e, junto a isso, tinha show de raios de tempestades que passavam ao norte. Agora são 22h04 e estou empacado nos 22,2° com vento de SSW a 30 km/h. Era pra ter ar frio entrando, mas eu sinceramente já não entendo mais nada. Este 2 de outubro de 2020 rendeu o gráfico mais insano dos meus registros:
  2. Vale destacar que até três dias atrás o recorde nacional para automáticas do Inmet era 42,9° em Coxim, no norte do Mato Grosso do Sul, em out/2014 e set/2019. Três dias depois, até Morretes/PR e Registro/SP estão chegando nessa marca dos 43°C. Nem preciso comentar dos 44,4° em Água Clara e 44,1° em Coxim. Realmente uma onda de calor devastadora e histórica em abrangência, intensidade e duração (vem muito mais por aí).
  3. Hoje está sendo um dia completamente louco por aqui. Já já posto o relato completo. Agora está assim:
  4. Máxima de incríveis 35,7° aqui no Balneário dos Açores, extremo sul de Floripa. A máxima ocorreu às 14h20, logo antes da entrada do vento sul. Vale destacar que o calorão foi regado a muito vento, com rajadas acima dos 50 km/h até o meio dia e na casa dos 30/40 km/h até o momento da máxima. No Sertão do Ribeirão, a 120 metros de altitude, fez 34,3°. Agora ainda faz 32,4°/55% por lá. Aqui embaixo no balneário faz 26,4°/69% com vento sul que, aliás, chegou a 70 km/h na hora da virada. Ontem à noite, puramente por vento norte, tive 85 km/h, a maior rajada que registro. A expectativa agora fica por conta do adiabático da próxima madrugada, que pode ser poderoso.
  5. NO BRASIL INTEIRO, VEM AÍ UM OUTUBRO COM SELO OUTUBRÃO DE QUALIDADE. PRA FICAR NA HISTÓRIA! RUMO AOS 45° E ALÉM
  6. É, amigo. Floripa deve entrar na dança da chucha amanhã mesmo! Teremos dois dias com potencial pra bater o recorde histórico de outubro, que é 34,5° no longínquo... ano passado. Aliás, até ano passado Floripa nunca tinha chegado a 33°C em outubro. Bom, outros tempos. Amanhã devemos ter um amanhecer com advecção de ar muito quente. Modelo europeu indica 32°C em 950 hPa (600 m) logo às 10h da manhã no sul da Ilha. Muita atenção à região de Garopaba que deve passar tranquilamente dos 35°C logo cedo. Pelo meio dia, porém, entra vento sul e a máxima não sobe muito mais. ECMWF - 950 hPa - 10h00 de 01/10/2020 Dia 2 é uma incógnita de Floripa pra baixo. A madrugada deve registrar o pico de advecção de ar quente, com um adiabático muito poderoso na região entre o sul de Floripa e Araranguá. Projeção do modelo Europeu chega a dar 35° às 3h da manhã em 950 hPa. O que isso significa? Não sei. Mas podemos ter uma madrugada surpreendente e histórica nessa região, então muita atenção. Uma PWS de Garopaba, por exemplo, registrou a sua máxima absoluta numa madrugada de agosto de 2019: puramente por adiabático foi a 31,6°. A estação existe há dois anos e até hoje nunca ultrapassou essa marca. Nada mais justo que o histórico outubro de 2020 venha pra quebrar esse recorde. ECMWF - 950 hPa - 2h00 de 02/10/2020 ECMWF - 950 hPa - 5h00 de 02/10/2020 Consegui deixar a minha PWS do Balneário dos Açores reportando temperaturas novamente pra registrar este evento. Fica no extremo sul de Floripa, e eu espero que passe dos 34°C amanhã. Veremos: https://www.wunderground.com/dashboard/pws/IFLORI67
  7. URGENTE: RECORDE ABSOLUTO PRA AGOSTO EM SÃO JOSÉ DOS AUSENTES/RS: 27,7° NA AUTOMÁTICA DO INMET. BATEU A HISTÓRICA ONDA DE CALOR DE AGOSTO/2015, QUANDO FEZ 27,5°. PÓS 2000 É ASSIM: VOCÊ PISCOU E JÁ BATEMOS MAIS UM RECORDE DE CALOR.
  8. Quase que a PWS do @Fernando Keiser do Quiosque foi torrada! Olha o gráfico de anteontem (25/08):
  9. Olha, 1984 é histórica em muitos níveis no sul. Além da neve generalizada, incluindo Porto Alegre com seus 2,4°C à tarde, ainda Florianópolis registrou a mínima absoluta com 1,3° no Inmet São José. Tudo isso quase em setembro! Então essa de 1978 precisa ser realmente muito forte pra ser comparável a 1984 por aqui. obs.: julho de 1918 também fez 1,3° em Florianópolis, mas na época a estação ficava no terraço de um prédio no centrão. Com certeza no local atual o registro teria sido bem menor. Pra ver a força de julho de 1918!
  10. Assim com uma penca de outros bazianos, eu também resolvi subir a serra na quinta feira, 20/08/2020, na expectativa de pegar alguma neve nesta que parecia ser a melhor oportunidade desde 2013. Em tempos estranhos de COVID, acabei desistindo de subir a serra geral com colegas bazianos e fiquei num sítio de amigos em Anitápolis, cidadezinha de 3 mil habitante espremida entre os Campos dos Padres (>1800m) e a Serra do Tabuleiro (1400m). localização de Anitápolis Como o evento se desenhava MUITO forte, com a cota de neve descendo abaixo dos 500 metros no leste de SC na madrugada de sexta, eu cultivava uma esperança de pegar neve nos pontos mais altos do município - os que eram acessíveis de carro, claro. Saímos de Florianópolis logo depois do almoço e, às 17h de quinta, estávamos no alto do Morro da Boa Vista (1250 m), em Rancho Queimado. Fazia 2/3°C e garoava: o suporte pra neve só chegaria à noite. Rumamos para Anitápolis enquanto os relatos de neve no RS começavam a pipocar: neve em Gramado, Canela, São Chico; chuva congelada no Chuí, Pelotas e até em Tramandaí! A expectativa só aumentava. Eu acabei sendo derrubado por um princípio de resfriado e isso me desanimou muito na noite de quinta. Estava com coriza e dor de cabeça, ainda que fraca, e o ânimo pra sair à caça da neve se esvaiu. Às 23h nevava forte em Bom Jardim da Serra, havia relatos de neve nos pontos altos de Rancho e Anitápolis, mas eu acabei ficando no sítio mesmo. Onde eu estava a altitude era de 600 metros e a todo momento eu checava pra ver se a garoa que caía ainda era só garoa mesmo. Fazia 3/4°C com precipitação, mas não passava do estado líquido. A chuva caía por vezes com intensidade moderada e isso me acendeu um alerta, já que poças estavam se formando: a neve podia estar acumulando nos locais altos. A garoa parou, devia ser por volta de 1/2h e eu decidi ir dormir, aceitando que não seria dessa vez que eu veria neve. Na sexta, eu quaaaase cometi o fatal erro de dormir até tarde. Ainda bem que coloquei 300 despertadores pra me ajudar a levantar. Saí da cama às 7h30 e vi que o céu estava limpo. Fui caminhando pra procurar geada e encontrei com o caseiro do sítio, Cláudio. Ele comentou na maior naturalidade que dava pra ver uma nevezinha lá no alto dos morros, e eu já fiquei eufórico. Super solícito, ele me deu uma carona de moto até um ponto onde se tinha uma vista panorâmica do Campo dos Padres. Ainda que o frio fosse cortante, o cenário era deslumbrante, totalmente anti intuitivo em se tratando de Brasil, e até o Cláudio ficou inebriado. A neve acumulada no alto das montanhas lembrava qualquer cenário europeu, mas na minha cabeça era um replay do que eu vi em 2013 de Florianópolis. Fotografei até não poder mais: Destaque pra neve que acumulou até nas partes "baixas", em torno de 900/1000 metros. É lógico que a minha única reação depois de tirar as fotos foi de ir até a borda da serra para ver o cenário de perto. Acabamos nos demorando pra tomar café da manhã e conseguimos sair só pelas 10 horas. A estrada que levava de Anitápolis até pertinho dos paredões é simplesmente espetacular. A região é encantadora, e as paisagens, minha opinião, são as mais lindas do interior de Santa Catarina: Já perto das 11 horas, a neve ainda estava lá, apesar de bem mais rala. A máxima foi negativa mesmo com sol no Morro da Igreja, melhor referência pras temperaturas nos picos do Campo dos Padres. Chegamos nos pés do paredão em um local único que ficava na cota de 900/1000 metros. Pouco antes de chegar atolamos o carro na lama, e os moradores que apareceram pra ajudar trouxeram a informação: nevou forte por ali e havia, inclusive, camada de neve acumulada pelo amanhecer nas partes baixas! Ficou claro que o atoleiro era especial: não era qualquer lama, mas neve derretida! 😅 moradores vindo nos socorrer e o lamaçal a neve derretida. foto: Duda Hamilton Era esse o cenário quando chegamos: Mas eu destaco aqui o cenário no mesmo local, mas bem cedo, antes de chegarmos, que foi registrado pelos moradores da região: WhatsApp Video 2020-08-21 at 22.07.23.mp4 Fotos de Sérgio Krtiscka. Apesar de decepcionante saber que por questão de horas eu não presenciei ISSO, não posso reclamar de nada desse evento. Até porque eu não conhecia a região, e quem diria que o amanhecer seria assim? Finalizando o relato, deixo as minhas fotos da neve nesse local sensacional, já ao redor das 11h, quando a branquinha só aparecia nos topos. Já voltando, ainda deu pra ver uma cascatinha com picos nevados, mas contra luz: No outro dia a geada foi forte:
  11. Uma semelhança interessante deste evento com julho de 2013: a mínima absoluta da onda de frio ocorreu no topão do Morro da Igreja. -7,8° em 2013 e -8,6° em 2020. Este ano por lá (UTC): E semi-normal atualizada:
  12. Tirei várias outras fotos de vários locais diferentes, mas eu vou postar elas mais tarde num tópico específico. Só vou ter acesso ao meu computador no domingo ou no sábado. Por enquanto, fiquem com mais essas fotos da neve em Anitápolis/SC tiradas (não por mim) no amanhecer de hoje aos pés dos paredões do Campo dos Padres:
  13. E Anitápolis que amanheceu com ESSA vista dos Campos dos Padres? Espetacular, tô tremendo até agora. Não peguei neve na cabeça, mas valeu à pena:
  14. Florianópolis amanheceu gélida. Registrei 9,2° às 9h30min no Sertão do Ribeirão e desde então a temperatura ainda não conseguiu alcançar os 10°. Aqui à beira da praia, nos Açores, faz 10,9° com 74% e o vento sul sopra forte com rajadas que alcançam os 60 km/h. Dificilmente vou alcançar os 12° nos Açores e creio que nem vai passar dos 10° lá no Sertão. Afinal, agora é só ladeira abaixo com essa bomba polar subindo. No momento não chove, mas já deu umas pancadas e está totalmente encoberto, com cara de chuva.
  15. Tarde histórica pintando na capital paranaense: não duvido de máxima na casa dos 5°C na sexta. Euro 12z dá máxima de 6° à meia noite, sem passar de 4° de tarde. Deve ser a menor em muuuuuitos anos.
  16. Vale destacar que a COTA DE NEVE vai estar baixíssima na madrugada e manhã de sexta pelo Europeu 12z. Literalmente, nas áreas altas da Grande Floripa, o que precipitar vai ser em forma de neve. O problema é que a chuva prevista mal chega a 1 mm. Vai ser na sorte, muita na sorte. A não ser que seque tudo o que ainda resta de umidade nas próximas rodadas, algo que eu não duvido pela tendência. Aí para de ser na sorte pra ser no milagre mesmo. Por hora, vamos de pensamento positivo: vai ser na sorte que vai nevar. E nevará.
  17. Canela: a janela é na quinta-feira pelo Euro. Ao longo de todo dia a atmosfera vai estar congelada e o que cair, se cair, deve vir na forma sólida. Euro indica várias pancadinhas ao longo do dia. Dá pra se divertir, mas nada demais.
  18. Jamais depositei tanta fé em um número tão insignificante quanto eu estou depositando nesses 0.1 mm previstos pra manhã de sexta em Rancho Queimado. Masoquismo? Sim. E eu estarei lá, no ponto mais alto do município, às 7h de sexta pra conferir meus 5 flocos de neve. Qualquer coisa acima disso é lucro.
  19. Bom, quinta-feira à tarde eu estarei saindo de Floripa em direção à Anitápolis, na região serrana da RM. A cidadezinha fica a 400 metros em um vale fechado, mas vou ficar num sítio a 600 metros numa encosta. De quinta pra sexta é acompanhar o nowcasting e na sexta de manhã vou me mandar pra onde o cenário estiver mais branquinho. Por ora, creio em chances de neve no próprio sítio em Anitápolis na sexta de manhã, considerando o Euro. Mas como é limítrofe eu não estou criando muita expectativa. O foco é pegar algo no Morro da Boa Vista em Rancho Queimado na sexta de manhã ou, em caso de flop, subir pra São Joaquim. Vamos acompanhando. Por ora, ansioso demais pelo momento mais importante do dia: a 12z do ECMWF!
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.