Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Setembro/2020

Topic will be automatically locked at 03:00 AM

Recommended Posts

A chavinha deu uma virada e hoje amanheceu totalmente diferente do que se espera para setembro aqui no sertão da Paraíba. Choveu fraco ou chuviscou várias vezes entre 1/2h da madrugada e 7h30 da manhã aqui em Catolé do Rocha. As fotos abaixo foram tiradas às 6h.

IMG_20200902_060001720_HDR.thumb.jpg.7d5c419895175caf849b370a76c38f27.jpg

IMG_20200902_071140987_HDR.thumb.jpg.f39ae0196deb85913d09ee5270f45779.jpg

 

A foto abaixo (autoria de Thiago Matos) é de Messias Targino, na direção de Patu (ambas no RN):

received_769477620519325.thumb.jpeg.9b602f731e8f4323b217e6e5b6a3aef5.jpeg

 

Os maiores acumulados na região segundo a AESA foram:

  • 13,9 mm em Brejo do Cruz
  • 4,9 mm em Bom Sucesso
  • 3,7 mm em Catolé do Rocha (na zona urbana)
  • 3 mm em Jericó

A média de setembro dessas estações varia entre 0,4 mm 3,6 mm.

 

No momento o Sol aparece mas há muitas nuvens.

IMG_20200902_101122015_HDR.thumb.jpg.09ad735155981c0258bfd435e375c240.jpg

Edited by CloudCb
  • Like 20

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Felipe Backendorf disse:

 

Aqui em SC em Setembro as anomalias positivas tem reinado também. impressionante a dificuldade de ter um setembro abaixo da média, o que não ocorre aqui desde 2011. Por isso entro nesse novo mês com expectativa ZERO. Evidentemente o mês mais desgraçado da década.

 

Coloca Outubro nessa brincadeira, simplesmente está bem zoado e descaracterizado. Atingir temperaturas próximas ou até mesmo quebrar o recorde absoluto de calor uma vez, ok (2012), mas se aproximar desse recorde novamente (2014), depois voltar a quebrar o recorde após somente 3 anos (2015), para depois atingir outras vezes marcas elevadíssimas em 2017 e 2019 é no mínimo bizarro. 

 

Não me canso de lembrar: BH ficou 100 anos sem atingir 37C e, entre 2012 e 2015, chegou nessa marca 3 vezes (em 2 ondas de calor históricas, em curtíssimo intervalo de tempo). Bem da verdade, eu me lembro de, pelo menos, umas 4 ou 5 ondas de calor que posso considerar históricas nos últimos 10 anos. Década escrota e que mudou paradigmas.

 

 

20 maiores máximas da história de Belo Horizonte (desde 1961):

 

22/10/2015 37,4
31/10/2012 37,1
17/10/2015 37,1
19/10/1987 36,9
16/10/2015 36,9
25/09/2015 36,6
17/10/2007 36,2
19/10/2014 36,2
21/10/2015 36,2
24/09/2007 36,1
15/10/2015 36
05/11/2015 36
17/10/1987 35,9
07/10/2017 35,9
14/10/2014 35,8
15/10/2014 35,8
18/10/2014 35,8
24/09/2015 35,8
10/09/1997 35,7
28/10/2012 35,6
   

 

2012 marca exatamente uma triste mudança de padrão em parte do Brasil, para uma prevalência acima do normal dos bloqueios atmosféricos e essas ondas de calor que só reforçam como a atmosfera anda maluca. A cidade de São Paulo tem uma lista parecida ou até maior, mostrando como 2014/2015 foram anos sem precedentes e que quebraram todos os recordes possíveis e imagináveis de calor. Alguma coisa tem que ter acontecido...

 

Ultimamente, parece que tá havendo uma tentativa de retomar a normalidade, mas não duvido de nada em tempos de Global Warming. 😈

 

Dia fresco na capital, com 23-24C às 11h.

Edited by LeoP
  • Like 11
  • Thanks 2
  • Sad 5

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aqui em São Paulo , os meses de Abril e Setembro estão por demais descaracterizados. Dá para dizer que não lembram em nada , o que eram antes.

 

Abril virou uma extensão do verão (exceto pelas chuvas) e o mês de Setembro tá quase batendo os meses de Outubro e Novembro ultimamente na média.

 

2020 que começou muito bem climaticamente , até fez com que eu tivesse uma certa esperança de que a normalidade poderia voltar. Mas chegou Junho , Julho e essa esperança foi por água abaixo .

 

Estamos vivendo um novo ciclo de mudanças climáticas bem mais acentuadas , e o pior , e que não sabemos onde isso vai parar .

 

Não duvido que na década de 30 , o inverno de grande parte do país , seja parecido (dada as devidas proporções) ao do Centro Oeste .Está nítido que a bolha quente e seca está se expandido cada ano mais e também aumentando o seu tempo de permanência .

  • Like 5
  • Confused 1
  • Sad 7

Share this post


Link to post
Share on other sites

Após uma manhã nublada, temos uma tarde com sol em São Paulo.

 

Às temperaturas ainda não estão tão altas.

Enquanto temos temperaturas em 25/26 graus em áreas do extremo norte da cidade, faz 21-23 graus no extremo sul. Ainda nota-se uma diferença entre essas duas áreas da cidade, porém menor do que ontem.

 

Estações do CGE

1211363662_mapa_sp_geoserver_estacoes(1).png.e86a07003218541bcd47052e30afc710.png

  • Like 9

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Juzinho disse:

Aqui em São Paulo , os meses de Abril e Setembro estão por demais descaracterizados. Dá para dizer que não lembram em nada , o que eram antes.

 

Abril virou uma extensão do verão (exceto pelas chuvas) e o mês de Setembro tá quase batendo os meses de Outubro e Novembro ultimamente na média.

 

2020 que começou muito bem climaticamente , até fez com que eu tivesse uma certa esperança de que a normalidade poderia voltar. Mas chegou Junho , Julho e essa esperança foi por água abaixo .

 

Estamos vivendo um novo ciclo de mudanças climáticas bem mais acentuadas , e o pior , e que não sabemos onde isso vai parar .

 

Não duvido que na década de 30 , o inverno de grande parte do país , seja parecido (dada as devidas proporções) ao do Centro Oeste .Está nítido que a bolha quente e seca está se expandido cada ano mais e também aumentando o seu tempo de permanência .

Um dos fatores que favoreceu o ''Dust Bowl'' no meio oeste dos EUA nos anos 30, durante a Grande Depressão, foi o desmatamento desenfreado que já durava décadas ou até séculos, não havia mais mata nativa, uma das piores ondas de calor ocorrida nos EUA foi a de 1936, com recordes ainda não quebrados em muitas localidades após mais de 80 anos, meses antes o inverno de 1936 teve uma das mais fortes e prolongadas ondas de frio, com recordes, algumas localidades detém o recorde de frio e calor nesse mesmo ano, além do desmatamento outro fator que teria contribuído pra essa seca histórica nos EUA foi o Atlântico quente, há regiões que ficaram até 8 anos com chuvas abaixo da média, após os anos 30, foi investido o reflorestamento com reposição de vegetação nativa no meio oeste americano. 

Edited by Leandro Leite
  • Like 10
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Augusto Göelzer disse:

Você vê que o negócio está ruim, quando a automática topo (240m) ganha da convencional aquecida que é baixada (160m)... em Cuiabá por segurança só considerarei aero (190m).

 

A rede de estações do INMET está ficando cada vez mais jogada a sorte infelizmente. Não é incomum ver estações deixando de funcionar, descalibrando completamente ou com os seus locais totalmente abandonados... Por exemplo, o 8° disme (região sul) não pode realizar manutenções em decorrência da pandemia, devido sua equipe já ter uma idade mais avançada, imagino que coisas parecidas estão acontecendo com o resto do Brasil.

 

Quem tem sorte é SC, a EPAGRI que realiza a manutenção de todas as estações do estado.

 

VERGONHOSO.

EM JOSÉ BONIFÁCIO A ESTAÇÃO NÃO FUNCIONA DESDE MARÇO!

 

  • Like 2
  • Sad 6

Share this post


Link to post
Share on other sites
14 horas atrás, Leandro Leite disse:

A automática de Cuiabá tinha mudado pra UFMT, seu terceiro endereço, constava no mapa das automáticas com pininhos do antigo portal já extinto, mas nesse novo portal ainda reporta o endereço anterior, próxima do fórum. 

 

Informação perfeita pra sanar as dúvidas. UFMT/automática:

 

image.thumb.png.b68cfced52f35a26dbb2bf7c8a0d2dd4.png

 

O que ta acontecendo não é dados inconsistentes sim confusão com excesso de trocas de local aliado a horrorosa localização anterior da automática sombreada pelas árvores. Na UFMT ta bem melhor.

Edited by Felipe Backendorf
  • Like 10
  • Thanks 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, LeoP disse:

 

Coloca Outubro nessa brincadeira, simplesmente está bem zoado e descaracterizado. Atingir temperaturas próximas ou até mesmo quebrar o recorde absoluto de calor uma vez, ok (2012), mas se aproximar desse recorde novamente (2014), depois voltar a quebrar o recorde após somente 3 anos (2015), para depois atingir outras vezes marcas elevadíssimas em 2017 e 2019 é no mínimo bizarro. 

 

Não me canso de lembrar: BH ficou 100 anos sem atingir 37C e, entre 2012 e 2015, chegou nessa marca 3 vezes (em 2 ondas de calor históricas, em curtíssimo intervalo de tempo). Bem da verdade, eu me lembro de, pelo menos, umas 4 ou 5 ondas de calor que posso considerar históricas nos últimos 10 anos. Década escrota e que mudou paradigmas.

 

 

20 maiores máximas da história de Belo Horizonte (desde 1961):

 

22/10/2015 37,4
31/10/2012 37,1
17/10/2015 37,1
19/10/1987 36,9
16/10/2015 36,9
25/09/2015 36,6
17/10/2007 36,2
19/10/2014 36,2
21/10/2015 36,2
24/09/2007 36,1
15/10/2015 36
05/11/2015 36
17/10/1987 35,9
07/10/2017 35,9
14/10/2014 35,8
15/10/2014 35,8
18/10/2014 35,8
24/09/2015 35,8
10/09/1997 35,7
28/10/2012 35,6
   

 

2012 marca exatamente uma triste mudança de padrão em parte do Brasil, para uma prevalência acima do normal dos bloqueios atmosféricos e essas ondas de calor que só reforçam como a atmosfera anda maluca. A cidade de São Paulo tem uma lista parecida ou até maior, mostrando como 2014/2015 foram anos sem precedentes e que quebraram todos os recordes possíveis e imagináveis de calor. Alguma coisa tem que ter acontecido...

 

Ultimamente, parece que tá havendo uma tentativa de retomar a normalidade, mas não duvido de nada em tempos de Global Warming. 😈

 

Dia fresco na capital, com 23-24C às 11h.

Idem aqui. Setembro esquentou muito, outubro esquentou também e novembro se manteve como era, pelo jeito é o padrão por todo o centro-sul do Brasil. Parece que a primavera está cada vez mais longa.

 

Mais um dia nublado e garoento em Blumenau e o frio abandonou de vez, faz 20,3C 93%, ambientes internos bem úmidos🤢

  • Like 10
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
19 minutos atrás, Felipe Backendorf disse:

 

Informação perfeita pra sanar as dúvidas. UFMT/automática:

 

image.thumb.png.b68cfced52f35a26dbb2bf7c8a0d2dd4.png

 

O que ta acontecendo não é dados inconsistentes sim confusão com excesso de trocas de local aliado a horrorosa localização anterior da automática sombreada pelas árvores. Na UFMT ta bem melhor.

A de Rondonópolis também fica numa extensão do campus da UFMT, a de Primavera fica na saída de Cuiabá no meio da lavoura, aqui uma foto de julho que eu tirei em meio a uma plantação de algodão, não dá pra vê direito, mas a estação é ao lado da cerca da direita, não a cerca da frente.  

20200703_161451.jpg

Edited by Leandro Leite
  • Like 10

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nessa foto de minha autoria de março do ano passado dá pra ver melhor a automática de Primavera do Leste. 

20190311_142418.jpg

Edited by Leandro Leite
  • Like 9

Share this post


Link to post
Share on other sites
15 horas atrás, marinhonani disse:

Andoni,

para as estações do Mirante de Santana, Santo Agostinho/BH e a convencional de Goiânia, quais as três classificações você daria?

Razoável, ruim e horrível 

  • Like 9
  • Thanks 1
  • Sad 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
27 minutos atrás, Felipe Backendorf disse:

 

Informação perfeita pra sanar as dúvidas. UFMT/automática:

 

image.thumb.png.b68cfced52f35a26dbb2bf7c8a0d2dd4.png

 

O que ta acontecendo não é dados inconsistentes sim confusão com excesso de trocas de local aliado a horrorosa localização anterior da automática sombreada pelas árvores. Na UFMT ta bem melhor.

Agora sim! 
Obrigado @Leandro Leite👍

  • Like 6
  • Thanks 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, Augusto Göelzer disse:

Você vê que o negócio está ruim, quando a automática topo (240m) ganha da convencional aquecida que é baixada (160m)... em Cuiabá por segurança só considerarei aero (190m).

 

A rede de estações do INMET está ficando cada vez mais jogada a sorte infelizmente. Não é incomum ver estações deixando de funcionar, descalibrando completamente ou com os seus locais totalmente abandonados... Por exemplo, o 8° disme (região sul) não pode realizar manutenções em decorrência da pandemia, devido sua equipe já ter uma idade mais avançada, imagino que coisas parecidas estão acontecendo com o resto do Brasil.

 

Quem tem sorte é SC, a EPAGRI que realiza a manutenção de todas as estações do estado.

Bom, com a automática na UFMT, absolutamente tudo faz sentido agora... Obrigado INMET por ficar brincando de trocar de local. 

Local atual é 180m, diferença de apenas 20m em relação a convencional.

Agradeço ao @Leandro Leite pela informação.

  • Like 13

Share this post


Link to post
Share on other sites

Segundo dia de Setembro com temperaturas super aprazíveis. O amanhecer foi com friozinho bem leve de 14,9C e agora temos 24,7C com ventos de intensidade moderada. 

 

Esse conforto não dura muito tempo, já que deve esquentar bastante a partir de Sexta em diante. Marcas acima dos 31/32 são prováveis na minha estação.

  • Like 12

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 hours ago, Maicon said:

 

Acho que as mínimas acaba sendo o menor do problemas, especialmente em dias sem vento.

Problema maior é no calor.

Se está cercado de arvores forma um bolsão de ar quente no local. O ar não consegue dispersar normalmente.

Pelo menos aqui em casa é assim.

Coloquei uma estação próxima de arvores do quintal, e ela sofre aquecimento anormal de +0.5°C ou até +1°C quando venta da direção da árvore. Nas mínimas não há quase alteração.

Tudo isto comparando com a Davis que está em local aberto e sem interferências.

 

Boa tarde, Maicon!
Vc e refere a estação estar no sol com abrigo (padrão) porém cercado de árvores, correto? Pq aqui em casa um lado é arborizado e outro não, nos dias muito quentes fica insuportável permanecer do lado quente (mesmo com o quintal aberto, o chão e o muro ficam quentes e irradia calor demais, ao passo que na varanda que dá acesso à rua fica bem mais tranquilo. A diferença chega a ser de 3-4ºC com o termômetro de mercúrio na sombra. Imaginei que em um local cercado por árvores a tendência fosse de máximas menores, mesmo sabendo que as árvores são uma barreira natural do vento. 

Aqui segue muito seco e quente, porém ontem foi um pouco mais ameno. A fumaça das queimadas que estão ocorrendo na região de Ribeirão Preto e Barretos chegaram até aqui no fim da tarde com o vento leste. Agora com 32,4ºC.

Edited by Lucas Centurion
  • Like 9

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 horas atrás, Maicon disse:

 

Acho que as mínimas acaba sendo o menor do problemas, especialmente em dias sem vento.

Problema maior é no calor.

Se está cercado de arvores forma um bolsão de ar quente no local. O ar não consegue dispersar normalmente.

Pelo menos aqui em casa é assim.

Coloquei uma estação próxima de arvores do quintal, e ela sofre aquecimento anormal de +0.5°C ou até +1°C quando venta da direção da árvore. Nas mínimas não há quase alteração.

Tudo isto comparando com a Davis que está em local aberto e sem interferências.

 

Lá em 2016 quando comprei minha primeira estação meteorológica ela aquecia até 3C em alguns dias:

 

image.thumb.png.a3d6536a6df68fcd7a3e84b11605cdd3.png

 

Na minha cabeça por ser local gramado não iria aquecer, mas estar num local ventilado é a coisa mais importante pra uma boa medição meteorológica e pra isso árvores, muros e casas são realmente uma lástima. Fiz muitos testes e só me encontrei satisfeito quando coloquei minha estação a uma altura acima do telhado, bem diferente do que eu inicialmente imaginava ser bom.

 

No oeste mais um dia de calor, 30,7C com 51% em Mondaí às 15:20.

Edited by Felipe Backendorf
  • Like 12
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Juzinho disse:

Aqui em São Paulo , os meses de Abril e Setembro estão por demais descaracterizados. Dá para dizer que não lembram em nada , o que eram antes.

 

Abril virou uma extensão do verão (exceto pelas chuvas) e o mês de Setembro tá quase batendo os meses de Outubro e Novembro ultimamente na média.

 

2020 que começou muito bem climaticamente , até fez com que eu tivesse uma certa esperança de que a normalidade poderia voltar. Mas chegou Junho , Julho e essa esperança foi por água abaixo .

 

Estamos vivendo um novo ciclo de mudanças climáticas bem mais acentuadas , e o pior , e que não sabemos onde isso vai parar .

 

Não duvido que na década de 30 , o inverno de grande parte do país , seja parecido (dada as devidas proporções) ao do Centro Oeste .Está nítido que a bolha quente e seca está se expandido cada ano mais e também aumentando o seu tempo de permanência .

Eu já acho que o padrão de chuvas anda mudado tbm, ano passado tivemos pancadas de chuva por conta de calor na primeira quinzena de maio. Eu nunca tinha visto isto passar até então do início de Abril.

Acho que inverno anda com mais episódios de chuva. Na última década foram vários Junhos chuvosos. Mas tivemos chuva acima do normal entre Maio e Agosto em várias ocasiões.

Já no verão o padrão de zcas me parece mais difícil de acontecer. É que é difícil pegar este tipo de mudança de padrão. Na média a qtde mensal várias vezes bate, mas teria que fazer uma análise  em quantos dias e quanto choveu. Quem é das antigas lembra qtas vezes  aquela história de ficar 1 semana chovendo quase que sem parar em Janeiro ja estragou as férias de muita gente tanto que este ano até fiquei surpreso com este excesso de chuva em minas e sp no verão

 

  • Like 8

Share this post


Link to post
Share on other sites

Frio e muita chuva ao sul do Rio Grande do Sul e do Paraguai... Infelizmente temos q nos contentar em somente observar ... AirBrush_20200902161340.thumb.jpg.989e8ecc1d871bcbac39ca4d7d37ca88.jpg

  • Like 8
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
58 minutos atrás, Felipe Backendorf disse:

Lá em 2016 quando comprei minha primeira estação meteorológica ela aquecia até 3C em alguns dias:

 

image.thumb.png.a3d6536a6df68fcd7a3e84b11605cdd3.png

 

Na minha cabeça por ser local gramado não iria aquecer, mas estar num local ventilado é a coisa mais importante pra uma boa medição meteorológica e pra isso árvores, muros e casas são realmente uma lástima. Fiz muitos testes e só me encontrei satisfeito quando coloquei minha estação a uma altura acima do telhado, bem diferente do que eu inicialmente imaginava ser bom.

Mas com respeito às mínimas, tão longe do nível do chão, não ficam "erradas" se for comparar com outras estações q estão à 1,70m?

No inverno de 2.000 eu tive q colocar um abrigo na altura do telhado (mas não no telhado) por motivo de segurança enquanto mantinha registros também na altura padrão.

Aconteceu q as mínimas apresentavam diferenças de 2 a 4°C para mais no abrigo elevado. 

  • Like 7

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 minutos atrás, Carlos Campos disse:

Mas com respeito às mínimas, tão longe do nível do chão, não ficam "erradas" se for comparar com outras estações q estão à 1,70m?

No inverno de 2.000 eu tive q colocar um abrigo na altura do telhado (mas não no telhado) por motivo de segurança enquanto mantinha registros também na altura padrão.

Aconteceu q as mínimas apresentavam diferenças de 2 a 4°C para mais no abrigo elevado. 

Acontece que um local com muros, árvores e casas ao redor não esfria bem igual. Aqui em casa testei muitas vezes com meu incoterm e nunca consegui registrar diferenças significativas a 2m comparando com 6m, onde está minha Davis. Creio que em campo aberto sim a história seja outra.

 

edit: Claro que tendo um local bem aberto padrão a 2m é o ideal, mas se não for bem aberto tem que ser alto

Edited by Felipe Backendorf
  • Like 6
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Máxima hoje de 22.3 C em Garanhuns. No momento 18.3 C.

 

Serra do Cavalo, em Caruaru, com máxima de 21.9 C, no momento 18.7 C.

 

Chã Preta (~380m de altitude) com máxima de 24.9 C, no momento 20.1 C

 

Máxima 23.1 C no Pico do Jabre. No momento 22.9 C.

 

18z Set 2

image.png.3f650ff89c492a3690aa7556c0912b23.png

  • Like 11

Share this post


Link to post
Share on other sites
24 minutos atrás, Felipe Backendorf disse:

Acontece que um local com muros, árvores e casas ao redor não esfria bem igual. Aqui em casa testei muitas vezes com meu incoterm e nunca consegui registrar diferenças significativas a 2m comparando com 6m, onde está minha Davis. Creio que em campo aberto sim a história seja outra.

Entendi. Sim muros e construções atrapalham bastante o resfriamento em qker altura. É o motivo de eu nunca ter me interessado em adkirir uma estação automática, já q no meu kintal q é seguro há muro alto e as construções são altas também, fora q não tenho gramado e sim calçadas. Aí na minha opinião seria um gasto inútil. Eu só considero os registros de máximas em casa, pois o abrigo fica numa altura de 3,5m, onde o ar circula bem.

Para mínimas faço nakele eskema de levar o outro abrigo até a baixada ao anoitecer e retirar na manhã seguinte. É trabalhoso, mas é o q dá pra fazer. Sorte agora q com a ajuda do pessoal daki de Curitiba (Stankevecz, Flávio Feltrin, Rafael Valiatti e outros) consegui (mos) colocar uma WS num local seguro e excelente (baixada e bem ventilada) bem perto de casa. Então não me preocupo mais. Continuo minhas medições por força do hábito e também pra acompanhar as temperaturas de relva. 

Edited by Carlos Campos
  • Like 8
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa tarde, temperatura agradável na capital paulista hoje, temos 22 graus aqui no centro, e nas áreas mais ao sul 18°.

mapa_sp_geoserver_estacoes.png.523de21fa0313e1f7a2609967b0c5567.png

 

IMG_20200902_165204692_HDR.thumb.jpg.7e4be314d1362b3790f3d904513173ae.jpg

IMG_20200902_165015365.thumb.jpg.6ca261d22a21d4919a5deb706ced8357.jpg

Av. Paulista

  • Like 13
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
38 minutos atrás, Samihr Hermes disse:

Máxima hoje de 22.3 C em Garanhuns. No momento 18.3 C.

 

Serra do Cavalo, em Caruaru, com máxima de 21.9 C, no momento 18.7 C.

 

Chã Preta (~380m de altitude) com máxima de 24.9 C, no momento 20.1 C

 

Máxima 23.1 C no Pico do Jabre. No momento 22.9 C.

 

18z Set 2

image.png.3f650ff89c492a3690aa7556c0912b23.png

Eu fico imaginando Garanhuns acima de 1500m num platô, um maciço ligeiro assim como o Pico do Jabre e adjacências, sem falar na Chapada Diamantina num maciço próximo dos 2800 a 3200 metros de altitude.

  • Like 8

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.