Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Augusto Goelzer

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Maio/2020

Recommended Posts

31 minutos atrás, Allef Matos disse:

Buenas, não queria retornar ao assunto até porque como moderador tenho que prezar pela bom andamento do fórum, mas me intrigou algumas mensagens... um tanto quanto empíricas. Como foi comentado é questão puramente de gosto alguém preferir capital A ou capital B, região A ou região B. Gostos são gostos. Contudo, vi algumas mensagens equivocadas mandados por alguns usuários para justificar escolhas pessoais o que me motivou a trazer algumas informações a título de curiosidade. 

 

Primeiramente, vi algumas pessoas dizendo que o verão nas "baixitudes" do RS é sufocante. Na verdade é um pouco sufocante sim, mas nas áreas do oeste, noroeste, vales, depressão central e grande POA. Mesmo assim não é um bicho de sete cabeças em se tratando de Brasil, pra variar ainda consegue vários dias amenos/frios no verão devido a entradas de frentes frias. Claro, para as regiões de maior altitude, principalmente os planaltos e serros do leste é bem quente. Outra questão é que esse período mais quente é bastante restrito a  DJFM!!! Outubro, novembro e Abril são de forma geral amenos ou bem toleráveis, apenas com alguns dias mais sufocantes. Nas demais épocas do ano, o frio/ameno se intercalam com alguns dias mais quentes. Nem de longe é a alternância de frio/calor como alguns falaram. O verão do sul gaúcho, litoral e as áreas mais altas são bem tranquilos, exceto por alguns dias de calor mais intenso.

 

Peguei como exemplo, a cidade de Pelotas onde morava antes de estar agora em Blumenau. Abaixo uma tabela do ano de 2018 que foi um ano mais normal no sul gaúcho, apesar do inverno um pouco abaixo da média:

 

 

958484147_WhatsAppImage2020-05-25at22_39_05.thumb.jpeg.b1b98ae734eb385bdbd577522f2da178.jpeg

 

 

 

Como podem ver, apesar do fevereiro abaixo da média o restante do período quente (janeiro, fevereiro e dezembro foram na média) e novembro bem acima da média. Ta certo que o inverno foi um pouco abaixo da média, porém a anomalia trimestral na região foi de -0,x, nada de extraordinário. De fato são poucas entradas de calor no inverno, o frio é bem constante. Ao contrário do que muitos podem pensar, não é nenhum pouco nublado ou com baixa insolação, tem é bastante sol. Pelotas tem mais sol que o Rio de Janeiro, quem duvida olhe as normais de insolação de cada município. As máximas baixas é efeito puro da latitude e os dias no inverno são quase sempre ventosos trazendo sensação térmica bem baixa. Foi bastante sofrido para mim que morava no Mato Grosso e teve que se adaptar a um clima desses (morei entre 2013 - 2019). É sofrido até para vários colegas que tive oriundos de climas tropicais de altitude/amenos e até de certas regiões do sul do país.

 

Obs: Janeiro a metade de maio são dados da estação convencional/oficial e da metade de maio para o final do ano são dados da PWS instalada por mim e pelos meus amigos (Fernando Rafael e @Gabriel Cassol) no bairro Colina do Sol. Todas as médias são médias simples.

 

 

Agora 2016,  uma tabela com um junho bem frio, mas com um verão quente, sobretudo fevereiro muito acima da média. O verão quente anula todo restante do ano??? Aí vai do gosto de cada um:

 

 

 

 

202292332_WhatsAppImage2020-05-25at22_33_47.thumb.jpeg.547d46dc24675340efc76b7b8f799386.jpeg

 

 

Assim como em 2018, as advecções constantes no inverno impediram mínimas mais expressivas na região. Inclusive a mínima absoluta anual de 2016 ficou bem acima da média. Todavia, nem tudo se resume a mínimas, o frio foi constante e com sensação térmica bem baixa.

 

Obs: janeiro a abril são dados da estação convencional/oficial, a partir de maio são dados de uma outra estação que tínhamos no norte da cidade.

 

Tanto em 2018 como em 2016, ambas as PWS foram instaladas em maio, eis o motivo de pegar o verão da estação convencional. Mas não difere quase nada da PWS.

 

Ao contrário de 2016 e 2018 que foram normais na média anual, 2019 foi um ano bem quente. Janeiro muito quente, junho foi o mais quente já registrado junto com 2005 (maior média máxima disparado em 100 anos). Porém nenhum bicho de sete cabeças, exceto por alguns dias. No dia 5 de julho houve precipitação fraca de chuva com neve em flocos (água e neve).

 

 

1419001488_WhatsAppImage2020-05-25at23_11_05.thumb.jpeg.3decdfa2d594100be51265fd459da971.jpeg

 

 

 

Como um bônus, a tabela de Pinheiro Machado - topo em 2018:

 

 

1999354498_WhatsAppImage2020-05-25at22_30_11.thumb.jpeg.ad27e8fe464534aa1099cf88672d1924.jpeg 

 

 

 

E pra encerrar um ano com um inverno porreta (2007) em Bagé:

 

 

 

197378633_WhatsAppImage2020-05-25at22_31_55.thumb.jpeg.73444d304c043ef675999ff399a72bce.jpeg

 

 

 

 

Novamente fica a pergunta, o suposto "verão escaldante" anula o restante ano??  Vai da análise de cada um.

 

 

Todas as médias nas tabelas acima são médias simples. Não trabalho com compensadas.

Realmente @Allef Matos, a sazonalidade do extremo sul do Rio Grande do Sul provoca uma realidade muito peculiar se compararmos ao resto do pais. Ainda que o verão possa ser quente, e não considero o verão da região um verão quente, quando pegamos pra comparar com as demais regiões do Brasil, vemos que é apenas um verão levemente quente com picos eventuais de calor forte (que algumas raras vezes podem ser muito fortes, sobretudo nas áreas de menor altitude e mais afastadas do oceano).

 

Tive uma breve passagem por Pelotas, onde morei por um ano (entre 2018 e 2019) e pude sentir a enorme disparidade que existe entre o verão e o inverno na região, o verão com bastante sol e os dias variando entre quentes e frescos (inclusive com algumas manhãs frias em pleno verão devido as massas polares),  massas polares essas que sempre estão aparecendo no verão trazendo alívio para o calor, refrescando bem os ambientes internos.

 

Com o passar dos meses as massas polares vão se tornando mais frequentes e mais intensas e já no começo do outono acontecem as máximas amenas ou até baixas com céu limpo, já causa um impacto grande pra quem vem do trópico, o que é o meu caso. A vegetação começa dar os primeiros sinais de que o inverno está se aproximando, as árvores começam exibir coloração amarelada e começam a perder suas folhas, os picos de calor que acontecem já não são suficientes para aquecer ambientes internos e geralmente ocorrem precedendo alguma frente fria 1 ou 2 dias depois.

 

Chega o mês de maio e a média do mês desaba, as massas polares são constantes e bem intensas já nesse período do ano, começam a acontecer geadas e também nesse mês é que o traço mais marcante da região começa a ser percebido com maior frequência, as tardes ficam muito frias, com vento ciclônico e o céu completamente limpo, temperaturas durante a tarde na casa dos 13°/14° ao nível do mar com céu completamente limpo começa a se tornar algo constante, e nada lembra os 13°/14° que acontecem por aqui com céu limpo pelas manhãs, lá em Pelotas acontece com vento e sol da tarde, bem mais intenso. Se for analisar então a serra do sudeste (serra próximo a Pelotas), as tardes já ficam seguramente perto dos 10° e sol nas atuações de massas polares.

 

No trimestre entre Junho e Agosto o frio intenso torna-se a média, tardes de 12°/13° e sol são comuns ao nível do mar, acompanhada de inúmeras mínimas abaixo de 15°, tudo isso temperado com vento, umidade e dias bem bonitos, algo bem interessante  que por causa da latitude, nessa época o sol fica muito fraco e bem baixo, o que deixa a sensação de frio ainda mais intensas, áreas ficam durante meses em sombra "eterna", meu quarto na casa que morei em Pelotas ficou essa época inteira sem incidência de sol, as temperaturas internas ficaram muito desconfortáveis pois eu não tinha aquecimento artificial, o frio era tanto em alguns dias que desejei o retorno do verão haha, temperaturas internas na casa dos 11°/12° se tornaram corriqueiras, isso que mantinha as janelas fechadas durante semanas. As regiões de serra no extremo sul registram dias extremamente gelados, pude presenciar em Pinheiro Machado ao longo do inverno de 2018, tardes abaixo dos 5°, precipitação invernal, temperatura ao redor de 0° com vento, E para verem que o sol no meio do ano não ajuda a esquentar, pego de exemplo o mês de Julho de 2007 em Pelotas, este mês registrou 182,4 horas de sol, uma insolação comum em regiões tropicais na época do verão !!:

 

Capturar.PNG.b7b262d6ebd811a83727736ad56abde5.PNG

 

No inverno algo me marcou muito também: Durante as advecções quentes, que causavam os dias um pouco mais quentes, aconteciam chuvas muito intensas com raios, e a temperatura ao encostar nos 20° causava sensação de abafamento, lembro de um dia reclamar de abafamento e ao olhar na estação fazia 19° e tinha um sol tímido escondido por nuvens altas. Outra característica bem interessante e que difere muito das entradas de frente frias aqui no RJ é o tempo severo que algumas massas polares causam a chegar, tendo granizo e vendavais, coisas que só registro aqui no período do verão. 

 

Após meses abaixo de frio, começa então a chegar a primavera, mas ela vem tímida (mas não tediosa), acompanhada de tempestades, linhas de instabilidades intensas e ainda assim acontecem massas polares bem fortes entre setembro e novembro, lembro de uma tarde com 16°, vento leve e sol em pleno mês de outubro em 2018. A sensação de verão só retorna mesmo em meados de dezembro, quando os dias começam a se tornar cada dia mais duradouros e as árvores ficam bem verdes novamente.

 

Não se pode esquecer de outros fatores ao comparar climas de locais, altitude, vento, umidade, inclinação e intensidade do sol, nebulosidade, etc., influenciam diretamente na experiência climática de um local (Por exemplo, 25° e sol durante a tarde aqui no Rio e 25° durante a tarde em um lugar com mais de 1000m de altitude produzem sensações consideravelmente diferentes).

  • Like 19
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
34 minutes ago, Eclipse said:

@Pablo MQL aqui em POA também estamos passando por algo parecido, por isso acho que não teremos uma boa mínima. Estamos com 15 °C, vento (apesar de já estar mais enfraquecido) e muitas nuvens.

 

Si,pero el viento hace que la sensacion termica sea muy baja, caminar por la calle equivale a conducir motocicleta !

Edited by Pablo MQL
  • Like 4
  • Haha 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

GUAXUPÉ COM 5,4ºC!!! 😮

  • Like 11
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
20 minutes ago, Gvieira said:

Realmente @Allef Matos, a sazonalidade do extremo sul do Rio Grande do Sul provoca uma realidade muito peculiar se compararmos ao resto do pais. Ainda que o verão possa ser quente, e não considero o verão da região um verão quente, quando pegamos pra comparar com as demais regiões do Brasil, vemos que é apenas um verão levemente quente com picos eventuais de calor forte (que algumas raras vezes podem ser muito fortes, sobretudo nas áreas de menor altitude e mais afastadas do oceano).

 

Tive uma breve passagem por Pelotas, onde morei por um ano (entre 2018 e 2019) e pude sentir a enorme disparidade que existe entre o verão e o inverno na região, o verão com bastante sol e os dias variando entre quentes e frescos (inclusive com algumas manhãs frias em pleno verão devido as massas polares),  massas polares essas que sempre estão aparecendo no verão trazendo alívio para o calor, refrescando bem os ambientes internos.

 

Com o passar dos meses as massas polares vão se tornando mais frequentes e mais intensas e já no começo do outono acontecem as máximas amenas ou até baixas com céu limpo, já causa um impacto grande pra quem vem do trópico, o que é o meu caso. A vegetação começa dar os primeiros sinais de que o inverno está se aproximando, as árvores começam exibir coloração amarelada e começam a perder suas folhas, os picos de calor que acontecem já não são suficientes para aquecer ambientes internos e geralmente ocorrem precedendo alguma frente fria 1 ou 2 dias depois.

 

Chega o mês de maio e a média do mês desaba, as massas polares são constantes e bem intensas já nesse período do ano, começam a acontecer geadas e também nesse mês é que o traço mais marcante da região começa a ser percebido com maior frequência, as tardes ficam muito frias, com vento ciclônico e o céu completamente limpo, temperaturas durante a tarde na casa dos 13°/14° ao nível do mar com céu completamente limpo começa a se tornar algo constante, e nada lembra os 13°/14° que acontecem por aqui com céu limpo pelas manhãs, lá em Pelotas acontece com vento e sol da tarde, bem mais intenso. Se for analisar então a serra do sudeste (serra próximo a Pelotas), as tardes já ficam seguramente perto dos 10° e sol nas atuações de massas polares.

 

No trimestre entre Junho e Agosto o frio intenso torna-se a média, tardes de 12°/13° e sol são comuns ao nível do mar, acompanhada de inúmeras mínimas abaixo de 15°, tudo isso temperado com vento, umidade e dias bem bonitos, algo bem interessante  que por causa da latitude, nessa época o sol fica muito fraco e bem baixo, o que deixa a sensação de frio ainda mais intensas, áreas ficam durante meses em sombra "eterna", meu quarto na casa que morei em Pelotas ficou essa época inteira sem incidência de sol, as temperaturas internas ficaram muito desconfortáveis pois eu não tinha aquecimento artificial, o frio era tanto em alguns dias que desejei o retorno do verão haha, temperaturas internas na casa dos 11°/12° se tornaram corriqueiras, isso que mantinha as janelas fechadas durante semanas. As regiões de serra no extremo sul registram dias extremamente gelados, pude presenciar em Pinheiro Machado ao longo do inverno de 2018, tardes abaixo dos 5°, precipitação invernal, temperatura ao redor de 0° com vento, E para verem que o sol no meio do ano não ajuda a esquentar, pego de exemplo o mês de Julho de 2007 em Pelotas, este mês registrou 182,4 horas de sol, uma insolação comum em regiões tropicais na época do verão !!:

 

Capturar.PNG.b7b262d6ebd811a83727736ad56abde5.PNG

 

No inverno algo me marcou muito também: Durante as advecções quentes, que causavam os dias um pouco mais quentes, aconteciam chuvas muito intensas com raios, e a temperatura ao encostar nos 20° causava sensação de abafamento, lembro de um dia reclamar de abafamento e ao olhar na estação fazia 19° e tinha um sol tímido escondido por nuvens altas. Outra característica bem interessante e que difere muito das entradas de frente frias aqui no RJ é o tempo severo que algumas massas polares causam a chegar, tendo granizo e vendavais, coisas que só registro aqui no período do verão. 

 

Após meses abaixo de frio, começa então a chegar a primavera, mas ela vem tímida (mas não tediosa), acompanhada de tempestades, linhas de instabilidades intensas e ainda assim acontecem massas polares bem fortes entre setembro e novembro, lembro de uma tarde com 16°, vento leve e sol em pleno mês de outubro em 2018. A sensação de verão só retorna mesmo em meados de dezembro, quando os dias começam a se tornar cada dia mais duradouros e as árvores ficam bem verdes novamente.

 

Não se pode esquecer de outros fatores ao comparar climas de locais, altitude, vento, umidade, inclinação e intensidade do sol, nebulosidade, etc., influenciam diretamente na experiência climática de um local (Por exemplo, 25° e sol durante a tarde aqui no Rio e 25° durante a tarde em um lugar com mais de 1000m de altitude produzem sensações consideravelmente diferentes).

 

El tema de las sombras largas, me hizo acordar una anecdota, una amiga peruana vino una vez a Uruguay, en pleno junio, sufrio mucho el frio y eso que habia vivido en Cusco a 3400msnm ; pero me sorprendio un dia que estabamos caminando por la calle y veo que le saca fotos al piso; le pregunte por que lo hacia y me dijo que le llamaba la atencion las sombras largas, nunca en mi vida me habia fijado en eso; ,jajaja

Le sacamos una foto a nuestras sombras, fue una foto muy original nunca se me hubiese ocurrido hacerlo

 

36443_1551894917680_4669086_n.jpg?_nc_ca

Edited by Pablo MQL
  • Like 19
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
1 hora atrás, fsorf9rj disse:

 

Meu caro, importantíssimo seu relato! Com muito mais riqueza de detalhes do que o meu e muito bem fundamentado.

 

O que coloquei, de percepção pessoal mesmo, de quem tem 28 anos, foi de um dos eventos mais fortes que tenho na memória recente, além de ser num período de um evento memorável.

 

Talvez a palavra histórico tenha sido mal colocada mesmo no tocante a MP como um todo mas acredito que tardes como aquela do dia 24 ficam no imaginário da população leiga, por isso usei o termo histórico.

 

A temperatura que registrei num termômetro furreca não pode ser levada muito em conta, assim como os termômetros da cidade, que em geral mostram temperaturas desconexas mesmo mas aquele dia foi um extremamente frio levando-as em conta. Explico: é bem incomum termômetros no Rio marcando 14, 15 graus durante o dia, ainda mais com chuva e vento, o que aumenta muito a sensação de frio, que pra carioca foi enorme naquela data. Vejo todos os anos eles marcando 15, 16 em manhãs frias, não que estejam certos, mas é o que mostram. Se mostram menos, durante o dia, é porque realmente está um frio de respeito, não necessariamente aquilo que está sendo mostrado.

 

Aquele evento marcou pelo que acontecia na cidade e por termos sensação de frio durante praticamente todo o dia e não só na noite/madrugada como acontece em geral, com a temperatura descendo até mais do que esses 14, 15 graus. Todo ano temos mínimas menores do que naquele evento. O destaque realmente não foram as mínimas muito baixas mas o frio forte diurno, que não ocorre exatamente todos os anos. Ano passado ocorreu em Agosto, tão forte quanto. 

 

Hoje olhei os dados do Galeão do dia 22 ao dia 29. Realmente não fez frio fora do comum, com exceção do dia 24.

 

Eu estava na praia em quase todos esses dias e a noite fazia aquele frio de inverno carioca, 18, 17 graus. Tranquilo.

 

E no dia que você citou, do encerramento da JMJ, realmente, fazia sol, o calor ressurgia mas ainda pairava no ar aquele ar fresco de 24°, com resquício dos dias anteriores, que como você morador da boa Niterói sabe, já é suficiente pro carioca colocar aquele casaco guardado o ano todo pra ser usado 5 dias no ano 😂😂

 

Mas nada de errado, tratando do tropical Rio de Janeiro.

 

 

Pois é, para quem mora aqui por essas bandas foi sim bem significativa a temperatura diurna naquele dia 24, afinal não dá para esperar muito da nossa latitude/altitude. 😎🍦🏝️

 

No dia seguinte (25) lembro que, com o ar frio já recuando, teve vento oeste na parte da noite, então houve um ligeiro aquecimento adiabático na zona sul, com marcas até entre 19 e 20ºc na praia, enquanto fazia 17ºc no Galeão e 18ºc no Santos Dumont.  Mas o evento não foi totalmente ruim, serviu para que julho fechasse dentro da média em 2013, e não acima (como estava já encaminhado).

 

Já 2015 e 2018 foram invernos realmente horríveis, sem qualquer sinal de frio, mas aí como a minha expectativa já era muito baixa a frustração foi bem menor também (em 2018 o maior evento de frio do ano mal durou 24 horas, e ocorreu em maio ainda, e 2015 dispensa comentários, o ano mais quente da história por aqui também, embora 2019 tenha chegado bem perto na média anual, foi "salvo" do recorde por alguns meses frescos no segundo semestre).

 

A madrugada de hoje segue com resfriamento radiativo e calmarias que favorecem os locais menos adensados e com muito verde/mato ao redor ("Marsilacs, Carijós e Melillas" da vida), enquanto áreas bem urbanizadas/adensadas ou muito perto da água (como aqui) patinam perto dos 20ºc, nada a destacar.  A nota negativa do mês fica para a automática de Jacarepaguá do INMET que, após mais de 2 anos e meio de serviços prestados com perfeição (nenhum dado perdido desde finais de 2017 até abril de 2020) começou a apresentar o temido (e recorrente) problema de bateria solar agora em maio, e agora parece que vai sair do ar toda noite. Domingo, como choveu e não houve qualquer resquício de sol, saiu do ar no meio do dia já.

 

O desmonte do INMET cobrando cada vez mais vítimas, é o verdadeiro "corona" das estações meteorológicas, que cada vez mais apresentam dados falhos e incompletos ou descalibrados mesmo, situação que promete piorar muito ainda..  As estações do ES (responsabilidade do 6º Disme junto com as do RJ) seguem numa penúria cada vez maior, com dados incompletos na grande maioria.  Como o ES fica mais longe da sede do Disme (que é o RJ), sofre ainda mais com a falta de dinheiro/interesse/valorização do órgão, já que as equipes de manutenção agora provavelmente precisam ir à pé consertar as estações.

 

Isso tudo me deixa muito triste, o INMET não é um órgão ruim, e vem desenvolvendo uma política de divulgação dos dados que deixaria quase todos os países vizinhos do Brasil com vergonha, já que nestes locais os dados muitas vezes são tratados como segredo de estado sem qualquer divulgação para o público até das informações mais básicas.  Mas não dá para fazer milagres, tudo isso (manter esta enorme rede de estações) demanda investimento e valorização constantes, mas o perigo agora é ir tudo para o lixo, como os investimentos feitos no RJ nos últimos anos para megaeventos (estes, ao contrário, totalmente desnecessários, mas que agora também pagam o preço do descaso).

Edited by Wallace Rezende
  • Like 9
  • Sad 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
13 minutos atrás, Pablo MQL disse:

 

Si,pero el viento hace que la sensacion termica sea muy baja, caminar por la calle equivale a conducir motocicleta por culpa del viento; jajaja

 

 

Sim, à tarde ele foi excelente. Foi o dia que mais senti frio neste ano, graças ao vento. hehe

Mas na madrugada ele pode prejudicar um pouco a mínima.

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, Gvieira disse:

Realmente @Allef Matos, a sazonalidade do extremo sul do Rio Grande do Sul provoca uma realidade muito peculiar se compararmos ao resto do pais. Ainda que o verão possa ser quente, e não considero o verão da região um verão quente, quando pegamos pra comparar com as demais regiões do Brasil, vemos que é apenas um verão levemente quente com picos eventuais de calor forte (que algumas raras vezes podem ser muito fortes, sobretudo nas áreas de menor altitude e mais afastadas do oceano).

 

Tive uma breve passagem por Pelotas, onde morei por um ano (entre 2018 e 2019) e pude sentir a enorme disparidade que existe entre o verão e o inverno na região, o verão com bastante sol e os dias variando entre quentes e frescos (inclusive com algumas manhãs frias em pleno verão devido as massas polares),  massas polares essas que sempre estão aparecendo no verão trazendo alívio para o calor, refrescando bem os ambientes internos.

 

Com o passar dos meses as massas polares vão se tornando mais frequentes e mais intensas e já no começo do outono acontecem as máximas amenas ou até baixas com céu limpo, já causa um impacto grande pra quem vem do trópico, o que é o meu caso. A vegetação começa dar os primeiros sinais de que o inverno está se aproximando, as árvores começam exibir coloração amarelada e começam a perder suas folhas, os picos de calor que acontecem já não são suficientes para aquecer ambientes internos e geralmente ocorrem precedendo alguma frente fria 1 ou 2 dias depois.

 

Chega o mês de maio e a média do mês desaba, as massas polares são constantes e bem intensas já nesse período do ano, começam a acontecer geadas e também nesse mês é que o traço mais marcante da região começa a ser percebido com maior frequência, as tardes ficam muito frias, com vento ciclônico e o céu completamente limpo, temperaturas durante a tarde na casa dos 13°/14° ao nível do mar com céu completamente limpo começa a se tornar algo constante, e nada lembra os 13°/14° que acontecem por aqui com céu limpo pelas manhãs, lá em Pelotas acontece com vento e sol da tarde, bem mais intenso. Se for analisar então a serra do sudeste (serra próximo a Pelotas), as tardes já ficam seguramente perto dos 10° e sol nas atuações de massas polares.

 

No trimestre entre Junho e Agosto o frio intenso torna-se a média, tardes de 12°/13° e sol são comuns ao nível do mar, acompanhada de inúmeras mínimas abaixo de 15°, tudo isso temperado com vento, umidade e dias bem bonitos, algo bem interessante  que por causa da latitude, nessa época o sol fica muito fraco e bem baixo, o que deixa a sensação de frio ainda mais intensas, áreas ficam durante meses em sombra "eterna", meu quarto na casa que morei em Pelotas ficou essa época inteira sem incidência de sol, as temperaturas internas ficaram muito desconfortáveis pois eu não tinha aquecimento artificial, o frio era tanto em alguns dias que desejei o retorno do verão haha, temperaturas internas na casa dos 11°/12° se tornaram corriqueiras, isso que mantinha as janelas fechadas durante semanas. As regiões de serra no extremo sul registram dias extremamente gelados, pude presenciar em Pinheiro Machado ao longo do inverno de 2018, tardes abaixo dos 5°, precipitação invernal, temperatura ao redor de 0° com vento, E para verem que o sol no meio do ano não ajuda a esquentar, pego de exemplo o mês de Julho de 2007 em Pelotas, este mês registrou 182,4 horas de sol, uma insolação comum em regiões tropicais na época do verão !!:

 

Capturar.PNG.b7b262d6ebd811a83727736ad56abde5.PNG

 

No inverno algo me marcou muito também: Durante as advecções quentes, que causavam os dias um pouco mais quentes, aconteciam chuvas muito intensas com raios, e a temperatura ao encostar nos 20° causava sensação de abafamento, lembro de um dia reclamar de abafamento e ao olhar na estação fazia 19° e tinha um sol tímido escondido por nuvens altas. Outra característica bem interessante e que difere muito das entradas de frente frias aqui no RJ é o tempo severo que algumas massas polares causam a chegar, tendo granizo e vendavais, coisas que só registro aqui no período do verão. 

 

Após meses abaixo de frio, começa então a chegar a primavera, mas ela vem tímida (mas não tediosa), acompanhada de tempestades, linhas de instabilidades intensas e ainda assim acontecem massas polares bem fortes entre setembro e novembro, lembro de uma tarde com 16°, vento leve e sol em pleno mês de outubro em 2018. A sensação de verão só retorna mesmo em meados de dezembro, quando os dias começam a se tornar cada dia mais duradouros e as árvores ficam bem verdes novamente.

 

Não se pode esquecer de outros fatores ao comparar climas de locais, altitude, vento, umidade, inclinação e intensidade do sol, nebulosidade, etc., influenciam diretamente na experiência climática de um local (Por exemplo, 25° e sol durante a tarde aqui no Rio e 25° durante a tarde em um lugar com mais de 1000m de altitude produzem sensações consideravelmente diferentes).

 

Excelente, relato Vieira.

 

É um clima realmente bastante peculiar no Brasil e que me conquistou. As tardes geladas com sol baixo, fraco, regada a bastante vento algumas vezes outras nem tanto vento, mas quase sempre com sensação de frio em plena tarde. Era marcante! Algumas vezes frio forte as 15 horas sem nenhuma nuvem no céu e sem nenhuma massa polar "poderosa" atuando. Me impressionava demais. Nossa cabeça tropical associa dias gelados diretamente com dias nublados. 

Além disso tinha tbm os dias com mínimas próximo a 0°C com vento, outros dias com frio tradicional (mínimas de 0°C ou negativas sem vento com a geada comum) e do nada um dia com instabilidade (chuva e raio) intercalando. Sem haver aquecimentos nesse intervalo. Mas as vezes resolvia dar uma esquentadinha ligeira em algumas pré-frontais, fazendo as paredes do interior das casas suarem.

 

  • Like 9

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Juzinho disse:

Você tá mais confiante do que eu kkk 

 

As 0 h o Sesc Inmet tinha 12,9 graus com umidade de 65% e rajadas de ventos de até 28 km/h.

Aqui também houve ventos noturnos de até 30 km/h. A temperatura que chegou a baixar para 14˚C por volta de 22h subiu a 15˚C às 23h30min.

Mas como o ar está bem seco (o ponto de orvalho está só 6˚C), bastou diminuir o vento para a temperatura cair bem. Agora, 1h15min, 13,2˚C.

Vamos ver o onde chega esta mínima... Aqui também as mínimas por vezes são bem prejudicadas por MM e vento. Ainda mais o topo/chapada que é o Alphaville/JF... 

Não vou me empolgar muito...

  • Like 8

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 minutos atrás, Allef Matos disse:

 

Excelente, relato Vieira.

 

É um clima realmente bastante peculiar no Brasil e que me conquistou. As tardes geladas com sol baixo, fraco, regada a bastante vento algumas vezes outras nem tanto vento, mas quase sempre com sensação de frio em plena tarde. Era marcante! Algumas vezes frio forte as 15 horas sem nenhuma no céu e sem nenhuma massa polar "poderosa" atuando. Me impressionava demais. Nossa cabeça tropical associa dias gelados diretamente com dias nublados. 

Além disso tinha tbm os dias com mínimas próximo a 0°C com vento, outros dias com frio tradicional (mínimas de 0°C ou negativas sem vento com a geada comum) e do nada um dia com instabilidade (chuva e raio) intercalando. Sem haver aquecimentos nesse intervalo. Mas as vezes resolvia dar uma esquentadinha ligeira em algumas pré-frontais, fazendo as paredes do interior das casas suarem.

 

 

A questão da insolação é um choque para nós tropicais, para ilustrar quero deixar as médias de horas de sol de Pelotas e do Rio de Janeiro, primeiramente Pelotas:

 

Janeiro: 254,7

Fevereiro: 210,3

Março: 217,2

Abril: 186,7

Maio: 172,2

Junho: 147,5

Julho: 154,3

Agosto: 165,3

Setembro: 159,7

Outubro: 196,9

Novembro: 235,5

Dezembro: 261,3

 

Total no ano: 2.361,6h

 

Agora Rio de Janeiro:

 

Janeiro: 196,9

Fevereiro: 194,1

Março: 199,1

Abril: 191,0

Maio: 196,7
Junho:198,4
Julho: 200,0

Agosto: 199,0

Setembro: 144,3

Outubro: 150,8

Novembro: 160,1

Dezembro: 167,8

 

Total no ano: 2.198,2h

 

Pelotas possui maior insolação do que uma capital que figura entre as mais quentes do país, famosa pelo seu céu azul e calor durante todo o ano, é realmente impressionante !

 

  • Like 17

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dados da Região Metropolitana do Rio de Janeiro 01:00

 

RJ - Duque de Caxias - Xerém: 13.1°C

RJ - Seropédica - Ecologia Agrícola: 13.8°C

RJ - Rio de Janeiro - Marambaia: 15.8°C

RJ - São João de Meriti: 16°C

RJ - Rio de Janeiro - Vila Militar: 16.8°C

RJ - Niterói: 18.2°C

RJ - Rio de Janeiro - Forte de Copacabana: 20.6°C

RJ - Rio de Janeiro - Jacarepaguá: **

 

Noite fria no Rio. 😀

  • Like 12
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, n4rd3s disse:

Muito interessante! Já tinha visto os dados dessas estações no norte da ilha e até achei que estavam errados hahah

Porém elas estão mais pro interior da ilha, essas temperaturas não seriam registradas em nenhum bairro de praia, né? 

E a região da UFSC é onde provavelmente tem as temperaturas mais altas e mais baixas do município, certo? 

Obrigado pela aula ^^

 

Florianópolis contem inúmeros microclimas na cidade. Justamente por ser uma cidade com um geografia bem peculiar. Primeiramente que apenas pelo efeito latitude, locais como Praia Brava(Nordeste da Ilha) e Açores (Sul da Ilha) tem médias já consideravelmente diferentes e também extremos. 

 

Sobre frio nas Praias, aqui depende muito de qual praia. As praias de mar grosso, como Mole, Joaquina, Brava, Moçambique, raramente vão baixar de 4ºC, devido ao vento incessante. Porém são locais extremamente amenos. Já um pouco mais a oeste, na região da Lagoa, o que chama atenção além da amenidade, também é o vento e Pontos de Orvalho bizarramente baixos pra um local cercado de água pra tudo que é lado. Em Julho de 2019 o Ponto de Orvalho bateu -7ºC no final da tarde nas DUAS estações da Lagoa da Conceição. São locais que em média são 1ºC mais frios que o INMET no Continente.

 

Nas praias de Mar grosso do Sul da Ilha, ainda não sabemos o potencial. Mas acredito que ventos continentais fracos consigam vencer nessa região o efeito marítimo e a ventania. Tem uma nova estação do @Tomás WRuas nos Açores e pelo seus registros antigos, também nessa região deve haver picos de calor muito fortes pra um local na beira do mar grosso.

 

Já nos bairros de praia do Norte da Ilha que não são de mar grosso e que a ventania de Sul pouco atrapalha, a temperatura costuma cair sem muitas dificuldades. Porém picos de calor são bem mais difíceis, já que o vento NW tem que passar diretamente pela água. Porém em Carijós, estação no Norte da Ilha(Altitude a nível do mar), consegue picos de calor com vento sul no verão. No norte da Ilha o vento nordeste no verão predominante é muito úmido, com isto picos de calor são mais difíceis, assim como na Lagoa. Aqui vai 2016 em Carijós como exemplo:

image.thumb.png.605eb6d90c50cba676d1e0aca9a0336b.png

 

No Norte da Ilha ainda há pontos com maior potencial de frio, o @Caio César amanhã vai instalar uma estação em um ponto de Ratones que acreditamos que deva bater Carijós.

 

E agora temos uma nova estação no Sul da Ilha de Florianópolis, no Sertão do Ribeirão, que aliás faz 8,8ºC neste momento!!!

 

Na beira da praia em Açores, 13,8ºC com 74% no momento!!!

  • Like 15

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aqui no Continente de Floripa, mais uma noite muito seca. O que tem sido extremamente comum neste ano. Mas o que chama atenção é também que o vento está fraco e mesmo assim o adiabático de Oeste se faz presente com a UR baixíssima.

 

13,0ºC e 67% no INMET de Florianópolis. Na região mais próxima do Centro, no Itacorubi, 12ºC as 1:00. 

  • Like 7

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Enquanto isto na Campanha Gaúcha, esta MP vai servindo pra tentar diminuir a média máxima acima do Normal por lá. Já a média mínima está subindo, já que a cidade vem sofrendo com uma forte ventania desde Sábado e a advecção do frio é fraca em altura. Porém, esta segunda MP tende a normalizar as mínimas.

 

image.png.6f64e4b8dc995a9c6cbabf5e5f2a358a.png

 

Os próximos dias prometem serem frios e marcarem o início do inverno climático em Bagé(230 metros) e região, lembrando que o Euro quase sempre erra a previsão de mínimas, normalmente faz 2/3C abaixo:

 

image.png.e015f1fa64d34b05bdba95b81ce9f2ef.png

Edited by VitorVM
  • Like 13

Share this post


Link to post
Share on other sites

estou satisfeito com a temporada de frio em 2020 aqui na região, pelos seguintes motivos:

 

- O frio tem sido constante, principalmente no período noturno, apesar de não terem havido extremos. Não teve nenhum veranico bizarro em Abril e Maio;

- Abril finalmente ficou abaixo da média, raridade. Não sei se teremos outro Abril assim tão cedo em POA;

- Mesmo quando deu uma aquecidinha, ficou restrito às tardes e numa janela mais curta de dias (e em cada dia, numa janela mais curta de horas) do que usualmente temos em veranicos nessa época;

- E nesses dias mais aquecidinhos, ao final da tarde o resfriamento era rápido, não havendo aquele abafamento fora de época que tem sido tão incoveniente nos últimos anos.

 

 

  • Like 11

Share this post


Link to post
Share on other sites

Florianópolis com 8,4ºC no Sul da Ilha no Sertão do Ribeirão, 10,2ºC no Norte da Ilha em Carijós e 11,3ºC na área Central(Itacorubi).

 

Na tarde desta terça-feira devemos ter uma máxima abaixo de 20,0ºC com tempo ensolarado. Veremos. 

  • Like 11

Share this post


Link to post
Share on other sites

Buenas. PWS em Conceição do Rio Verde (encosta nos 870m ao lado do Rio Verde), marca 2.8°C no momento. Estou indo p/ fazenda. 

  • Like 9
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Bom dia a todos! Manhã de 15°C em São João de Meriti - RJ

Edited by Davi Silva
  • Like 8

Share this post


Link to post
Share on other sites

Manhã gelada em BH. Tive mínima de 10,1 C (mais baixa do ano), e agora ainda faz apenas 10,5 C. O céu limpou de madrugada e a temperatura despencou.

A máxima deve ir a 21 graus.

20200526_064528.jpg

  • Like 19
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

A estação do @Andoni brilhou em Barra do Piraí-RJ, vale do Paraíba fluminense.

365m

8,4°C

Recorde anual!

Screenshot_2020-05-26-06-40-57-651_com.android.chrome.jpg

  • Like 22

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom dia.

A manhã começa com tempo instável no vale do Piancó, no sertão da PB.

Screenshot_20200526-070111.thumb.png.5481c3fe200969954251d5fcd5d8b205.png

 

Em alguns locais choveu a madrugada toda (aqui foi um deles). Mais tarde trago os dados.

 

Maio trocou de papel com março.

  • Like 11

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ainda não foi dessa vez que veio a sub-10 no mirante, mas em marsilac, por exemplo, fez 4,6°C.

  • Like 19

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agora aqui em S. Sebastião do Paraíso com mínima de 4,4°C. Muito bom! Menor mínima do ano. Pelos modelos hoje a tarde será a menor máxima com sol e amanhã a menor mínima.

  • Like 14

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Recorde de mínima - sub-10!

 

9,7˚C agora pela manhã. A menor mínima do ano e a mais baixa também desde 17/8/19, que registrou 7,7˚C. 

É a quarta menor mínima aqui da estação desde agosto de 19. 

 

No momento, céu totalmente claro, ainda com vento do quadrante oeste. O ar frio, portanto, ainda está entrando por aqui. 10,1˚C, UR 76%. O ar está incrivelmente seco - o ponto de orvalho está em 5 graus (7h25min).

 

Vejam abaixo o gráfico desta bela queda de temperatura. 

 

482316361_CapturadeTela2020-05-26as07_37_07.png.dd314a8963159946393bacdc322524f4.png

Edited by sjmolive
  • Like 12
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Inmet Varginha com mínima de 6.9°C. Como sempre digo, ele não representa as baixadas e encostas mais baixas da cidade na casa dos 830 aos 900m (zona urbana). Nas redondezas da avenida do contorno, rodovia que margeia parte de cidade, bem no meio do perímetro urbano, na casa dos 830-860m, encontrei geada leve. Termômetro do carro apontou 3 a 4°C durante o trajeto feito às 6:30 até 7:00. Pelas imagens, pergunto aos entendidos: faz algum sentido a temperatura nesses bairros realmente ser 4°C mais baixa que o INMET (950m) - numa encosta quase topo? 

20200526_064423.jpg

20200526_064303.jpg

20200526_065249.jpg

20200526_071402.jpg

20200526_070700.jpg

20200526_070601.jpg

20200526_070555.jpg

Edited by Victor Naia
  • Like 21
  • Thanks 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Noite de péssima queda de temperatura pela metrópole.O vento forte não deu trégua, mas ao menos a sensação de frio foi forte.

 

Tivemos a menor temperatura do ano no Mirante com 10.9 graus e no Sesc com 8.9 graus. Já no IAG que teve 9.8 graus , não foi a menor .

 

 

Edited by Juzinho
  • Like 15
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, Victor Naia disse:

Inmet Varginha com mínima de 6.9°C. Como sempre digo, ele não representa as baixadas e encostas mais baixas da cidade na casa dos 830 aos 900m (zona urbana). Nas redondezas da avenida do contorno rodovia que margeia parte de cidade, bem no meio do perímetro urbano, na casa dos 830-860m, encontrei geada leve. Termômetro do carro apontou 3 a 4°C durante o trajeto feito às 6:30 até 7:00. Pelas imagens, pergunto aos entendidos: faz algum sentido a temperatura nesses bairros realmente ser 4°C mais baixa que o INMET (950m) - numa encosta quase topo? 

 

Se parou de ventar e pelo tanto que o ar está seco, para mim faz todo o sentido esta diferença de temperatura. 

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
17 minutos atrás, Victor Naia disse:

Inmet Varginha com mínima de 6.9°C. Como sempre digo, ele não representa as baixadas e encostas mais baixas da cidade na casa dos 830 aos 900m (zona urbana). Nas redondezas da avenida do contorno rodovia que margeia parte de cidade, bem no meio do perímetro urbano, na casa dos 830-860m, encontrei geada leve. Termômetro do carro apontou 3 a 4°C durante o trajeto feito às 6:30 até 7:00. Pelas imagens, pergunto aos entendidos: faz algum sentido a temperatura nesses bairros realmente ser 4°C mais baixa que o INMET (950m) - numa encosta quase topo? 

20200526_064423.jpg

20200526_064303.jpg

20200526_065249.jpg

20200526_071402.jpg

20200526_070700.jpg

20200526_070601.jpg

20200526_070555.jpg

Se for em uma encosta, eu não acredito em uma diferença tão grande. A estação do INMET fica mais alta q essas casas e em uma encosta também, não em um topo. Se tivermos falando de baixadas na mesma atitude ou mais altas, provavelmente sim a diferença deve bem ser maior

Ontem amigos do Paraná e interior de SP mostraram geada com uma temperatura maior q a registrada na estação automática em Varginha. A temperatura em relva pode ter sido de 2°C/3°C o q explicaria essa geada nessa encosta. Mas enfim para sabermos só com uma estação mesmo nesses lugares. Qual foi a mínima na PWS q tem em Varginha?

Edited by LucasFSopranos
  • Like 7

Share this post


Link to post
Share on other sites

A manhã de hoje poderia ser a mais fria do ano, mas no início da madrugada o vento fez com que a temperatura subisse um pouco e freiou um pouco o frio. Mesmo assim uma manhã bem gelada, mínima de apenas 4.8°C.

  • Like 11

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

GEADA BOA EM JOSÉ BONIFÁCIO.

Em Casa mínima de 5.8°C. Mas nas baixadas marcava 4°C no carro, e teve um momento que chegou a marcar 3°C.

HOJE FIZ MUITAS FOTOS. VOU SELECIONANDO E CARREGANDO.

 

FOTOS DA AVENIDA MONSENHO ANGELO ANGIONI:

 

20200526_070043.thumb.jpg.d309fae9257de331aa5525855ff14b95.jpg

 

20200526_070047.thumb.jpg.167338905bbac1b3c4bffab7a3240a93.jpg

 

20200526_070100.thumb.jpg.8f1da408db7d8d21cb7e0837090c8cea.jpg

 

20200526_070103.thumb.jpg.1b19343f96e598f42223eb9e9f6a9232.jpg

 

20200526_070107.thumb.jpg.5b325641413bb36a1d5b4967404fb58d.jpg

 

 

BAIXADA DA BICA (MESMO LUGAR DAS FOTOS DE ONTEM):

 

20200526_070844.thumb.jpg.6c9605da01cecf024596ff9f6df189c2.jpg

 

Ponta das folhas da grama queimadas pela geada. A teia da aranha não sei se congelou (não coloquei a mão...kkk)

 

20200526_071207.thumb.jpg.0aeb8820f149f3091c3bc10496a26355.jpg

 

20200526_071307.thumb.jpg.a06d3eb216103ecafcaf0b730c1e3110.jpg

 

20200526_071444.thumb.jpg.3b9df36db3fcc4db43ff6bfd6e5a65a4.jpg

 

20200526_071610.thumb.jpg.b0114ac464bfbad1943ff07e8408e7ec.jpg

 

20200526_071637.thumb.jpg.0331560002588a5732b8b3e38ed8c80b.jpg

 

20200526_072009.thumb.jpg.effc5ab15be446b34ef58ecb010ca9c6.jpg

 

EM FRENTE À CÂMARA LEGISLATIVA DE BONIFÁCIO.

 

20200526_064400.thumb.jpg.04fbd717a751b71b8d5021cb7ea2f946.jpg

 

Edited by Maicon
  • Like 24
  • Thanks 6

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nova menor temperatura do ano na estação do bairro Bandeirantes também. O registro por aqui foi de 08,8°C (nada mal para uma noite com predomínio de ventos). A próxima noite deve ter mais estabilidade e muito mais frio. 

 

Destaque para o RJ. O estado teve a madrugada mais fria do ano em praticamente todo o seu território, creio eu. A mínima na vizinha Três Rios, a apenas 45Km daqui, foi MUITO BOA, com apenas 9 graus !

 

Gostei de ver Barra do Piraí também. 

  • Like 17
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
23 minutos atrás, Juzinho disse:

Noite de péssima queda de temperatura pela metrópole.O vento forte não deu trégua, mas ao menos a sensação de frio foi forte.

 

Tivemos a menor temperatura do ano no Mirante com 10.9 graus e no Sesc com 8.9 graus. Já no IAG que teve 9.8 graus , não foi a menor .

 

 

 

A batalha pela sub-10 só começou ! Dessa vez foi por 1 grau....#FORÇAMIRANTÃO

  • Like 4
  • Haha 3
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, Renan disse:

 

A batalha pela sub-10 só começou ! Dessa vez foi por 1 grau....#FORÇAMIRANTÃO

 

Não vai...a partir de agora a tendência é de aumento gradual das temperaturas. A previsão era dessa manhã ser a mais fria de todo esse episódio. É praticamente impossível vencer essa ilha de calor.

  • Like 4
  • Sad 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
21 minutos atrás, LucasFSopranos disse:

Se for em uma encosta, eu não acredito em uma diferença tão grande. A estação do INMET fica mais alta q essas casas e em uma encosta também, não em um topo. Se tivermos falando de baixadas na mesma atitude ou mais altas, provavelmente sim a diferença deve bem ser maior

Ontem amigos do Paraná e interior de SP mostraram geada com uma temperatura maior q a registrada na estação automática em Varginha. A temperatura em relva pode ter sido de 2°C/3°C o q explicaria essa geada nessa encosta. Mas enfim para sabermos só com uma estação mesmo nesses lugares. Qual foi a mínima na PWS q tem em Varginha?

Foi de 8.8. Fica dentro de um casa ao lado do centro, a PWS sem espaço de ventilação, telhado praticamente em cima. Não acho nem um pouco representativa. Em relação a nossa estação do INMET, eu confesso que nunca sei muito bem a definição de um topo, se é sempre a parte mais alta sem nenhuma topografia mais elevada ou outra coisa. A nossa estação está numa encosta, aos 950m, de um morro que chega aos quase 1000m - por isso - digo, amadoramente, que está "quase no topo", porque está encosta desce pros quase 850m. Vou colocar abaixo os locais que tirei as fotos abaixo. Para mim, são baixadas, ou a parte mais baixas dessas encostas - já que existe um córrego mais abaixo, Mas todo coberto de mato e área preservada de floresta. Sei que a altitude é na casa dos 850m. São locais bem próximos. Um a beira da rodovia, e outro, num bairro ao lado de urbanização recente (coisa de 15 anos) - onde ainda tem cavalo, vaca no pasto, e prédio sendo construído rsrs.

20200526_080449.jpg

20200526_080435.jpg

Edited by Victor Naia
  • Like 10

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom dia à todos...

Tem nova estação em Delfim Moreira. Situada acima dos 1.600m é outro ponto importante no monitoramento do frio na região.

Screenshot_20200526-074931.png.acf5f3d6b049f737d35463897da29679.png

A mínima desta manhã ficou 1,3°C acima da registrada na estação do Bairro do Charco (-0,2°C x -1,5°C), no entanto os dados horários mostram maior estabilidade na queda noturna.

Provavelmente fica no fundo de uma baixada bem abrigada, não sujeita a oscilações térmicas pelo efeito "brisa", algo q é comum na estação do Charco. @Gabriel Cardoso deve ter mais informações sobre essa nova estação.

Screenshot_20200526-075054.png.c1c909e023ee4cc5250e348375a8e047.png

 

  • Like 10

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mínimas nas estações automáticas da RMBH hoje:

 

Florestal: 7,5°C

Ibirité (Serra do Rola Moça): 9,8°C

Cercadinho: 10,4°C

Pampulha: 11,4°C

 

Destaco também que é a primeira vez que a estação da Fiat permanece online durante uma onda de frio relevante, e registrou a mesma mínima da Cercadinho, com 10,4°C.

 

IMG_20200526_080706.jpg.5fa0f4c2f37b7fddf889c396eb19c163.jpg

  • Like 13

Share this post


Link to post
Share on other sites
9 minutos atrás, ricardosilva disse:

 

Não vai...a partir de agora a tendência é de aumento gradual das temperaturas. A previsão era dessa manhã ser a mais fria de todo esse episódio. É praticamente impossível vencer essa ilha de calor.

Exatamente.. 

Advecção polar deve enfraquecer na grande São Paulo e as mínimas ocorrerão nas baixadas amanhã, com boas diferenças entre as micro-regiões da capital.

  • Like 7

Share this post


Link to post
Share on other sites

PS: fui no local da estação do INMET. Lá não tinha qualquer geada. Amanhã ou quinta mando fotos de lá. 

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites

Foto de agora pela manhã na região da Candelária, Centro do Rio. Sol brilhando forte e temperatura em 19 graus.

IMG_20200526_075041570_HDR.jpg

  • Like 13
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito frio no começo da manhã no Mato Grosso, com registros de 6,7°C e 7,6°C no município de Nova Marilândia.

Fica na altura do paralelo 14°S e cerca de 500m de altitude (ambas as estações).

 

  • Like 11

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mínimas em Curitiba e Região, 26/05:
 

Curitiba Orleans PWS 2,8ºC
Piraquara PWS 4,4ºC
Quatro Barras – Borda do Campo PWS 5,4ºC
Colombo INMET 5,5ºC
Curitiba São Braz PWS 5,6ºC
Tijucas do Sul – Rio de Una PWS 5,6ºC
Balsa Nova PWS 5,6ºC
São José dos Pinhais – Colônia PWS 5,8ºC
Curitiba Ahú PWS 6,1ºC
Curitiba Pilarzinho PWS 6,2ºC
Curitiba Campo Comprido PWS 6,8ºC
Curitiba Barigui PWS 7,0ºC
Curitiba Boa Vista PWS 7,4ºC
São José dos Pinhais – Centro PWS 7,5ºC
Curitiba INMET FORA (caiu com 8,3ºC)

 

Destaques no Paraná:

 

Ponta Grossa – Corteva – Rural PWS 0,3ºC
Porto Amazonas BASF 2,4ºC
Irati PWS 2,7ºC
Mariluz PWS 2,9ºC
São Mateus do Sul INMET 3,2ºC
Cambé PWS 3,4ºC
Inácio Martins INMET 4,1ºC

  • Like 12
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 minutos atrás, stankevecz1 disse:

Mínimas em Curitiba e Região, 26/05:
 

Curitiba Orleans PWS 2,8ºC
Piraquara PWS 4,4ºC
Quatro Barras – Borda do Campo PWS 5,4ºC
Colombo INMET 5,5ºC
Curitiba São Braz PWS 5,6ºC
Tijucas do Sul – Rio de Una PWS 5,6ºC
Balsa Nova PWS 5,6ºC
São José dos Pinhais – Colônia PWS 5,8ºC
Curitiba Ahú PWS 6,1ºC
Curitiba Pilarzinho PWS 6,2ºC
Curitiba Campo Comprido PWS 6,8ºC
Curitiba Barigui PWS 7,0ºC
Curitiba Boa Vista PWS 7,4ºC
São José dos Pinhais – Centro PWS 7,5ºC
Curitiba INMET FORA (caiu com 8,3ºC)

 

Destaques no Paraná:

 

Ponta Grossa – Corteva – Rural PWS 0,3ºC
Porto Amazonas BASF 2,4ºC
Irati PWS 2,7ºC
Mariluz PWS 2,9ºC
São Mateus do Sul INMET 3,2ºC
Cambé PWS 3,4ºC
Inácio Martins INMET 4,1ºC

 

Me dá uma raiva ver esse INMET de Curitiba cair toda hora em momento tão crítico... Ninguém chegou a cobrar eles por e-mail sobre isso?

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites

Interessante notar o vento permanece oeste em SP há dois dias. Coisa mais rara, tendo em vista que ele fica nessa direção apenas no momento da passagem da frente

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites

NOITE FRIA NO RIO DE JANEIRO!!!

 

Forte resfriamento noturno!

 

RJ - Duque de Caxias - Xerém: 10.8°C

RJ - Rio de Janeiro - Alto da Boa Vista: 13.0°C

RJ - Seropédica - Ecologia Agrícola: 13.1°C

RJ - Rio de Janeiro - Marambaia: 13.9°C

RJ - Rio de Janeiro - Vila Militar: 14.6°C

RJ - São João de Meriti: 15°C

RJ - Niterói: 15.9°C

RJ - Rio de Janeiro - Forte de Copacabana: 19.4°C

  • Like 10

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, stankevecz1 disse:

Mínimas em Curitiba e Região, 26/05:
 

Curitiba Orleans PWS 2,8ºC
Piraquara PWS 4,4ºC
Quatro Barras – Borda do Campo PWS 5,4ºC
Colombo INMET 5,5ºC
Curitiba São Braz PWS 5,6ºC
Tijucas do Sul – Rio de Una PWS 5,6ºC
Balsa Nova PWS 5,6ºC
São José dos Pinhais – Colônia PWS 5,8ºC
Curitiba Ahú PWS 6,1ºC
Curitiba Pilarzinho PWS 6,2ºC
Curitiba Campo Comprido PWS 6,8ºC
Curitiba Barigui PWS 7,0ºC
Curitiba Boa Vista PWS 7,4ºC
São José dos Pinhais – Centro PWS 7,5ºC
Curitiba INMET FORA (caiu com 8,3ºC)

 

Destaques no Paraná:

 

Ponta Grossa – Corteva – Rural PWS 0,3ºC
Porto Amazonas BASF 2,4ºC
Irati PWS 2,7ºC
Mariluz PWS 2,9ºC
São Mateus do Sul INMET 3,2ºC
Cambé PWS 3,4ºC
Inácio Martins INMET 4,1ºC

Bom dia..

Novamente o vento foi o vilão... Quando não é nuvem, é o vento 🙄

Esses dois últimos pulsos de ar seco continental trazidos pelos ciclones me fazem lembrar o clima horrível da região de Comodoro Rivadávia no leste da Patagônia. A região teria excelente potencial para mínimas, visto a latitude (45°S) mas os ventos incessantes do oeste e noroeste (ultrapassam muitas vezes os 130 km/h) não permitem em boa parte do inverno q ocorram boas mínimas negativas.

Somente em grandes ondas de frio, qdo cessam esses ventos é q ocorrem registros excelentes.

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.