Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Fevereiro/2020

Recommended Posts

3 horas atrás, Carlos Campos disse:

Boa noite à todos.

Deixando o registro de uma incrível formação "prateleira" observada e fotografada às 17h do dia 30/1 em São João da Boa Vista, região nordeste de SP 👇IMG_20200201_193523.thumb.jpg.0f0b7dc68c6adcf35128b36dd9460376.jpgIMG_20200201_193659.thumb.jpg.1a8b3d51a1e64a1f6865fdbfa721919d.jpgIMG_20200201_193550.thumb.jpg.b60487dd3d15c32923ae73770a2fcaa8.jpgIMG_20200201_193437.thumb.jpg.2f8b99a0daeeb2ba93ac656b374941ea.jpg

IMG_20200201_194002.jpg.011eedb4a424000c69e0dc4d7867b4b0.jpg

Fotos: Dinho Motiel e Tiago Evaristo

impressionante e belo!

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

O INMET divulgou os dados consolidados que são os oficiais para o ano de 2019 em Curitiba/PR, com um desvio positivo de absurdos de 1.4º na média anual:

Temperatura média anual: 18.8º (+ 1.4º)

Mes mais quente: Janeiro 24º (+3.1º)

Mês mais frio: Julho 14.4º (+0.9º)

 

Temperatura minima recorde: -0.7º

Temperatura máxima recorde: 34.9º

 

Precipitação acumulada: 1.279.1mm (-19.2%)

Mês mais chuvoso: Fevereiro 301.2 mm

Mês mais seco: Julho 12.4 mm

P.S: Isso é tão surreal que Curitiba está se aproximando da médial anual de Porto Alegre. 

 

Edited by Lucas Venturini
  • Like 5
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Agora, Lucas Venturini disse:

O INMET divulgou os dados consolidados que são os oficiais para o ano de 2019 em Curitiba/PR, com um desvio positivo de absurdos de 1.4º na média anual:

Temperatura média anual: 18.8º (+ 1.4º)

Mes mais quente: Janeiro 24º (+3.1º)

Mês mais frio: Julho 14.4º (+0.9º)

 

Temperatura minima recorde: -0.7º

Temperatura máxima recorde: 34.9º

 

Precipitação acumulada: 1.279.1mm (-19.2%)

Mês mais chuvoso: Fevereiro 301.2 mm

Mês mais seco: Julho 12.4 mm

P.S: Isso é tão surreal que Curitiba está se aproximando da médial anual de Porto Alegre. 

 

Por um ano só, acho que algo como 2019 ou nunca mais acontece ou só daqui a séculos.

 

  • Haha 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
23 minutos atrás, Lucas Venturini disse:

O INMET divulgou os dados consolidados que são os oficiais para o ano de 2019 em Curitiba/PR, com um desvio positivo de absurdos de 1.4º na média anual:

Temperatura média anual: 18.8º (+ 1.4º)

Mes mais quente: Janeiro 24º (+3.1º)

Mês mais frio: Julho 14.4º (+0.9º)

 

Temperatura minima recorde: -0.7º

Temperatura máxima recorde: 34.9º

 

Precipitação acumulada: 1.279.1mm (-19.2%)

Mês mais chuvoso: Fevereiro 301.2 mm

Mês mais seco: Julho 12.4 mm

P.S: Isso é tão surreal que Curitiba está se aproximando da médial anual de Porto Alegre. 

 

Isso é assunto para o tópico dos resumos 2019. Mas fato é que 2019 foi um dos anos mais quentes da história de Curitiba (empatado com 2002, mas as casas decimais vão definir se foi 2019 ou 2002 o ano mais quente da história de Curitiba).

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 minutos atrás, Matheus Vinicius disse:

Por um ano só, acho que algo como 2019 ou nunca mais acontece ou só daqui a séculos.

 

Espero. mas com anomalia atras de anomalia ja nao duvido mais nada

Edited by Lucas Venturini
  • Like 1
  • Sad 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Com os dados entre 21 e meia noite, os acumulados nas três estações do INMET da RMSP são os seguintes:

 

Mirante: 57,4mm

Sesc Interlagos: 40,6mm

Barueri: 71,4mm

 

E as mínimas no período caíram para 19,9°C tanto no Mirante quanto no Sesc. Ainda não baixou dos 20 em Barueri.

Edited by Darley
  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
56 minutos atrás, Lucas Venturini disse:

O INMET divulgou os dados consolidados que são os oficiais para o ano de 2019 em Curitiba/PR, com um desvio positivo de absurdos de 1.4º na média anual:

Temperatura média anual: 18.8º (+ 1.4º)

Mes mais quente: Janeiro 24º (+3.1º)

Mês mais frio: Julho 14.4º (+0.9º)

 

Temperatura minima recorde: -0.7º

Temperatura máxima recorde: 34.9º

 

Precipitação acumulada: 1.279.1mm (-19.2%)

Mês mais chuvoso: Fevereiro 301.2 mm

Mês mais seco: Julho 12.4 mm

P.S: Isso é tão surreal que Curitiba está se aproximando da médial anual de Porto Alegre. 

 

Este total de chuva está subestimado, Curitiba (INMET) superou os 1400 mm na estação automática, que fica ao lado da convencional.  Os dados de chuva do segundo semestre da estação convencional (a partir de setembro) estão cheios de falhas, desde observações mal feitas até dias sem leitura do pluviômetro.

 

Infelizmente houve este problema, documentado inclusive por membros deste espaço, de troca de observadores e de observadores provisórios sem o devido treinamento, que causaram um dano à continuidade da série.   A solução simples, que seria utilizar os dados da automática (ao lado) para preencher os buracos da série pluviométrica da convencional, pelo visto não passou pela cabeça dos burocratas do INMET, é esperar demais...

 

Florianópolis (conv) também sofreu com dados incompletos de chuva na convencional, só Porto Alegre teve dados completos dentre as capitais do Sul.

 

Os totais de SOND na estação automática de Curitiba, com dados mais completos que a convencional, e entre parênteses os registros incompletos da convencional.

 

Setembro: 153,2 mm (100,8 mm)

Outubro: 90,8 mm (23,6 mm!)

Novembro:  99 mm (63 mm)

Dezembro:  70,6 mm (36,2 mm)

Total: 413,6 mm (223,6 mm)

 

Se utilizarmos a convencional até agosto (dados completos de chuva) mais a automática de setembro em diante, o total anual sobe para 1469,1 mm.

Já utilizando dados somente da automática desde janeiro, o total anual de chuva foi de 1447,6 mm.

 

Parece o impacto destas falhas nas médias de temperatura foi menor, e não há dúvidas de que 2019 foi um ano com temperatura bem acima da média em Curitiba (e na maior parte do Centro-Sul do Brasil), mas no caso das chuvas o impacto foi bem grande nos 4 últimos meses do ano.

Edited by Wallace Rezende
  • Like 6
  • Thanks 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 minutos atrás, Wallace Rezende disse:

Este total de chuva está subestimado, Curitiba (INMET) superou os 1400 mm na estação automática, que fica ao lado da convencional.  Os dados de chuva do segundo semestre da estação convencional (a partir de setembro) estão cheios de falhas, desde observações mal feitas até dias sem leitura do pluviômetro.

 

Infelizmente houve este problema, documentado inclusive por membros deste espaço, de troca de observadores e de observadores provisórios sem o devido treinamento, que causaram um dano à continuidade da série.   A solução simples, que seria utilizar os dados da automática (ao lado) para preencher os buracos da série pluviométrica da convencional, pelo visto não passou pela cabeça dos burocratas do INMET, é esperar demais...

 

Florianópolis (conv) também sofreu com dados incompletos de chuva na convencional, só Porto Alegre teve dados completos dentre as capitais do Sul.

 

Os totais de SOND na estação automática de Curitiba, com dados mais completos que a convencional, e entre parênteses os registros incompletos da convencional.

 

Setembro: 153,2 mm (100,8 mm)

Outubro: 90,8 mm (23,6 mm!)

Novembro:  99 mm (63 mm)

Dezembro:  70,6 mm (36,2 mm)

Total: 413,6 mm (223,6 mm)

 

Se utilizarmos a convencional até agosto (dados completos de chuva) mais a automática de setembro em diante, o total anual sobe para 1469,1 mm.

Já utilizando dados somente da automática desde janeiro, o total anual de chuva foi de 1447,6 mm.

 

Parece o impacto destas falhas nas médias de temperatura foi menor, e não há dúvidas de que 2019 foi um ano com temperatura bem acima da média em Curitiba (e na maior parte do Centro-Sul do Brasil), mas no caso das chuvas o impacto foi bem grande nos 4 últimos meses do ano.

A solução pra isso isso seria desativar todas as estações convencionais e profissionalizar o uso das automáticas. Mas o Inmet é uma completa chinelagem, ninguém parece está afim de concertar isso

Edited by Lucas Venturini
  • Like 1
  • Confused 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, Nowcasting disse:

Alguém com experiência em radar meteorológico sabe dizer pq da diferença de posição desse núcleo de chuva dos radares Três Marias e Pico do Couto? Minha impressão é que a imagem esta deslocada para nordeste. Ambos no mesmo horário. Eu tenho certeza que não choveu tão forte assim mais pra leste. Vou ter que contactar o REDEMET de novo. - Já abri um chamado.

 

Três Marias/Pico do Couto

 

623227924_CapturadeTela2020-02-01s20_18_14.thumb.png.6d4f6ac7c3cef1934aaaa3116850a7ee.png383938405_CapturadeTela2020-02-01s20_18_33.thumb.png.f99053a2d546a5186cf0485a472537c5.png

 

 

Nowcasting,

você sabe se o Cindacta/Aeronáutica tem algum tipo de radar no alto da Serra da Piedade(1746 metros) em Caeté, onde fica a basílica da padroeira de Minas Gerais, Nossa Senhora da Piedade?

Bem que a Aeronáutica poderia adquirir um Radar e instalar no Alto da Serra da Piedade.

Minas Gerais tem dois importantes aeros(Confins e Pampulha.Os milicos estão governando de novo o Brasil.

Edited by marinhonani
  • Confused 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
27 minutos atrás, Lucas Venturini disse:

A solução pra isso isso seria desativar todas as estações convencionais e profissionalizar o uso das automáticas. Mas o Inmet é uma completa chinelagem, ninguém parece está afim de concertar isso

Nos países do chamado primeiro mundo, a automação das principais observações já atingiu praticamente todas as estações meteorológicas/climatológicas principais, e este seria o caminho natural para o Brasil também (tem algumas desvantagens, mas parece ser um caminho sem volta, então melhor fazer isso direito). 

 

Acontece que, com a atual estrutura de manutenção do INMET, não ia funcionar também, vide o grande número de automáticas com pluviômetro entupido, muitas vezes por meses sem que haja manutenção.  Estamos entre a cruz e a espada, infelizmente.

 

Mas o grau de desinteresse de muitos funcionários do próprio órgão não ajuda, com um pouco de boa vontade seria possível contornar vários problemas, até porque sabemos que o INMET passa por muitas dificuldades também, começando pelo baixo orçamento e passando por excesso de burocracia na contratação e treinamento de pessoal.  Nestes casos de Curitiba e Florianópolis, um cruzamento de dados (auto x conv, já que ficam no mesmo cercado nas duas cidades), seria a solução para corrigir os dados pluviométricos na base oficial, ou seja, bastaria um pouco de vontade.

Edited by Wallace Rezende
  • Like 8

Share this post


Link to post
Share on other sites
9 horas atrás, Matheus Vinicius disse:

Alguém sabe informar por que o ano de 2019 foi tão anormal?

Foi só por conta do El nino?

El Nino + Atlântico fervendo

  • Like 6
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Mirante acumulou 59mm nas últimas 24 horas 

Portanto, fevereiro de 2020 teve o seu máximo de chuva em 24h maior que o de 2019(57mm).

  • Like 6
  • Haha 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em situações normais, fevereiro é o mês mais monôtono do ano aqui pra SC. Pouco dinamismo climático, período esse que se estende até o começo/meados de março.

  • Like 4
  • Sad 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Novas áreas de instabilidade se desenvolveram na madrugada deste domingo em Fortaleza. Choveu forte no meu bairro. 
 

3AE55FC4-6C91-4381-B186-C8D856871773.thumb.png.8f2eee2ced4c525360fb6e259f6e7644.png
 

A FUNCEME registrou 62,6 milímetros em um de seus postos. Foi o segundo dia consecutivo com +60 milímetros em pelo menos um dos pluviômetros monitorados pela FUNCEME. 


13207095-E9C2-45FE-A683-B9DA4338BB08.thumb.jpeg.69a5cef228f007c66c0b3c842e92cdca.jpeg

  • Like 6
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 horas atrás, Lucas Venturini disse:

A solução pra isso isso seria desativar todas as estações convencionais e profissionalizar o uso das automáticas. Mas o Inmet é uma completa chinelagem, ninguém parece está afim de concertar isso

 

A informação que obtive, alguns anos atrás, de um meteorologista (Professor do IAG) é que o INMET não contrata observadores há anos.

Havia um programa de treinamento, que era executado antigamente e que parece que foi jogado às traças atualmente.

Quando alguém se aposenta, entra em férias, etc, etc, é uma dificuldade pra arranjar substitutos.

Inclusive, geralmente, as convencionais são fechadas com a aposentadoria do(s) observadore(s).

 

A antiga estação do INMET no Horto Florestal, zona norte da cidade de São Paulo, fechou por causa disso, já no final da década de 1980.

O que foi uma pena, pois ela ficava no limite entre a zona urbana e o Parque Estadual da Cantareira e dava uma boa idéia da cidade quase sem a ilha de calor, operando desde 1940.

Inclusive, segundo esse professor, ela era um bom parâmetro de comparação com a estação do IAG, embora o Horto registrasse, normalmente, mínimas mais baixas.

 

--------------------------------

 

Quanto às estações automáticas, elas têm a virtude de eliminar o erro humano.

Mas, como qualquer equipamento eletrônico de medição, de qualquer tipo, não mantêm a calibração indefinidamente.

Precisam ter ajuste periódicos conforme orientação do fabricante.

Isso além dos problemas normais de manutenção, preventiva e corretiva.

Isto é, o "bicho" homem continua sendo necessário.

 

Se não existe  uma equipe dimensionada pra fazer essa manutenção em todo país e nem recursos financeiros, nada feito.

A automática de Porto Velho-RO, por exemplo, está fora de operação há mais de 4 meses.

Campo Grande-MS chegou a ficar mais de 3 meses fora.

E estou falando de capitais.

 

É aquela história, tanto no serviço público como na iniciativa privada: se existe interesse das pessoas que tomam as decisões, a coisa funciona.

Se não houver esse interesse... nada feito.

 

Edited by Aldo Santos
  • Like 9
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Domingo de muita nebulosidade, durante a madrugada uma rápida chuva acumulou 7 mm, esperando por mais chuvas durante o dia, chuvas previstas desde quinta e que ainda não vieram.

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Beto Krepsky disse:

Em situações normais, fevereiro é o mês mais monôtono do ano aqui pra SC. Pouco dinamismo climático, período esse que se estende até o começo/meados de março.

Situação idêntica na região de Curitiba, com pouco dinamismo, com menor atividade frontal e chuvas basicamente dependendo dos sistemas de instabilidade provenientes do Paraguai (geralmente chegam mais fracos ao leste) e instabilidades formadas localmente devido à combinação calor x umidade.

No período de 1958 e 2019 (~60 anos) a média pluviométrica na cidade de Piraquara se fixou nos 151,3 mm q corresponde ao valor médio de Dezembro (152,0 mm), perdendo em cerca de 30 mm para o mês de Janeiro (180,7 mm).

No histórico constam 17 fevereiros com pluviometria inferior à 100 mm e o menor valor atingiu 30,0 mm (1969). É um valor muito baixo, se compararmos com a média mensal, e a observação feita pelo @Wallace Rezende sobre o descaso dos órgãos públicos em relação à substituição dos anotadores em férias (ou aposentadoria) vem à calhar neste caso. Além disso, a estação Roça Nova, localizada à uns 7 km ao leste de Piraquara, teve 301,0 mm acumulados. Fica a dúvida.

É praticamente impossível acreditar q durante um período de 60 anos nunca tenha havido falhas nas anotações.

Nesse período, tivemos um máximo pluviométrico mensal de 318,0 mm (1970) e foi a compensação (pelo menos no histórico) do fiasco no ano anterior.

Tirando o fator "pluviometria", Fevereiro é e sempre foi pra mim o mês mais "chato" do ano, a começar pela mínima absoluta ~8°C (a mais alta mínima absoluta do histórico mensal).

 

Chuva moderada agora, com 19°C. Excelente pra ficar dentro de casa, descansando ou fazendo as coisas q gostamos de fazer dentro de casa...

 

 

 

  • Like 7

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depois da máxima de 31,0 C o tempo está virando.

No momento 29,1 C e UR 62%.

 

15806636289272831552073495231501.thumb.jpg.2a6e60f8db78cb0ec78d78c21c5ed2fa.jpg

  • Like 7

Share this post


Link to post
Share on other sites
Agora, sjmolive disse:

Depois da máxima de 31,0 C o tempo está virando.

No momento 29,1 C e UR 62%.

 

15806636289272831552073495231501.thumb.jpg.2a6e60f8db78cb0ec78d78c21c5ed2fa.jpg

 

Baita CB ao sul da cidade, mas pela direção dos ventos não deve atingir aqui. Precisamos de formações à noroeste, assim vai chegar aqui. Minha máxima foi de 32,7°C no Bandeirantes. 

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.