Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Junho/2019

Recommended Posts

Chegamos ao fim da 1ª quinzena de junho em Guarapuava e....

-2 semanas sem chuva(incomum)

-Nenhuma geada na área urbana do município este ano( raro).

-As previsões dão pouca chance de geada até o final do mês(raríssimo).

 

 

  • Like 3
  • Thanks 1
  • Sad 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
16 horas atrás, sjmolive disse:

Boa noite, Renata, claro que não. 

 

Provavelmente esta temperatura ocorreu em meados de junho em um episódio de forte advecção de ar polar. Quando isso acontece o efeito ilha de calor reduz bastante. Agora, que este ano está bem mais quente que o normal, sem dúvida. 

 

Mas há outro fenômeno muito frequente que causa do resfriamento nas terras altas aqui no Sudeste nos meses mais frios, que é a perda radiativa. Esta perda é dramaticamente reduzida em grandes centros urbanos como São Paulo, impacta tremendamente as temperaturas mínimas e, por tabela, as médias.

 

Veja que hoje o próprio tempo está se encarregando de ilustrar minha tese: Neste momento, 22h30m, temos 22 graus na Sé e 14 graus em Marsilac. Esta última estação marcou 10,5 C hoje cedo contra 18,3 C na Sé. São quase 8 graus de diferença... O Mirante ainda não teve sub 10 este ano. O extremo sul da capital já teve diversas,  até sub 5...

 

Mais outra informação - dados publicados em outro forum aqui do site mostram que Parelheiros é cerca de 2 C mais fria que o Mirante. 

 

Estes valores são bem maiores que qualquer alegado aquecimento planetário que possa estar acontecendo (anomalia de +0,3 C agora em mai 19). Por isso frisei a importância da ilha de calor no aquecimento de São Paulo. Ainda acredito, pelos números que citei, que é o que predomina, mas posso rever esta posição com outros dados/ no futuro, quem sabe...

 

Apenas tentei contribuir com uma análise mais completa da complexa questão da temperatura em uma megalópole de 20 milhões de pessoas.

 

Um abraço e boa noite a todos...

 

 

 

A comparação do Mirante de Santana e outras regiões centrais de Sampa com Marsilac e outras estações do sul não faz muito sentido. Como já disseram aqui (inclusive respondendo a um questionamento meu), a ZS de São Paulo tem um outro clima, por estar mais próxima da Serra do Mar:

 

Recebe mais a brisa marítima;

Menor insolação;

Chove mais;

 

Somado a isso tem o enorme efeito baixada, que faz a temperatura ter um comportamento peculiar de acumular ar frio.

 

 

 

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
16 horas atrás, Renan disse:

 

Nani,

 

Esses dados da convencional de Barbacena, sempre achei os valores de mínimas dessa estação um pouco altas. Nesse evento, por exemplo, 01,6C para uma cidade a quase 1200m de altitude... é simplesmente pouco demais. 

 

Essa convencional de Barbacena ao menos já negativou alguma vez ?

Renan, 

na década de 10 e 20 do século XX, deve ter negativado algumas vezes.

Tenho as mínimas da série 1931 a 1960 de BARBACENA, altitude de 1126 metros.

3,8 dia 26/04/1933

-0,1 dia 24/05/1933

-0,6 dia 10/06/1938

0,0 dia 31/07/1939( no dia 08 de julho de 1923 marcou -3,6)

-0,2 dia 07/08/1936

2,0 dia 23/09/1931

 

M.mín e M.máx série 1931 a 1960, comportamento das temperaturas não é de estação localizada em baixada(variação pequena entre as m.mín e m.máx)

9,6       e   21,4

9,3       e   21,2

9,9      e    22,8

 

 

Agora estação de SÃO LOURENÇO-MG série 1931 a 1960, altitude de 873 metros(a convencional atual está a 930 metros), comportamento de estação que fica em baixada.

-2,7 dia 21/05/1945

-3,1 dia 12/06/1945

-3,3 dia 14/07/1945

-2,5 dia 08/08/1945

-0,7 dia 06/09/1945

 

M.min  e   m.máx

7,0        e   24,1

5,5       e    24,1

7,0       e    26,1

 

Foi em julho de 1923 que a convencional de Campos do Jordão registrou sua mínima absoluta de -8,0ºC esqueci a data, naquele antigo julho de 1923 o Sul de Minas, Mantiqueira e Zona da Mata devem ter registrados muitos dias de geada.Fez frio desde a 1ª semana até a última.Pena que os dados de antigas estações que estão sendo digitalizados pelo Inmet vai demorar muitos e muitos anos para serem divulgados.

Edited by marinhonani
  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
28 minutos atrás, JOÃO MARCOS disse:

Chegamos ao fim da 1ª quinzena de junho em Guarapuava e....

-2 semanas sem chuva(incomum)

-Nenhuma geada na área urbana do município este ano( raro).

-As previsões dão pouca chance de geada até o final do mês(raríssimo).

 

 

Caxias do Sul que é mais frio que Guarapuava não houve formação de geada esse ano ainda. Pio,r a minima absoluta de 2019 é de 7,8º.

  • Like 4
  • Thanks 2
  • Sad 4

Share this post


Link to post
Share on other sites
17 horas atrás, sjmolive disse:

Boa noite, Renata, claro que não. 

 

Provavelmente esta temperatura ocorreu em meados de junho em um episódio de forte advecção de ar polar. Quando isso acontece o efeito ilha de calor reduz bastante. Agora, que este ano está bem mais quente que o normal, sem dúvida. 

 

Mas há outro fenômeno muito frequente que causa do resfriamento nas terras altas aqui no Sudeste nos meses mais frios, que é a perda radiativa. Esta perda é dramaticamente reduzida em grandes centros urbanos como São Paulo, impacta tremendamente as temperaturas mínimas e, por tabela, as médias.

 

Veja que hoje o próprio tempo está se encarregando de ilustrar minha tese: Neste momento, 22h30m, temos 22 graus na Sé e 14 graus em Marsilac. Esta última estação marcou 10,5 C hoje cedo contra 18,3 C na Sé. São quase 8 graus de diferença... O Mirante ainda não teve sub 10 este ano. O extremo sul da capital já teve diversas,  até sub 5...

 

Mais outra informação - dados publicados em outro forum aqui do site mostram que Parelheiros é cerca de 2 C mais fria que o Mirante. 

 

Estes valores são bem maiores que qualquer alegado aquecimento planetário que possa estar acontecendo (anomalia de +0,3 C agora em mai 19). Por isso frisei a importância da ilha de calor no aquecimento de São Paulo. Ainda acredito, pelos números que citei, que é o que predomina, mas posso rever esta posição com outros dados/ no futuro, quem sabe...

 

Apenas tentei contribuir com uma análise mais completa da complexa questão da temperatura em uma megalópole de 20 milhões de pessoas.

 

Um abraço e boa noite a todos...

 

 

Entendo seu ponto de vista. Mas vejo o seguinte, um exemplo, nesse ano mesmo em Chicago a temperatura chegou à -31°C, fato que aconteceu poucas vezes na cidade desde o século  XIX onde a cidade era muito menos urbanizada. Só aconteceu de novo este ano porque houve onda de frio igual às do passado e a urbanizaçao não teve impacto para chegar a esta temperatura de novo. Pois mesmo a urbanizaçao de Sampa é minúscula comparada a uma massa de ar. São Paulo já era muito urbanizada na década de 70 e até 90 ( quando chegou à 0°c e alguns décimos em 94) caso hoje chegasse uma onda de frio do mesmo nível faria 0°C outra vez, os 3,5°C de 2016 estão aí para provar. Sampa já não é igual Marsilac à séculos e houve muita temperatura perto de zero no século XX. Por tudo isso não creio que o aquecimento de hoje é causado por urbanizaçao.

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
19 minutos atrás, renata16 disse:

Entendo seu ponto de vista. Mas vejo o seguinte, um exemplo, nesse ano mesmo em Chicago a temperatura chegou à -31°C, fato que aconteceu poucas vezes na cidade desde o século  XIX onde a cidade era muito menos urbanizada. Só aconteceu de novo este ano porque houve onda de frio igual às do passado e a urbanizaçao não teve impacto para chegar a esta temperatura de novo. Pois mesmo a urbanizaçao de Sampa é minúscula comparada a uma massa de ar. São Paulo já era muito urbanizada na década de 70 e até 90 ( quando chegou à 0°c e alguns décimos em 94) caso hoje chegasse uma onda de frio do mesmo nível faria 0°C outra vez, os 3,5°C de 2016 estão aí para provar. Sampa já não é igual Marsilac à séculos e houve muita temperatura perto de zero no século XX. Por tudo isso não creio que o aquecimento de hoje é causado por urbanizaçao.

Acho que o aquecimento na RMSP seja 70% devido a urbanização e 30% devido as mudanças climáticas .

 

De 94 até hoje a Grande São Paulo ganhou em torno de 5 milhões de novos habitantes. Ou seja o que era urbanizado ficou ainda mais adensado .

 

Se uma MP a lá 1955 chegasse em SP atualmente poderia até zerar no Mirantão , mas apenas no dia da Advecção ou no máximo 1 dia depois ...com a MP ficando "velha " só áreas pouco urbanizadas que são beneficiadas .

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

PARCIAL DA PRIMEIRA QUINZENA DE JUNHO AQUI NO CENTRO DE JUIZ DE FORA MG

 

Média das mínimas 14,4C - mínima absoluta 11 C

Média das máximas 23,3 C - máxima absoluta 28 C

Média estimada 17,9 C

(0,4 C mais quente que o mês de junho de 2018)

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Variação de 17,9 a 29,8C hoje em Blumenau, é o dia mais quente(maior máxima) pra Junho das minhas medições iniciadas em 2016.

 

Minha média máxima, com isso, chega aos 25,0C (normal é 22)

Edited by Felipe Backendorf
  • Like 7

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

O sábado foi de sol em Fortaleza, no entanto tivemos rajadas de vento de moderada a forte intensidade durante praticamente toda a tarde, inclusive agora. 

 

Praticamente todo o interior do estado do Ceará está coberto de nebulosidade. Pelo deslocamento visto nas imagens de satélite, algumas dessas nuvens devem adentrar Fortaleza nas próximas horas. 

BA6A35C0-392F-4552-A4BA-C77B389136BF.jpeg

Edited by Pedro Victor Peixoto Paulino Pedro Victor

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
19 horas atrás, sjmolive disse:

Boa noite, Renata, claro que não. 

 

Provavelmente esta temperatura ocorreu em meados de junho em um episódio de forte advecção de ar polar. Quando isso acontece o efeito ilha de calor reduz bastante. Agora, que este ano está bem mais quente que o normal, sem dúvida. 

 

Mas há outro fenômeno muito frequente que causa do resfriamento nas terras altas aqui no Sudeste nos meses mais frios, que é a perda radiativa. Esta perda é dramaticamente reduzida em grandes centros urbanos como São Paulo, impacta tremendamente as temperaturas mínimas e, por tabela, as médias.

 

Veja que hoje o próprio tempo está se encarregando de ilustrar minha tese: Neste momento, 22h30m, temos 22 graus na Sé e 14 graus em Marsilac. Esta última estação marcou 10,5 C hoje cedo contra 18,3 C na Sé. São quase 8 graus de diferença... O Mirante ainda não teve sub 10 este ano. O extremo sul da capital já teve diversas,  até sub 5...

 

Mais outra informação - dados publicados em outro forum aqui do site mostram que Parelheiros é cerca de 2 C mais fria que o Mirante. 

 

Estes valores são bem maiores que qualquer alegado aquecimento planetário que possa estar acontecendo (anomalia de +0,3 C agora em mai 19). Por isso frisei a importância da ilha de calor no aquecimento de São Paulo. Ainda acredito, pelos números que citei, que é o que predomina, mas posso rever esta posição com outros dados/ no futuro, quem sabe...

 

Apenas tentei contribuir com uma análise mais completa da complexa questão da temperatura em uma megalópole de 20 milhões de pessoas.

 

Eu acho que aí tem alguns fatores:

 

1. A urbanização e a consequente ilha de calor, sem dúvida são fatores muito importantes na redução das mínimas baixas na área urbana da cidade de São Paulo.

Mas penso que não são os únicos.

Afinal, em 1990, Sampa já tinha 9,5 milhões de habitantes no município e 15 milhões na região metropolitana.

E foi uma década com baixos registros de temperatura no Mirante, com mínimas baixas 2/3 dias após a advecção.

Exemplos:

2,8°C (29 e 30/07/1990)

4,4°C (01/08/1993)

1,2°C 26/06/1994)

2,0°C (27/06/1994)

2,0°C (09/07/1994)

0,8°C (10/07/1994)

4,2°C (11/07/1994)

4,4°C (17/07/2000)

4,1°C (18/07/2000)

4,3°C (19/07/2000)

4,5°C (21/07/2000)

Etc.

 

2. Estações mais rurais no estado de SP, com registro mais longo, também tiveram uma boa diminuição na frequência de temperaturas abaixo de 4/5°C nos últimos 20 anos.

O que mostra que existe também algo de âmbito mais regional.

 

3. Acho que também que mudou a dinâmica das massas polares que chegam ao leste paulista.

De 2001 pra cá, escassearam por aqui aquelas massas polares continentais de forte intensidade, em que o tempo limpa rápido com a penetração de ar muito frio e seco.

A exceção foi, mais ou menos,  junho de 2016.

Para dar uma idéia, MPs com essas características, que causaram temperaturas baixas no Mirante ocorreram em:

julho/2000

junho/1994

julho/1994

ago/1993

julho/1990

junho/1988

junho/1985

ago/1984

Etc, etc.

 

 

Edited by Aldo Santos
  • Like 13

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tem uma mudança de dinâmica evidente. Afinal, a urbanização tem efeito relativamente pequeno e só nas mínimas.

 

Cidades pequenas do norte de Minas aqueceram mais que a capital Belo Horizonte pelos dados do inmet.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aqui em Santos a mínima hoje foi de 20,6℃ e a máxima 29,6℃. A mínima absoluta deste ano foi de 15,1℃ no dia 09/06. Em anos normais já é difícil ter sub-10 por aqui, em 2019 então...

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 horas atrás, marinhonani disse:

Renan, 

na década de 10 e 20 do século XX, deve ter negativado algumas vezes.

Tenho as mínimas da série 1931 a 1960 de BARBACENA, altitude de 1126 metros.

3,8 dia 26/04/1933

-0,1 dia 24/05/1933

-0,6 dia 10/06/1938

0,0 dia 31/07/1939( no dia 08 de julho de 1923 marcou -3,6)

-0,2 dia 07/08/1936

2,0 dia 23/09/1931

 

M.mín e M.máx série 1931 a 1960, comportamento das temperaturas não é de estação localizada em baixada(variação pequena entre as m.mín e m.máx)

9,6       e   21,4

9,3       e   21,2

9,9      e    22,8

 

 

Agora estação de SÃO LOURENÇO-MG série 1931 a 1960, altitude de 873 metros(a convencional atual está a 930 metros), comportamento de estação que fica em baixada.

-2,7 dia 21/05/1945

-3,1 dia 12/06/1945

-3,3 dia 14/07/1945

-2,5 dia 08/08/1945

-0,7 dia 06/09/1945

 

M.min  e   m.máx

7,0        e   24,1

5,5       e    24,1

7,0       e    26,1

 

Foi em julho de 1923 que a convencional de Campos do Jordão registrou sua mínima absoluta de -8,0ºC esqueci a data, naquele antigo julho de 1923 o Sul de Minas, Mantiqueira e Zona da Mata devem ter registrados muitos dias de geada.Fez frio desde a 1ª semana até a última.Pena que os dados de antigas estações que estão sendo digitalizados pelo Inmet vai demorar muitos e muitos anos para serem divulgados.

 

Obrigado, Nani.

 

Ficou claro que se trata de um comportamento mais de topo do que baixada, ou no máximo uma encosta. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Aldo Santos disse:

 

Eu acho que aí tem alguns fatores:

 

1. A urbanização e a consequente ilha de calor, sem dúvida são fatores muito importantes na redução das mínimas baixas na área urbana da cidade de São Paulo.

Mas penso que não são os únicos.

Afinal, em 1990, Sampa já tinha 9,5 milhões de habitantes no município e 15 milhões na região metropolitana.

E foi uma década com baixos registros de temperatura no Mirante, com mínimas baixas 2/3 dias após a advecção.

Exemplos:

2,8°C (29 e 30/07/1990)

4,4°C (01/08/1993)

1,2°C 26/06/1994)

2,0°C (27/06/1994)

2,0°C (09/07/1994)

0,8°C (10/07/1994)

4,2°C (11/07/1994)

4,4°C (17/07/2000)

4,1°C (18/07/2000)

4,3°C (19/07/2000)

4,5°C (21/07/2000)

Etc.

 

2. Estações mais rurais no estado de SP, com registro mais longo, também tiveram uma boa diminuição na frequência de temperaturas abaixo de 4/5°C nos últimos 20 anos.

O que mostra que existe também algo de âmbito mais regional.

 

3. Acho que também que mudou a dinâmica das massas polares que chegam ao leste paulista.

De 2001 pra cá, escassearam por aqui aquelas massas polares continentais de forte intensidade, em que o tempo limpa rápido com a penetração de ar muito frio e seco.

A exceção foi, mais ou menos,  junho de 2016.

Para dar uma idéia, MPs com essas características, que causaram temperaturas baixas no Mirante ocorreram em:

julho/2000

junho/1994

julho/1994

ago/1993

julho/1990

junho/1988

junho/1985

ago/1984

Etc, etc.

 

 

Boa noite, Aldo,

 

Você levantou um ponto interessante que é a circulação atmosférica aí em SP com bloqueios atmosféricos intensos e ausência de massas polares - tenho notado isso principalmente nesta década. São Paulo, quem diria, está tendo dias mais quentes que BH, com certa frequência. Não me lembro disso nos anos 80 e 90, por exemplo. Lembro-em dos anos 90 em São Paulo, muito mais fria que o interior do estado, principalmente do final de julho a setembro... Cadê isso agora?

 

Eu realmente acredito neste terceiro elemento, a circulação atmosférica regional, além da ilha de calor, do aumento da temperatura da terra, como explicação de tanto aquecimento.

 

A dúvida é o que pode acontecer no futuro... aguardemos os próximos anos.

 

 

 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa noite! Hoje tivemos o sexto dia seguido de céu nublado em Buenos Aires e, diferentemente dos últimos dias, choveu bastante. Entre o comeco da manha e o meio da tarde tivemos inclusive pancadas fortes. Ao todo, quase 37 mm. Também ventou bastante, com rajadas de até 48 km/h em Ezeiza e 54 km/h em Ezeiza. Fez frio, com mínima de 11°C e máxima de 14,3°C.

Agora temos garoa, 13,3°C, URA de 79%, vento sudeste a 12 km/h e pressao de 1.017,5 hpa.

A previsao para amanha indica céu nublado e chuvas o dia todo, inclusive com possibilidade de alguns temporais isolados durante a madrugada. Segue ventoso, com previsao de vento sustentado de 23 a 41 km/h e rajadas de quase 60 km/h, segundo o SMN. Mínima de 14°C e máxima de 16°C.

  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meio mes já se foi e continuamos com desvios altíssimos em Buenos Aires. Estaríamos acima da média inclusive se fosse maio:

Média das mínimas: 12,1°C (+ 4°C)
Média das máximas: 19,3°C (+ 3,3°C)
Média simples: 15,7°C (+ 3,6°C)

 

Que desastre!!!

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parece que as águas do Atlântico aqui do lado voltaram ao normal 🙃

 

image.png.17e119e7dd825196bab3fe9742b700b7.png

  • Like 1
  • Haha 1
  • Sad 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, Aldo Santos disse:

 

Eu acho que aí tem alguns fatores:

 

1. A urbanização e a consequente ilha de calor, sem dúvida são fatores muito importantes na redução das mínimas baixas na área urbana da cidade de São Paulo.

Mas penso que não são os únicos.

Afinal, em 1990, Sampa já tinha 9,5 milhões de habitantes no município e 15 milhões na região metropolitana.

E foi uma década com baixos registros de temperatura no Mirante, com mínimas baixas 2/3 dias após a advecção.

Exemplos:

2,8°C (29 e 30/07/1990)

4,4°C (01/08/1993)

1,2°C 26/06/1994)

2,0°C (27/06/1994)

2,0°C (09/07/1994)

0,8°C (10/07/1994)

4,2°C (11/07/1994)

4,4°C (17/07/2000)

4,1°C (18/07/2000)

4,3°C (19/07/2000)

4,5°C (21/07/2000)

Etc.

 

2. Estações mais rurais no estado de SP, com registro mais longo, também tiveram uma boa diminuição na frequência de temperaturas abaixo de 4/5°C nos últimos 20 anos.

O que mostra que existe também algo de âmbito mais regional.

 

3. Acho que também que mudou a dinâmica das massas polares que chegam ao leste paulista.

De 2001 pra cá, escassearam por aqui aquelas massas polares continentais de forte intensidade, em que o tempo limpa rápido com a penetração de ar muito frio e seco.

A exceção foi, mais ou menos,  junho de 2016.

Para dar uma idéia, MPs com essas características, que causaram temperaturas baixas no Mirante ocorreram em:

julho/2000

junho/1994

julho/1994

ago/1993

julho/1990

junho/1988

junho/1985

ago/1984

Etc, etc.

 

 

Junho de 2011 foi assim também.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Brusque tem nevoeiro forte. Será prenúncio de algum recorde amanhã?

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Moretão disse:

Brusque tem nevoeiro forte. Será prenúncio de algum recorde amanhã?

 

Junho quente como este eu nunca vi, está extremamente bizarro até agora.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

O que 3º de latitude não faz diferença por essas bandas subtropicais. É como se aquele pedacinho do RS climaticamente não fizesse parte do Brasil, padrão totalmente centro sul uruguaio. Quantidade muito menor de bloqueios.

01.jpg

02.jpg

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites
19 minutos atrás, Fernando Keiser disse:

 

Junho quente como este eu nunca vi, está extremamente bizarro até agora.

Cara quantas vezes a gente já não leu frases como essas de 2012 pra cá? A única coisa que muda é o mês. 

 

Sobretudo com ElNino 1 e 2 aquecidos e atlântico assim fica difícil pensar numa mudança de padrão pra esse inverno.

 

Está aterrador, ao menos a primeira metade do inverno climático vai pro saco. Espero que do segundo semestre de julho as coisas mudem.

  • Like 1
  • Haha 2
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 horas atrás, renata16 disse:

Entendo seu ponto de vista. Mas vejo o seguinte, um exemplo, nesse ano mesmo em Chicago a temperatura chegou à -31°C, fato que aconteceu poucas vezes na cidade desde o século  XIX onde a cidade era muito menos urbanizada. Só aconteceu de novo este ano porque houve onda de frio igual às do passado e a urbanizaçao não teve impacto para chegar a esta temperatura de novo. Pois mesmo a urbanizaçao de Sampa é minúscula comparada a uma massa de ar. São Paulo já era muito urbanizada na década de 70 e até 90 ( quando chegou à 0°c e alguns décimos em 94) caso hoje chegasse uma onda de frio do mesmo nível faria 0°C outra vez, os 3,5°C de 2016 estão aí para provar. Sampa já não é igual Marsilac à séculos e houve muita temperatura perto de zero no século XX. Por tudo isso não creio que o aquecimento de hoje é causado por urbanizaçao.

 

Na normal 61-90 a mínima absoluta média anual no Mirantão era de 4,8. De 2006 pra cá tem sido de 7,5.

Então boa parte do aquecimento do centrão de Sampa se deve, sim, à urbanização.

Mas, de fato, não podemos desprezar a alteração da dinâmica atmosférica de 2001 pra cá.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Beto Krepsky disse:

O que 3º de latitude não faz diferença por essas bandas subtropicais. É como se aquele pedacinho do RS climaticamente não fizesse parte do Brasil, padrão totalmente centro sul uruguaio. Quantidade muito menor de bloqueios.

01.jpg

02.jpg

 

Mas, convenhamos, 12,5 a 19,0 de médias, em SVP, em junho, é anormal.

A diferença é que lá, mesmo com forte anomalia positiva, ainda assim faz frio.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.