Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Junho/2019

Recommended Posts

Posted (edited)
9 horas atrás, João Ignacio disse:

Alguém que seja assinante da Metsul (eu não sou). Semana passada eles publicaram um tweet enigmático, com um link que remetia ao serviço pago deles, sobre anos de invernos quentes que costumam ter uma ou duas bombas polares poderosas (eles até usaram no tweet uma fotografia de um lugar cheio de neve). Alguém viu? Eles estão sugerindo alguma bomba polar???? 

João Ignacio,

eles disseram que teve maios quentes e invernos fracos, mas com massas polares que trouxeram a neve em agosto 1965, agosto de 1984(neve Porto Alegre), julho de 1994 e início de setembro de 2002.

Aqui para minha região, poderia repetir junho e julho de 1994 com duas fortes massa polares no Sudeste.

Segundo modelos de previsão de longo prazo pode ter um frio forte no final junho/ínicio de julho. Julho será o mês mais frio com massas polares fortes e agosto com massas polares continentais.

Edited by marinhonani
  • Like 6
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
9 horas atrás, klinsmannrdesouza disse:

Os invernos das décadas de 1950/60/70 foram inesquecíveis em termos de frio para nós sul-americanos, as geadas pintavam de branco lugares hoje difíceis de imaginar, até Belo Horizonte registrava temperaturas mínimas de 6/7 graus na área urbana, quem dirá outras cidades pequenas e mais ao sul, como Juiz de Fora, Maria da Fé ou Campos do Jordão e até São Joaquim. 

Como eram escassos os dados meteorologicos e a tecnologia na época estava ainda engatinhando, é possível que as mínimas anuais nas serras sulinas ficavam em torno de -9/-10 e na serra da Mantiqueira entre -6/-80.

 

Belo Horizonte registra essas temperaturas atualmente, mesmo nessa década quente. E os registros que me refiro são dentro da área urbana, em altitude inferior à média da cidade. Foram 2 ou 3 eventos nos últimos 10 anos.

 

E olha que é dificil analisar o clima da cidade, pois a estação principal já mudou de lugar algumas vezes, dificultando comparações.

 

Hoje o dia começou nublado, com chuviscos e 15C em BH. Muito sol em seguida com máxima de 26 graus.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Felipe S Monteiro disse:

Tive uma professora que disse que em 75 fez um frio tão forte que não conseguiam nem sair de casa, e por isso não tinha como ir comprar suprimentos na cidade, e ficaram só com arroz e fubá para comer

 

Além disso nessa mesma onda de frio a cidade praticamente faliu, a economia da cidade era voltada completamente ao café, e o frio matou todos as plantações, granda parte da população abandonaram a cidade e foram para um grande centro ou para o MT e RO expandir a fronteira agrícola

Uma coisa interessante que achei sobre essa onda de frio de 75 é esses -5,2 em Palotina, uma cidade que fica à só uns 40km ao sul daqui, à uma altura de poucas dezenas de metros mais baixa

 

http://www.iapar.br/arquivos/Image/monitoramento/Medias_Historicas/Palotina.htm

  • Like 2
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
59 minutos atrás, marinhonani disse:

opusdei,

a geada na zona rural em Bicas, deve ter sido na onda de frio de julho de 2000, quando Barbacena marcou 1,6 e na estação convencional de Viçosa foi a 2,5ºC.

Na área rural aqui de Laje do Muriaé que faz divisa com Minas Gerais, teve geada nos gramados da faz. Bom Destino, fica numa altitude de 412 metros em baixada, cercada de morros com altitudes de 730 a 860 metros ao sul, oeste e noroeste.Esse foi o relato de um primo que tem criação de alevinos de tilápias e peixes ornamentais, os tanques ficam espalhados na parte baixa.Os gramados ficaram brancos no amanhecer.

 

Nani,

 

Esses dados da convencional de Barbacena, sempre achei os valores de mínimas dessa estação um pouco altas. Nesse evento, por exemplo, 01,6C para uma cidade a quase 1200m de altitude... é simplesmente pouco demais. 

 

Essa convencional de Barbacena ao menos já negativou alguma vez ?

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Balanço do Distúrbio Ondulatório de Leste em Fortaleza

 

O DOL que provocou muita chuva no leste do Nordeste também influenciou o litoral do Ceará. Em apenas três dias choveu o equivalente ou mais do que a média normal para junho, que é de 153,7 milímetros. Seguem abaixo os acumulados referentes ao período entre a manhã do dia 11 e a manhã do dia 14. Ao lado, o acumulado total dos 14 dias de junho em cada posto. 

 

Acumulado de chuva em Fortaleza em 72h - 11/06 a 14/06/2019. 

 

Pici: 193,3 mm (235,3 mm)

Castelão (INMET): 173,3 mm (189,3 mm)

Água Fria: 172,0 mm (188,2 mm)

Messejana: 150,2 mm (169,4 mm)

 

Os maiores acumulados diários: 

12/06: 96,8 milímetros - Posto Pici

13/06: 30,5 milímetros - Posto Castelão

14/06: 92,0 milímetros - Posto Messejana

 

Ainda temos chuva prevista para amanhã e domingo. Se os novos eventos forem fortes e conseguirem impulsionar o acumulado mensal para 300 milímetros, será a primeira vez desde 2004 que um mês de junho iguala ou supera essa marca. 

Edited by Pedro Victor Peixoto Paulino Pedro Victor
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, marinhonani disse:

João Ignacio,

eles disseram que teve maios quentes e invernos fracos, mas com massas polares que trouxeram a neve em agosto 1965, agosto de 1984(neve Porto Alegre), julho de 1994 e início de setembro de 2002.

Aqui para minha região, poderia repetir junho e julho de 1994 com duas fortes massa polares no Sudeste.

Segundo modelos de previsão de longo prazo pode ter um frio forte no final junho/ínicio de julho. Julho será o mês mais frio com massas polares fortes e agosto com massas polares continentais.

Muito obrigado, marinhonani. Oxalá isso se confirme. Poderia ser como 84 aqui.

 

Porto Alegre vai tendo um início de madrugada abafado. São quase duas da matina e o aeroporto Salgado Filho aponta 20 graus (parece mais) e 94% de ura. Desagradável. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Surgiu a Luz uma no fim do túnel, fim da grade, torcer para manutenção e com alguns ajustes quem a sabe a relíquia do inverno surja, é incerto sabemos mas vai que 

Screenshot_20190615-021211.png

Edited by Felipe Pelisari
  • Like 6
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom dia.

 

O novo distúrbio está ativo em frente à costa leste nordestina.

image.png.62ee97b62780217b85e96d233a2645c0.png

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dia começando ensolarado em Santos com 24,4℃ e 70% URA. Máximas acima da média devem durar pelo menos até o final da próxima semana por aqui. Hoje está parecendo um dia típico de março

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ontem o Morro da Igreja ficou a 0,4° do recorde de junho, batendo 18,5°. Florianópolis, como já dito, ficou na casa dos 30°. As máximas aqui na capital:

  • 30,3° Itacorubi
  • 29,7° Aeroporto Hercílio Luz
  • 29,7° Santo Antônio de Lisboa
  • 29,3° São José/Inmet
  • 29,1° Canto dos Araçás
  • 28,1° Carijós

Foi um típico dia de fevereiro, à exceção da noite fresquinha.

  • Like 8

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 horas atrás, sjmolive disse:

Pois é... mas estes dias São Paulo (Marsilac) registrou 6 C nos dias 7 e 8 de junho e 3,5 C dia 9 de junho. A isoterma sub 5 chegou lá...

 

O frio em regiões altas aqui do Sudeste depende muito da perda radiativa noturna, condições que são favorecidas no outono/inverno, mesmo sem a presença de ar polar muito forte. As áreas muito urbanizadas mascaram quase totalmente isso, não subestimemos... 

 

E agora, 21h30m temos o exemplo disso. A Sé registra incríveis 23C e Marsilac já bateu nos 14C. Lá está bem frio. É São Paulo...

Creio que a isotermia seja medida em topos, e não em baixadas como Marsilac. Baixadas são acumuladoras de ar frio. É um microclima muito específico. Mas sem dúvida foi um belo registro de temperatura feito em SP.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 horas atrás, Renan disse:

 

Nani,

 

Esses dados da convencional de Barbacena, sempre achei os valores de mínimas dessa estação um pouco altas. Nesse evento, por exemplo, 01,6C para uma cidade a quase 1200m de altitude... é simplesmente pouco demais. 

 

Essa convencional de Barbacena ao menos já negativou alguma vez ?

Não me lembro de ter visto negativa em Barbacena, só se foi no século passado rsrsrs

Meus acompanhamentos diários são desde 2008 e nesse período a menor na convencional foi 2,7° em junho de 2010

A convencional foi desativada, agora como referência de frio e lugar mais rural ficou o aeroporto (SBBQ) mas não pega dados da madrugada, começa às 6 da manhã. A automática não pega mínimas muito baixas pq tá num topo dentro da área urbana. 

Outra coisa que acho que impede um resfriamento muito grande em Barbacena (creio que o mesmo vale aqui pra Lafaiete e boa parte dessa região) é que venta demais, raramente o ar fica parado aqui nesses topos...

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, Felipe Pelisari disse:

Surgiu a Luz uma no fim do túnel, fim da grade, torcer para manutenção e com alguns ajustes quem a sabe a relíquia do inverno surja, é incerto sabemos mas vai que 

Screenshot_20190615-021211.png

 

Maravilhoso mundo do fim da grade: TORNE-SE REAL !

  • Like 9
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
54 minutos atrás, stankevecz1 disse:

Creio que a isotermia seja medida em topos, e não em baixadas como Marsilac. Baixadas são acumuladoras de ar frio. É um microclima muito específico. Mas sem dúvida foi um belo registro de temperatura feito em SP.

Hoje Marsilac registrou 9,7°C de mínima, mesmo em meio a um bloqueio quente e seco as noites longas dessa época do ano favorecem a forte queda de temperatura nessa região. Durante o dia, no entanto, a temperatura fica tão alta quanto no resto da cidade.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ontem, esta madrugada e a manhã até agora parecem típicas de um dia de Novembro. Tenho 25•C e abafamenfo na minha varanda em S. Paulo. Horror! 

  • Like 4
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa tarde! Ontem a previsao para Buenos Aires era de céu parcialmente nublado, mas nao se confirmou. O dia amanheceu nublado, mas até que meio claro, porém depois das 10h voltou a estar muito escuro e assim foi toda a sexta-feira. À noite comecamos a ter garoa e vento vindo do rio, dando início à sudestada, meu fenomeno meteorológico favorito aqui. A temperatura variou entre 12,5°C e 19°C.

Hoje a sudestada se intensificou e temos o SEXTO DIA SEGUIDO sem um raio de sol por aqui. Chama a atencao porque Buenos Aires no geral é ensolarada. Ocorrem dias assim no inverno, mas com pouca frequencia e nao tantos dias (geralmente 3 a 5). Agora a situacao está perfeita: meio-dia, chuva forte e 11,8°C! Está bem frio. Temos URA de 95%, vento leste a 12 km/h e pressao de 1.017,4 hpa. 

 

  • Like 8
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Daniel Vieira disse:

image.thumb.png.cbdea8a3d3d8b6731d3daa55288aa311.png

 

A umidade vinda do oceano jã está provocando chuva.

 

Pelo visto chegou mais cedo que o previsto.

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Enio Rezende disse:

Não me lembro de ter visto negativa em Barbacena, só se foi no século passado rsrsrs

Meus acompanhamentos diários são desde 2008 e nesse período a menor na convencional foi 2,7° em junho de 2010

A convencional foi desativada, agora como referência de frio e lugar mais rural ficou o aeroporto (SBBQ) mas não pega dados da madrugada, começa às 6 da manhã. A automática não pega mínimas muito baixas pq tá num topo dentro da área urbana. 

Outra coisa que acho que impede um resfriamento muito grande em Barbacena (creio que o mesmo vale aqui pra Lafaiete e boa parte dessa região) é que venta demais, raramente o ar fica parado aqui nesses topos...

 

Pois é, o que eu penso é que a antiga convencional de Barbacena ficava sim em baixada, porém não tão protegida assim do vento, pois não tem o menor sentido uma cidade fria e alta como Barbacena ter mínimas em MPs continentais com valores relativamente semelhante às baixadas do vale do Paraíba fluminense e zona da mata. 

 

Tudo bem que ela fica um pouco mais ao norte, mas o número de geadas que ela registra não deveria ser diferente do que registram várias cidades do sul de Minas na cota dos 900/1000 metros.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
21 minutos atrás, Renan disse:

 

Pois é, o que eu penso é que a antiga convencional de Barbacena ficava sim em baixada, porém não tão protegida assim do vento, pois não tem o menor sentido uma cidade fria e alta como Barbacena ter mínimas em MPs continentais com valores relativamente semelhante às baixadas do vale do Paraíba fluminense e zona da mata. 

 

Tudo bem que ela fica um pouco mais ao norte, mas o número de geadas que ela registra não deveria ser diferente do que registram várias cidades do sul de Minas na cota dos 900/1000 metros.

Vou dar um depoimento sobre essa região: no finalzinho de Junho de 2015, entre os dias 25 e 28, estive em uma fazenda entre Ibertioga e Santana do Garambéu. Cheguei a registrar 4•C no termômetro digital que portava. Lugar a 1100m, baixada leve. Em Barbacena, não desceu de 8•C. Em compensação, enquanto nesse local tinha 16•C à tarde, Barbacena não passava dos 14•C! 

Uma boa baixada nessa região, protegida de vento, com toda certeza, negativa em eventos fortes. O fator vento em Barbacena é, de fato, um grande impedimento. A região (um quadrado), que engloba cidades como Carrancas, Cruzília, Minduri à esquerda/ oeste, Aiuruoca, Bom Jardim de Minas ao sul, Santana do Garambéu/ Ibertioga ao centro, Conceição da Ibitipoca à direita/leste e, até Barroso ao norte possuem um potencial de frio grande. 

Todas, acima dos 1000m. Algumas na cota dos 1200m. Sem falar que algumas cidades são literalmente num buraco. Até mesmo Bias Fortes (850m) está num buraco. Um primo tem fazenda entre Andrelândia e São Vicente de Minas, na cota dos 1050m. Ele diz que lá é muito frio e geadas são comuns. Tanto é, que nas 3 tentativas de implantar café por ali, as geadas atingiram na década de 90. A produção é toda de leite e trigo. 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Outro local que se fosse monitorado, não surpreenderia se tivesse mínimas tão baixas como Maria da Fé. Marmelópolis, MG. Entre 1200 e 1300m. A cidade fica num buraco! A região é belíssima. Outras com potencial enorme: Alagoa ( +/-1150m) e Delfim Moreira ( +/- 1200m). Virgínia (950m) e Wenceslau Braz(+ 1000m).  seguem por fora. E Cruzília? A cidade está na baixada também, acima de 1000m. Se Lambari ali perto registrava mínimas absurdamente baixas, numa baixada a quase 900m, imaginem Cruzília. As fotos abaixo são de Marmelópolis. 

Vou deixar vídeos de geadas em Andrelândia e Delfim Moreira. Sem bairrismo, mas o sul de Minas é lindo demais! No 2• vídeo sobre D. Moreira, um morador local cita de um dia com-6•C e água congelada até às 11 horas. Deve ter sido em 85 ou 88. 

 

 

Screenshot_20190615-130637_Chrome.jpg

Screenshot_20190615-130948_Chrome.jpg

Screenshot_20190615-131013_Chrome.jpg

Screenshot_20190615-131041_Chrome.jpg

Screenshot_20190615-131111_Chrome.jpg

Edited by Victor Naia
  • Like 8
  • Thanks 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
13 minutos atrás, Victor Naia disse:

Outro local que se fosse monitorado, não surpreenderia se tivesse mínimas tão baixas como Maria da Fé. Marmelópolis, MG. Entre 1200 e 1300m. A cidade fica num buraco! A região é belíssima. Outras com potencial enorme: Alagoa ( +/-1150m) e Delfim Moreira ( +/- 1200m). Virgínia (950m) e Wenceslau Braz(+ 1000m).  seguem por fora. E Cruzília? A cidade está na baixada também, acima de 1000m. Se Lambari ali perto registrava mínimas absurdamente baixas, numa baixada a quase 900m, imaginem Cruzília. As fotos abaixo são de Marmelópolis. 

Vou deixar o vídeo de uma geada em Andrelândia e Delfim Moreira. Sem bairrismo, mas o sul de Minas é lindo demais! 

 

 

Screenshot_20190615-130637_Chrome.jpg

Screenshot_20190615-130948_Chrome.jpg

Screenshot_20190615-131013_Chrome.jpg

Screenshot_20190615-131041_Chrome.jpg

Screenshot_20190615-131111_Chrome.jpg

Eu trocaria a geada que é muito bom de se ver pela neve que é mais ainda,mas tá longe de ser uma realidade aqui.

Edited by Bahia
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

1 hora atrás, Renan disse:

 

Pois é, o que eu penso é que a antiga convencional de Barbacena ficava sim em baixada, porém não tão protegida assim do vento, pois não tem o menor sentido uma cidade fria e alta como Barbacena ter mínimas em MPs continentais com valores relativamente semelhante às baixadas do vale do Paraíba fluminense e zona da mata. 

 

Tudo bem que ela fica um pouco mais ao norte, mas o número de geadas que ela registra não deveria ser diferente do que registram várias cidades do sul de Minas na cota dos 900/1000 metros.

Nesse dia que fez 2.7° em Barbacena, fez 0.3° no termômetro do sítio que minha família morava em Carandaí, numa altitude de 1070m ao lado de um rio e rodeado de montanhas, ou seja, bem protegido do vento

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.