Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Junho/2019

Recommended Posts

20 horas atrás, CloudCb disse:

Os acumulados em 24h (a partir das 19h20 de ontem - hora que começou a chover na maioria das cidades).

 

image.png.c20900ec4a9cc016f1130de358a158a0.png

___________________________

 

 

Nossa!! Muita água.

Comparável a grandes eventos de chuva que de vez em quando ocorrem nos litorais do PR, SP e sul do RJ.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, Aldo Santos disse:

 

Nossa!! Muita água.

Comparável a grandes eventos de chuva que de vez em quando ocorrem nos litorais do PR, SP e sul do RJ.

 

Em João Pessoa foi até as 5hrs da manhã de hoje.  Foi praticamente a chuva do mês em 30 horas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, João Tur POA disse:

Amigo Renan: concordo PLENAMENTE contigo. Abraços! 

Resta saber como está na Austrália e África do Sul, porque aqui na AS o estrago já está feito, essa década é irreversível.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa noite pessoal, meu primeiro post aqui. Sou de Santos - SP, amante do frio e assim como em vários outros locais do país, temperaturas acima da média por aqui também.

 

Marcando 24℃ neste momento depois de um dia ensolarado e sem nuvens.

  • Like 14

Share this post


Link to post
Share on other sites
20 minutos atrás, Beto Krepsky disse:

Resta saber como está na Austrália e África do Sul, porque aqui na AS o estrago já está feito, essa década é irreversível.

 

Provavelmente terá sido uma das décadas mais quentes da história climática do Brasil...ou será que ainda neste século outras superarão ???

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tarde quente e seca hoje em SP. Variação de 16.0ºC/27.3ºC no Mirante e 17.1ºC/27.4ºC no Sesc Inmet. U.R mínima próxima dos 30% em ambas. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, GabrielG. disse:

Realmente.

Os antigos relatavam (como meu avô que atualmente tem 75 anos) que os invernos de antigamente eram bem mais frios que os de agora.

Ele era morador de uma cidade rural aqui no PR e relatava ocorrência de neve eram comuns até 1979. Como dizia ele "o tempo escureceu e está muito frio, pode se preparar que lá vem neve."

Ele também falava das fortes geadas que ocorriam cuja as quais não derretiam durante o dia quando estava sobre a sombra.(Nem consigo imaginar isso.)

Que as geadas não eram fracas como de agora, e sim geadas fortes que chegavam a queimar as folhas das árvores e elas ficarem "peladas".

Ele relata que em 1975 após uma geada muito forte que matou as taquaras que existiam aqui (Um tipo de bambu). Ocorreu um incêndio na mata generalizado que queimou elas e matas nativas aqui, e segundo ele foi tanta fumaça que por alguns dias chegava às 16hrs da tarde e já estava escuro no inverno.

De acordo com ele o último inverno bom que ele presenciou foi em meados de 1994-95, após isso ele falou que os invernos não são como de antes.

É uma pena não termos dados desta época, principalmente nas áreas rurais.

Que esquentou da década de 70 para esta, sem dúvida. Mas houve sim boas ondas de frio após aquela de 1994 para a região de Ponta Grossa. Cito algumas datas para pesquisar: 15/08/1999, 17/07/2000, 02/09/2002, 02/09/2006,  28/06/2011, 23/07/2013, 13/06/2016, 18/07/2017. Todas elas bastante fortes. O inverno de 94 foi de temperaturas acima da média, mas com boas ondas de frio. O inverno de 1995 foi uma porcaria para a nossa região. No BDMEP pode ver dados da época das estações do INMET (Castro, Ivai, Irati, Curitiba) e ver por si só. Agora  se for olhar apenas neve, houve vários episódios na nossa região entre 1975-1988 (17/07/1975, 18/08/1978, 31/05/1979, 20/07/1981, 25/08/1984, 08/08/1987, 04/06/1988). E depois um grande lapso temporal. O que não significa que não tenha vindo frio forte depois, pois para neve tem outros fatores em jogo além do frio.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

De fato hoje foi o primeiro dia que as pessoas sentiram na pele mais o calor, ficou desconfortável, só dentro de estabelecimentos com ar condicionado para ter conforto térmico

 

 

Sem título.png

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Enquanto isso, a ilha de calor correndo solta na Grande São Paulo, contraste de temperatura de até 9 graus. Agora, às `19h15m, temperaturas entre 15 e 24 graus!

Sem dúvida, muito do aquecimento que observamos advém desta nossa urbanização. São Paulo é prova disso.

 

1258980622_CapturadeTela2019-06-14as19_15_32.png.1711cbfd7bd618012ad2065190881486.png

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

As chuvas dos órgãos oficiais.

 

Na PB:

image.png.ae4ac0e8b4ac42e01df384d45549a38a.png

 

No PE:

image.png.4c109e7a958830d81d17cf1778596c9a.png

 

Alguns recordes do PE:

 

image.png.40100ca6aa1fc41e4acb025c742e421a.pngimage.png.75923025fa04917535ff42f7454a8c18.pngimage.png.e1c339198e627c21b93bd0a7b1574d7a.png

 

 

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 minutos atrás, sjmolive disse:

Enquanto isso, a ilha de calor correndo solta na Grande São Paulo, contraste de temperatura de até 9 graus. Agora, às `19h15m, temperaturas entre 15 e 24 graus!

Sem dúvida, muito do aquecimento que observamos advém desta nossa urbanização. São Paulo é prova disso.

 

1258980622_CapturadeTela2019-06-14as19_15_32.png.1711cbfd7bd618012ad2065190881486.png

As isotermas de 5°C e 0°C que eram mais comuns de adentrar no país, dificilmente acontecem, então, a questão é que não são mais comuns essas massas de ar frio, esses últimos anos então, até isoterma de 10°C já está dificil de chegar aqui... Urbanização pode ser uma pequena porcentagem, o clima mudou mesmo, outra realidade.

  • Like 4
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
1 hora atrás, stankevecz1 disse:

Que esquentou da década de 70 para esta, sem dúvida. Mas houve sim boas ondas de frio após aquela de 1994 para a região de Ponta Grossa. Cito algumas datas para pesquisar: 15/08/1999, 17/07/2000, 02/09/2002, 02/09/2006,  28/06/2011, 23/07/2013, 13/06/2016, 18/07/2017. Todas elas bastante fortes. O inverno de 94 foi de temperaturas acima da média, mas com boas ondas de frio. O inverno de 1995 foi uma porcaria para a nossa região. No BDMEP pode ver dados da época das estações do INMET (Castro, Ivai, Irati, Curitiba) e ver por si só. Agora  se for olhar apenas neve, houve vários episódios na nossa região entre 1975-1988 (17/07/1975, 18/08/1978, 31/05/1979, 20/07/1981, 25/08/1984, 08/08/1987, 04/06/1988). E depois um grande lapso temporal. O que não significa que não tenha vindo frio forte depois, pois para neve tem outros fatores em jogo além do frio.

Exato.

O que ele sempre vem insistindo é nos invernos ralos sem o frio que fazia antes na escassez de geadas comparado a década de 60/70/80.

Ele relatou que no passado era normal existir períodos secos e quentes no inverno, mas não como é agora.

Também leva-se em conta a sensação térmica que nós somos capaz de sentir e que pode passar um falsa impressão, nisso que os dados são importantes para saber o que ocorreu naquele dia em uma determinada localidade.

 É interessante que há mais relatos como congelamento do solo por vários dias e a neve cuja as quais se batem por aí em localidades distintas.

A princípio ele mora na zona rural de guamiranga, a altitude da residência dele é de +/- 1000m

Para haver formação se neve é como você falou, precisa de condições muito especiais.

Aqui em Ponta Grossa em 2013, não houve acumulado no chão.

Como ele relata que em 1979 deu um belo acumulado no gramado dele e que após isto foi cada vez mais raro e a neve mais branda.

Isto não tem um valor científico porém eu acho interessante compartilhar um pouco da experiência vivenciado por ele sobre o clima.

Edited by GabrielG.
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 horas atrás, klinsmannrdesouza disse:

Os invernos das décadas de 1950/60/70 foram inesquecíveis em termos de frio para nós sul-americanos, as geadas pintavam de branco lugares hoje difíceis de imaginar, até Belo Horizonte registrava temperaturas mínimas de 6/7 graus na área urbana, quem dirá outras cidades pequenas e mais ao sul, como Juiz de Fora, Maria da Fé ou Campos do Jordão e até São Joaquim. 

Como eram escassos os dados meteorologicos e a tecnologia na época estava ainda engatinhando, é possível que as mínimas anuais nas serras sulinas ficavam em torno de -9/-10 e na serra da Mantiqueira entre -6/-80.

-80? Rapaz, a serra da Mantiqueira era mais fria do que a Sibéria

  • Thanks 1
  • Haha 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 horas atrás, GabrielG. disse:

Realmente.

Os antigos relatavam (como meu avô que atualmente tem 75 anos) que os invernos de antigamente eram bem mais frios que os de agora.

Ele era morador de uma cidade rural aqui no PR e relatava ocorrência de neve eram comuns até 1979. Como dizia ele "o tempo escureceu e está muito frio, pode se preparar que lá vem neve."

Ele também falava das fortes geadas que ocorriam cuja as quais não derretiam durante o dia quando estava sobre a sombra.(Nem consigo imaginar isso.)

Que as geadas não eram fracas como de agora, e sim geadas fortes que chegavam a queimar as folhas das árvores e elas ficarem "peladas".

Ele relata que em 1975 após uma geada muito forte que matou as taquaras que existiam aqui (Um tipo de bambu). Ocorreu um incêndio na mata generalizado que queimou elas e matas nativas aqui, e segundo ele foi tanta fumaça que por alguns dias chegava às 16hrs da tarde e já estava escuro no inverno.

De acordo com ele o último inverno bom que ele presenciou foi em meados de 1994-95, após isso ele falou que os invernos não são como de antes.

É uma pena não termos dados desta época, principalmente nas áreas rurais.

Tive uma professora que disse que em 75 fez um frio tão forte que não conseguiam nem sair de casa, e por isso não tinha como ir comprar suprimentos na cidade, e ficaram só com arroz e fubá para comer

 

Além disso nessa mesma onda de frio a cidade praticamente faliu, a economia da cidade era voltada completamente ao café, e o frio matou todos as plantações, granda parte da população abandonaram a cidade e foram para um grande centro ou para o MT e RO expandir a fronteira agrícola

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites

Máxima em Santa Catarina foi em Siderópolis com 33,27°C. Resumidamente, só não fez calor em cidades acima de 1.000 m, que ainda conseguem frio de manhã.

 

Máxima de 30,6°C aqui. Depois de um Maio quente, agora é Junho que terminará com uma anomalia positiva alta. Indaial deve adentrar Julho sem sub-10.

 

Podem continuar com a sessão nostalgia, porque nada irá mudar.

  • Like 9
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
34 minutos atrás, renata16 disse:

As isotermas de 5°C e 0°C que eram mais comuns de adentrar no país, dificilmente acontecem, então, a questão é que não são mais comuns essas massas de ar frio, esses últimos anos então, até isoterma de 10°C já está dificil de chegar aqui... Urbanização pode ser uma pequena porcentagem, o clima mudou mesmo, outra realidade.

Concordo plenamente com você , as invasões polares eram bem mais frequentes , hoje em dia é uma por mês e olhe lá , está esquentando cada vez mais !

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ultimamente tenho acompanhado os modelos só para ver se há uma luz do túnel no fim da grade, que bloqueio miserável misericórdia

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Felipe S Monteiro disse:

-80? Rapaz, a serra da Mantiqueira era mais fria do que a Sibéria

kkk, foi erro meu de digitação, o que eu quis dizer é que a Serra da Mantiqueira possivelmente registrava neve com relativa frequência até a década de 70, porém não eram vistas já que tem localidades de difícil acesso.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

O negócio é o seguinte, a cada ano que passa esperamos justamente chegar nessa época, com expectativa de frio intenso, geadas mais amplas, temperaturas negativas, possível ocorrência de neve planejamento para subir a serra e por aí vai, porém quando se depara com calor bem mais prevalente que o frio é frustrante para os amantes do frio da geada da neve, resta acompanhar os modelos e torcer para esse quadro mudar, nem que seja para uma única ultra mega hiper massa polar com direito a neve forte e ampla a lá 1965 acontecer

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
1 hora atrás, renata16 disse:

As isotermas de 5°C e 0°C que eram mais comuns de adentrar no país, dificilmente acontecem, então, a questão é que não são mais comuns essas massas de ar frio, esses últimos anos então, até isoterma de 10°C já está dificil de chegar aqui... Urbanização pode ser uma pequena porcentagem, o clima mudou mesmo, outra realidade.

Pois é... mas estes dias São Paulo (Marsilac) registrou 6 C nos dias 7 e 8 de junho e 3,5 C dia 9 de junho. A isoterma sub 5 chegou lá...

 

O frio em regiões altas aqui do Sudeste depende muito da perda radiativa noturna, condições que são favorecidas no outono/inverno, mesmo sem a presença de ar polar muito forte. As áreas muito urbanizadas mascaram quase totalmente isso, não subestimemos... 

 

E agora, 21h30m temos o exemplo disso. A Sé registra incríveis 23C e Marsilac já bateu nos 14C. Lá está bem frio. É São Paulo...

Edited by sjmolive
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 minutos atrás, sjmolive disse:

Pois é... mas estes dias São Paulo (Marsilac) registrou 6 C nos dias 7 e 8 de junho e 3,5 C dia 9 de junho. A isoterma sub 5 chegou lá...

 

O frio em regiões altas aqui do Sudeste depende muito da perda radiativa noturna, condições que são favorecidas no outono/inverno, mesmo sem a presença de ar polar muito forte. As áreas muito urbanizadas mascaram quase totalmente isso, não subestimemos... 

 

E agora, 21h30m temos o exemplo disso. A Sé registra incríveis 23C e Marsilac já bateu nos 14C. Lá está bem frio. É São Paulo...

Em 2016 fez 3,5° no mirante, foi erro do termômetro então? Já que a urbanizaçao é a principal causa de aquecimento, questão de frio por perda de irradiação é outra história.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
19 horas atrás, opusdei disse:

 

Existe registros não oficiais de -1,1C em Juiz de Fora. Meus pais estudaram na UFJF no começo dos anos 70, quando a região era pouco urbanizada e havia mais áreas verdes. Não era incomum presenciar geada fraca no Campus. Hoje em dia, com concreto por todo lugar e trânsito pesado, criou-se um ilha de calor e só mesmo uma frente fria fortíssima para isso voltar acontecer. Mas acredito que nesses morros e baixadas da zona rural de JF ainda deve ocorrer geadas ocasionais.

 

Meu sogro possui uma propriedade rural a mais de 40 anos na zona rural de Bicas. Já perguntei se houve geada por lá, e ele respondeu que aconteceu algumas poucas vezes, mas não durava muito, derretendo tudo assim que o sol aparecia pra valer. E o lugar deve ser 1 ou 2 graus mais quente que Juiz de Fora. Também perguntei qual foi a última vez que isso aconteceu, ele não soube responder ao certo, mas falou que foi em 2000 e pouco.

opusdei,

a geada na zona rural em Bicas, deve ter sido na onda de frio de julho de 2000, quando Barbacena marcou 1,6 e na estação convencional de Viçosa foi a 2,5ºC.

Na área rural aqui de Laje do Muriaé que faz divisa com Minas Gerais, teve geada nos gramados da faz. Bom Destino, fica numa altitude de 412 metros em baixada, cercada de morros com altitudes de 730 a 860 metros ao sul, oeste e noroeste.Esse foi o relato de um primo que tem criação de alevinos de tilápias e peixes ornamentais, os tanques ficam espalhados na parte baixa.Os gramados ficaram brancos no amanhecer.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
49 minutos atrás, renata16 disse:

Em 2016 fez 3,5° no mirante, foi erro do termômetro então? Já que a urbanizaçao é a principal causa de aquecimento, questão de frio por perda de irradiação é outra história.

Boa noite, Renata, claro que não. 

 

Provavelmente esta temperatura ocorreu em meados de junho em um episódio de forte advecção de ar polar. Quando isso acontece o efeito ilha de calor reduz bastante. Agora, que este ano está bem mais quente que o normal, sem dúvida. 

 

Mas há outro fenômeno muito frequente que causa do resfriamento nas terras altas aqui no Sudeste nos meses mais frios, que é a perda radiativa. Esta perda é dramaticamente reduzida em grandes centros urbanos como São Paulo, impacta tremendamente as temperaturas mínimas e, por tabela, as médias.

 

Veja que hoje o próprio tempo está se encarregando de ilustrar minha tese: Neste momento, 22h30m, temos 22 graus na Sé e 14 graus em Marsilac. Esta última estação marcou 10,5 C hoje cedo contra 18,3 C na Sé. São quase 8 graus de diferença... O Mirante ainda não teve sub 10 este ano. O extremo sul da capital já teve diversas,  até sub 5...

 

Mais outra informação - dados publicados em outro forum aqui do site mostram que Parelheiros é cerca de 2 C mais fria que o Mirante. 

 

Estes valores são bem maiores que qualquer alegado aquecimento planetário que possa estar acontecendo (anomalia de +0,3 C agora em mai 19). Por isso frisei a importância da ilha de calor no aquecimento de São Paulo. Ainda acredito, pelos números que citei, que é o que predomina, mas posso rever esta posição com outros dados/ no futuro, quem sabe...

 

Apenas tentei contribuir com uma análise mais completa da complexa questão da temperatura em uma megalópole de 20 milhões de pessoas.

 

Um abraço e boa noite a todos...

 

 

Edited by sjmolive
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.