Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Marcos

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Março/2018

Recommended Posts

7 minutos atrás, Renan disse:

 

gente que vergonha. Deus abençoe as PWS.

pq raios esses dados (cruciais) só estão em 1 lugar?

 

aki tivemos um mega temporal a noite, cerca de 40mm em casa. O mais impressionante foram os raios.

Edited by HenriqueBH

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, LeoP disse:

Discordo um pouco disso, algumas coisas são causadas por simples força da natureza mesmo, contra a qual temos pouca autonomia. Recentemente (jan 2018),  Paris conviveu com inundações. Isso porque é uma cidade-modelo e tem uma média de 51mm em janeiro. Agora, imagine nosso clima tropical, com tempestades de verão e médias que chegam a 300mm em alguns meses? Com certeza não é só problema de infraestrutura, é questão de extremos difíceis de enfrentar.

Essa semana BH também conviveu com enchentes urbanas, numa manhã em que choveu 80mm em menos de 1h. O relevo montanhoso da cidade cria áreas que, naturalmente, recebem toda a água do entorno. É praticamente impossível não inundar. 

Tempo severo é coisa séria. Isso fica mais forte no Brasil em que essa situação ocorre sem avisar, nas aleatórias chuvas de verão que, localmente, podem ser intensas demais.

 

O Japão em 2011  sofreu um terremoto de 9,1 graus na escala Ricther, acompanhado de um tsunami com ondas gigantes ocasionando a explosão de um reator nuclear, prejuízo dessa hecatombe ? 10 mil vidas. O numero em si aparente ser um muito mas pelo ocorrido foi quase irrisório. Esse terremoto foi tão forte que ele mexeu até no eixo de rotação da planeta Terra.

Já no nosso querido Brasil no mesmo ano inclusive, chuvas torrenciais no estado do Rio de Janeiro provocou mais de mil mortes.

 

Entendeu a desproporcionalidade ?

Edited by Lucas Venturini
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 horas atrás, Beto Krepsky disse:

Olha não sei em quanto tempo foi esses 71mm, mas pelo tamanho do estrago achei que tivesse passado fácil dos 100mm no mínimo.

 

Esses 71mm é na estação convencional do INMET. Estações da Rede Cemaden registrou mais de 100mm. Quanto ao período da chuva foi do final da tarde e o caos estava instalado em torno das 10 da noite.

Share this post


Link to post
Share on other sites
22 minutos atrás, HenriqueBH disse:

 

gente que vergonha. Deus abençoe as PWS.

pq raios esses dados (cruciais) só estão em 1 lugar?

 

aki tivemos um mega temporal a noite, cerca de 40mm em casa. O mais impressionante foram os raios.

Putz, mas "meio" vulnerável isso hein?! Ou foi um senhor de um raio....

Share this post


Link to post
Share on other sites
9 horas atrás, LeoP disse:

Discordo um pouco disso, algumas coisas são causadas por simples força da natureza mesmo, contra a qual temos pouca autonomia. Recentemente (jan 2018),  Paris conviveu com inundações. Isso porque é uma cidade-modelo e tem uma média de 51mm em janeiro. Agora, imagine nosso clima tropical, com tempestades de verão e médias que chegam a 300mm em alguns meses? Com certeza não é só problema de infraestrutura, é questão de extremos difíceis de enfrentar.

Essa semana BH também conviveu com enchentes urbanas, numa manhã em que choveu 80mm em menos de 1h. O relevo montanhoso da cidade cria áreas que, naturalmente, recebem toda a água do entorno. É praticamente impossível não inundar. 

Tempo severo é coisa séria. Isso fica mais forte no Brasil em que essa situação ocorre sem avisar, nas aleatórias chuvas de verão que, localmente, podem ser intensas demais.

 

Olha, isso é verdade e vocês não vão acreditar (e nem sabem mas eu sei): tem sim cidade no Brasil que possui média pluviométrica anual de apenas 300mm: Cabaceiras, na Paraíba. Lá um temporal é extremamente raríssimo, e Cabaceiras chove em um ano o que o Brasil registra em 90% das cidades em um mês.

Soledade (também na Paraíba, não é o do RS) também só chove 300mm em um ano.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nos últimos 7 dias, houve uma forte redução de temperatura na região 1+2 do Pacífico, região que segundo alguns estudos tem forte impacto no clima do Sul do Brasil.

 

image.thumb.png.1690daaf765f0da35a25eed1a3f696cc.png

 

 

Com isso, provavelmente seguiremos em condições de La-Nina durante o outono que se aproxima:

 

image.thumb.png.7778dd1af6f469ff68fa0d0794fa4134.png 

  • Like 5
  • Haha 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 minutos atrás, Conrado SP disse:

Nos últimos 7 dias, houve uma forte redução de temperatura na região 1+2 do Pacífico, região que segundo alguns estudos tem forte impacto no clima do Sul do Brasil.

 

image.thumb.png.1690daaf765f0da35a25eed1a3f696cc.png

 

 

Com isso, provavelmente seguiremos em condições de La-Nina durante o outono que se aproxima:

 

image.thumb.png.7778dd1af6f469ff68fa0d0794fa4134.png 

SHOW DE BOLA

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Lucas Venturini disse:

O Japão em 2011  sofreu um terremoto de 9,1 graus na escala Ricther, acompanhado de um tsunami com ondas gigantes ocasionando a explosão de um reator nuclear, prejuízo dessa hecatombe ? 10 mil vidas. O numero em si aparente ser um muito mas pelo ocorrido foi quase irrisório. Esse terremoto foi tão forte que ele mexeu até no eixo de rotação da planeta Terra.

Já no nosso querido Brasil no mesmo ano inclusive, chuvas torrenciais no estado do Rio de Janeiro provocou mais de mil mortes.

 

Entendeu a desproporcionalidade ?

Entendi, sim. Só quis pontuar que, em casos de tempo severo, o risco existe, mesmo se for no Japão. E, também, que nosso país, como um gigante tropical, é um dos mais vulneráveis a eventos de precipitação extrema.

Darley, já tinha lido sobre isso em algum lugar. Impressionante, há alguns pontos no nordeste com clima quase desértico.

Sobre a tempestade dessa noite, parece que não foi extrema em termos de volume de água, mas os raios assustaram.

Edited by LeoP

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Conrado SP disse:

Nos últimos 7 dias, houve uma forte redução de temperatura na região 1+2 do Pacífico, região que segundo alguns estudos tem forte impacto no clima do Sul do Brasil.

Com isso, provavelmente seguiremos em condições de La-Nina durante o outono que se aproxima:

Maravilha! O Atlântico, porém, continua quente, mas menos do que nos dias anteriores. 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
17 horas atrás, Lucas Venturini disse:

Como fechou o mês de Fevereiro na tua estação ?

Médias:

mínima: 19,9°

máxima: 30,3°

simples: 25,1°

Extremos de 15,9° a 37,3°.

Cabe lembrar que os dados entre os dias 9 e 15 são do INMET, justamente nos dias em que tivemos a mp com friozinho fora de época. Mas registrei os extremos, que são desse período.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Essa região do Nino e o nosso Atlântico são muito instáveis, muda bastante de uma semana pra outra, em 1 mês então nem se fala, por enquanto não arrisco nada, meio imprevisível.

Hoje vai ser um dia infernal a la fevereiro, não chegamos nem ao meio dia e as estação já estão em 31/32º.

Por enquanto esses primeiros dias fevereiro e março estão com papéis invertidos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A previsão para o Nordeste piorou muito nas últimas rodadas:

us_model-en-135-1_modez_2018030212_240_15911_157-horz.jpg.1c57279d51f96fd97725a6c875bbc62d.jpg

De acordo a previsão da 12z de sexta do Europeu (primeiro mapa), a chuva da ZCAS ficaria concentrada na Bahia. No entanto, o canal de umidade "desceu" para o norte de Minas nas últimas rodadas (segundo mapa). Com o GFS está acontecendo algo semelhante.

Espero que essa situação mude. Apesar das chuvas de fevereiro, este "inverno" está com volumes de precipitação 30% abaixo da média em Queimada Nova. 

  • Confused 1
  • Sad 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Março tenebroso por aqui, em todos os 5 dias do mês passamos dos 30ºC, hoje já atingi 31,2ºC, previsões não são boas, gfs 12z prevê 47mm nos próximos 10 dias, essa chuva é isolada e provavelmente não atingirá minha cidade, chuva mensal esta em 4mm. Nos últimos anos março sempre trazia bons volumes e clima ameno, ás vezes era o mês mais chuvoso do ano no sul/sudoeste de MG, parece que o de 2018 vai quebrar esse padrão. Em 500hPa é possível visualizar uma alta com centro em Goiás.

  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Chove de forte a moderado aqui no extremo sul da capital paulista ...bairro de Pedreira...

Esse mês de Março tá com cara q será o mês mais quente do ano .

O site Fotecast matou o refresco q teríamos aqui em SP 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eduardo KNeto, Juzinho, compartilho a mesma surpresa com vocês. Como o clima é surpreendente, tanto para o bem, quanto para o mal.

E após um Fevereiro SUPER BOM, temos um início de Março TERRÍVEL, muito quente, úmido, pegajoso, amazônico.

Adivinhem o quê ? OUTRA MÍNIMA SOB-20 NA MINHA ESTAÇÃO, A QUINTA SEGUIDA ! RECORDE ABSOLUTO DESDE QUE COMECEI AS MEDIÇÕES !

Desta vez, foi de 21,3ºC. Por sinal, a mínima mais alta do ano até agora....o auge do verão resolveu chegar no final da estação. Vai entender...

  • Like 1
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Choveu forte agora há pouco aqui em Rib. Pires. Pela estação de Mauá, acumulação horária de 26 mm entre as 15h e as 16h. A temperatura mínima do dia foi de 17°C logo cedo, depois subiu até os 27°C no início da tarde, antes da chuva. Agora faz 21°C. Boa tarde!

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Juzinho disse:

Chove de forte a moderado aqui no extremo sul da capital paulista ...bairro de Pedreira...

Esse mês de Março tá com cara q será o mês mais quente do ano .

O site Fotecast matou o refresco q teríamos aqui em SP 

Acho que será um mês normal, sem excessos. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Outra tempestade de verão desabando em Belo Horizonte. Dessa vez, parece ser mais forte na zona norte, onde fica a avenida Cristiano Machado, céu está assustador por lá. Enquanto isso, áreas mais a sul e leste tem apenas céu nublado/chuva leve. Atenção para novas enchentes.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Março realmente não tem seguido a regra do que vinha sendo este verão de 2018.

Em Sampa, as pancadas estão sendo ocorrendo com mais facilidade e além disso, as manhãs estão sendo ensolaradas (até então isso estava bem difícil de acontecer). Enfim, situação bem típica de verão mesmo.

Hoje novamente tivemos um dia igualzinho aos anteriores, ou seja, sol pela manhã, aumento de nuvens à partir da hora do almoço e pancadas de chuva à tarde.

Aqui no Tatuapé novamente choveu há pouco tempo atrás (na verdade ainda chove, mas fraco), porém sem trovões. Houve apenas um pouco de vento.

Na Mooca, a máxima chegou aos 31.5 graus, após uma mínima de 20.9 graus.
Com a chuva, a temperatura despencou e agora estamos com 22.4 graus.
A chuva acumulou 6 mm. É provável que o volume suba um pouco mais nas próximas horas.

Edited by Daniel85

Share this post


Link to post
Share on other sites

Incrível a imagem de satélite do inmet (parece que voltou ao ar). Há chuvas por todo o Brasil, exceto no sul e alguns pontos do nordeste. Calor e muita umidade dominam o país.

Algo típico do nosso verão mas que, nos últimos anos, estava descaracterizado.

Sem título.png

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Radar de alta resolução STARTNET mostra nesse momento pouca chuva na Grande SP e adjacências.
Temos apenas uma pancada isolada de forte intensidade sobre Piracaia e chuva fraca entre Mogi das Cruzes e Guararema.

mDdfkF8.jpg

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
9 horas atrás, Lucas Venturini disse:

O Japão em 2011  sofreu um terremoto de 9,1 graus na escala Ricther, acompanhado de um tsunami com ondas gigantes ocasionando a explosão de um reator nuclear, prejuízo dessa hecatombe ? 10 mil vidas. O numero em si aparente ser um muito mas pelo ocorrido foi quase irrisório. Esse terremoto foi tão forte que ele mexeu até no eixo de rotação da planeta Terra.

Já no nosso querido Brasil no mesmo ano inclusive, chuvas torrenciais no estado do Rio de Janeiro provocou mais de mil mortes.

 

Entendeu a desproporcionalidade ?

O assunto diz respeito, mesmo que indiretamente, à meteorologia...

Segundo quem conhece do assunto e é visível até pra nós leigos, as cidades brasileiras têm um problema seríssimo de mau uso e má ocupação do solo.

E isso é histórico, vem de pelo menos um século.

 

Aqui em Sampa, por exemplo, um erro que vem sendo sistematicamente cometido há mais de um século: a ocupação das várzeas dos rios.

Segundo os geógrafos, a várzea é o "leito maior" do rio, isto é, é o leito do rio na época das cheias.

São áreas que deveriam ser preservadas na forma de parques, áreas verdes, etc.

Nas enchentes, os rios e córregos simplesmente vão ocupar o seu espaço, inundando tudo que estiver no caminho...

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
9 horas atrás, Conrado SP disse:

Nos últimos 7 dias, houve uma forte redução de temperatura na região 1+2 do Pacífico, região que segundo alguns estudos tem forte impacto no clima do Sul do Brasil.

 

image.thumb.png.1690daaf765f0da35a25eed1a3f696cc.png

 

 

Com isso, provavelmente seguiremos em condições de La-Nina durante o outono que se aproxima:

 

image.thumb.png.7778dd1af6f469ff68fa0d0794fa4134.png 

Amém!!, espero que a niña dure pelo menos até agosto, quero muito que meu primeiro inverno no sul do país seja de anomalia negativa :x

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.