Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Sign in to follow this  
Carlos Dias

Monitoramento e Previsão - Brasil/América do Sul - Agosto/2017

Recommended Posts

Com relação à dinâmica de inverno de 2017 no sul do país, alguns pontos precisam ficar claros:

 

- A dinâmica das condições do tempo (ou seja, tempo seco e grandes amplitudes) é a principal semelhança que estamos observando entre o Sul e o Sudeste neste inverno. Porém, ao passo que lá essa dinâmica é considerada "porca", aqui ela é absolutamente normal e o povo está acostumado. Em termos de semelhanças térmicas, está havendo pouca relação, pois eu percebo uma média de temperaturas mais baixas no Sudeste do que no Sul quando ambas as regiões estão com o mesmo sistema atmosférico atuando (ASAS), respeitando as diferenças altimétricas. Neste ano, a vantagem do Sudeste é ainda maior, ao ponto de cidades como Juiz de Fora e Belo Horizonte estarem apresentando médias de temperatura inferiores a cidades do Sul muito mais frias do que elas no JJA, como Porto Alegre por exemplo.

 

- Malgrado a reclamação (que faz muito sentido) dos moradores do Sul sobre a falta de frio em 2017, num contexto geral está sendo um grande inverno no Brasil. Vide os mapas do CFS. Acontece que neste ano a ASAS está numa posição climatológica que está favorecendo a entrada de ventos frios para uma porção muito maior do território brasileiro do que é o costume. Não me lembro de algo assim antes.

 

- Mais uma vez fica comprovado que o fator mais importante na geração de frio no país, é a altitude.

 

Livramento tá com média de 13,X nesse terrível julho pra lá, porém esse 13,X de lá seria saudado em 99% do país. Gramado fechou com 13C de média, e isso seria algo espetacular em qualquer cidade. Porto Alegre com 16,X (ainda não fiz as contas), e isso é bom pra muitos paulistanos. Tudo é relativo e tudo dependo do ponto de vista. Isso que eu nem ponderei pela qualidade do frio, pois pra mim 13C de média sob efeito de frio de irradiação noturno tem muito menos qualidade que o frio de 13C de adveccção. Por isso digo que estes 13C de média de Gramado são um lixo comparados com os 13C que ocorrem em POA.

 

Sobre "Mais uma vez fica comprovado que o fator mais importante na geração de frio no país, é a altitude", apenas lembre que a Campanha do RS (nas terras sem altitude tipo Pinheiro Machado) as médias de inverno são mais frias ou tão frias quanto todas terras altas Brasil, exceto Parna e regiões acima de 1500 metros na Mantiqueira. Bagé, Pelotas, Livramento, Camaquã, São Gabriel, Jaguarão, SVP, etc, tem tudo médias entre 10 e 12C em Junho/Julho, o que é mais frio 100% das terras entre 800 e 1000 metros acima do paralelo 25S.

 

Qual a diferença de adveccção e irradiação? É frio seco x frio origem polar?

Share this post


Link to post
Share on other sites
A expressão "pós-2000" começou no BAZ em 2006, numa sequência meia boca e ruins de invernos. Invernos meia boca como 2001/2002/2003, e péssimos 2005/2006 (2005 padrão parecido com esse).

 

Depois disso os próximos 4 invernos 2007 a 2010 pra mim foi matador pra acabar com os rumores do "padrão pós-2000".

 

O problema da década de 2000 é que sofríamos de inverno precoce, maio vinha frio com tudo dai chegava junho era só bloqueios, lembro bem disso.

 

As estações que mais sofreram aquecimento nessa década pra mim foram os invernos e verões, já a primavera chuto que ficaram ligeiramente mais frias.

 

Verdade, amigo! E não fui eu que inventei essa expressão! Lembro que muitos comentavam sobre o "péssimo padrão pós 2000"! Bem lembrado. OBRIGADO! :clapping:

 

A expressão pra mim pós-2000 só se aplica a NEVE. Nossa sorte que tivemos as grandes nevadas de 2010 e 2013.

 

Com relação as temperaturas concordo com o Bruno, a coisa mudou mesmo de 2012 pra cá, e em termos de verão 2010.

Share this post


Link to post
Share on other sites

[blur=blue][/blur]

Ar condicionado gelado ligado em lojas e escritórios em PORTO ALEGRE nos últimos dias, inclusive na operadora de turismo que estou trabalhando como "operador internacional". Absurdo para um final de julho/início de agosto em PORTO ALEGRE, mas é a realidade de 2017.

Eu achava que não veria tão cedo um inverno tão sem frio como foi 2015! Aconteceu somente 2 anos depois.

 

O ar ligado depende muito do local, onde trabalho não tem janelas , portanto mesmo q está 10 graus lá fora o ar sempre estará ligado frio em 26 c , pra circular ar.... Se não todo mundo morre sufocado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
A expressão "pós-2000" começou no BAZ em 2006, numa sequência meia boca e ruins de invernos. Invernos meia boca como 2001/2002/2003, e péssimos 2005/2006 (2005 padrão parecido com esse).

 

Depois disso os próximos 4 invernos 2007 a 2010 pra mim foi matador pra acabar com os rumores do "padrão pós-2000".

 

O problema da década de 2000 é que sofríamos de inverno precoce, maio vinha frio com tudo dai chegava junho era só bloqueios, lembro bem disso.

 

As estações que mais sofreram aquecimento nessa década pra mim foram os invernos e verões, já a primavera chuto que ficaram ligeiramente mais frias.

 

Verdade, amigo! E não fui eu que inventei essa expressão! Lembro que muitos comentavam sobre o "péssimo padrão pós 2000"! Bem lembrado. OBRIGADO! :clapping:

 

A expressão pra mim pós-2000 só se aplica a NEVE. Nossa sorte que tivemos as grandes nevadas de 2010 e 2013.

 

Com relação as temperaturas concordo com o Bruno, a coisa mudou mesmo de 2012 pra cá, e em termos de verão 2010.

 

E os invernos meia boca e PÉSSSIMOS que citaste acima antes de 2010? Tivemos sequência de invernos ruins antes de 2010 tb. CONCORDO PLENAMENTE contigo e com nosso amigo Bruno que no pós 2012 a coisa degringolou de vez, de um modo geral, obviamente. Segunda metade do inverno 2013 e ano passado foram anos bons. Abraços!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Tem gente que precisa aprender a ler.

Mais seco tem a ver com umidade relativa do ar...

Menos chuvoso tem a ver com precipitação...

Cada uma q leio aqui...

 

Qual a média normal de umidade e qual a média obtivesse no mês de Julho?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fim de tarde bastante nublado por aqui.

Por causa dos ventos de NO (já comentado) e da grande quantidade de nuvens, a sensação está sendo de que a frente fria sobre SP, sendo que a previsão é de que ela chegue só depois de amanhã.

 

A máxima ficou em apenas 21,6 graus na Mooca, após uma mínima de 12,2 graus.

Agora temos 20,5 graus.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo Bruno, e essa questão das médias nem precisamos comentar. É totalmente indiscutível o fato de que 90% da sensação de frio no Brasil fica no Sul, onde temos as menores médias do JJA e com as maiores advecções de ar polar de uma forma geral, o que dá uma sensação plena de inverno rigoroso quando da atuação das MP's. Apenas as cidades da Mantiqueira é que rivalizarão com a maior parte das cidades do RS, SC e PR neste quesito. E mesmo assim, conforme sabemos, são tipos de frio bem distintos na maior parte das situações.

 

Não tenho muitos argumento para defender o tipo de frio que faz no Sudeste na maior parte do inverno, pois eu próprio sou um fã de fortes advecções polares, com sensação térmica baixa o dia todo e não apenas de manhã e à noite -como é o normal aqui-.

 

Apenas saliento que é interessante como a grande maioria das cidades no Sul é totalmente dependente de invasões polares para se ter inverno bom, devido a essa falta de altitude que no Sudeste não acontece. Faz parte da dinâmica local do Sul uma sequências de muitas FF's e declínios acentuados da temperatura devido à movimentação dos anticiclones polares, e é isso que faz o inverno por aí. Já no Sudeste, a frequência de FF's e MP's é muito menor, mas ainda assim a sensação de frio acontece devido à forte perda de radiação terrestre, aliado ao efeito da altitude maior.

 

No final, temos que, em média, o inverno no Sul é o mais frio e com as menores médias, com a sensação térmica mais baixa, mas se o ciclo normal de MP's se alterar, aí a casa cai e temos praticamente uma inversão de papéis entre Sul e Sudeste. Interessante.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E os dias já estão ficando um pouco maiores, depois de muito tempo ainda tem claridade após as 18 horas. Eu particularmente estou adorando esse clima mais quente em pleno inverno, mas está fazendo falta uma chuva.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ou seja: em 45 anos subiu 0,3C o nosso JJA. Isso é flutuação absolutamente normal. PORÉM, nos últimos 5 invernos tivemos um salto superior a 1C nessa média!!!! Isso é um puta aquecimento.

 

Agora usando JJ (o núcleo duro e maciço do inverno) como parâmetro:

 

Média 2001/2013: 14,6C

 

Normal 1961/1990: 14,4C

 

Média Pós-2012: 15,0C

 

Os dados são ótimos, mas é bom alertar que essa comparação do pós-2012 é muito difícil de se fazer... Comparar uma normal de 30 anos, com apenas uma "micro" de 5 ANOS fica difícil.

 

Considerando a média destes 5 anos e que nos próximos 25 anos a média seja rigorosamente os 14,4°C da normal 1961-1990, a normal 2013/2042 fechará com média de APENAS 14,507°C.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Concordo Bruno, e essa questão das médias nem precisamos comentar. É totalmente indiscutível o fato de que 90% da sensação de frio no Brasil fica no Sul, onde temos as menores médias do JJA e com as maiores advecções de ar polar de uma forma geral, o que dá uma sensação plena de inverno rigoroso quando da atuação das MP's. Apenas as cidades da Mantiqueira é que rivalizarão com a maior parte das cidades do RS, SC e PR neste quesito. E mesmo assim, conforme sabemos, são tipos de frio bem distintos na maior parte das situações.

 

Não tenho muitos argumento para defender o tipo de frio que faz no Sudeste na maior parte do inverno, pois eu próprio sou um fã de fortes advecções polares, com sensação térmica baixa o dia todo e não apenas de manhã e à noite -como é o normal aqui-.

 

Apenas saliento que é interessante como a grande maioria das cidades no Sul é totalmente dependente de invasões polares para se ter inverno bom, devido a essa falta de altitude que no Sudeste não acontece. Faz parte da dinâmica local do Sul uma sequências de muitas FF's e declínios acentuados da temperatura devido à movimentação dos anticiclones polares, e é isso que faz o inverno por aí. Já no Sudeste, a frequência de FF's e MP's é muito menor, mas ainda assim a sensação de frio acontece devido à forte perda de radiação terrestre, aliado ao efeito da altitude maior.

 

No final, temos que, em média, o inverno no Sul é o mais frio e com as menores médias, com a sensação térmica mais baixa, mas se o ciclo normal de MP's se alterar, aí a casa cai e temos praticamente uma inversão de papéis entre Sul e Sudeste. Interessante.

 

Pra mim esse inverno aqui em porto alegre está igual ao de Brasília onde morei entre 2003 e 2005. O inverno de 2004 em Brasília era igual a esse de POA. Noites "frias" com minimas pontuais de 11/12C devido ao ar seco e maximas de 24/26C. Pro povo de Brasilia, saiam de touca e luva, especialmente no dia em que entrou a baleia polar daquele ano. Mas era uma xoxeza sem fim.

Share this post


Link to post
Share on other sites

e o banho de mar era frequente., no inverno..pelos indígenas que, quiçá, habitavam essas plagas do Rs, nos idos 800 a 1300 d.c

Os nativos da terra do fogo andavam nus a despeito do clima conforme o relato de Fernão Magalhães.

Certa vez, vi um documentário a respeito.

Os nativos da Patagônia eram muito pouco evoluídos tecnicamente, ao contrário dos araucanos do Chile, que teciam.

 

E andavam nus mesmo.

 

Mas, foi constatado um fato interessante: aqueles que se integravam ao modo de vida europeu, passavam a usar roupas, residir em cidades ou trabalhar em fazendas, em poucos anos adquiriam a mesma sensibilidade ao frio dos habitantes urbanos.

Perdiam totalmente a "resistência" às baixas temperaturas.

 

A Biologia deve explicar...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Medindo o efeito do pós-2000 no inverno porto-alegrense (JJA):

 

Média 2001/2013: 15,0C

 

Normal 1961/1990: 14,7

 

Média Pós-2012 (quando DE FATO ouve uma mudança aquecimentista): 15,9C

 

Ou seja: em 45 anos subiu 0,3C o nosso JJA. Isso é flutuação absolutamente normal. PORÉM, nos últimos 5 invernos tivemos um salto superior a 1C nessa média!!!! Isso é um puta aquecimento.

 

Agora usando JJ (o núcleo duro e maciço do inverno) como parâmetro:

 

Média 2001/2013: 14,6C

 

Normal 1961/1990: 14,4C

 

Média Pós-2012: 15,0C

 

 

A SE O BAZ ESTIVESSE NESTES ANOS.....QUE LADAINHA INTERMINÁVEL SERIA! ACHAM MUITO +1,2 EM 3 MESES, AQUI FOI 0,8 NA MÉDIA ANUAL!!!

ZZZZZZZZ4.PNG.8396448d06caa9b92299e0d69f18c5c7.PNG

Share this post


Link to post
Share on other sites
Com relação à dinâmica de inverno de 2017 no sul do país, alguns pontos precisam ficar claros:

 

- A dinâmica das condições do tempo (ou seja, tempo seco e grandes amplitudes) é a principal semelhança que estamos observando entre o Sul e o Sudeste neste inverno. Porém, ao passo que lá essa dinâmica é considerada "porca", aqui ela é absolutamente normal e o povo está acostumado. Em termos de semelhanças térmicas, está havendo pouca relação, pois eu percebo uma média de temperaturas mais baixas no Sudeste do que no Sul quando ambas as regiões estão com o mesmo sistema atmosférico atuando (ASAS), respeitando as diferenças altimétricas. Neste ano, a vantagem do Sudeste é ainda maior, ao ponto de cidades como Juiz de Fora e Belo Horizonte estarem apresentando médias de temperatura inferiores a cidades do Sul muito mais frias do que elas no JJA, como Porto Alegre por exemplo.

 

- Malgrado a reclamação (que faz muito sentido) dos moradores do Sul sobre a falta de frio em 2017, num contexto geral está sendo um grande inverno no Brasil. Vide os mapas do CFS. Acontece que neste ano a ASAS está numa posição climatológica que está favorecendo a entrada de ventos frios para uma porção muito maior do território brasileiro do que é o costume. Não me lembro de algo assim antes.

 

- Mais uma vez fica comprovado que o fator mais importante na geração de frio no país, é a altitude.

Renan, eu faria uma pequena correção.

 

Num inverno que chamaríamos de "normal", o estado de São Paulo, principalmente a metade leste, tem uma frequência bem maior de massas polares do que o interior do Sudeste, o Centro-Oeste, etc.

 

Embora sempre tenha acontecido em determinados anos, como neste 2017, ASAS duradoura com mais de 15 dias, por exemplo, não é característica do inverno do leste paulista.

 

Uma MP por semana ou a cada 10 dias, mesmo que seja uma marítima meia-boca, normalmente sempre chega por aqui.

 

Talvez um fator que mostra isso é a pluviometria.

As médias de chuva de JJA aqui no leste paulista, embora sejam baixas, são bem maiores que grande parte de MG, GO, MT, DF...

Share this post


Link to post
Share on other sites

e o banho de mar era frequente., no inverno..pelos indígenas que, quiçá, habitavam essas plagas do Rs, nos idos 800 a 1300 d.c

Os nativos da terra do fogo andavam nus a despeito do clima conforme o relato de Fernão Magalhães.

Certa vez, vi um documentário a respeito.

Os nativos da Patagônia eram muito pouco evoluídos tecnicamente, ao contrário dos araucanos do Chile, que teciam.

 

E andavam nus mesmo.

 

Mas, foi constatado um fato interessante: aqueles que se integravam ao modo de vida europeu, passavam a usar roupas, residir em cidades ou trabalhar em fazendas, em poucos anos adquiriam a mesma sensibilidade ao frio dos habitantes urbanos.

Perdiam totalmente a "resistência" às baixas temperaturas.

 

A Biologia deve explicar...

 

a minha colocação se deve ao fato de termos termos tido um forte aquecimento global nesse período medieval. Logo, deveriam estar nus, mesmo.Mas, não por costume.Mas, pelo fato de pouco frio. Aqui, que eu saiba, índios já se agasalhavam bem nos invernos das missões jesuíticas. Na região onde hoje é Sâo Miguel das Missões, Santo Angelo, Palmeira das Missões, era muito frio no perído que foi da pequena eera do gelo que iniciou lá pelos 1440 e foi até 1900.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Minha nossa Senhora....1050hpa !!!!

Para nós, se ela for muito para o mar, será um desperdício pola e nos esquentará depois...isso é quase algo corriqueiro em anos xoxos de um atlantico aquecido, uma neutralidade no pacífico. Ponto pacífico de que está bagunçado. Não lembro de acompanhar tamanha sequencia de dias amenos primaveris no RS. É algo para se puxar na estatística. Não tenho tempo de fazer isso, que deve ser científico, com os desvios padrão necessários para evitar algo desconjuntado.

Está agradabilíssimo. Com exceção dois 3 últimos dias, que está quase um novembro

Não, Gamboa, se ela for muito para o alto mar não será um desperdício de ar polar, será um BAITA calorão em metade da América do Sul, porque drenará o ar tropical do Chaco até o S da Argentina. Meu medo é esta alta ir para muito longe do continente e drenar calor para cá. Este quadro é um claro sinal de bloqueio. Se fizer calor depois do dia 10 com este sistema será um mês praticamente perdido, dado que nos primeiros 10 dias teremos um friozinho normal.

 

Hoje máxima de 27,6°. Agora 25,3° com 56%. Tarde abafada. Ar-condicionado ligado no carro. Horrível.

 

Marcos, vezes há que não me atenho à ciência. mas, ao descalabro sem um quê de estudo. Evidente tua colocação. Uma Mp baleiona parada em alto mar vai dar nisso. No entanto, se houver uma boa aproximação do sul, gerará bom frio para nós do leste, nordeste gaúcho. Esse ano está fora de qualquer lógica. Claro, lógica sem estudo. Há uma lógica pois o processo corriqueiro foi quebrado totalmente. Eu acho um saco essa temperatura de inverno do Brasil Central ou sudeste. Mas, até já acostumei. Saio diariamente de mangas curtas. Já nem pareço habitar o RS. Pareço estar em SP ou Mg, quando costumo ir pra lá.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Qual a diferença de adveccção e irradiação? É frio seco x frio origem polar?

Advecção é a troca de uma massa de ar por outra.

No caso, frio de advecção é aquele resultante da queda de temperatura que acontece quando o ar polar está entrando.

Frio de advecção ocorre durante todo o dia.

 

Frio de radiação é quando o ar polar já está instalado, estabilizado, o céu já limpo e a queda da temperatura se dá pela radiação noturna.

Ou seja, pela perda natural de calor da superfície terrestre durante a noite.

Frio de radiação ocorre mais durante a noite e madrugada, aquecendo de dia com o sol.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa colaboração, Aldo, é por isso que gosto de fazer posts grandes às vezes, que incitem as pessoas a comentar. É nesse momento que se gera grande troca de conhecimentos e aquisição de mais sabedoria. Obrigado.

 

É aquilo que falávamos: o clima de SP sendo uma transição entre a dinâmica do Sudeste e do Sul, no inverno.

 

Já no verão, observo uma nítida preferência de SP à dinâmica do resto do Sudeste, com fortes trovoadas convectivas e ZCAS.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

a minha colocação se deve ao fato de termos termos tido um forte aquecimento global nesse período medieval. Logo, deveriam estar nus, mesmo.Mas, não por costume.Mas, pelo fato de pouco frio. Aqui, que eu saiba, índios já se agasalhavam bem nos invernos das missões jesuíticas. Na região onde hoje é Sâo Miguel das Missões, Santo Angelo, Palmeira das Missões, era muito frio no perído que foi da pequena eera do gelo que iniciou lá pelos 1440 e foi até 1900.

 

Bem difícil na terra do fogo os povos andarem sem roupas por falta de frio, a média de inverno é quase 0C, teria que ter aquecido coisa de 10C, algo totalmente fora de questão...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Boa colaboração, Aldo, é por isso que gosto de fazer posts grandes às vezes, que incitem as pessoas a comentar. É nesse momento que se gera grande troca de conhecimentos e aquisição de mais sabedoria. Obrigado.

 

É aquilo que falávamos: o clima de SP sendo uma transição entre a dinâmica do Sudeste e do Sul, no inverno.

 

Já no verão, observo uma nítida preferência de SP à dinâmica do resto do Sudeste, com fortes trovoadas convectivas e ZCAS.

Na minha opinião, como comentei antes, o verão de SP é sudeste "puro". :laugh:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Qual a diferença de adveccção e irradiação? É frio seco x frio origem polar?

Advecção é a troca de uma massa de ar por outra.

No caso, frio de advecção é aquele resultante da queda de temperatura que acontece quando o ar polar está entrando.

Frio de advecção ocorre durante todo o dia.

 

Frio de radiação é quando o ar polar já está instalado, estabilizado, o céu já limpo e a queda da temperatura se dá pela radiação noturna.

Ou seja, pela perda natural de calor da superfície terrestre durante a noite.

Frio de radiação ocorre mais durante a noite e madrugada, aquecendo de dia com o sol.

 

VAlew Aldo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Pra mim esse inverno aqui em porto alegre está igual ao de Brasília onde morei entre 2003 e 2005. O inverno de 2004 em Brasília era igual a esse de POA. Noites "frias" com minimas pontuais de 11/12C devido ao ar seco e maximas de 24/26C. Pro povo de Brasilia, saiam de touca e luva, especialmente no dia em que entrou a baleia polar daquele ano. Mas era uma xoxeza sem fim.

 

Há de se considerar que o frio sudestino não é aquele de pura subsidência apenas, de vento calmo e céu limpo. Claro que esse padrão é frequente, mas boa parte do inverno se passa sob atuação de MPs marítimas, ainda que fracas e sem destaque, mas que trazem nuvens e ventos fortes ao longo do dia e da noite. Isso aumenta a sensação de frio. Lembrando que esses sistemas podem atuar por muito tempo, com o famoso efeito de MP velha.

 

Mas MPs significativas, fortes, que trazem advecção notável, ocorrem eventualmente mesmo.

 

Variação nas estações do inmet hoje:

 

Convencional(centro): 12,8/20,5

Pampulha: 12,0/22,3

Cercadinho: 10,8/19,6

 

O dia foi nublado até as 14h, seguido de diminuição e céu limpo do meio da tarde em diante.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O GFS/Avn coloca um MONSTRO de 1051 mb no Atlântico Sul que drenaria ar frio para o sertão do NE e o TO. Frio em todo o Sudeste, GO, DF e parte do Nordeste. É o mesmo quadro de julho, mas mais potente.

 

O pior é que a previsão NÃO mostra mp na retaguarda. Este poderá ser o túmulo definitivo deste inverno no Sul. E só confirma o que eu já esperava de agosto.

 

Eu particularmente desisti. Larguei deste ano. Nem quero mais frio. Quero chuva, mas acima de tudo NÃO faça calor.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

a minha colocação se deve ao fato de termos termos tido um forte aquecimento global nesse período medieval. Logo, deveriam estar nus, mesmo.Mas, não por costume.Mas, pelo fato de pouco frio. Aqui, que eu saiba, índios já se agasalhavam bem nos invernos das missões jesuíticas. Na região onde hoje é Sâo Miguel das Missões, Santo Angelo, Palmeira das Missões, era muito frio no perído que foi da pequena eera do gelo que iniciou lá pelos 1440 e foi até 1900.

 

Bem difícil na terra do fogo os povos andarem sem roupas por falta de frio, a média de inverno é quase 0C, teria que ter aquecido coisa de 10C, algo totalmente fora de questão...

Perfeito, Felipe!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×