Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento e Previsão Climática (ENSO/SST/AAO/PDO)

Recommended Posts

16 horas atrás, LuluBros disse:

 

Na vdde o período frio de 2004 foi até meados de agosto. Na segunda quinzena do mês de agosto as tardes mornas começaram a mostrar as garras. 

Primavera precoce em 2004.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aqui para São Paulo, no computo geral, ainda prefiro 2003 a 2004 em termos de frio..., decididamente devido a agosto/2003 e a primavera precoce de 2004. A bomba de julho de 2004 ficou mais restrita ao Sul.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
7 minutos atrás, Caco Pacheco disse:

Aqui para São Paulo, no computo geral, ainda prefiro 2003 a 2004 em termos de frio..., decididamente devido a agosto/2003 e a primavera precoce de 2004. A bomba de julho de 2004 ficou mais restrita ao Sul.

Em termos gerais, o período frio de 2004 teve mais massas polares do que 2003, este último foi muito acima da média de janeiro a julho, só em agosto que as chuvas e temperaturas melhoraram bastante. Você tem razão sobre a primavera antecipada em 2004, no mês de agosto daquele ano as temperaturas já se elevaram bastante e as chuvas deram uma atrasada no início.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, klinsmannrdesouza disse:

Em termos gerais, o período frio de 2004 teve mais massas polares do que 2003, este último foi muito acima da média de janeiro a julho, só em agosto que as chuvas e temperaturas melhoraram bastante. Você tem razão sobre a primavera antecipada em 2004, no mês de agosto daquele ano as temperaturas já se elevaram bastante e as chuvas deram uma atrasada no início.

 

Klinsmann, Caco, 

 

Fiquei assustado ao constatar que em Julho de 2001, no finalzinho do mês, teve uma fortíssima MP chegando até Juiz de Fora, e creio que tenha chegado arrasando em SP também. Confesso que não me lembrava dela ! Vejam:

 

27/07/2001 (pré-frontal): 27,6ºC / 13,9ºC

28/07/2001: 18ºC (máxima à meia-noite) / 07,6ºC

29/07/2001: 15ºC / 06,3ºC

 

E no dia 30/07/2001 já começou a esquentar rapidamente...

 

Porém a MP mais forte aconteceu em Setembro, entre os dias 16 e 19.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
37 minutos atrás, Renan disse:

 

Klinsmann, Caco, 

 

Fiquei assustado ao constatar que em Julho de 2001, no finalzinho do mês, teve uma fortíssima MP chegando até Juiz de Fora, e creio que tenha chegado arrasando em SP também. Confesso que não me lembrava dela ! Vejam:

 

27/07/2001 (pré-frontal): 27,6ºC / 13,9ºC

28/07/2001: 18ºC (máxima à meia-noite) / 07,6ºC

29/07/2001: 15ºC / 06,3ºC

 

E no dia 30/07/2001 já começou a esquentar rapidamente...

 

Porém a MP mais forte aconteceu em Setembro, entre os dias 16 e 19.

Sim, recordo-me muitíssimo bem. A MP teve trajetória continental.

 

Chegou rasgando aqui em Sampa num sábado no final de tarde. A noite de sábado e madrugada de domingo foram congelantes na Granja Viana. Domingo clássico de sol e tempo sem alguma nuvem no céu sob MP. A bizarrice se deu pelo fato de quão tiro curtíssimo foi essa MP. Ela já foi "se tropicalizando" no PRÓPRIO DOMINGO! Esse fato foi SIMPLESMENTE RIDÍCULO! Quero dizer que ela foi perdendo força...

 

Mas, sem dúvida alguma, foi uma MP "clássica", a la anos 80/90... Trajetória continental. Houve neve fraca nos pontos mais altos de SC. Não me recordo se nevou nos pontos mais altos do RS e na cidade de SJ. Aqui na Granja Viana houve geada fraca. Depois disso, tivemos, em 2012, a última MP forte "clássica", em setembro de 2002, com neve nos locais habituais de SC e RS, mínima 5,X no Mirante. Aí, até 2010, foi "AQUELA SECURA"... 

 

O mês de junho e julho foi excelente no MS e MT em 2011. O Klisman pode falar melhor. Bem melhor do que no Sudeste.

Edited by Caco Pacheco

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Caco Pacheco disse:

Sim, recordo-me muitíssimo bem. A MP teve trajetória continental.

 

Chegou rasgando aqui em Sampa num sábado no final de tarde. A noite de sábado e madrugada de domingo foram congelantes na Granja Viana. Domingo clássico de sol e tempo sem alguma nuvem no céu sob MP. A bizarrice se deu pelo fato de quão tiro curtíssimo foi essa MP. Ela já foi "se tropicalizando" no PRÓPRIO DOMINGO! Esse fato foi SIMPLESMENTE RIDÍCULO! Quero dizer que ela foi perdendo força...

 

Mas, sem dúvida alguma, foi uma MP "clássica", a la anos 80/90... Trajetória continental. Houve neve fraca nos pontos mais altos de SC. Não me recordo se nevou nos pontos mais altos do RS e na cidade de SJ. Aqui na Granja Viana houve geada fraca. Depois disso, tivemos, em 2012, a última MP forte "clássica", em setembro de 2002, com neve nos locais habituais de SC e RS, mínima 5,X no Mirante. Aí, até 2010, foi "AQUELA SECURA"... 

 

O mês de junho e julho foi excelente no MS e MT em 2011. O Klisman pode falar melhor. Bem melhor do que no Sudeste.

2001 como um todo foi quente com poucos períodos de frio intenso no outono/inverno; como o Renan citou no final de julho houve uma massa polar continental ampla, antes disso o mês de junho foi o mais frio daquele ano, o único abaixo/dentro da média em muitas áreas do país. Na segunda quinzena um anticiclone polar associado a um ciclone impulsionou um sistema frontal para o sul do Amazonas e sul na região Nordeste enquanto fez muito frio na América do Sul com geadas amplas do interior da Argentina até Mato Grosso do Sul, foi uma clássica onda de frio aos moldes de antigamente. Depois disso 2002 e 2003 foram péssimos em termos de frio, voltamos a ter um inverno decente em 2004.

Já 2011 estreou seu período frio com uma massa polar na última semana de abril, ocorrendo as primeiras geadas significativas na região Sul do Brasil. Maio desse ano foi marcado pelo tempo seco e frio no continente sul-americano, as frentes frias adentravam o continente sem provocar grandes acumulados de chuva (padrão La niña); junho teve um período mais quente que logo retornou para o avanço dos sistemas frontais, o mais intenso ocorreu entre os dias 23 e 29 daquele mês, uma massa polar extremamente intensa associada a um ciclone extratropical ocasionou baixas temperaturas em quase todo o país, a frente fria chegou até Manaus e Palmas, no Sul, SP, MS, Triângulo Mineiro e sul de Minas ocorreram geadas severas e mínimas excepcionais. Campo Grande MS registrou 3 graus com geadas, na cidade de São Paulo houve geada em muitas áreas o Mirante de Santana teve 6 graus de mínima; nas serras do PR, SC e RS a neve pintou de branco a paisagem. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 minutos atrás, klinsmannrdesouza disse:

2001 como um todo foi quente com poucos períodos de frio intenso no outono/inverno; como o Renan citou no final de julho houve uma massa polar continental ampla, antes disso o mês de junho foi o mais frio daquele ano, o único abaixo/dentro da média em muitas áreas do país. Na segunda quinzena um anticiclone polar associado a um ciclone impulsionou um sistema frontal para o sul do Amazonas e sul na região Nordeste enquanto fez muito frio na América do Sul com geadas amplas do interior da Argentina até Mato Grosso do Sul, foi uma clássica onda de frio aos moldes de antigamente. Depois disso 2002 e 2003 foram péssimos em termos de frio, voltamos a ter um inverno decente em 2004.

Já 2011 estreou seu período frio com uma massa polar na última semana de abril, ocorrendo as primeiras geadas significativas na região Sul do Brasil. Maio desse ano foi marcado pelo tempo seco e frio no continente sul-americano, as frentes frias adentravam o continente sem provocar grandes acumulados de chuva (padrão La niña); junho teve um período mais quente que logo retornou para o avanço dos sistemas frontais, o mais intenso ocorreu entre os dias 23 e 29 daquele mês, uma massa polar extremamente intensa associada a um ciclone extratropical ocasionou baixas temperaturas em quase todo o país, a frente fria chegou até Manaus e Palmas, no Sul, SP, MS, Triângulo Mineiro e sul de Minas ocorreram geadas severas e mínimas excepcionais. Campo Grande MS registrou 3 graus com geadas, na cidade de São Paulo houve geada em muitas áreas o Mirante de Santana teve 6 graus de mínima; nas serras do PR, SC e RS a neve pintou de branco a paisagem. 

2011 foi o retorno do inverno à antiga! 

 

A MP do final de junho foi MARCANTE! Registrei 2,5ºC aqui na Granja Viana com geada fraca após jejum desde set/2002!

 

Inverno MUITO BOM!

 

Fez frio constante e forte desde o início do outono até meados de julho em São Paulo e no Sudeste, com ligeira pausa. O restante de julho foi intensamente forte em termos de frio na região Sul. Agosto e a primavera também foram muito interessantes. Ano excelente para o frio.

  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aqui no sul catarinense deu bastante geada e frio constante! Maio, junho, julho e agosto excelentes!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 14/03/2019 em 18:48, JOÃO MARCOS disse:

E sobre a atividade solar que pouco se fala aqui no fórum? Atualmente passamos por um período de baixa atividade, o que podemos esperar em termos de influência no outono inverno 2019?

 

 

Justamente devido a calma solar que temos falado pouco do assunto... também porque essa variabilidade do sol interfere pouco (ou quase nada) na escala sazonal, tendo impacto apenas quando persiste por longos períodos (anos/décadas). Resumindo: se esse período de mínima se prolongar conforme tem sido previsto por alguns, começaríamos a sentir lá por 2025!

 

Ps: inclusive tem um tópico específico para o assunto!

Edited by Flavio Feltrim
  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 15/03/2019 em 09:40, Renan disse:

 

Klinsmann, Caco, 

 

Fiquei assustado ao constatar que em Julho de 2001, no finalzinho do mês, teve uma fortíssima MP chegando até Juiz de Fora, e creio que tenha chegado arrasando em SP também. Confesso que não me lembrava dela ! Vejam:

 

27/07/2001 (pré-frontal): 27,6ºC / 13,9ºC

28/07/2001: 18ºC (máxima à meia-noite) / 07,6ºC

29/07/2001: 15ºC / 06,3ºC

 

E no dia 30/07/2001 já começou a esquentar rapidamente...

 

Porém a MP mais forte aconteceu em Setembro, entre os dias 16 e 19.

 

Sim, eu lembro da MP. No dia 17/9 fez 2,7 em Cwb. Só não lembro se foi Inmet ou Simepar. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
28 minutos atrás, Flavio Feltrim disse:

 

Justamente devido a calma solar que temos falado pouco do assunto... também porque essa variabilidade do sol interfere pouco (ou quase nada) na escala sazonal, tendo impacto apenas quando persiste por longos períodos (anos/décadas). Resumindo: se esse período de mínima se prolongar conforme tem sido previsto por alguns, começaríamos a sentir lá por 2025!

 

Ps: inclusive tem um tópico específico para o assunto!

 

Se bem que esse papo de baixa atividade solar tá na pauta desde 2005. E o que temos visto até agora foram os piores meses de verão da história, em Sampa, num curto espaço de alguns poucoas anos. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

nino34.png

 

No começo de Março disparou de forma acentuada, mas segue numa queda. Resta saber se em Abril, os índices se normalizarão até lá

  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, LuluBros disse:

 

Se bem que esse papo de baixa atividade solar tá na pauta desde 2005. E o que temos visto até agora foram os piores meses de verão da história, em Sampa, num curto espaço de alguns poucoas anos. 

A atividade solar está baixa desde 2007, de acordo com os especialistas no assunto demora alguns anos para impactar na circulação atmosférica, não é simplesmente dizer que o sol mais calmo vai congelar o mundo. 

  • Like 3
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 horas atrás, klinsmannrdesouza disse:

A atividade solar está baixa desde 2007, de acordo com os especialistas no assunto demora alguns anos para impactar na circulação atmosférica, não é simplesmente dizer que o sol mais calmo vai congelar o mundo. 

 

 E por que existe esse delay entre a diminuição da atividade solar e a resposta atmosférica? 

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 horas atrás, LuluBros disse:

 

 E por que existe esse delay entre a diminuição da atividade solar e a resposta atmosférica? 

 

Porque recebemos energia do Sol e não calor. Ela vem em ondas curtas e precisam virar ondas longas (infravermelho) para produzir calor e esse processo não é imediato (embora seja muito rápido).

 

Por isso,  a hora mais quente do dia não é meio-dia mas sim no meio da tarde... ou a hora mais fria do dia costuma ser quando o sol nasce e não quando ele se põe.

  • Like 2
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Flavio Feltrim disse:

 

Porque recebemos energia do Sol e não calor. Ela vem em ondas curtas e precisam virar ondas longas (infravermelho) para produzir calor e esse processo não é imediato (embora seja muito rápido).

 

Por isso,  a hora mais quente do dia não é meio-dia mas sim no meio da tarde... ou a hora mais fria do dia costuma ser quando o sol nasce e não quando ele se põe.

 

Mas aí entra a outra dúvida: por que, em escala de temperatura média planetária decadal, esse delay é tão forte? Teria algo a ver com a inércia térmica dos oceanos? 

Share this post


Link to post
Share on other sites
37 minutos atrás, LuluBros disse:

 

Mas aí entra a outra dúvida: por que, em escala de temperatura média planetária decadal, esse delay é tão forte? Teria algo a ver com a inércia térmica dos oceanos? 

 

Eu não sou de forma alguma entendido no assunto, mas pra mim o delay não seria tão grande. A situação atual me leva a crer que essa baixa atividade solar está apenas freando um pouco o aquecimento do planeta, são variações de ordem muito pequena na radiação recebida, anulando parte do efeito estufa gerado pelo vapor de água extra (e CO2) na atmosfera

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Felipe Backendorf disse:

 

Eu não sou de forma alguma entendido no assunto, mas pra mim o delay não seria tão grande. A situação atual me leva a crer que essa baixa atividade solar está apenas freando um pouco o aquecimento do planeta, são variações de ordem muito pequena na radiação recebida, anulando parte do efeito estufa gerado pelo vapor de água extra (e CO2) na atmosfera

 

Mas penso que uma variação negativa da atividade solar deveria se refletir numa melhora da dinâmica. Sendo que após 2001 e, especialmente após 2014, a dinâmica do leste de SP está mais c*g*d* que tudo. Claro que a UHI daqui não permitiria mais negativa no centrão como acontecia há mais de 100 anos, mesmo numa hecatombe polar. Mas é inegável que a dinâmica ainda não teve qualquer melhora pró-frio. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
18 horas atrás, LuluBros disse:

 

Mas penso que uma variação negativa da atividade solar deveria se refletir numa melhora da dinâmica. Sendo que após 2001 e, especialmente após 2014, a dinâmica do leste de SP está mais c*g*d* que tudo. Claro que a UHI daqui não permitiria mais negativa no centrão como acontecia há mais de 100 anos, mesmo numa hecatombe polar. Mas é inegável que a dinâmica ainda não teve qualquer melhora pró-frio. 

 

Microclimas não têm nada a ver com o estado da atmosfera. Cidades grandes como São Paulo e Belo Horizonte tem seus centros totalmente urbanizados há décadas, de forma que essa variável não está mais em jogo. Mas o que vemos são aumento de veranicos e menos ondas de frio, consequentemente aquecimento ano a ano.

 

Caso fosse só o microclima que estivesse influenciando, veríamos aumento de mínimas proporcional à urbanização e só. Mas o aquecimento é nas mínimas, nas máximas, no centrão, nas periferias e nas cidades do interior. Cidades pequenas do norte de Minas aqueceram muito, mais que a capital.

 

Houve uma alteração muito importante do nosso clima, não só falando do frio, mas na atuação da alta pressão em plena estação das chuvas, como todos sabem.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
19 horas atrás, LuluBros disse:

 

Mas penso que uma variação negativa da atividade solar deveria se refletir numa melhora da dinâmica. Sendo que após 2001 e, especialmente após 2014, a dinâmica do leste de SP está mais c*g*d* que tudo. Claro que a UHI daqui não permitiria mais negativa no centrão como acontecia há mais de 100 anos, mesmo numa hecatombe polar. Mas é inegável que a dinâmica ainda não teve qualquer melhora pró-frio. 

Se computar os dados, entre 2007 e 2013 tivemos sim um aumento na frequência de ondas de frio se comparado com o período anterior (2001 a 2006), não somente na América do Sul mas em outras regiões do mundo, como Austrália, América do Norte e África Austral (Namíbia, Botswana, Lesoto e África do Sul), inclusive foram registrados danos por geadas em 2011 e 2013, bem como ocorrências mais amplas de neve nestes dois anos. As ondas de calor de 2014 e 2015 foram uma pausa neste processo, mas em escala local porque em outras  regiões o inverno foi rigoroso. Resta esperar se 2019 escala os outros anos seguintes serão com invernos rigorosos ou não.

 

 

  • Like 2
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.