Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento e Previsão Climática (ENSO/SST/AAO/PDO)

Recommended Posts

Em 09/01/2019 em 10:12, Ivan disse:

Renan, em 2013 passei o mês de Janeiro em Puerto Montt (sul do Chile), 40°S.

Peguei temperaturas entre 4°C e 15°C com bastante sol e vento gelado de Sul constante. 

Eu adorei, pois me senti no inverno uruguaio em pleno Janeiro. Hahaha 

Por lá a sensação de todos é que está cada vez mais frio.

A cidade fica na beira do Pacífico. 

Um amigo que mora lá diz que as pessoas reclamam o tempo todo que não existe verão. 

Olha o verão por lá, dados de agora.

Screenshot_20190109-110700.png

Na costa oeste da América do Sul tem uma grande área entre as latitudes 20 e 40S que muitas vezes está muito abaixo da média, justamente na região dessa cidade; mais ao sul as águas estão aquecidas, enfraquecendo as altas polares de adentrarem o continente pela Patagônia, o que acaba por alimentar o bloqueio atmosférico do lado de cá.

  • Like 1
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 09/01/2019 em 09:46, Renan disse:

 

É verdade. Por sinal, você reparou que o oceano Atlântico tem ficado muito mais tempo aquecido do que resfriado nos últimos anos ? Isso com certeza está impactando no rigor do verão.

Renan, a ZCAS virou raridade nos últimos verões, ASAS um padrão para a nossa latitude. Nossos verões estariam sofrendo uma mudança climatológica? 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
32 minutos atrás, Ivan disse:

Renan, a ZCAS virou raridade nos últimos verões, ASAS um padrão para a nossa latitude. Nossos verões estariam sofrendo uma mudança climatológica? 

 

Vamos esperar mais uns 20 anos para ter certeza. Por hora, uma flutuação bizonha, porém impossível de saber se já aconteceu em algum passado remoto.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 11/01/2019 em 14:23, Renan disse:

 

Vamos esperar mais uns 20 anos para ter certeza. Por hora, uma flutuação bizonha, porém impossível de saber se já aconteceu em algum passado remoto.

 

Ate o mês passado tava tudo indo bem, tanto é que algumas estações aki passaram de 400 mm e tivemos uma super onda de frio além da de calor.

 

Posso lembrar inclusive da chuva de inverno que surpreendeu e da primavera que tb não desapontou com granizo severo e rajadas de quase 100 km/h.

 

Janeiro cagou tudo.

 

 

 

 

Edited by HenriqueBH
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 12/01/2019 em 20:09, HenriqueBH disse:

 

Ate o mês passado tava tudo indo bem, tanto é que algumas estações aki passaram de 400 mm e tivemos uma super onda de frio além da de calor.

 

Posso lembrar inclusive da chuva de inverno que surpreendeu e da primavera que tb não desapontou com granizo severo e rajadas de quase 100 km/h.

 

Janeiro cagou tudo.

 

 

 

 

Concordo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por gentileza, peço que foquem as conversas no tema do tópico.

 

Assuntos não relacionados ao tema, estarão sujeitas a remoção por parte da Administração do BAZ.

 

Obrigado! 

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Passamos do momento mais propício ao fortalecimento do El Niño e ele não veio, embora esse longo período de "quase El Niño" tenha impactado de alguma forma, quase como um Modoki.

 

Quanto ao Atlântico Sul, segue a bizarra "anaconda infernal" 🤣

 

Resta saber se ficaremos nessa neutralidade "positiva" para então de fato vir um Niño 2019-20 ou se mergulharemos em TSM negativa e daremos boas-vindas a La Niña!

 

Ps: fiquem de olho as águas frias que surgem na região do canal do Panamá, essa área costuma disparar processos!

 

 

nino34.png

cdas-sflux_ssta_samer_1.png

Edited by Flavio Feltrim
  • Like 7
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
46 minutos atrás, Flavio Feltrim disse:

Passamos do momento mais propício ao fortalecimento do El Niño e ele não veio, embora esse longo período de "quase El Niño" tenha impactado de alguma forma, quase como um Modoki.

 

Quanto ao Atlântico Sul, segue a bizarra "anaconda infernal" 🤣

 

Resta saber se ficaremos nessa neutralidade "positiva" para então de fato vir um Niño 2019-20 ou se mergulharemos em TSM negativa e daremos boas-vindas a La Niña!

 

Ps: fiquem de olho as águas frias que surgem na região do canal do Panamá, essa área costuma disparar processos!

 

 

nino34.png

cdas-sflux_ssta_samer_1.png

Espero que este el niño não aconteça, será melhor a neutralidade do que ele, assim poderemos ter chuvas dentro da normalidade e temperaturas na média.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Atlântico está comandando completamente o padrão do verão em boa parte do país.

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Flavio Feltrim disse:

Ps: fiquem de olho as águas frias que surgem na região do canal do Panamá, essa área costuma disparar processos!

 

Com processos você diz La Nina?

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 minutos atrás, Renan disse:

O Atlântico está comandando completamente o padrão do verão em boa parte do país.

O Atlântico por vezes pode até anular os efeitos sobre o clima do Pacífico, dependendo a intensidade das suas anomalias, agora estamos tendo um verão insuportável por causa dele.

Em 1997, mesmo com o el niño mais intenso desde o início dos registros, em junho daquele ano houve uma massa polar continental intensa que provocou muita chuva na maior parte do Brasil e frio até no oeste da Bahia, isso com um cavado sobre o Sudeste. 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Existe histórico de TSM do Atlântico assim como há do Pacífico ? Queria fazer umas correlações com a temperatura média registrada na minha cidade.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 horas atrás, Renan disse:

Existe histórico de TSM do Atlântico assim como há do Pacífico ? Queria fazer umas correlações com a temperatura média registrada na minha cidade.

 

Uma questão que me intriga desde 2015: é o bloqueio em 500 hPa que começa a gerar TSM mais alta que o normal no Atlântico ou ela é que gera o bloqueio?

Que existe um feedback positivo fdp entre os dois processos, disso já estou ciente.

Mas minha dúvida é: o que inicia esse processo maligno?

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 horas atrás, LuluBros disse:

 

Uma questão que me intriga desde 2015: é o bloqueio em 500 hPa que começa a gerar TSM mais alta que o normal no Atlântico ou ela é que gera o bloqueio?

Que existe um feedback positivo fdp entre os dois processos, disso já estou ciente.

Mas minha dúvida é: o que inicia esse processo maligno?

Em alguns casos o bloqueio em 500mb se forma no Pacífico sul, impedindo o avanço das frentes frias de lá para o Atlântico, isso acaba por fortalece a ASAS sobre o Brasil, pois há poucos sistemas frontais para impelir a alta para o oceano, daí surgem as anomalias positivas nos dois oceanos. Em outros casos, a própria circulação no Pacífico Equatorial, em padrão el niño, ocasionando uma subsidência sobre o Nordeste brasileiro, essa massa de ar seco pode se juntar a ASAS secando a atmosfera.

O problema é que nem sempre o Pacífico é mais influenciador, no verão 2014-2015 da costa do Peru as águas estavam levemente mais frias do que o normal, porém a ASAS ganhou força em janeiro por duas semanas. 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
15 horas atrás, LuluBros disse:

 

Uma questão que me intriga desde 2015: é o bloqueio em 500 hPa que começa a gerar TSM mais alta que o normal no Atlântico ou ela é que gera o bloqueio?

Que existe um feedback positivo fdp entre os dois processos, disso já estou ciente.

Mas minha dúvida é: o que inicia esse processo maligno?

 

A atual anomalia positiva da TSM no Atlântico parece ter vindo DEPOIS que começaram esses dias mais quentes, portanto, não parece ser a causadora (ou pelo menos está retroalimentando)... mas preciso analisar com mais profundidade!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meteorologia Australiana já rebaixou o el niño, de estado de alerta para atenção. Interessante é que uma bolha fria vem tomando conta das águas em profundidade na região do pacífico equatorial, poderemos ter surpresas nos próximos meses.

 

20190122.tao_sub_surface.thumb.png.f82e314b0d67b82ff6d755a549a3647b.png

20190122.sub_surface_anom.thumb.png.2475353d01fa3db0dcfe2f7c63409f1f.png

 

 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Flavio Feltrim disse:

 

A atual anomalia positiva da TSM no Atlântico parece ter vindo DEPOIS que começaram esses dias mais quentes, portanto, não parece ser a causadora (ou pelo menos está retroalimentando)... mas preciso analisar com mais profundidade!

As anomalias positivas do Atlântico se intensificaram em dezembro, mesmo que não estejamos oficialmente num el niño, já foi suficiente para aumentar a influência da ASAS sobre o Brasil, no Pacífico as anomalias dão a entender que recentemente estamos num el niño Modoki de média intensidade, na prática ocasiona menos danos do que num el niño clássico. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Augusto Goelzer disse:

Meteorologia Australiana já rebaixou o el niño, de estado de alerta para atenção. Interessante é que uma bolha fria vem tomando conta das águas em profundidade na região do pacífico equatorial, poderemos ter surpresas nos próximos meses.

 

20190122.tao_sub_surface.thumb.png.f82e314b0d67b82ff6d755a549a3647b.png

20190122.sub_surface_anom.thumb.png.2475353d01fa3db0dcfe2f7c63409f1f.png

 

 

O Pacífico está volátil desde o meio do ano passado; este atraso na configuração do el nino está prejudicando as chuvas agora no Sudeste e causando transtornos no RS. Este cenário confuso, mantendo está configuracão de águas quentes/frias poderá permanecer durante o outono.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 horas atrás, Flavio Feltrim disse:

 

A atual anomalia positiva da TSM no Atlântico parece ter vindo DEPOIS que começaram esses dias mais quentes, portanto, não parece ser a causadora (ou pelo menos está retroalimentando)... mas preciso analisar com mais profundidade!

 

O Aleff Matos é a favor da teoria da retroalimentação. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 horas atrás, klinsmannrdesouza disse:

O Pacífico está volátil desde o meio do ano passado; este atraso na configuração do el nino está prejudicando as chuvas agora no Sudeste e causando transtornos no RS. Este cenário confuso, mantendo está configuracão de águas quentes/frias poderá permanecer durante o outono.

 

Concordo, essa situação indefinida não tem sido interessante e deixa tudo muito irregular! Ora o comportamento lembra El Niño, ora neutralidade...

 

12 horas atrás, klinsmannrdesouza disse:

As anomalias positivas do Atlântico se intensificaram em dezembro, mesmo que não estejamos oficialmente num el niño, já foi suficiente para aumentar a influência da ASAS sobre o Brasil, no Pacífico as anomalias dão a entender que recentemente estamos num el niño Modoki de média intensidade, na prática ocasiona menos danos do que num el niño clássico. 

 

Tenho minhas dúvidas até mesmo quanto a estarmos em um Modoki... mas é fato que esse cenário de quase El Niño tem sua influência.

  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 11/01/2019 em 14:23, Renan disse:

 

Vamos esperar mais uns 20 anos para ter certeza. Por hora, uma flutuação bizonha, porém impossível de saber se já aconteceu em algum passado remoto.

 

 

COM CERTEZA JÁ OCORREU E OUTRAS MAIS BIZARRAS ACONTECERÃO.

Share this post


Link to post
Share on other sites

NEUTRALIDADE É ISTO, EXCESSO DE CHUVA, FALTA, CALOR, FRIO, FICA INDEFINIDO O COMPORTAMENTO, UMA BOMBA PARA O QUE DIZER A FRENTE.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 25/01/2019 em 13:41, coutinho disse:

 

 

COM CERTEZA JÁ OCORREU E OUTRAS MAIS BIZARRAS ACONTECERÃO.

Totalmente de acordo!

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Flavio Feltrim disse:

 

Disparar processos tipo isso:

 

 

Nina.png

Poderia manter essas anomalias negativas até julho, assim teríamos um bom outono/inverno.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.