Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento e Previsão Climática (ENSO/SST/AAO/PDO)

Recommended Posts

16 minutos atrás, Caco Pacheco disse:

Ainda acredito mais nos ciclos naturais.

 

Inverno recente que matou a pau foi 2016. Foi "a la anos 80", sem dever nadinha.

 

Acredito piamente que "a ordem natural das coisas estão voltando ao seu devido lugar", no que tange ao clima (mais especificamente na nossa área geográfica que habitamos).

 

Como costumo falar, desde 2007 as coisas vem melhorando aos poucos, especialmente em termos dinâmicos.

 

2011 foi um ano chave para mim, com o retorno de um inverno "a la anos 80", além de uma FF "clássica" (sincronia praticamente perfeita entre avanço de uma poderosa MP e ciclone na costa, o que ocorria todo inverno...).

 

Com exceção do hiato 2014-2015, especialmente a partir de 2009 os invernos melhorar BEM no Sudeste; em parte da região Sul já começou a melhorar anteriormente, em 2007. Embora no Sudeste também a partir de 2007 os invernos (especialmente no que se refira às temperaturas), já começaram a melhorar bem, perto do que estávamos vivendo de 2001 a 2006.

 

Acho que o aquecimento provocado pelo homem (REFLETIDO NOS CENTRO URBANOS, que representa quanto mesmo, em % do globo terrestre???), é muito pequeno se comparado à força dos ciclos naturais.

 

Para terminar: estou cada vez mais otimista quanto aos outonos/invernos. Quanto aos verões, mais pessimista...

Eu também acredito nos ciclos naturais, o que acontece é que antigamente a cobertura das estações meteorológicas e os estudos do clima eram mais restritos ao meio científico, muitos nem sabiam da ocorrência de tornados no Brasil, que só foi considerada depois de um tornado violentíssimo destruir uma cidade paulista chamada ITu no início dos anos 90; outro fator é que o conforto térmico antes era inferior ao que temos hoje, o acesso ao ar condicionado e maior facilidade financeira para comprar agasalhos permitem um maior infrentamento ante o calor e o frio.

No mais, concordo contigo que o período pós-2007 foi melhor em termos de frio se comparado com o quinteto 2001-2006, tanto em média quanto em extremos, até 2012 que foi quente teve o mês de julho com frio amplo e a massa polar de setembro.

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gente, mas vocês concordam que o planeta aqueceu, correto ? Os dados deixam isso bem claro. A diferença é que vocês crêem no ciclo natural, e eu estou culpando o homem. 

 

Eu também era do time do Molion até 2014...depois dos últimos verões bizonhos e das ondas de calor arrasadoras, mudei de opinião. 

 

Mas espero que a década de 2020 seja de intenso arrefecimento. Sonho com isso. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 07/01/2019 em 15:18, Renan disse:

 

Klinsmann, você traçou aí boas análises e comparativos, meu amigo. O que poderia nos dar um bom ânimo para o próximo inverno.

 

Só que em 1979, o aquecimento global ainda estava bem tímido, o processo se intensificou demais nas últimas décadas e veja onde estamos agora.

 

Por isso, passaram-se 40 anos desde esse histórico outono/inverno no Sudeste, e para esse 2019 não vejo outra coisa acontecendo para nós senão mais um inverno meia-boca e sem grandes MPs. Meu pessimismo quanto ao nosso clima anda bem acentuado, vou me trabalhar internamente para que o otimismo retorne, rsrs.

 

Calma lá.

 

Mesmo com esse recorde de falta de gelo estamos batendo recordes de calor históricos.

 

 

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
22 minutos atrás, Renan disse:

Gente, mas vocês concordam que o planeta aqueceu, correto ? Os dados deixam isso bem claro. A diferença é que vocês crêem no ciclo natural, e eu estou culpando o homem. 

 

Eu também era do time do Molion até 2014...depois dos últimos verões bizonhos e das ondas de calor arrasadoras, mudei de opinião. 

 

Mas espero que a década de 2020 seja de intenso arrefecimento. Sonho com isso. 

Eu concordo que o planeta aqueceu, até o Molion concorda, o que difere é a causa do aquecimento, muitos têm a visão de que a interferência humana é maior do que os ciclos naturais e outros que os mesmos ciclos são mais determinantes. 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 minutos atrás, HenriqueBH disse:

 

Calma lá.

 

Mesmo com esse recorde de falta de gelo estamos batendo recordes de calor históricos.

 

 

Recordes de calor em algum anos são alcançados em muitos lugares do planeta e durante o ano como em regiões específicas e apenas em um período, como em 2016 que tivemos o abril mais quente em muitos anos e depois veio maio na média e junho abaixo, isso  a nível de América do Sul.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, klinsmannrdesouza disse:

Recordes de calor em algum anos são alcançados em muitos lugares do planeta e durante o ano como em regiões específicas e apenas em um período, como em 2016 que tivemos o abril mais quente em muitos anos e depois veio maio na média e junho abaixo, isso  a nível de América do Sul.

 

Exato!

 

Após um inclemente abril/16 até seu finalzinho, eis que, lá pelo dia 28 chega uma BOMBA POLAR no mesmo mês de abril daquele ano (lembrando a bomba de abril de 99).

 

Não tivemos outono em 2016... Passamos direto de uma transição verão-outono (mais para verão), direto para o inverno. Virou-se a chavinha de uma vez só! Caímos no inverno, e aí foi aquele ESPETÁCULO DE INVERNO: com bombas polares, eventos significativos e agudos, constante e longo (fez frio até final de setembro!).

 

A primavera/2016 também foi excelente!

 

Sim, notoriamente com o evento de outubro de 2014, vimos ondas de calor nunca presenciada por mim. Não sei explicar o motivo.

 

Verões com ASAS e seus bloqueios; uma surpresa para mim!

 

Entretanto, vejo sim, uma volta à normalidade nos outonos e invernos, pouco a pouco.

 

Concordo integralmente com o Klisman: os ciclos naturais têm um impacto MUITO maior sobre o clima do que as ações antropogênicas. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 23/12/2018 em 12:04, Vinicius Lucyrio disse:

Quanto a janeiro,  espera-se chuvas acima da média em todo o Sul, MS e SP, e sul de MG.

Deu chabú? rsrsrsr

 

Previsão de modelos do dia 23/dez.

 

Abs!

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Reparem no salto de 2015 no gráfico. Cara, esse ano não tem paralelo, acho que só na era dos dinossauros, rsrs.

 

Reparem que até os famigerados anos 1995 e 1998 ficam no chinelo em relação a 2015, que é SENHOR DO CALOR !

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nossa esperança se reside principalmente em 2 fatores:

 

1) O início de uma nova era do gelo, que poderia neutralizar o aquecimento antropogênico;

2) O desenvolvimento sustentável promovido por grandes mudanças na forma de geração de energia, com tecnologias avançadas, fazendo parar total ou em grande parte a emissão de CO².

Share this post


Link to post
Share on other sites
48 minutos atrás, Caco Pacheco disse:

Não tivemos outono em 2016... Passamos direto de uma transição verão-outono (mais para verão), direto para o inverno. Virou-se a chavinha de uma vez só! Caímos no inverno, e aí foi aquele ESPETÁCULO DE INVERNO: com bombas polares, eventos significativos e agudos, constante e longo (fez frio até final de setembro!).

 

 

Bom, pelo menos por aqui, o problema do inverno 2016 foi justamente a FALTA de frio constante. Variou-se muito entre frio e calor. Só em Junho que o frio foi mais constante de fato. Julho e Agosto tiveram boas MPs intercaladas com calorões fora de época. Mas no geral, até que foi um inverno legal sim. Só que após 2000, tivemos outros melhores, tais como 2004, 2009, 2011 e 2017 (para MG, antes que me jogue pedras, rsrsrs).

Share this post


Link to post
Share on other sites
28 minutos atrás, Renan disse:

Reparem no salto de 2015 no gráfico. Cara, esse ano não tem paralelo, acho que só na era dos dinossauros, rsrs.

 

Reparem que até os famigerados anos 1995 e 1998 ficam no chinelo em relação a 2015, que é SENHOR DO CALOR !

1995, 1998 e 2015 foram afetados por el ñino, pra nós 2015 foi muito mais quente que os outros dois anos porque o atlântico sul estava aquecido demais, enquanto nase outras ocasiões estava próximo da normalidade.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
7 minutos atrás, klinsmannrdesouza disse:

1995, 1998 e 2015 foram afetados por el ñino, pra nós 2015 foi muito mais quente que os outros dois anos porque o atlântico sul estava aquecido demais, enquanto nase outras ocasiões estava próximo da normalidade.

 

É verdade. Por sinal, você reparou que o oceano Atlântico tem ficado muito mais tempo aquecido do que resfriado nos últimos anos ? Isso com certeza está impactando no rigor do verão.

Share this post


Link to post
Share on other sites
36 minutos atrás, Renan disse:

aquecimento.jpg

Muito interessante este gráfico, Renan!

 

Acho mais interessante notar a CLARÍSSIMA tendência de aquecimento a partir de 1990. 

 

Por isso que teremos UMA VERDADEIRA BOMBA na revelação na nova Normal de 91-2020 para algumas Capitais, como SP, Curitiba e BH, por exemplo...

 

É ver para crer!

 

PoA  eu já tenho minhas dúvidas...(crescimento mais lento),

 

O crescimento em Curita de 1990 para cá foi gigantesco, o que certamente refletirá no aumento de suas médias, assim como Sampa e BH. 

 

O fator de aquecimento antropogênico afeta as grandes metrópoles, e MUITO MENOS cidades afastadas dos grandes centros urbanos, como sempre digo.

 

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
19 minutos atrás, Renan disse:

 

Bom, pelo menos por aqui, o problema do inverno 2016 foi justamente a FALTA de frio constante. Variou-se muito entre frio e calor. Só em Junho que o frio foi mais constante de fato. Julho e Agosto tiveram boas MPs intercaladas com calorões fora de época. Mas no geral, até que foi um inverno legal sim. Só que após 2000, tivemos outros melhores, tais como 2004, 2009, 2011 e 2017 (para MG, antes que me jogue pedras, rsrsrs).

2004 foi a exceção do período 2001-2006, pois o frio foi constante, intenso e amplo, do final de abril até julho foram vários sistemas frontais continentais que chegavam até a Bahia, houve registro de neve fraca no Parque Nacional do Itatiaia em junho e as temperaturas chegaram a -8 graus na serra catarinense.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 minutos atrás, Renan disse:

 

É verdade. Por sinal, você reparou que o oceano Atlântico tem ficado muito mais tempo aquecido do que resfriado nos últimos anos ? Isso com certeza está impactando no rigor do verão.

E nos primórdios do BAZ mal se falava do impacto do Atlântico no nosso clima...

 

A "tese" foi brotando...

 

Hoje a ideia rivaliza com a influência do Pacífico no nosso clima, na minha humilde opinião, se não, com até mais influência... São necessários mais estudos!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, Renan disse:

 

É verdade. Por sinal, você reparou que o oceano Atlântico tem ficado muito mais tempo aquecido do que resfriado nos últimos anos ? Isso com certeza está impactando no rigor do verão.

Este aquecimento que é causa dos invernos fracos e verões arrasadores, mesmo sem el ñino já é suficiente para a alimentação da ASAS e o fraco avanço das frentes frias, enquanto a América do Sul torra a África Austral e a Oceania tem invernos mais rigorosos do que o normal.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 minutos atrás, Caco Pacheco disse:

E nos primórdios do BAZ mal se falava do impacto do Atlântico no nosso clima...

 

A "tese" foi brotando...

 

Hoje a ideia rivaliza com a influência do Pacífico no nosso clima, na minha humilde opinião, se não, com até mais influência... São necessários mais estudos!

Nos anos 80 houve o el ñino de 1982-1983, que foi muito intenso e provocou chuvas destrutivas no Sul do Brasil e uma severa estiagem no Nordeste junto com um inverno fraco, depois em 1984/85 veio a neutralidade/ um pouco mais frio, os invernos desses dois anos foram mais frios do que o normal, no final da década ocorreu um intenso la niña em 1988/89 junto com um inverno rigoroso no Brasil (1988). A mídia e os meteorologistas daqui passaram a associar o el niño a invernos quentes e la niña a invernos frios; com o tempo perceberam que o oceano Atlântico também influenciava nos fenômenos climáticos sul-americano, sendo capaz de atenuar os efeitos do el niño e la niña nesta parte do mundo.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 07/01/2019 em 12:35, jrmartinisp disse:

Vocês viram isso? A área da cobertura de gelo tem alguma influencia no nosso inverno?

 

 

Apesar do baixo valor atual, acredito que o mínimo de "sea ice" de 2019 não será recorde!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 16/08/2018 em 09:52, Flavio Feltrim disse:

Alguns dados que acompanho não apontam El Niño no final do ano, apenas uma neutralidade com tendência positiva... parece pouco provável que ocorra, mas se ocorrer será fraco!

 

E passado o período ápice de El Niño, continuamos na "neutralidade positiva"...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
2 horas atrás, Renan disse:

 

É verdade. Por sinal, você reparou que o oceano Atlântico tem ficado muito mais tempo aquecido do que resfriado nos últimos anos ? Isso com certeza está impactando no rigor do verão.

Renan, em 2013 passei o mês de Janeiro em Puerto Montt (sul do Chile), 40°S.

Peguei temperaturas entre 4°C e 15°C com bastante sol e vento gelado de Sul constante. 

Eu adorei, pois me senti no inverno uruguaio em pleno Janeiro. Hahaha 

Por lá a sensação de todos é que está cada vez mais frio.

A cidade fica na beira do Pacífico. 

Um amigo que mora lá diz que as pessoas reclamam o tempo todo que não existe verão. 

Olha o verão por lá, dados de agora.

Screenshot_20190109-110700.png

Edited by Ivan
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
46 minutos atrás, Ivan disse:

Renan, em 2013 passei o mês de Janeiro em Puerto Montt (sul do Chile), 40°S.

Peguei temperaturas entre 4°C e 15°C com bastante sol e vento gelado de Sul constante. 

Eu adorei, pois me senti no inverno uruguaio em pleno Janeiro. Hahaha 

Por lá a sensação de todos é que está cada vez mais frio.

A cidade fica na beira do Pacífico. 

Um amigo que mora lá diz que as pessoas reclamam o tempo todo que não existe verão. 

Olha o verão por lá, dados de agora.

Screenshot_20190109-110700.png

 

Nem 8, nem 80, hehehe. Esse verão daí é pra deixar qualquer um deprimido.

 

Gosto de calor, mas dentro de padrões toleráveis. Para mim, acima de 30 já é totalmente desnecessário. O problema é que Juiz de Fora tem uma boa quantidade de máximas acima dos 30. Ano passado, por exemplo, foram 86 dias assim !

  • Haha 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, Renan disse:

 

Nem 8, nem 80, hehehe. Esse verão daí é pra deixar qualquer um deprimido.

 

Gosto de calor, mas dentro de padrões toleráveis. Para mim, acima de 30 já é totalmente desnecessário. O problema é que Juiz de Fora tem uma boa quantidade de máximas acima dos 30. Ano passado, por exemplo, foram 86 dias assim !

O inverno do Vale do Paraíba Fluminense é interessante, já o verão é bizarro. Ontem tive 36°C... Aqui fica a beira do insuportável e perdi as contas das temperaturas acima dos 30°C. Hahaha

  • Haha 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 horas atrás, Caco Pacheco disse:

Deu chabú? rsrsrsr

 

Previsão de modelos do dia 23/dez.

 

Abs!

 

 

Infelizmente... ao menos a parte das temperaturas acima da média estava certa.

 

A atmosfera é caótica demais!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×