Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento e Previsão Climática (ENSO/SST/AAO/PDO)

Recommended Posts

Então, desde que começaram as medições, nunca registraram uma La Niña muito forte ? El Niño já tivemos 3 episódios nessa categoria. Vamos ver se algum dia teremos o privilégio de ver isso. E no fatídico "pós-2000", nunca mais tivemos uma La niña forte...coincidência ?

 

AINDA NÃO ACHEI A CITAÇÃO, MAS NO PRÉ RESFRIAMENTO MAIS FORTE, 2020/2025 EM DIANTE, TEREMOS MAIS EL-NINOS.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Então, desde que começaram as medições, nunca registraram uma La Niña muito forte ? El Niño já tivemos 3 episódios nessa categoria. Vamos ver se algum dia teremos o privilégio de ver isso. E no fatídico "pós-2000", nunca mais tivemos uma La niña forte...coincidência ?

Grandes La Niñas em 55-56, 73-76, 88-89, 98-00, 07-08 e 10-11. Em TODOS estes períodos tivemos, ou grandes eventos de frio (quatro primeiros casos), ou grandes anomalias negativas em meses de inverno (o primeiro e os quatro últimos casos; 73-76 não sei), ou os dois (quatro últimos casos também).

Share this post


Link to post
Share on other sites
eLukRj5.jpg

 

puta la merda, anomalia dos 2 lados.

Faço coro: esse mapa é vomitável.

 

NÃO HAVERÁ período mais ameno enquanto o oceano ficar quente assim, especialmente na costa brasileira (até mesmo porque um período com anomalias negativas no Centro-Sul esfriaria o Atlântico, vide junho passado).

Share this post


Link to post
Share on other sites
Então, desde que começaram as medições, nunca registraram uma La Niña muito forte ? El Niño já tivemos 3 episódios nessa categoria. Vamos ver se algum dia teremos o privilégio de ver isso. E no fatídico "pós-2000", nunca mais tivemos uma La niña forte...coincidência ?

 

AINDA NÃO ACHEI A CITAÇÃO, MAS NO PRÉ RESFRIAMENTO MAIS FORTE, 2020/2025 EM DIANTE, TEREMOS MAIS EL-NINOS.

 

Mais La Ninas você quer dizer, não ?

Estou pessimista com a teoria do resfriamento global a curto prazo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não sei ao certo, mas me parece que a incidência de El niño parece ocorrer com maior frequência do que La niña... Ou não? Especialmente, e para infelicidade do BAZ, após *- década 90.

 

Outra questão... por mais que inverno com El Niño tenda a ser menos rigoroso, houve invernos "bons", com El niño? Como foram 2000 e 94?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Não sei ao certo, mas me parece que a incidência de El niño parece ocorrer com maior frequência do que La niña... Ou não? Especialmente, e para infelicidade do BAZ, após *- década 90.

 

Outra questão... por mais que inverno com El Niño tenda a ser menos rigoroso, houve invernos "bons", com El niño? Como foram 2000 e 94?

Em 1994 o outono foi mais quente que o normal, e no inverno house duas fortíssimas ondas de frio quase que seguidamente. Já em 2000 houve a sequência de pulsos polares onde o mais intenso foi o primeiro, com 1050 hPa abrangeu desde a Patagônia até o estado do Amazonas simultaneamente mas foi bloqueado no Sudeste, que para esta região o segundo pulso polar foi bem mais amplo, pegando até a Bahia.

Share this post


Link to post
Share on other sites
eLukRj5.jpg

 

puta la merda, anomalia dos 2 lados.

Faço coro: esse mapa é vomitável.

 

NÃO HAVERÁ período mais ameno enquanto o oceano ficar quente assim, especialmente na costa brasileira (até mesmo porque um período com anomalias negativas no Centro-Sul esfriaria o Atlântico, vide junho passado).

 

O problema principal ai é o aquecimento do Nino +1 e +2, que na prática é a região que mais impacta diretamente sobre nós. Já vimos alguns casos inclusive ano passado com Nino +1/+2 frio e +3/+4 em La Nada ou mesmo fraco El Nino, mas o comportamento da nossa atmosfera era de La Nina. Nossa costa aquecida seria um problema contornável não fosse essa ascensão do El Nino.

 

Em termos de oceanos, o pior cenário que já vi até hoje foi de 2009/2010, tanto Atlântico quanto Pacífico tropical estavam fervendo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

No entanto os invernos de 2009 e 2010 foram bons. O clima é um quebra-cabeça bem difícil de montar (por enquanto). Há tantas hipóteses, mas até agora não observei nenhuma que seja eficaz, sempre nos dão belas rasteiras...

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

puta la merda, anomalia dos 2 lados.

Faço coro: esse mapa é vomitável.

 

NÃO HAVERÁ período mais ameno enquanto o oceano ficar quente assim, especialmente na costa brasileira (até mesmo porque um período com anomalias negativas no Centro-Sul esfriaria o Atlântico, vide junho passado).

 

O problema principal ai é o aquecimento do Nino +1 e +2, que na prática é a região que mais impacta diretamente sobre nós. Já vimos alguns casos inclusive ano passado com Nino +1/+2 frio e +3/+4 em La Nada ou mesmo fraco El Nino, mas o comportamento da nossa atmosfera era de La Nina. Nossa costa aquecida seria um problema contornável não fosse essa ascensão do El Nino.

 

Em termos de oceanos, o pior cenário que já vi até hoje foi de 2009/2010, tanto Atlântico quanto Pacífico tropical estavam fervendo.

 

previsão do 1+2

 

Screenshot_20170305-220844.thumb.jpg.6e73b6f0b950398b6ad730bcd5832870.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Faço coro: esse mapa é vomitável.

 

NÃO HAVERÁ período mais ameno enquanto o oceano ficar quente assim, especialmente na costa brasileira (até mesmo porque um período com anomalias negativas no Centro-Sul esfriaria o Atlântico, vide junho passado).

 

O problema principal ai é o aquecimento do Nino +1 e +2, que na prática é a região que mais impacta diretamente sobre nós. Já vimos alguns casos inclusive ano passado com Nino +1/+2 frio e +3/+4 em La Nada ou mesmo fraco El Nino, mas o comportamento da nossa atmosfera era de La Nina. Nossa costa aquecida seria um problema contornável não fosse essa ascensão do El Nino.

 

Em termos de oceanos, o pior cenário que já vi até hoje foi de 2009/2010, tanto Atlântico quanto Pacífico tropical estavam fervendo.

 

previsão do 1+2

 

[attachment=0]Screenshot_20170305-220844.jpg[/attachment]

 

Nada catastrófico, mas tendência de patamares elevados :/

Share this post


Link to post
Share on other sites
....Nada catastrófico, mas tendência de patamares elevados :/

 

Esqueci de citar no teu comentário sobre a descrença da atividade solar no curto prazo.

 

Aqui a comunidade cientifica é dividida ao máximo.

 

O ponto:a

 

Há evidências e registros robustos sobre o ótimo medieval (antigamente o ótimo era os períodos quentes) o qual sucedeu um período frio chamado Trevas e foi o antecessor de outro período frio chamado pequena era do gelo (LIA).

 

Há evidência que esses períodos foram observados simultaneamente nos dois hemisférios.

 

Esse ponto da simultaneidade hemisférica é de suma importância para o conhecimento do clima da aquosa Bola Azul.

 

Na hipótese do aquecimento global antropogênico as conhecidas mudanças (suaves como a atual) é creditada unicamente a variabilidade a atividade solar sabendo que os parâmetros orbitais apresentam períodos de outra ordem de grandeza.

 

Apenas no início da década de 90 as medições no topo da atmosfera tiveram início e constatação inicial é que havia um erro de construção nos equipamentos que faziam essas medições a partir do solo.

 

As variações encontradas são mínimas e insignificantes e termos de energia.

 

Portanto, exceto que o planeta tenha uma hiper sensibilidade a luz solar...

 

não há uma explicação razoável para nada.

 

Abs.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Anomalias por regiões:

 

24wa55e.jpg

(RMaue)

 

Interessante... uma atmosfera cerca de 0,5 grau mais quentinha nos últimos 3 anos...

Tomara que o postulado mafiliano esteja certo, que os oceanos terminem logo de liberar todo o excesso de calor para a atmosfera, para que ela finalmente possa se resfriar e, com sorte, o sinal da anomalia possa ser invertido.

Share this post


Link to post
Share on other sites
....Nada catastrófico, mas tendência de patamares elevados :/

 

Esqueci de citar no teu comentário sobre a descrença da atividade solar no curto prazo.

 

Aqui a comunidade cientifica é dividida ao máximo.

 

O ponto:a

 

Há evidências e registros robustos sobre o ótimo medieval (antigamente o ótimo era os períodos quentes) o qual sucedeu um período frio chamado Trevas e foi o antecessor de outro período frio chamado pequena era do gelo (LIA).

 

Há evidência que esses períodos foram observados simultaneamente nos dois hemisférios.

 

Esse ponto da simultaneidade hemisférica é de suma importância para o conhecimento do clima da aquosa Bola Azul.

 

Na hipótese do aquecimento global antropogênico as conhecidas mudanças (suaves como a atual) é creditada unicamente a variabilidade a atividade solar sabendo que os parâmetros orbitais apresentam períodos de outra ordem de grandeza.

 

Apenas no início da década de 90 as medições no topo da atmosfera tiveram início e constatação inicial é que havia um erro de construção nos equipamentos que faziam essas medições a partir do solo.

 

As variações encontradas são mínimas e insignificantes e termos de energia.

 

Portanto, exceto que o planeta tenha uma hiper sensibilidade a luz solar...

 

não há uma explicação razoável para nada.

 

Abs.

 

E será que não existe a possibilidade de "delay", esse aquecimento todo dos oceanos serem apenas uma resposta tardia, visto que estamos num período de atividade solar bem fraca que já não vem de hoje...

Share this post


Link to post
Share on other sites
[quote name="Mafili"

 

E será que não existe a possibilidade de "delay"' date=' esse aquecimento todo dos oceanos serem apenas uma resposta tardia, visto que estamos num período de atividade solar bem fraca que já não vem de hoje...[/quote]

 

Há essencialmente dois tipos de pesquisadores solares sérios (um grupo que utiliza como indicador {proxi} da atividade solar as manchas solares e outro grupo que a partir de um modelo matemático chamado dínamo solar e medições de satélites e outros métodos observacionais... ta e como sempre uma terceira via que mistura tudo...normalmente são os não sérios.).

 

O problema é que o ciclo solar (alternância entre períodos de muitas manchas e períodos de poucas manchas) é estável (13 anos) e o ciclo completo 26 anos.

 

Adicione períodos de baixa atividade e períodos de alta atividade.

 

E daí para frente é matematicamente correto estabelecer ciclos de 90, 160, 200 anos...

associados ao de 13 e 26 anos e some variações decadais não sincronizadas (PDO, AMO, AMOC e demais) períodos quinquenais (como ENSO).

 

Adiciona-se "dalay" de vários tempos em cada "ciclo".

 

Teremos respostas para quaisquer questionamentos.

 

Então, não tenho nenhum apreço pelas ideias cíclicas quando levada aos extremos.

 

Atenciosamente

 

Abração

Share this post


Link to post
Share on other sites
NÃO HAVERÁ período mais ameno enquanto o oceano ficar quente assim, especialmente na costa brasileira (até mesmo porque um período com anomalias negativas no Centro-Sul esfriaria o Atlântico, vide junho passado).

 

O problema principal ai é o aquecimento do Nino +1 e +2, que na prática é a região que mais impacta diretamente sobre nós. Já vimos alguns casos inclusive ano passado com Nino +1/+2 frio e +3/+4 em La Nada ou mesmo fraco El Nino, mas o comportamento da nossa atmosfera era de La Nina. Nossa costa aquecida seria um problema contornável não fosse essa ascensão do El Nino.

 

Em termos de oceanos, o pior cenário que já vi até hoje foi de 2009/2010, tanto Atlântico quanto Pacífico tropical estavam fervendo.

O que você disse ajudaria no resfriamento da nossa costa com o aumento da frequência de mp´s. Esta é a base. :good2:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Alguma tendência para o inverno 2017? Média, frio ou quente, com os dados?

 

Se for "menino", chances maiores para acima da média, nâo? Mas o que gostaria de saber é se já houve ocorrência de invernos bons com "menino"...

Share this post


Link to post
Share on other sites
...... Mas o que gostaria de saber é se já houve ocorrência de invernos bons com "menino"...

 

Perguntas:

 

O quê é "inverno bom"?

 

Definida a resposta acima.

 

Outra em qual local?

 

Outra em qual período?

 

------

 

2017:

Quente.

Neste ponto genérico no tempo e espaço (2017 - Brasil muito quente....observe que para recuperar os meses de janeiro e fevereiro já decorridos e a quase primeira metade de março....é quase certo).

 

Em termos global 2017 já o foi para o espaço.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Alguma tendência para o inverno 2017? Média, frio ou quente, com os dados?

 

Se for "menino", chances maiores para acima da média, nâo? Mas o que gostaria de saber é se já houve ocorrência de invernos bons com "menino"...

 

1983 O INVERNO FOI DE FRIO FORTE E CONSTANTE, SEM EXTREMOS, ISTO EM FLORIPA.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Why has ENSO been more difficult to predict since 2000?

INSTITUTE OF ATMOSPHERIC PHYSICS, CHINESE ACADEMY OF SCIENCES

 

Fei Zheng,

 

O autor é um especialista (muito reconhecido) em modelagem tanto determinística quanto estatística de ENSO.

 

O primeiro ponto vai contra a crença popular que melhores computadores produzem melhores previsões. (alguns cientistas sabendo que isso não verdade insistem em melhores computadores...mas aqui é departamento do Ronaldo...(ou é ignorância ou é má fé).

 

O segundo ponto: Importantíssimo que anomalia de ventos no Pacífico Equatorial está sujeita a variações dos campos de pressão fora do Pacífico Tropical e isso é muito interessante em algo intrigante sob dois aspecto

a- O fraco acoplamento oceano/atmosfera quando ocorre explica algumas coisas. ( a mais interessante é o malabarismo de palavras tanto no prognóstico como no acompanhamento de previsões que tenham dose elevada de ENSO na composição).

 

b- Se coisas fora do Pacífico Tropical influencia fortemente a condição de ENSO é natural supor novamente mais erros grosseiros.

 

 

 

"The forecasting reliability during the period 2002-2011 was relatively lower than that in the 1980s and 1990s." Observed Dr. Fei Zheng from Institute of Atmospheric Physics after he and his team examined the ENSO prediction skills of 20 state-of-the art models. They explored the possible reasons of modulating the decadal variations in ENSO's predictability, and recommended the Bjerknes Feedback (BF) intensity, which dominates the development of ENSO, to determine ENSO predictability.

 

zonal wind anomalies over the equatorial Pacific are more linked to SLP variations in the off-equatorial Pacific, which can then transfer this information into surface temperature and precipitation fields through the BF, suggesting a weakening in the ocean-atmosphere coupling in the tropical Pacific.

 

https://www.eurekalert.org/pub_releases/2017-02/ioap-whe020117.php

Share this post


Link to post
Share on other sites
...... Mas o que gostaria de saber é se já houve ocorrência de invernos bons com "menino"...

 

Perguntas:

 

[highlight=yellow]O quê é "inverno bom"?[/highlight]

2011/2016

Definida a resposta acima.

 

Outra em qual local?

 

Outra em qual período?

 

------

 

2017:

Quente.

Neste ponto genérico no tempo e espaço (2017 - Brasil muito quente....observe que para recuperar os meses de janeiro e fevereiro já decorridos e a quase primeira metade de março....é quase certo).

 

Em termos global 2017 já o foi para o espaço.

Share this post


Link to post
Share on other sites
...... Mas o que gostaria de saber é se já houve ocorrência de invernos bons com "menino"...

 

Perguntas:

 

[highlight=yellow]O quê é "inverno bom"?[/highlight]

2011/2016; sem grandes períodos entre uma erupção de ar frio e outra...inverno mais constante

Definida a resposta acima.

 

Outra em qual local?

São Paulo

Outra em qual período?

Especialmente JJA, com boas erupções de ar polar.

------

 

2017:

Quente.

Neste ponto genérico no tempo e espaço (2017 - Brasil muito quente....observe que para recuperar os meses de janeiro e fevereiro já decorridos e a quase primeira metade de março....é quase certo).

 

Em termos global 2017 já o foi para o espaço.

 

Minha pergunta principal é se já houve inverno bom com menino...Pois, na memória, 95 fiasco; 97/98 fiasco; 2005 fiasco, e por aí vai...2015 fiasco mór!

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Perguntas:

 

[highlight=yellow]O quê é "inverno bom"?[/highlight]

 

Em termos global 2017 já o foi para o espaço.

 

Minha pergunta principal é se já houve inverno bom com menino...Pois, na memória, 95 fiasco; 97/98 fiasco; 2005 fiasco, e por aí vai...2015 fiasco mór!

 

Well,

 

A média da cidade de São Paulo no final do século XIX e início do século XX era semelhante a média atual de Porto Alegre no trimestre JJA.

 

Deste modo seja lá o que for ''inverno bom'' no teu conceito talvez e apenas talvez daqui uns 150 / 200 anos.

 

-------

 

Responda:

 

Considerando que inverno é o trimestre JJA e o inverno mais frio é aquele com menor média (veja é um critério)

 

Em Porto Alegre o inverno mais frio desde 1949 é o mesmo inverno mais frio em São Joaquim:

 

Falso ou Verdadeiro

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Perguntas:

 

[highlight=yellow]O quê é "inverno bom"?[/highlight]

 

Em termos global 2017 já o foi para o espaço.

 

Minha pergunta principal é se já houve inverno bom com menino...Pois, na memória, 95 fiasco; 97/98 fiasco; 2005 fiasco, e por aí vai...2015 fiasco mór!

 

Well,

 

A média da cidade de São Paulo no final do século XIX e início do século XX era semelhante a média atual de Porto Alegre no trimestre JJA.

 

Deste modo seja lá o que for ''inverno bom'' no teu conceito talvez e apenas talvez daqui uns 150 / 200 anos.

 

-------

 

Responda:

 

Considerando que inverno é o trimestre JJA e o inverno mais frio é aquele com menor média (veja é um critério)

 

Em Porto Alegre o inverno mais frio desde 1949 é o mesmo inverno mais frio em São Joaquim:

 

Falso ou Verdadeiro

 

Verdadeiro; são bem correlacionados.

 

Quanto à comparação SP de 110 anos atrás com POA de hoje; microclima, embora duvide muito que São Lourenço da Serra (desprovida de microcllimas que SP teve), tenha média igual a POA!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em Porto Alegre o inverno mais frio desde 1949 é o mesmo inverno mais frio em São Joaquim:

 

Verdadeiro; são bem correlacionados.

 

Quanto à comparação SP de 110 anos atrás com POA de hoje; microclima, embora duvide muito que São Lourenço da Serra (desprovida de microcllimas que SP teve), tenha média igual a POA!

 

Verdadeiro?

 

Pense mais um cadinho.

 

A própria Curitiba e o sudeste como um todo (exceto a região litorânea) vem apresentando aquecimento mensurável de décimos de graus nos últimos 70 anos (mesmo descontando o efeito ilha de calor urbano e ocupação e uso do solo).

 

Vamos papeando

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em Porto Alegre o inverno mais frio desde 1949 é o mesmo inverno mais frio em São Joaquim:

 

Verdadeiro; são bem correlacionados.

 

Quanto à comparação SP de 110 anos atrás com POA de hoje; microclima, embora duvide muito que São Lourenço da Serra (desprovida de microcllimas que SP teve), tenha média igual a POA!

 

Verdadeiro?

 

Pense mais um cadinho.

 

A própria Curitiba e o sudeste como um todo (exceto a região litorânea) vem apresentando aquecimento mensurável de décimos de graus nos últimos 70 anos (mesmo descontando o efeito ilha de calor urbano e ocupação e uso do solo).

 

Vamos papeando

 

Acompanho o voto do relator. PR e SP como um todo apresentaram aquecimento *natural* de cerca de 0,5 grau nas últimas décadas. Especialmente após 1990. É impressionante como a normal 61-90 de Mirante de Santana era bem parecida com a semi-normal 2001-2016 do Inmet de Curitiba.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pra mim o melhor critério disparado para avaliar inverno bom ou ruim é horas de frio. Médias muitas vezes pode ser enganador, temperaturas extremas também. Agora constância sim.

 

Pegamos por exemplo abril do ano passado. Até o dia 25/26 estava uma média absurda, estava sendo o mês mais quente do verão no sul, acontece que a MP que veio no fim do mês era tão forte que meio que pulverizou as anomalias, foi nada especial as anomalias positivas.

 

Então assim, oficialmente pode não ter sido o mês com maior anomalia positiva, mas que vivenciei foi a maior anomalia que eu vi por essas bandas em um mês (pior que agosto 2012).

 

Mas é inevitável bom ou mau inverno cair na subjetividade. Em 2013 até vir aquelas nevadas nos 3 estados do Sul eu não havia sentido frio naquele inverno (até quase meados de julho estava um fiasco). Depois disso o frio foi constante (agosto,set e out). Dia fica difícil avaliar, mas nossas mentes puxa eventos significativos, como por exemplo neve.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Quanto à comparação SP de 110 anos atrás com POA de hoje; microclima, embora duvide muito que São Lourenço da Serra (desprovida de microcllimas que SP teve), tenha média igual a POA!

Depende de quais médias...

 

Médias compensadas do mês mais frio, do mês mais quente e anual:

 

1931-1960

São Paulo (Mirante): 14,6 / 21,7 / 18,4

Porto Alegre: 14,3 / 24,7 / 19,5

 

1961-1990

Sampa: 15,8 / 22,4 / 19,3

PoA: 14,3 / 24,6 / 19,5

 

1980-2010

Sampa: 16,7 / 23,2 / 20,0

PoA: 14,2 / 24,9 / 19,7

Share this post


Link to post
Share on other sites
O rabo não abana o cachorro.

 

----

Sim, durante um El Niño o planeta está literalmente mandando calor para o espaço na única forma que energia consegue entrar o sair do planeta por radiação.

 

Lembrando que nos primeiros 10 metros abaixo da linha d'água nos oceanos para cada grau de aumento é a energia para aumentar em 10 ºC toda a atmosfera.

 

-----

 

Mais didático que isso, só desenhando! Assino embaixo...

 

 

Em geral, a duração dos El Niños é bem distinta das La Niñas: os Niños costumam ser mais intensos nas anomalias mas durar de 9 a 12 meses; já as Niñas não alcançam anomalias tão profundas, mas podem durar mais de 24 meses.

 

Quanto a origem dos eventos, uma vez li um artigo muito interessante que infelizmente não lembro os autores, que mencionava sobre a gênese do ENSO e que não tem nada a ver com a teoria dos vulcões submarinos: seria na verdade uma anomalia que temos no cinturão geomagnético do Pacífico sul, que ao oscilar permite a entrada maior ou menor de radiação solar e raios cósmicos na região, modificando a circulação atmosférica, a cobertura de nuvens e alterando os alísios (quando enfraquece gera Niños e quando fortalece as Niñas). O resto vocês já conhecem...

Share this post


Link to post
Share on other sites
O rabo não abana o cachorro.

 

----

Sim, durante um El Niño o planeta está literalmente mandando calor para o espaço na única forma que energia consegue entrar o sair do planeta por radiação.

 

Lembrando que nos primeiros 10 metros abaixo da linha d'água nos oceanos para cada grau de aumento é a energia para aumentar em 10 ºC toda a atmosfera.

 

-----

 

Mais didático que isso, só desenhando! Assino embaixo...

 

 

Em geral, a duração dos El Niños é bem distinta das La Niñas: os Niños costumam ser mais intensos nas anomalias mas durar de 9 a 12 meses; já as Niñas não alcançam anomalias tão profundas, mas podem durar mais de 24 meses.

 

Quanto a origem dos eventos, uma vez li um artigo muito interessante que infelizmente não lembro os autores, que mencionava sobre a gênese do ENSO e que não tem nada a ver com a teoria dos vulcões submarinos: seria na verdade uma anomalia que temos no cinturão geomagnético do Pacífico sul, que ao oscilar permite a entrada maior ou menor de radiação solar e raios cósmicos na região, modificando a circulação atmosférica, a cobertura de nuvens e alterando os alísios (quando enfraquece gera Niños e quando fortalece as Niñas). O resto vocês já conhecem...

 

Caramba... curiosíssimo mesmo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Caramba... curiosíssimo mesmo!

 

Sim, bem curioso mesmo! Pelo que li no tal artigo, essa anomalia no cinturão geomagnético existe a milhões de anos, mas só teria começado a formar El Niños depois que a América Central e do Sul se uniram na região do Canal do Panamá (istmo do Panamá). Essa junção ocorreu uns 3 milhões de anos atrás devido a movimentação das placas tectônicas, bloqueando a comunicação que existia entre o Atlântico e o Pacífico naquele local e favorecendo a formação dos eventos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Última leitura mostra o pacífico marchando forte para o patamar de El Nino, com avanço forte em relação a última semana.

 

15MAR2017

 

Nino 1+2 +2.6 (+0,5oC)

Nino 3 +0.8 (+0,4oC)

Nino 3.4 +0.3 (+0,5oC)

Nino 4 0.0 (+0,3oC)

 

Expectativas de um inverno padrão 2015.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Última leitura mostra o pacífico marchando forte para o patamar de El Nino, com avanço forte em relação a última semana.

 

15MAR2017

 

Nino 1+2 +2.6 (+0,5oC)

Nino 3 +0.8 (+0,4oC)

Nino 3.4 +0.3 (+0,5oC)

Nino 4 0.0 (+0,3oC)

 

Expectativas de um inverno padrão 2015.

E eu aqui, todo iludido com esses dados aqui e vem você me jogar esse balde de aguá fria!!!...kkkkhtml>

Edited by Guest

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nenhum inverno é igual, mas de fato minhas expectativas para este inverno 2017 também são baixas. O que vier de MP já ficarei feliz ! Não espero de forma alguma um inverno bom como o do ano passado...porém, não acho que repetirá a tragédia de 2015!

 

Pra falar a verdade, o meu verdadeiro medo nesse ano está na primavera. Se concretizar o El Niño, perspectivas de ondas de calor tenebrosas. Ai, meu Deus... :russian:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu só me preocuparia depois de julho caso esse Niño se confirme... por hora apenas modelos! E se realmente ocorrer, será um modoki! Somente a região 1+2 está persistindo com anomalias positivas mais intensas, não enxergo a priori a teleconexão com Walker (oeste da África sem "La Niña)", apenas efeitos locais (chuvas intensas na costa do Peru).

Share this post


Link to post
Share on other sites
Eu só me preocuparia depois de julho caso esse Niño se confirme... por hora apenas modelos! E se realmente ocorrer, será um modoki! Somente a região 1+2 está persistindo com anomalias positivas mais intensas, não enxergo a priori a teleconexão com Walker (oeste da África sem "La Niña)", apenas efeitos locais (chuvas intensas na costa do Peru).

 

 

OBSERVANDO UM OUTRO, QUE ACERTOU RAZOAVELMENTE O ANO PASSADO, COLOCA FRIO MAIS FORTE E CONSTANTE NA SEGUNDA METADE DO INVERNO E, MÉDIA DAS RODADAS, REDUÇÃO BOA DA CHUVA ENTRE ABRIL A AGOSTO. FICO COM PÉ ATRÁS.

 

SERÁ UM ANO ATRAVESSADO.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ahhh... uma coisa eu tenho certeza... pior ou igual a 2015 nem F*****. Também não espero algo como o ano passado.

 

Com esta tendência de El Nino, qquer coisa como 2010, 2009 (aqui para SP) já seria de muito bom tamanho. 2012 e 2014 são lixo.

 

Agora, verãozão já era mesmo aqui em Sampa desde o último sábado. Bem agradável desde então.

Share this post


Link to post
Share on other sites

o inverno de 2015 foi o mais tedioso de todos; acho que pela primeira vez nos dados o MIRANTE NÃO BAIXOU dos 10ºC!!! Não houver mp "potente" em SP...;

 

Mesmo invernos quentes, como 2002 (setembro), 2006 (setembro), houve erupções pontuais de frio. Agora, 2015 foi impressionantemente MONÓTONO; sem graça, XÔXO.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Enquanto o litoral do ''centro-sul'' continuar resilientemente, persistentemente, vai não vai, aquecido.

 

As médias no sudeste devem ficar com anomalias positivas.

 

Isso não é impeditivo de episódios de frio...mas resilentemente quente.

 

E como há muito debatido não nenhuma evidência da influência de ENSO em dias de neve na cidade de São Joaquim.

 

Lá neva ou nevava com La Niña, La Nada e El Niño.

 

Veremos o que os tempos reservam.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

E como há muito debatido não nenhuma evidência da influência de ENSO em dias de neve na cidade de São Joaquim.

 

Lá neva ou nevava com La Niña, La Nada e El Niño.

 

 

Talvez não especificamente com a CIDADE de São Joaquim, mas com relação aos locais propícios no Sul do Brasil, não restam dúvidas quanto a influência de ENSO nos episódios de neve mais significativos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

E como há muito debatido não nenhuma evidência da influência de ENSO em dias de neve na cidade de São Joaquim.

 

Lá neva ou nevava com La Niña, La Nada e El Niño.

 

 

Talvez não especificamente com a CIDADE de São Joaquim, mas com relação aos locais propícios no Sul do Brasil, não restam dúvidas quanto a influência de ENSO nos episódios de neve mais significativos.

 

Com outras cidades e/ou localidades não sei. A única que apresentou dados suficientes para eu poder fazer contas foi São Joaquim. (fornecidos pelo Ronaldo....e a conclusão é que neva ou nevava em quaisquer situação de ENSO)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Enquanto o litoral do ''centro-sul'' continuar resilientemente, persistentemente, vai não vai, aquecido [...]

 

Mafili, temos novidades na temperatura das águas nas regiões Sul e Sudeste, assim como no estuário do Prata:

 

fddl4n.gif

 

1znmwjk.gif

 

152jho2.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

2938y2o.gif

 

10di1jk.gif

 

Positive OLR anomalies (suppressed convection and precipitation)

 

Vamos ver como evolui...pode ser ocasional ou não.

 

Abs

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.