Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Rodolfo Alves

Monitoramento de Ciclones Subtropicais/Tropicais - Atlântico Sul

Recommended Posts

55 minutos atrás, Vinicius Lucyrio disse:

 

Com warm core e dentro da faixa de SST acima dos 26°C, não seria possível pensar na possibilidade ser algo além de apenas subtropical?

Extremamente improvável. 

Teria que ter uma configuração rara pra isso. (Bloqueios + Vórtice Ciclônico sobre a baixa).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Saída dessa tarde dos modelos diminuíram o potencial para a formação de Ciclone Subtropical no começo da semana que vem.

O Modelo Europeu na saída desta tarde, abandonou o barco, e não mostra mais nada se formando.

001anim.gif.d593842560ec148ccb0d2c6ed379bcf7.gif

 

Já o GFS mostra uma baixa se formando na costa do ES.... Pela imagem do diagrama (logo abaixo), a baixa até inicia com núcleo quente, mas logo torna-se assimétrica. Neste cenário, no máximo haveria uma Depressão Subtropical (e olhe lá).

 

002anim.gif.a4cdb60146a5b5a0d45e37593e73eb8e.gif

025.thumb.png.580dc5e00d4795f2250a2297a3b545af.png

 

Seguimos acompanhando a evolução dos modelos....

 

ESCLARECIMENTO DE BOATOS....

Ainda em cima de Ciclones Subtropicais/Tropicais, gostaria de esclarecer dois boatos, que estão sendo difundidos nas redes sociais.

O NOAA através de um site em que exibe Produtos Tropicais, está acusando que há grandes chances de formação de Ciclone Tropical nas próximas 48 horas sobre o Atlântico Sul.

 

020.png.0357eefb47369fcc5fc7ee31a437dee2.png

 

Esse mapa embora verdadeiro, NÃO CONDIZ COM A REALIDADE, E ESTÁ MOSTRANDO ALGO QUE NÃO EXISTE.

NÃO HÁ NENHUMA BAIXA PARA SE FORMAR NO ATLÂNTICO SUL NAS PRÓXIMAS 48 HORAS. E NÃO HÁ PREVISÃO DE CICLONE TROPICAL.... APENAS A POSSIBILIDADE DE UM SISTEMA SUBTROPICAL PARA A PRÓXIMA SEMANA, como já estamos comentando.

 

O NOAA também possui uma página dedicada para o monitoramento para a América do Sul, aonde promove uma mesa de discussão meteorológica sobre as previsões para os próximos 5 dias.

No boletim desta tarde, NÃO HÁ NENHUMA MENÇÃO A FORMAÇÃO DE CICLONE SUBTROPICAL OU TROPICAL.

Nos mapas para as próximas 48 horas não se vê nada... 

 

023.thumb.gif.6e539b26e27b6b6f7b7878496dd3f63e.gif024.thumb.gif.ce66d5a8591bb97f19e291f7f6d9c0f2.gif

 

Nem a Marinha na sua discussão meteorológica sugere a formação de ciclone subtropical nas próximas 48 horas.

024.thumb.png.afe12c26722aac520c706dc121afeb1f.png

 

Além do mais, a atual baixa que está ativa, é um sistema normal. NÃO PODE SER CLASSIFICADA DE DEPRESSÃO SUBTROPICAL, como vi por aí.

A baixa apresenta núcleo frio ao longo de toda a troposfera (cores azul/cinza/rosa).

026.thumb.png.65fd5cb8d7e9907f12cb18f8438194ad.png027.thumb.png.557b4ebdf7f2bce2992dfc3fe1a09bd0.png

 

 

 

  • Like 2
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

18z saindo um pouco mais empolgante

 

Baixa chegando a 995 hpa em 144h, ainda longe....

sfcwind_mslp_cont.sa (1).png

sfcwind_mslp_cont.sa (3).png

 

Não da para ver na imagem, mas no pivotal os ventos seriam de 42 kt ou aproximadamente 77 km/h

Edited by edsr97
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Discussão meteorológica promovida pelo NOAA/WPC para a América do Sul, passa agora a incluir a possibilidade de formação de um Ciclone Subtropical em meados da próxima semana.

001.thumb.png.6bf6ddaf480e5fcd5c1ba0cb85bdb25e.png

 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

GFS segue favorável para formação do Ciclone Subtropical.

A formação deve começar a partir da segunda-feira.  A baixa irá se deslocar pelo oceano, sem ameaças a costa.

 

 

001.png

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
17 minutos atrás, Rodolfo Alves disse:

GFS segue favorável para formação do Ciclone Subtropical.

A formação deve começar a partir da segunda-feira.  A baixa irá se deslocar pelo oceano, sem ameaças a costa.

 

 

001.png

Apenas para complementar o Rodolfo

 

79.phase2.png

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

NO INÍCIO DE 2017  HAVIA UM GRANDE DEBATE COM RELAÇÃO AO VOLTA DO EL NIÑO. ALIÁS A MAIORIA DOS MODELOS APONTAVA CONDIÇÕES PARA O EVENTO. O LUIZ CARLOS MOLION DIZIA O CONTRÁRIO, TRABALHANDO APENAS COM A SIMILARIDADE. O MOLION ESTAVA CERTO!

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

A 24 horas do surgimento da área de baixa pressão sobre a costa do Sudeste, os modelos não parecem muito consistentes para que haja uma nomeação deste sistema.

(Aqui vou mostrar somente os diagramas de superfície, pois não há necessidade de mostrar os da parte superior, uma vez que não há chance para ser tropical).

 

No caso do GFS ainda segue favorável para que a baixa seja subtropical nas primeiras 24-48 horas de vida, logo após tornando-se extratropical. Cenário típico para uma Depressão Subtropical somente.

001.thumb.png.94ef778d64a7e87be3f2659bcf43b67c.png

 

Situação similar segue o UKMET. Modelo que teve boa performance na temporada de furacões do Atlântico Norte ano passado.

 

004.thumb.png.4af962a7970da1edbe26723349827850.png

 

O Modelo da Marinha Americana, o NAVGEM (antigo NOGAPS), é o mais confiante na evolução desta baixa em uma Depressão/Tempestade Subtropical.

 

003.thumb.png.281b7d8cfad797145877c9e40b803bd9.png

 

Enquanto isso os modelos Canadense e Europeu, abortaram da ideia e mostra uma baixa fraca e sem condições para evoluir em algo subtropical.

 

002.thumb.png.e1dcba2baab1f1e9fd7aff30a22ae5af.png

005.thumb.png.d390f7d1e3144fe002a637d3f938b259.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

RODADA AGRESSIVA DO GFS

 

GFS já vem a alguns dias mostrando um cenário de uma baixa abaixo de 990 hpa formando-se para mais de 240h. Por conhecermos a volatilidade deste modelo que já chegou a projetar um furacão no ano passado e depois recuou totalmente, fica o aviso para cautela quanto as imagens que vem a seguir:

 

Gfs projetando na 18z uma intensa baixa se formando no litoral da Bahia, avançando em direção a costa retornando seu deslocamento rumo ao oceano quando ganharia força e chegaria a 985 hpa com ventos de até 94 km/h. 

 

Não sei como ficará a exibição das imagens em miniatura, mas para vê-las com mais definição, clique nas mesmas.

Esta rodada pode ter sido apenas mais uma rodada offset deste modelo, como muitas outras que já vimos.

IBA1.png

IBA2.png

IBA3.png

iba4.png

gfs_mslp_pcpn_samer_52.png

gfs_apcpn_samer_52.png

Edited by edsr97
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Rodada 18Z do GFS trata claramente de um Ciclone Tropical se desenvolvendo sobre a costa da Bahia. 

O sistema se inicia com força de tempestade tropical, e evolui em alto-mar para um FURACÃO.

Pena ser o GFS, e ser tão longe.... Ficará apenas nos mapas do modelo mesmo.

 

001.png

002.png

003.png

004.png

005.png

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

GFS e ECMWF convergem para a formação de uma área de baixa pressão nos próximos 8-10 dias sobre a costa brasileira. Mas a convergência para por aí.

 

Enquanto o GFS segue na ideia da formação de uma baixa com características subtropicais/tropicais sobre a costa do Nordeste.

002.thumb.png.546935bc081a41dfd16c5e66c37dd5e4.png

 

O Euro já mostra a algumas rodadas, duas baixas se formando no litoral do Sul, mas ambas envolvidas por ar frio (extratropical).

 

001.thumb.png.9ba1a3f32e67b4166c006f999acc65e0.png

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

GFS volta a indicar no fim, do fim da grade a formação de um sistema subtropical na costa do Sudeste.  Por enquanto tudo longe e nada que venha a se realizar de fato.

 

1001.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

GFS voltou desde a 06z de hoje a considerar a possível formação de um ciclone subtropical no litoral do Brasil nos próximos dias. 

Sistema teria pressão abaixo dos 997 hpa chegando a 995 hpa na próxima terça feira. Segundo o modelo, os ventos chegariam a até 96 km/h - 52 kt. 

 

Pelo diagrama de fase seria um subtropical bem próximo das características tropicais. 

 

Vamos acompanhar

 

IBA6.png

IBA7.png

161.phase1.png

161.phase2.png

Edited by edsr97
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

GFS 12z saindo agora a trazendo a baixa novamente ao cenário

 

Baixa alcançaria pressão de 999 hpa e ventos de aproximadamente 42 kt pelas projeções do modelo. 

 

IBA11.png

IBA10.png

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

ATUALIZAÇÃO DA LISTA DE NOMES 

 

20190119_095209.thumb.jpg.26c82d70429c1b8d60c8d1edf9a1ed9d.jpg

  • Like 9
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Além do aumento de 10 para 15 nomes na listagem, e a confirmação de rotatividade da lista, com exclusão de nomes que remeterem a ciclones relevantes, outras mudanças significativas também foram implementadas na monitoração de ciclones pela Marinha.

 

Na formação de um Ciclone Subtropical ou Tropical, se necessário o CHM irá entrar em contato com vários órgãos de meteorologia para troca de informações, incluindo o SNM (Serviço Meteorológico da Argentina), o WPC/NOAA e o NHC (National Hurricane Center de Miami), o que pode resultar em rodagem de modelos  especiais do NHC para o Atlântico Sul, se necessário. Achei isso muito importante.

 

Além do mais, o CHM (Centro Hidrográfico da Marinha), irá emitir alertas unificados com o CEMADEN/Defesa Civil/INMET, o que irá tornar oficial a sua classificação, e portanto sendo obrigatoriamente a ser seguida por todos os órgãos da meteorologia no Brasil.

 

Todas essas mudanças publicadas pela Marinha, tornam o CHM, uma espécie de NHC do Atlântico Sul de vez.

 

001.png.a44f3da950fc11decdf592f7794a27fc.png

 

 

E aproveitando a deixa.... Atlântico Sul vai chegando na parte final de Janeiro extremamente quente. SST chega a 30ºC na costa de São Paulo. 

 

Fevereiro e Março podem gerar algo.... A acompanhar....

 

001.thumb.png.ddfb382a4832c28994bca1c652f69ac2.png002.gif.6322c05acbc697a876d1074a25442f27.gif

  • Like 9

Share this post


Link to post
Share on other sites
21 horas atrás, Rodolfo Alves disse:

Além do aumento de 10 para 15 nomes na listagem, e a confirmação de rotatividade da lista, com exclusão de nomes que remeterem a ciclones relevantes, outras mudanças significativas também foram implementadas na monitoração de ciclones pela Marinha.

 

Na formação de um Ciclone Subtropical ou Tropical, se necessário o CHM irá entrar em contato com vários órgãos de meteorologia para troca de informações, incluindo o SNM (Serviço Meteorológico da Argentina), o WPC/NOAA e o NHC (National Hurricane Center de Miami), o que pode resultar em rodagem de modelos  especiais do NHC para o Atlântico Sul, se necessário. Achei isso muito importante.

 

Além do mais, o CHM (Centro Hidrográfico da Marinha), irá emitir alertas unificados com o CEMADEN/Defesa Civil/INMET, o que irá tornar oficial a sua classificação, e portanto sendo obrigatoriamente a ser seguida por todos os órgãos da meteorologia no Brasil.

 

Todas essas mudanças publicadas pela Marinha, tornam o CHM, uma espécie de NHC do Atlântico Sul de vez.

 

001.png.a44f3da950fc11decdf592f7794a27fc.png

 

 

E aproveitando a deixa.... Atlântico Sul vai chegando na parte final de Janeiro extremamente quente. SST chega a 30ºC na costa de São Paulo. 

 

Fevereiro e Março podem gerar algo.... A acompanhar....

 

001.thumb.png.ddfb382a4832c28994bca1c652f69ac2.png002.gif.6322c05acbc697a876d1074a25442f27.gif

 

so espero que nao demorem até o evento ciclone se dissipar pra 'confirmá-lo', como é de praxe na meteorologia brasileira.

Edited by HenriqueBH
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

O CFS vem há várias rodadas insistindo numa mudanças de padrão atmosférico para o mês de Fevereiro.

 

O Bloqueio que assola a América do Sul neste mês de Janeiro chegaria o fim. Com isso, sistemas frontais que antes ficavam bloqueados na Argentina, Uruguai ou Rio Grande do Sul, começariam a avançar sobre o sul e o Sudeste do país.

 

Com esse novo padrão, o CFS vem sugerindo em várias saídas, um ou dois sistemas de baixa pressão se formando costa do Sudeste, o que é típico de canais de umidade. Baixas evoluídas de canais de umidade podem evoluir em sistemas subtropicais. A previsão do CFS não pode ser levada ao pé da letra para 400-500-600 horas, porém a repetição de um mesmo cenário pode indicar uma tendência que pode ser vista no próximo mês.

 

Por exemplo, na última saída sugere dois sistemas de baixa pressão, com potencial para ser subtropical.

 

O primeiro na costa do Rio de Janeiro chegando a 999hpas.

 

1116097968_WhatsAppImage2019-01-24at20_58_21.thumb.jpeg.d52077033a13aee081c0389a2855a3ee.jpeg

 

E outro sistema se formando na costa da Bahia, uma semana depois.

 

001.thumb.png.898a7a8119112842ae9fb6598d5363e9.png

 

 

Soma-se a isso que o Atlântico está estrondosamente quente, chegando a 30ºC em pontos da costa de Sudeste. Portanto, fevereiro pode trazer surpresas com o novo padrão que pode vir acontecer, e nisso poderemos ter nomeações. A acompanhar.....

 

002.thumb.png.84c1b2208e3343e3066b8824e6ab9469.png

  • Like 11

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Rodolfo Alves disse:

O CFS vem há várias rodadas insistindo numa mudanças de padrão atmosférico para o mês de Fevereiro.

 

O Bloqueio que assola a América do Sul neste mês de Janeiro chegaria o fim. Com isso, sistemas frontais que antes ficavam bloqueados na Argentina, Uruguai ou Rio Grande do Sul, começariam a avançar sobre o sul e o Sudeste do país.

 

Com esse novo padrão, o CFS vem sugerindo em várias saídas, um ou dois sistemas de baixa pressão se formando costa do Sudeste, o que é típico de canais de umidade. Baixas evoluídas de canais de umidade podem evoluir em sistemas subtropicais. A previsão do CFS não pode ser levada ao pé da letra para 400-500-600 horas, porém a repetição de um mesmo cenário pode indicar uma tendência que pode ser vista no próximo mês.

 

Por exemplo, na última saída sugere dois sistemas de baixa pressão, com potencial para ser subtropical.

 

O primeiro na costa do Rio de Janeiro chegando a 999hpas.

 

1116097968_WhatsAppImage2019-01-24at20_58_21.thumb.jpeg.d52077033a13aee081c0389a2855a3ee.jpeg

 

E outro sistema se formando na costa da Bahia, uma semana depois.

 

001.thumb.png.898a7a8119112842ae9fb6598d5363e9.png

 

 

Soma-se a isso que o Atlântico está estrondosamente quente, chegando a 30ºC em pontos da costa de Sudeste. Portanto, fevereiro pode trazer surpresas com o novo padrão que pode vir acontecer, e nisso poderemos ter nomeações. A acompanhar.....

 

002.thumb.png.84c1b2208e3343e3066b8824e6ab9469.png

Com essa mudança de circulação em fevereiro, somado com o oceano Atlântico calcitante, poderemos ter algum sistema tropical no nosso litoral, a conferir.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, klinsmannrdesouza disse:

Com essa mudança de circulação em fevereiro, somado com o oceano Atlântico calcitante, poderemos ter algum sistema tropical no nosso litoral, a conferir.

 

Também não duvido disso. Se o shear ajudar, com certeza poderemos ter um sistema tropical, quem sabe ? Seria emocionante.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 minutos atrás, Renan disse:

 

Também não duvido disso. Se o shear ajudar, com certeza poderemos ter um sistema tropical, quem sabe ? Seria emocionante.

Com base nos dados, talvez a mudança na circulação atmosférica ocorra antes do previsto, para um sistema tropical se formar a ASAS precisa estar distante da costa brasileira, assim o cisalhamento nos níveis mais altos da atmosfera estarão baixos, faltando apenas uma instabilidade sobre o oceano dando origem a algum ciclone.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×