Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Carlos Dias

Recordes históricos de frio no Brasil

Recommended Posts

Em eventos fortes, já reparei que as máximas se equiparam a locais a nível do mar aqui no sul. E também aos locais baixos do Oeste.

 

Mas a minha afirmação era em relação a mínimas também. -2/-3 é um valor que dezenas, senão centenas de locais fazem menos anualmente.

No caso das máximas, tenho a impressão que o problema é o frio em altitude.

Os universitários me corrijam se eu estiver errado. :mosking:

 

No sul, com frequência a linha de 0° em 850 hpa atinge o PR, possibilitando frio em todas as camadas da atmosfera.

Isto raramente ocorre no sudeste.

 

Me parece que as cidades de São Paulo e Ponta Porã estão mais ou menos no limite norte das máximas baixas.

Aqui em Sampa, máximas sub-15 acontecem em todos os anos (Raros os que não ocorrem).

No interior paulista, grande parte de MG, na região serrana do RJ (Me corrijam se eu estiver errado), já são bem menos comuns.

 

Máximas sub-15 são raríssimas em BH, por exemplo.

 

Sim. São máximas e mínimas altas se comparada a diversas cidades, bem como Apiaí e a própria capital paulista, que são bem mais baixas. Além do Oeste de SP.

 

Quando me referi Oeste, me referi Oeste da região Sul, mas raciocinando percebo que Ponta Porã também se encaixa. Obrigado pelos códigos. :good:

 

Frost, máxima de 8°C eu tive aqui em 2010. Na verdade foi de 10, mas nas primeiras duas horas do dia, mas depois ficou em 8 até o outro dia. Ou seja, um pouquinho maior que Campos do Jordão, mas comparável. O que talvez seja impossível é uma sequência destas, só em cidades mais altas.

 

Vou contribuir com mais dados do frio de julho de 1923.

 

Curitiba marcou -6,2ºC no dia 23 de julho.

 

Campos do Jordão -8,0ºC no dia 25 de julho.

 

É... Não restam dúvidas para mim... Uma estação em baixada e sem urbanização em Curitiba tem mínima absoluta menor que Campos do Jordão.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Isso mesmo, Artur...continua colocando lenha na fogueira.

 

Aldo, máximas sub-15 são bastante comuns na região serrana fluminense, graças à grande quantidade de dias nublados e chuvosos que aquela região possui durante a passagem de frentes frias.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Moretão, tu achas que consegue alguns dados perdidos destas estações do INMET?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Isso mesmo, Artur...continua colocando lenha na fogueira.

 

nao entendi sua colocaçao, eu pedi pro carlos parar de postar sobre caçador e em troca esta insinuando o que? nao entendi.

 

nao me leve a mal mas eu saí dessa discussao de caçador, nao me coloque de volta, nao ha necessidade e o Coutinho ja explicou melhor a questao.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mensagem do Carlos Dias movida. Continuem a discussão de forma sadia.

 

Vinicius...por favor....faça o serviço completo

 

Mova as msgs do Artur e do Renan tb.......as ultimas........e mande uma Advertencia para o Renan.....que deu inicio ao incidente de hoje....

 

É o que eu faria como ADM

 

obg...!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Carlos, esclareci via mp. Espero que entenda. Agora, vamos voltar ao tema do tópico.

OK..Vinicius..respondi por MP pra toda equipe o que penso...espero que entenda tb.......

 

Vamos seguindo..!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ainda bem que não li as respostas...Só cheguei agora...só leria frases irrelevantes.

 

Enfim...o que o Aldo falou aí em cima é muito importante para refletir. As ondas polares do passado recente poderão ter beneficiado um processo de mínimas extremamente baixas no meio oeste catarinense e sul do Paraná. Não temos como duvidar disso....aquelas MPs continentais sincronizadas com ciclone, com centro muito próximo ao oeste do Sul, eram realmente devastadoras.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ainda bem que não li as respostas...Só cheguei agora...só leria frases irrelevantes.

 

Enfim....

 

renan no geral gosto de suas respostas e sua interatividade com o forum. mas vc ja insimuou duas coisas aqui, q eu botei lenha na fogueira e q as respostas foram irrelevantes, isso inclui meu pedido para ficar de fora da discussao de caçador. se for pedir demais, por gentileza me dispense desses comentarios, to cansado disso e nao leva a nada vc fazer isso..daqui a pouco toma uma punicao da adm de graça. eu to de boa e quero continuar assim, nada tenho contra vc.

podemos resolver isso numa boa?

 

conto com sua cooperaçao.

 

sobre ondas do passado, a linha q nos separa de grandes eventos polares eh muito tenue, a hora q se romper nos proximos anos, ainda veremos algo q nossos olhos nunca viram

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

sobre ondas do passado, a linha q nos separa de grandes eventos polares eh muito tenue, a hora q se romper nos proximos anos, ainda veremos algo q nossos olhos nunca viram

 

Também acho, infelizmente estamos vivenciando um ciclo ''quente'' da terra. Violentas incursões polares como antigamente hoje é extremamente raro. A última MP de respeito que tivemos foi em 2000, antes disso 94 e parte em 96.

 

A década de 80 foi muito similar aos anos 2000, acho que apenas uma MP com alto potencial.

 

Quem sabe se tivermos sorte até 2020 poderemos ter uma MP que tragá valores bem expressivos tanto pro sul quanto pro sudeste.

 

Afinal vamos pra 15 anos do último PORRETE polar que tivemos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Moretão, tu achas que consegue alguns dados perdidos destas estações do INMET?

 

Da normal 61-90 sim. Tem no BDMEP. Difícil mesmo são os anteriores. No caso de Campo Alegre fica difícil.

Share this post


Link to post
Share on other sites

sobre ondas do passado, a linha q nos separa de grandes eventos polares eh muito tenue, a hora q se romper nos proximos anos, ainda veremos algo q nossos olhos nunca viram

 

Penso na mesma coisa. Algo como "energia acumulada".

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A década de 80 foi muito similar aos anos 2000, acho que apenas uma MP com alto potencial.

 

Quem sabe se tivermos sorte até 2020 poderemos ter uma MP que tragá valores bem expressivos tanto pro sul quanto pro sudeste.

 

Afinal vamos pra 15 anos do último PORRETE polar que tivemos.

 

Discordo... as MPs de 1981 e 1985 estão aí para provar o contrário, fora que os outros anos não foram ruins, exceto talvez 1986 e 1983 (a tragédia das enchentes aí no Sul).

 

O frio durante o inverno, ao menos por aqui, era bem mais constante, e não lembro de extremos de calor. No primário, cansei de juntar gelo na relva da escola em que eu estudava, na frente de casa, para tacar nos colegas de classe. Geadas no centro de Itapevi eram constantes, coisa de 5x ou mais ao longo do inverno.

 

Sobre a onda de frio de julho/81: http://meteobrasil.catch-forum.org/t137-onda-de-frio-de-julho-1981

Edited by Guest

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A década de 80 foi muito similar aos anos 2000, acho que apenas uma MP com alto potencial.

 

Quem sabe se tivermos sorte até 2020 poderemos ter uma MP que tragá valores bem expressivos tanto pro sul quanto pro sudeste.

 

Afinal vamos pra 15 anos do último PORRETE polar que tivemos.

 

Discordo... as MPs de 1981 e 1985 estão aí para provar o contrário, fora que os outros anos não foram ruins, exceto talvez 1986 e 1983 (a tragédia das enchentes aí no Sul).

 

O frio durante o inverno, ao menos por aqui, era bem mais constante, e não lembro de extremos de calor. No primário, cansei de juntar gelo na relva da escola em que eu estudava, na frente de casa, para tacar nos colegas de classe. Geadas no centro de Itapevi eram constantes, coisa de 5x ou mais ao longo do inverno.

 

Pode ser Evandro, não discordo de você. Comparado com os últimos anos a década de 80 foi sim muito melhor, mas digo no quesito bombas polares, como a de 75, 94, 2000 talvez 1984 tenha tido um frio mais forte aqui no Sul.

 

Mas as vezes invernos bons ai no sudeste não significa invernos bons aqui no sul, e vice versa :hi:

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Pode ser Evandro, não discordo de você. Comparado com os últimos anos a década de 80 foi sim muito melhor, mas digo no quesito bombas polares, como a de 75, 94, 2000 talvez 1984 tenha tido um frio mais forte aqui no Sul.

 

Mas as vezes invernos bons ai no sudeste não significa invernos bons aqui no sul, e vice versa :hi:

 

Editei a minha msg com um anexo, deivid... dá uma olhada. :good:

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

É... Não restam dúvidas para mim... Uma estação em baixada e sem urbanização em Curitiba tem mínima absoluta menor que Campos do Jordão.

 

Também concordo, na verdade não é preciso nem ir tão longe. Rancharia (SP) que é uma cidade quente, em muitos invernos apresenta mínimas absolutas inferiores as de CDJ ou mesmo a outras cidades mais frias no estado. Só é possível ter um panorama geral mesmo desses locais quando se olham as médias, normais, etc.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na década de 80 houve as bombas de 17-21/07/1981, 24-28/08/1984, 05-12/06/1985, 05-09/08/1987, 03-07/06/1988, 10-16/07/1988 e 05-13/07/1989.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Na década de 80 houve as bombas de 17-21/07/1981, 24-28/08/1984, 05-12/06/1985, 05-09/08/1987, 03-07/06/1988, 10-16/07/1988 e 05-13/07/1989.

 

Tempos em que caia alguma neve paraguaia em Curitiba quase todo ano... e esse tipo de ocorrência mal dava manchete nos jornais.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Moretão, tu achas que consegue alguns dados perdidos destas estações do INMET?

 

Da normal 61-90 sim. Tem no BDMEP. Difícil mesmo são os anteriores. No caso de Campo Alegre fica difícil.

 

Vamos ao que achei de mais relevante, alguns já são conhecidos:

 

-9,1°C Irineópolis (07/08/1963)

-8,8°C Irineópolis (06/08/1963)

-8,4°C Xanxerê (06/08/1963)

-7,7°C Campo Alegre (06/08/1963)

-7°C Fraiburgo (05/06/1978)

-6,6°C Xanxerê (21/08/1965)

-6,3°C Campo Alegre (07/08/1963)

 

Vale do Itajaí decepcionou em 63. Estes e outros dados foram repassados para o tópico "Recordes Históricos de Santa Catarina"

Share this post


Link to post
Share on other sites
Aldo, máximas sub-15 são bastante comuns na região serrana fluminense, graças à grande quantidade de dias nublados e chuvosos que aquela região possui durante a passagem de frentes frias.

:good2:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Devido aos últimos fatos eu deixei de acreditar na mínima (-14°C) de Caçador-SC. Na verdade eu aceitava com certa reserva e nunca me importei de fato se havia a possibilidade de haver erros de leitura, de escrita ou mesmo das condições em que foram feitas as leituras na estação (altura do sensor/esposição/etc). Um dos motivos de eu nc ter contestado é o fato de existirem mínimas bem parecidas em outras estações tanto em Santa Catarina qto aki no Paraná (-12/-11,6/-11,5/-11,1...). Vejam q se tratam de imensas áreas elevadas (1.000/1.200 m de altitude e com certa continentalidade se comparadas com as cidades serranas próximas de São Joaquim. Acho q a desmistificação da menor mínima em território nacional é algo irrelevante. Não é de suma importância. Não deveria gerar conflitos aki dentro... Mas as coisas são assim no Baz... então esse assunto ganha destake. Algo q me chateia bastante diz respeito ao Inmet, q segundo o Carlos Dias foi o órgão q acabou de uma certa forma colocando uma grande dúvida no valor registrado pelo Epagri. Logo o Inmet q nc disponibilizou os registros anteriores à 1960. Erros nos históricos do Inmet (os q estão disponíveis hj), existem aos milhares, tds sabem.

Falhas de observação, negligência com determinados registros q deveriam ser obrigatórios (relva), falhas em muitos meses e anos de observações, valores absurdos publicados como certos, sem se darem ao trabalho de uma revisão, muitas vzs só vindo à tona depois q alguém do próprio Baz entrou em contato com o próprio Inmet...enfim... Brazil... Vale lembrar q NO MOMENTO, por menores q sejam as mínimas no Parke Itatiaia, a mínima absoluta no Sudeste continua sendo -8,4°C de MdF, mesmo já tendo sido registrado -9,6°C em Furnas (2015). Registros extra-oficiais não são aceitos, todos sabem. O menor valor até hj oficialnente no PNI é akele q consta nos registros do Instituto Nacional de Meteorologia (-6,4°C), numa altitude de 2.199 m, na década 1920 ou 1930, qdo havia uma estação por lá. Os dados atuais, das estações q estão em funcionamento, embora eu considere corretos e não duvide dos valores (inclusive divulgo no facebook para amigos em mais de 40 países) são EXTRA-OFICIAIS e naturalmente sempre haverá contestação, uma vez q já ficou claro q existe SIM uma disputa entre Sul e Sudeste onde envolve o fato de KEM irá apresentar o menor valor absoluto do país...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Onda de frio de julho de 1975:

 

18/7/1975 - Campo Mourão-PR = -7,1 ºC;

18/7/1975 - Londrina-PR = -2,8 ºC;

18/7/1975 - Presidente Prudente-SP =´-1,8 ºC;

18/7/1975 - Araçatuba-SP = -0,2 ºC;

18/7/1975 - Três Lagoas-MS = -2,0 ºC;

18/7/1975 - Campo Grande-MS = -3,4°C;

18/7/1975 - Coxim-MS = -1,4 ºC;

18/7/1975 - Cuiabá-MT = 3,3 ºC;

19/7/1975 - Vilhena-RO = 3,4 ºC;

18/7/1975 - Diamantino-MT = 4,0 ºC;

19/7/1975 - Rio Branco-AC = 6,0 ºC;

19/7/1975 - Porto Velho-RO = 7,4 ºC.

 

Obs: Para termos ideia da magnitude da onda de frio de 1975. A "friagem" dessa onda de frio, ela atravessou a linha do Equador e atingiu a Venezuela, que tava em pleno verão, pois lá é hemisfério Norte. O centro dessa massa de ar frio atuou com mais intensidade na calha da bacia do Rio Paraná e do Rio Paraguai, que tiveram os registros de temperaturas negativas.

 

Fonte: http://meteorologiaeclima1.blogspot.com.br/2010/06/onda-de-frio-em-julho-de-1975.html

BDMEP do INMET

Edited by Guest

Share this post


Link to post
Share on other sites
Devido aos últimos fatos eu deixei de acreditar na mínima (-14°C) de Caçador-SC. Na verdade eu aceitava com certa reserva e nunca me importei de fato se havia a possibilidade de haver erros de leitura, de escrita ou mesmo das condições em que foram feitas as leituras na estação (altura do sensor/esposição/etc). Um dos motivos de eu nc ter contestado é o fato de existirem mínimas bem parecidas em outras estações tanto em Santa Catarina qto aki no Paraná (-12/-11,6/-11,5/-11,1...). Vejam q se tratam de imensas áreas elevadas (1.000/1.200 m de altitude e com certa continentalidade se comparadas com as cidades serranas próximas de São Joaquim. Acho q a desmistificação da menor mínima em território nacional é algo irrelevante. Não é de suma importância. Não deveria gerar conflitos aki dentro... Mas as coisas são assim no Baz... então esse assunto ganha destake. Algo q me chateia bastante diz respeito ao Inmet, q segundo o Carlos Dias foi o órgão q acabou de uma certa forma colocando uma grande dúvida no valor registrado pelo Epagri. Logo o Inmet q nc disponibilizou os registros anteriores à 1960. Erros nos históricos do Inmet (os q estão disponíveis hj), existem aos milhares, tds sabem.

Falhas de observação, negligência com determinados registros q deveriam ser obrigatórios (relva), falhas em muitos meses e anos de observações, valores absurdos publicados como certos, sem se darem ao trabalho de uma revisão, muitas vzs só vindo à tona depois q alguém do próprio Baz entrou em contato com o próprio Inmet...enfim... Brazil... Vale lembrar q NO MOMENTO, por menores q sejam as mínimas no Parke Itatiaia, a mínima absoluta no Sudeste continua sendo -8,4°C de MdF, mesmo já tendo sido registrado -9,6°C em Furnas (2015). Registros extra-oficiais não são aceitos, todos sabem. O menor valor até hj oficialnente no PNI é akele q consta nos registros do Instituto Nacional de Meteorologia (-6,4°C), numa altitude de 2.199 m, na década 1920 ou 1930, qdo havia uma estação por lá. Os dados atuais, das estações q estão em funcionamento, embora eu considere corretos e não duvide dos valores (inclusive divulgo no facebook para amigos em mais de 40 países) são EXTRA-OFICIAIS e naturalmente sempre haverá contestação, uma vez q já ficou claro q existe SIM uma disputa entre Sul e Sudeste onde envolve o fato de KEM irá apresentar o menor valor absoluto do país...

 

Tem toda razão em tudo que escreveu, vale como oficial o que o Inmet ratifica. No caso do PNI, só háveria uma maneira de validarmos os dados, que seria pedir ao próprio INMET que se disponibilize a validar a estação, seria um processo semelhante ao que o Ilson Tessaro de Santa Rosa fez para comprovar seus dados, e hoje eles são referencia do potencial das baixadas do RS no Brasil.

 

Seria interessante conseguirmos este contato, se eles não podem ou não querem monitorar o PNI, poderiam ao menos validar, isso não seria caro para eles e não precisariam mobilizar internet, estação, nada, apenas algum instrumento de calibração e um técnico de campo disponível. Só lembrando que a Climatempo já tem divulgado os dados do PNI.

 

CC, o que acha da idéia? Poderiamos estender isso às estações do Diego, como o Bradador, seria histórico termos estações bazianas validadas pelo Inmet!

Desafio lançado!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.