Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Carlos Dias

Mudanças Climáticas - Discussões Gerais

Recommended Posts

É uma lastima que muitas pessoas não assistam reportagens, ( é uma lástima, se a televisão falar que você deve se jogar da ponte provavelmente escolherá a ponte mais próxima ) como a que eu presenciei há pouco no FANTÁSTICO ( assistiu ), sobre o quanto o aquecimento global estão prejudicando os ursos. ( quais ursos ? Desculpa não assisto este tipo de programa ) Os invernos estão ficando cada vez mais curtos e o gelo derrete rapidamente ( aí provavelmente falaram de algum ponto especifico, porque não falam do pólo sul, invernos antecipados... ). Foi feita uma reportagem séria sobre o assunto. Claro que 90% dos bazianos falarão que é "tudo alarmismo". ( Alarmismo )

Como eu digo: cada um pense o que quiser. É uma pena que muitas pessoas não enxerguem algo tão visível. ( como você disse, cada um pense o que quiser, você crê mais na televisão do que em dados.) Acredite nisso.

Por favor, não levem essa minha postagem como provocação É somente um alerta, pelo bem do nosso clima, que está tão abalado, e da humanidade. ( não leve como provocação mas é baboseira )

Abraços a todos.

 

( Abração )

Share this post


Link to post
Share on other sites
É uma lastima que muitas pessoas não assistam reportagens, ( é uma lástima, se a televisão falar que você deve se jogar da ponte provavelmente escolherá a ponte mais próxima ) como a que eu presenciei há pouco no FANTÁSTICO ( assistiu ), sobre o quanto o aquecimento global estão prejudicando os ursos. ( quais ursos ? Desculpa não assisto este tipo de programa ) Os invernos estão ficando cada vez mais curtos e o gelo derrete rapidamente ( aí provavelmente falaram de algum ponto especifico, porque não falam do pólo sul, invernos antecipados... ). Foi feita uma reportagem séria sobre o assunto. Claro que 90% dos bazianos falarão que é "tudo alarmismo". ( Alarmismo )

Como eu digo: cada um pense o que quiser. É uma pena que muitas pessoas não enxerguem algo tão visível. ( como você disse, cada um pense o que quiser, você crê mais na televisão do que em dados.) Acredite nisso.

Por favor, não levem essa minha postagem como provocação É somente um alerta, pelo bem do nosso clima, que está tão abalado, e da humanidade. ( não leve como provocação mas é baboseira )

Abraços a todos.

 

( Abração )

 

Desculpa, Troy, gosto muito de você e sempre te admirei. No entanto, não achei elegante da tua parte ter interferido no meu texto, fazendo o mesmo parecer ridículo.

Poderias ter comentado, com todo o direito e até discordado, mas achei sem necessidade fazer de uma maneira tão agressiva assim.

Desculpa, foi o que me passou.

Abração!

Share this post


Link to post
Share on other sites
É uma lastima que muitas pessoas não assistam reportagens, ( é uma lástima, se a televisão falar que você deve se jogar da ponte provavelmente escolherá a ponte mais próxima ) como a que eu presenciei há pouco no FANTÁSTICO ( assistiu ), sobre o quanto o aquecimento global estão prejudicando os ursos. ( quais ursos ? Desculpa não assisto este tipo de programa ) Os invernos estão ficando cada vez mais curtos e o gelo derrete rapidamente ( aí provavelmente falaram de algum ponto especifico, porque não falam do pólo sul, invernos antecipados... ). Foi feita uma reportagem séria sobre o assunto. Claro que 90% dos bazianos falarão que é "tudo alarmismo". ( Alarmismo )

Como eu digo: cada um pense o que quiser. É uma pena que muitas pessoas não enxerguem algo tão visível. ( como você disse, cada um pense o que quiser, você crê mais na televisão do que em dados.) Acredite nisso.

Por favor, não levem essa minha postagem como provocação É somente um alerta, pelo bem do nosso clima, que está tão abalado, e da humanidade. ( não leve como provocação mas é baboseira )

Abraços a todos.

 

( Abração )

 

Desculpa, Troy, gosto muito de você e sempre te admirei. No entanto, não achei elegante da tua parte ter interferido no meu texto, fazendo o mesmo parecer ridículo.

Poderias ter comentado, com todo o direito e até discordado, mas achei sem necessidade fazer de uma maneira tão agressiva assim.

Desculpa, foi o que me passou.

Abração!

 

Comentei sim, as partes em azul são comentários meu.

 

Maneira agressiva, suas palavras, lastima e é uma pena que as pessoas não enxerguem.

Share this post


Link to post
Share on other sites
É uma lastima que muitas pessoas não assistam reportagens, como a que eu presenciei há pouco no FANTÁSTICO, sobre o quanto o aquecimento global estão prejudicando os ursos. Os invernos estão ficando cada vez mais curtos e o gelo derrete rapidamente. Foi feita uma reportagem séria sobre o assunto. Claro que 90% dos bazianos falarão que é "tudo alarmismo".

Como eu digo: cada um pense o que quiser. É uma pena que muitas pessoas não enxerguem algo tão visível.

Por favor, não levem essa minha postagem como provocação É somente um alerta, pelo bem do nosso clima, que está tão abalado, e da humanidade.

Abraços a todos.

 

João, respeito muito teu ponto de vista e tem razão em muitas partes...acho que devemos nos preocupar sim em ter e deixar um futuro ao menos semelhante a hoje para nossos filhos e netos...acho que nesse ponto as reportagens, mesmo que sensacionalistas, nos deixam alerta quanto ao futuro.

 

O que eu discordo, é com relação a qual o tamanho da catástrofe que pregam na televisão. Oras, sabemos que a mídia tem a capacidade de distorcer dados e informações desde que atendam a sua ampla audiencia. Penso que se a Globo não tivesse tantos telespectadores, talvez não se preocupasse em transmitir que estamos à iminência de uma catástrofe.

 

Por exemplo, eu vi o fantástico, e lá se falou de aquecimento e sua irreversibilidade, tal como é descrita no quinto relatório do IPCC. Mas se vc comparar o primeiro para o quinto relatório, praticamente foi reduzida pela metade a potencia do desequilibrio térmico pra daqui 50 anos. Isso está no relatório do IPCC:

 

primeiro relatório:"No primeiro relatório do IPCC, em 1990, foi previsto o aumento da temperatura da Terra de cerca 1,1°C, até 2030 e 0,55 grau até 2010. "

 

quinto relatório: "A temperatura do planeta poderá aumentar entre 2 até 4,8 graus Celsius neste século(próximos 86 anos) – o que poderá resultar em uma elevação de até 82 centímetros no nível do mar e causar danos importantes na maior parte das regiões costeiras do globo." Aqui há uma variabilidade dos resultados, que em 1990 eram taxativos (sic).

 

Observando o resultado da NASA a terra aumentou 0,39 grau entre 1990 e 2010, quase metade do valor projetado de 0,55 grau, o que permite deduzir que a projeção de 4,8 grau até 2100 passa a ser exagerada e a de 2 graus, mais factível. Aqui parece com a margem de erro do IBOPE.

 

Façamos as contas: 1990 - 2010 - 20 anos.

Previsto: 0,55

Realizado: 0,39

 

De 2010 a 2100 são 90 anos, dividido por 20 dá 4,5 períodos. agora façamos novamente a conta pelo dado de 1990:

 

previsto 0,55 para 20 anos, daria previsão de 2,48 grau, não 4,8. isso pelo prórpio IPCC.

 

Agora consideremos a taxa de 0,39...dá 1,76 grau de aumento...

 

Ou seja, a conta do IPCC até 2100 não bate de acordo com eles mesmos em 1990 e com a NASA, a qual é usada nas projeções de temperatura do próprio IPCC.

 

Esse é o ponto: a mídia vende o que o seu público quer ouvir, seja novela, noticiário, atrações, Faustão, Xuxa, futebol, assim continua atraindo sua parcela de público. Pra poder atrair, tem que movimentar o circo...então tem que ter mulher seminua, futebol dos times de grande torcida, BBB, barracos homéricos nas novelas, aquecimento global, atrações internacionais, e uma lista interminável de outros agregados televisivos.

 

Convém lembrar que desde 2007, existe uma obrigatoriedade dos cientistas que contribuem para o IPCC de apresentar seus métodos de pesquisa, financiadores, qual grupo apoiam, ou seja, nem tudo que consultam é gente ligada ao aquecimento global, na teoria...na prática, ninguem viu que os satélites indicam uma pausa no aquecimento na última década e meia?

 

João, aqui cabe uma leitura ArnaldoJaboriana do IPCC...talvez estejamos cegos pelo que achamos que estamos vendo e talvez estamos vendo coisas demais onde achamos que não podemos ver.

 

Uma coisa é certa: o ano de 2014 vai figurar NO HEMISFERIO SUL como um dos mais quentes já registrados...e o HEMISFERIO NORTE, com certeza não está comemorando dias de calor...na prática, zero a zero.

 

Acredito em um 2015 mais chuvoso e mais frio que 2014.

Share this post


Link to post
Share on other sites
É uma lastima que muitas pessoas não assistam reportagens, como a que eu presenciei há pouco no FANTÁSTICO, sobre o quanto o aquecimento global estão prejudicando os ursos. Os invernos estão ficando cada vez mais curtos e o gelo derrete rapidamente. Foi feita uma reportagem séria sobre o assunto. Claro que 90% dos bazianos falarão que é "tudo alarmismo".

Como eu digo: cada um pense o que quiser. É uma pena que muitas pessoas não enxerguem algo tão visível.

Por favor, não levem essa minha postagem como provocação É somente um alerta, pelo bem do nosso clima, que está tão abalado, e da humanidade.

Abraços a todos.

 

João, respeito muito teu ponto de vista e tem razão em muitas partes...acho que devemos nos preocupar sim em ter e deixar um futuro ao menos semelhante a hoje para nossos filhos e netos...acho que nesse ponto as reportagens, mesmo que sensacionalistas, nos deixam alerta quanto ao futuro.

 

O que eu discordo, é com relação a qual o tamanho da catástrofe que pregam na televisão. Oras, sabemos que a mídia tem a capacidade de distorcer dados e informações desde que atendam a sua ampla audiencia. Penso que se a Globo não tivesse tantos telespectadores, talvez não se preocupasse em transmitir que estamos à iminência de uma catástrofe.

 

Por exemplo, eu vi o fantástico, e lá se falou de aquecimento e sua irreversibilidade, tal como é descrita no quinto relatório do IPCC. Mas se vc comparar o primeiro para o quinto relatório, praticamente foi reduzida pela metade a potencia do desequilibrio térmico pra daqui 50 anos. Isso está no relatório do IPCC:

 

primeiro relatório:"No primeiro relatório do IPCC, em 1990, foi previsto o aumento da temperatura da Terra de cerca 1,1°C, até 2030 e 0,55 grau até 2010. "

 

quinto relatório: "A temperatura do planeta poderá aumentar entre 2 até 4,8 graus Celsius neste século(próximos 86 anos) – o que poderá resultar em uma elevação de até 82 centímetros no nível do mar e causar danos importantes na maior parte das regiões costeiras do globo." Aqui há uma variabilidade dos resultados, que em 1990 eram taxativos (sic).

 

Observando o resultado da NASA a terra aumentou 0,39 grau entre 1990 e 2010, quase metade do valor projetado de 0,55 grau, o que permite deduzir que a projeção de 4,8 grau até 2100 passa a ser exagerada e a de 2 graus, mais factível. Aqui parece com a margem de erro do IBOPE.

 

Façamos as contas: 1990 - 2010 - 20 anos.

Previsto: 0,55

Realizado: 0,39

 

De 2010 a 2100 são 90 anos, dividido por 20 dá 4,5 períodos. agora façamos novamente a conta pelo dado de 1990:

 

previsto 0,55 para 20 anos, daria previsão de 2,48 grau, não 4,8. isso pelo prórpio IPCC.

 

Agora consideremos a taxa de 0,39...dá 1,76 grau de aumento...

 

Ou seja, a conta do IPCC até 2100 não bate de acordo com eles mesmos em 1990 e com a NASA, a qual é usada nas projeções de temperatura do próprio IPCC.

 

Esse é o ponto: a mídia vende o que o seu público quer ouvir, seja novela, noticiário, atrações, Faustão, Xuxa, futebol, assim continua atraindo sua parcela de público. Pra poder atrair, tem que movimentar o circo...então tem que ter mulher seminua, futebol dos times de grande torcida, BBB, barracos homéricos nas novelas, aquecimento global, atrações internacionais, e uma lista interminável de outros agregados televisivos.

 

Convém lembrar que desde 2007, existe uma obrigatoriedade dos cientistas que contribuem para o IPCC de apresentar seus métodos de pesquisa, financiadores, qual grupo apoiam, ou seja, nem tudo que consultam é gente ligada ao aquecimento global, na teoria...na prática, ninguem viu que os satélites indicam uma pausa no aquecimento na última década e meia?

 

João, aqui cabe uma leitura ArnaldoJaboriana do IPCC...talvez estejamos cegos pelo que achamos que estamos vendo e talvez estamos vendo coisas demais onde achamos que não podemos ver.

 

Uma coisa é certa: o ano de 2014 vai figurar NO HEMISFERIO SUL como um dos mais quentes já registrados...e o HEMISFERIO NORTE, com certeza não está comemorando dias de calor...na prática, zero a zero.

 

Acredito em um 2015 mais chuvoso e mais frio que 2014.

 

Artur Chiovitti, parabéns pelo texto.

 

É como você demonstrou: o próprio IPCC, tão "científico" que é, já está se remendando, já está fazendo igual o Ibope, a proceder as famosas "contas de chegada" para evitar um vexame total lá na frente.

 

E pior: sem dar agora a dimensão correta aos enormes dos exageros do 1º relatório, que era muito mais catastrófico do que o último.

 

Tudo isso indica o quê? Indica que entre o momento do 1º relatório do IPCC e o ano de 2100 existe algo que podemos chamar de "taxa de depreciação'' da catástrofe anunciada. Dizendo de outro modo: quanto mais avançarmos no tempo, menor será o "desastre" previsto lá para o ano de 2100. Espero que o João e outros prestem muita atenção nesse aspecto.

 

Quero ressaltar que a falta de um "mea culpa" por parte do IPCC não é apenas um ato vexatório: é também uma atitude anti-científica. Ela é anti-científica pelo fato de não assumir publicamente que, se a aceleração do aquecimento global estipulada no 1º relatório já não existe mais, então podemos dizer que existem elementos suficientes para questionarmos a própria hipótese do "aquecimento global antropogênico catastrófico".

 

Essa mudança na taxa de aceleração demonstra que o IPCC não conseguiu efetivamente estipular corretamente uma equação entre a taxa de carbono na atmosfera e as mudanças climáticas. Simplesmente isso.

 

O IPCC esta nu.

 

Até eu estou envergonhado.

Edited by Guest

Share this post


Link to post
Share on other sites

Volto à baila do texto do Artur Chiovitti, onde encontrei esse trecho que é simplesmente sensacional:

 

Esse é o ponto: a mídia vende o que o seu público quer ouvir, seja novela, noticiário, atrações, Faustão, Xuxa, futebol, assim continua atraindo sua parcela de público. Pra poder atrair, tem que movimentar o circo...então tem que ter mulher seminua, futebol dos times de grande torcida, BBB, barracos homéricos nas novelas, aquecimento global, atrações internacionais, e uma lista interminável de outros agregados televisivos.

 

Sensacional e perfeito. Agora o Chiovitty parece o personagem principal do clássico "Rede de Intrigas" (Network) de 1976, onde o Peter Finch interpreta um velho comentarista de TV que, diante das câmeras, passou a ter "acessos de lucidez" e a dizer algumas verdades para um público tão hipnotizado e crente e disposto a seguir tudo o que saía do "tubo" televisivo.

 

Parabéns de novo ao Chiovitti.

 

Joâo, se você não viu ainda, não pode perder (na verdade eu já postei isso antes no BAZ, mas agora veio muito a calhar):

 

F6qnwrAVYi0

 

Abraços a todos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

UM DETALHE TAMBÉM, UMA DAS PRINCIPAIS PALAVRAS DO IPCC É "SE"...

 

DEPOIS MESMO MOSTRANDO DADOS, TEMOS QUE LER MUITA LADAINHA SEM FUNDAMENTO, APENAS ACHISMO.

 

CONCORDO COM O MELO, AOS POUCOS ELES IRÃO NO CAMINHO DOS RUSSOS, GRADUALMENTE TEREMOS REVISÕES E REVISÕES.

 

NUMA PARTE O JT TEM RAZÃO, NA PARTE DE AVALIAR O QUE ESTAMOS DEIXANDO PARA GERAÇÕES FUTURAS E MESMO PARA NÓS MESMOS.

 

O FOCO PRINCIPAL DEVERIA SER O AGORA! POLUIÇÃO, ÁGUA E DEVASTAÇÃO DO QUE AINDA RESTA.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Arthur, perfeitas colocações.

Eu as endosso.

Sempre olho reportagens com críticas e um pé atrás. Não esqueçamos que há a "opinião" inserida nelas O repórter possui um ponto de vista e o transfere, muitas vezes, para conduzir a reportagem.

Ora, mostrar ursos flutuando em pedaços de gelo não prova o aquecimento global. Estas cenas são comuns no início do verão do ártico. Dizer que está " cada vez mais" aquecendo é desconhecer a dinâmica do Sol e dos oceanos. E desconhecemos muito. Nem os computadores conseguem projetar o tempo para 5 dias. Quiça 100 anos?

A catástrofe está localizada, destruição de mananciais d'água, urbanização desenfreada, emissão de gases diversos: por que só falam no CO2?. Há inúmeros gases sendo lançados na atmosfera. Se formos analisar a própria proibição do CFC, tão usado nos refrigeradores, veremos que deixaram de proibir outros gases mais nocivos à atmosfera. Havia, na época, lobbies muito fortes, dos proprietários dos outros gases.Havia quebra de patentes e royalties.

Ter a mente aberta para novas discussões e ter uma capacidade de colocar tudo no liquidificador, deveria ser a essência de cada um. Não teríamos tantos extremismos na humanidade, isso está em todos os aspectos: do político ao religioso. E transferir esse fanatismo para a ciência, é anticiência!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Well,

 

Vejo que a conversa toma a vertente política de uma hipótese fato natural, pois, é onde alguns encontram o espaço para cultivarem o medo.

 

E tem um item que é habilmente explorado pelos adpetos da religião aquecimentista.

 

O princípio da precaução.

 

Que na verdade esconde outra grande asneira:

 

Thomas Malthus procurou alertar, com sua teoria, sobre os problemas gerados pelo elevado crescimento demográfico mundial. De acordo com sua teoria, seria necessário o controle da natalidade para que não ocorresse, num futuro breve, falta de alimentos e o aumento considerável da fome e da miséria no mundo.

 

De acordo com Malthus, o celibato, o casamento tardio e o controle de natalidade em países pobres seriam as principais formas de combater o crescimento populacional desordenado.

 

Enfim política da forma mais sórdida.

 

Sobre um mundo melhor para netos.

 

Só tenho a agradecer a degração que os meus avós, bisavós e outros ascendentes e o resto da humanidade por destruirem florestas, eliminar espécies [ principalmente o vírus da varíola].

 

Sim no início do século XX a expectativa de vida de um ser humano era inferior a 35 anos e hoje chegando próxima dos 80 anos.

 

Um dos grandes problemas para parte da humanidade é a obesidade.

 

Tudo porque o mundo aqueceu.

 

E que venha mais calor.

 

Abraços

 

===================

 

apenas como referência: http://www.suapesquisa.com/o_que_e/malthusianismo.htm

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

NUMA PARTE O JT TEM RAZÃO, NA PARTE DE AVALIAR O QUE ESTAMOS DEIXANDO PARA GERAÇÕES FUTURAS E MESMO PARA NÓS MESMOS...

 

É a parte que discordo com veemência.

 

É um discurso fácil cheio de apelo emocional e pouco conteúdo racional.

 

=====================

 

Ainda sobre como ter um mundo melhor para os meus bisnetos,

Assim, no final dos anos 70 era frio nos EUA, enquando, a costa leste estava quente e seca.

O então governador da Califórnia....Era glacial.

Atualmente é quente e seco

O atual governador da Califórnia......Aquecimento Global Antropogênico.

 

É assim que terei um mundo melhor para os meus netos? Sim.

Apesar dessas figurinhas a ciência trabalha e sério.

 

Edmund Gerald "Jerry" Brown, Jr. (São Francisco, 7 de abril de 1938)....referência...wiki... AQUI

34º Governador da Califórnia Flag of California.svg

Mandato 6 de janeiro de 1975

3 de janeiro de 1983

 

Mandato 3 de janeiro de 2011

atualmente

Antecessor(a) Arnold Schwarzenegger

1zfrci8.gif

es9jrs.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites
Well,

 

Vejo que a conversa toma a vertente política de uma hipótese fato natural, pois, é onde alguns encontram o espaço para cultivarem o medo.

 

E tem um item que é habilmente explorado pelos adpetos da religião aquecimentista.

 

O princípio da precaução.

 

Que na verdade esconde outra grande asneira:

 

Thomas Malthus procurou alertar, com sua teoria, sobre os problemas gerados pelo elevado crescimento demográfico mundial. De acordo com sua teoria, seria necessário o controle da natalidade para que não ocorresse, num futuro breve, falta de alimentos e o aumento considerável da fome e da miséria no mundo.

 

De acordo com Malthus, o celibato, o casamento tardio e o controle de natalidade em países pobres seriam as principais formas de combater o crescimento populacional desordenado.

 

Enfim política da forma mais sórdida.

 

Sobre um mundo melhor para netos.

 

Só tenho a agradecer a degração que os meus avós, bisavós e outros ascendentes e o resto da humanidade por destruirem florestas, eliminar espécies [ principalmente o vírus da varíola].

 

Sim no início do século XX a expectativa de vida de um ser humano era inferior a 35 anos e hoje chegando próxima dos 80 anos.

 

Um dos grandes problemas para parte da humanidade é a obesidade.

 

Tudo porque o mundo aqueceu.

 

E que venha mais calor.

 

Abraços

 

===================

 

 

 

apenas como referência: http://www.suapesquisa.com/o_que_e/malthusianismo.htm

 

Mafili

pesos e medidas.

agradeçamos às guerras, então.

Agradeçamos à degradação do meio-ambiente, então.

Agradeçamos à extinçaõ de índios, então.

 

Concordo em parte, quando falas que agradeçamos a uma série de coisas. Caso elas não fossem levadas adiante, talvez a humanidade não tivesse progredido.

 

Esse raciocínio poderia ser adequado à Cesar Lombroso. Hoje, vivemos época que podemos ser mais racionais, não cartesianos, mas medindo prós e contras. O politcamente correto pode atrapalhar, mas é uma fase da evolução humana que não devemos desprezar.

 

Claro, vivemos e viveremos mais que a média de 35 anos.

 

Fosse há 60 anos, eu seria quase uma espécie batendo recorde de idade, aos 54 anos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Claro, vivemos e viveremos mais que a média de 35 anos.

 

Fosse há 60 anos, eu seria quase uma espécie batendo recorde de idade, aos 54 anos.

 

Claro, querido Paulo....Pode colocar uns 15 a mais por minha conta e risco.

 

Creio que será recorente a utilização de política neste tópico.

 

Como não sou o dono da verdade que siga o barco.

 

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Claro, vivemos e viveremos mais que a média de 35 anos.

 

Fosse há 60 anos, eu seria quase uma espécie batendo recorde de idade, aos 54 anos.

 

Claro, querido Paulo....Pode colocar uns 15 a mais por minha conta e risco.

 

Creio que será recorente a utilização de política neste tópico.

 

Como não sou o dono da verdade que siga o barco.

 

Abraços

 

Mafili

vamos deixar assim...mais 15, bah, é pouco

ainda estou na metade da vida...

hahahaha

Share this post


Link to post
Share on other sites

No Brasil dos anos 40 a expectativa de vida estava na casa dos 40 anos

 

http://www.gentequeeduca.org.br/planos-de-aula/como-expectativa-de-vida-influencia-na-economia

 

Sobre demografia, esse tema é bem interessante. As teorias demográficas vigentes são três e podem ser mal e porcamente tipificadas assim:

 

Malthusianismo: a população cresce muito além da produção de alimentos e vai dar "m". Mas as guerras estão aí pra isso mesmo, então fica tranquilo.

 

Neomalthusianismo: essa é outra reedição catastrófica e, por ela, os pobres se multiplicam como praga e isso vai dar "m". Por esse raciocínio, bastam medidas duras para resolver o problema (limitação de filhos, como na China; esterilização em massa, como andaram fazendo na África) e por aí vai.

 

O interessante dessa teoria é que ela é sub-repticiamente adotada pelo sistema financeiro global ("pobre só faz M...e filho"). o qual tenta a todo o custo limitar o desenvolvimento dos países em desenvolvimento com todos os tipos de justificativas ("o planeta não suporta o fim da pobreza e da miséria", etc). Importante frisar: não discuto aqui o problema dos recursos terrestres, mas sim a manipulação da exiguidade de recursos no discurso midiático.

 

Teoria reformista ou marxista: por essa teoria, na mesma medida em que ocorre o resgate social das populações, elas sobem de nível de vida e executam por contra própria (individualmente) a contenção populacional. Isso ocorreu na Europa, nos EUA, Japão e Austrália. Antes que alguém estranhe o título "marxista", essa teoria não propõe alguma revolução social e tampouco a defende, ela apenas é assim denominada pelo fato de usar conceitos e categorias do marxismo na análise do tema da demografia, tendo em vista o importante papel desempenhado pelo Estado no sentido de prover melhores condições de saúde, trabalho, previdência, salário, etc.

Share this post


Link to post
Share on other sites
No Brasil dos anos 40 a expectativa de vida estava na casa dos 40 anos

 

http://www.gentequeeduca.org.br/planos-de-aula/como-expectativa-de-vida-influencia-na-economia

 

Sobre demografia, esse tema é bem interessante. As teorias demográficas vigentes são três e podem ser mal e porcamente tipificadas assim:

 

Malthusianismo: a população cresce muito além da produção de alimentos e vai dar "m". Mas as guerras estão aí pra isso mesmo, então fica tranquilo.

 

Neomalthusianismo: essa é outra reedição catastrófica e, por ela, os pobres se multiplicam como praga e isso vai dar "m". Por esse raciocínio, bastam medidas duras para resolver o problema (limitação de filhos, como na China; esterilização em massa, como andaram fazendo na África) e por aí vai.

 

O interessante dessa teoria é que ela é sub-repticiamente adotada pelo sistema financeiro global ("pobre só faz M...e filho"). o qual tenta a todo o custo limitar o desenvolvimento dos países em desenvolvimento com todos os tipos de justificativas ("o planeta não suporta o fim da pobreza e da miséria", etc). Importante frisar: não discuto aqui o problema dos recursos terrestres, mas sim a manipulação da exiguidade de recursos no discurso midiático.

 

Teoria reformista ou marxista: por essa teoria, na mesma medida em que ocorre o resgate social das populações, elas sobem de nível de vida e executam por contra própria (individualmente) a contenção populacional. Isso ocorreu na Europa, nos EUA, Japão e Austrália. Antes que alguém estranhe o título "marxista", essa teoria não propõe alguma revolução social e tampouco a defende, ela apenas é assim denominada pelo fato de usar conceitos e categorias do marxismo na análise do tema da demografia, tendo em vista o importante papel desempenhado pelo Estado no sentido de prover melhores condições de saúde, trabalho, previdência, salário, etc.

 

Interessante.

Sem chegar nem mesmo perto das duas primeiras teorias que no fim das contas aproximam-se de uma eugenia social, nos faz perguntar acerca do futuro que nos aguarda.

 

Os bens pelo seu próprio conceito econômico são escassos e limitados; é isto o que regula o mercado. Não existem bens disponíveis para todos e nunca existirão; a pergunta seria acerca do limite aceitável para a raridade dos produtos em disputa pelos seres humanos e em seu caráter de essencialidade.

 

Hoje nem todos podem ter automóveis. Fato. E se todos pudessem ter? não haveria automóveis para todos; havendo automóveis faltariam ruas e estradas; havendo ruas e estradas faltaria combustível ou seu preço seria inviável.

 

Fazendo o raciocínio inverso, hoje existe água para todos (em TESE e sem discutir a questão geográfica), o que acontecerá quando não houver água suficiente? primeiro se cortariam os supérfuluos, como lavar o quintal, lavar o carro, lavar a calçada... depois se diminui o consumo do que é necessário mas não vital: diminui o número de banhos, etc. Por último reservamos apenas o suficiente para a sobrevivência.

 

A pergunta que fica é qual o limite do tolerável - e não entrando na questão da otimização da captação ou reciclagem, qual o direito cada cidadão tem acerca da água futura no planeta. Sim, somos também responsáveis pelo direito difuso das gerações futuras; temos que otimizar de todas as maneiras a captação e o uso.

 

Tudo lindo. Mas, mesmo fazendo isso... como estará o mundo com digamos 15 bilhões de habitantes?

 

Não só pela água, mas pelos alimentos, combustíveis etc etc. Qual o limite aceitável para o crescimento? Qual o direito que temos sobre o futuro? Hoje podemos ter quantos filhos quisermos. Será sempre assim? todos poderão seguir tendo 12 filhos por exemplo?

Share this post


Link to post
Share on other sites
No Brasil dos anos 40 a expectativa de vida estava na casa dos 40 anos

 

http://www.gentequeeduca.org.br/planos-de-aula/como-expectativa-de-vida-influencia-na-economia

 

Sobre demografia, esse tema é bem interessante. As teorias demográficas vigentes são três e podem ser mal e porcamente tipificadas assim:

 

Malthusianismo: a população cresce muito além da produção de alimentos e vai dar "m". Mas as guerras estão aí pra isso mesmo, então fica tranquilo.

 

Neomalthusianismo: essa é outra reedição catastrófica e, por ela, os pobres se multiplicam como praga e isso vai dar "m". Por esse raciocínio, bastam medidas duras para resolver o problema (limitação de filhos, como na China; esterilização em massa, como andaram fazendo na África) e por aí vai.

 

O interessante dessa teoria é que ela é sub-repticiamente adotada pelo sistema financeiro global ("pobre só faz M...e filho"). o qual tenta a todo o custo limitar o desenvolvimento dos países em desenvolvimento com todos os tipos de justificativas ("o planeta não suporta o fim da pobreza e da miséria", etc). Importante frisar: não discuto aqui o problema dos recursos terrestres, mas sim a manipulação da exiguidade de recursos no discurso midiático.

 

Teoria reformista ou marxista: por essa teoria, na mesma medida em que ocorre o resgate social das populações, elas sobem de nível de vida e executam por contra própria (individualmente) a contenção populacional. Isso ocorreu na Europa, nos EUA, Japão e Austrália. Antes que alguém estranhe o título "marxista", essa teoria não propõe alguma revolução social e tampouco a defende, ela apenas é assim denominada pelo fato de usar conceitos e categorias do marxismo na análise do tema da demografia, tendo em vista o importante papel desempenhado pelo Estado no sentido de prover melhores condições de saúde, trabalho, previdência, salário, etc.

 

Interessante.

Sem chegar nem mesmo perto das duas primeiras teorias que no fim das contas aproximam-se de uma eugenia social, nos faz perguntar acerca do futuro que nos aguarda.

 

Os bens pelo seu próprio conceito econômico são escassos e limitados; é isto o que regula o mercado. Não existem bens disponíveis para todos e nunca existirão; a pergunta seria acerca do limite aceitável para a raridade dos produtos em disputa pelos seres humanos e em seu caráter de essencialidade.

 

Hoje nem todos podem ter automóveis. Fato. E se todos pudessem ter? não haveria automóveis para todos; havendo automóveis faltariam ruas e estradas; havendo ruas e estradas faltaria combustível ou seu preço seria inviável.

 

Fazendo o raciocínio inverso, hoje existe água para todos (em TESE e sem discutir a questão geográfica), o que acontecerá quando não houver água suficiente? primeiro se cortariam os supérfuluos, como lavar o quintal, lavar o carro, lavar a calçada... depois se diminui o consumo do que é necessário mas não vital: diminui o número de banhos, etc. Por último reservamos apenas o suficiente para a sobrevivência.

 

A pergunta que fica é qual o limite do tolerável - e não entrando na questão da otimização da captação ou reciclagem, qual o direito cada cidadão tem acerca da água futura no planeta. Sim, somos também responsáveis pelo direito difuso das gerações futuras; temos que otimizar de todas as maneiras a captação e o uso.

 

Tudo lindo. Mas, mesmo fazendo isso... como estará o mundo com digamos 15 bilhões de habitantes?

 

Não só pela água, mas pelos alimentos, combustíveis etc etc. Qual o limite aceitável para o crescimento? Qual o direito que temos sobre o futuro? Hoje podemos ter quantos filhos quisermos. Será sempre assim? todos poderão seguir tendo 12 filhos por exemplo?

 

Muito bem colocado, Lel!

 

O que talvez relativize a sua preocupação é o fato de que a população humana não vai crescer indefinidamente. Pelo contrário, em breve o Brasil vai chegar ao ponto de equilíbrio populacional e, após isso, vai ser "ladeira abaixo". O mesmo vale para o mundo. Atualmente, só a África apresenta um crescimento populacional elevado. No dia em que a questão das fronteiras estiver mais ou menos resolvida no continente e, por consequência, o respectivos Estados do continente começarem a dar conta das demandas sociais, eles também vão entrar no equilíbrio demográfico.

 

O tema do futuro vai ser a despopulação.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O TURISMO SUSTENTÁVEL sempre foi um debate na FACULDADE DE TURISMO.

Obviamente, minha experiência é com TURISMO há 20 anos, mas o TURISMO depende muito do meio ambiente e clima, não esqueçam disso, amigos!

Sempre, em todos anos, houve debates na PUC sobre mudanças climáticas e a preservação do meio ambiente. Também era debatida a propaganda errada de que o Brasil tem inverno frio no Sul! Tem alguns momentos de frio (e poucos), mas frio praticamente contínuo não tem. Tanta propaganda enganosa já foi feita nos últimos anos, que turistas do Nordeste, por exemplo, até hoje vêm para as serras gaúcha e catarinense esperando neve certo, como se aqui o frio fosse contínuo e duradouro. Isso é uma grande mentira! Temos que ser verdadeiros se queremos fazer um turismo sério neste país.

Bom... mas tirando a parte do clima, penso que é IMPOSSÍVEL barrarmos o crescimento das cidades, pois as mesmas se desenvolvem e, para se desenvolverem, precisa haver (infelizmente em muitas ocasiões) derrubada de árvores e outras coisas mais. Mesmo assim, pode-se criar mecanismos que aproveitem os recursos naturais disponíveis dentro do desenvolvimento. Acho maravilhoso quando constroem um hotel, por exemplo, com energia solar aproveitável, reciclagem de lixo seco e outras coisas mais! Isso colabora com o meio ambiente, deixando de degradar e colaborando para que o aquecimento global ao menos "freie" e não vá adiante, pelo menos naquele "microclima".

Valorizemos mais nosso país e sejamos colaboradores para um TURISMO SUSTENTÁVEL e desenvolvido, dentro do que for possível, obviamente!

Não precisamos ser radicais, mas o pouco que fizermos já ajudará a humanidade.

Pena que algumas pessoas não encarem o fato com seriedade e até debochem de idéias geniais como alguns hotéis e resorts estão tendo ultimamente.

Abraços!

Share this post


Link to post
Share on other sites
...... Qual o direito que temos sobre o futuro?.....

 

Todos.

 

================

 

A história do aquecimento global antropogênico tem seu início na forma alarmista.

 

Com a queda do grande muro.

 

Explico o depoimento do Cientista J. Hansen [NASA}] em 1988 no senado americano é o fator que proporciona o engajamento do complexo militar industrial na questão climática.

 

O fim da URSS já estava definido e era questão de tempo o muro cair.

 

Qual o interesse co complexo militar industrial mais poderoso do universo conhecido em se envolver com clima?

 

Tecnologia de ponta.

 

Um dado curioso no mundo cético James Hansen é conhecido por Jim [ alusão a James T. Kirk...capitão da nave instelar....]

 

Bingo, era necessário manter as "Naves da Federação" e o lançamento de novas gerações. [ganhar tempo para os produtos atuais com GPS, telefonia, etc]

 

Custa caro [ muito] inventar esses brinquedos.

 

Computador, responda computador. Sim, a industria dos computadores [ precisava do precioso tempo para popularizar produtos] e vender os supercomputadores [estes sim, de uso estritamente militar]

 

Pronto...Faltava a emergência.

 

=========================

 

Observe os brilhantes comentários recentes do Melo, da Lelzinha, Coutinho e Gamboa.

 

Todos baseados em CENÁRIOS.

 

Onde podemos achar simultaneamente:

 

a- Pessoas prestes a perder o emprego

b- Pessoas com treinamento militar

c- Pessoas que interpretam imagens e dados de satélites.

d- Pessoas que entendem de política

e- Pessoas aptas em supercomputadores

f- Pessoas que sabem fazer contratos e lobby com o complexo industrial militar

g- Acesso direto ao vice presidente.

h- Controla a mídia americana e Hollywood.

i- Sabe se comunicar com os eleitores americanos.

 

Só um lugar no Planeta.

 

PENTÁGONO.

 

Assim quase todos os comentários neste tópico [quando escapa para a política] são baseados em cenários [ e se subir o nível dos oceanos?, e se faltar água?, e se a população crescer?, e se sair no Fantástico? etc...etc.]

 

A melhor comunicação com as massas vence. [até um ponto].

 

Abraços

 

e esgota-se minha participação política no tópico.

 

Voltarei ao bom e velho CO2.

 

=========

 

João.....O termo sustentável não me agrada..... enfim.

Share this post


Link to post
Share on other sites

15 BILHÕES NO MODELO ATUAL É INSUSTENTÁVEL, MAS NO FUTURO CREIO QUE CHEGARÁ PERTO E COM ÓTIMA QUALIDADE DE VIDA, ANTES TEREMOS MUITA CONFUSÃO, COMO É DE PRAXE NA CIVILIZAÇÃO, QQUER TROCA DE MODELO, INFELIZMENTE, NÃO É SUAVE.

 

QTO ALGUMAS COLOCAÇÕES, REALMENTE DEMONSTRAM O QTO SABEM DE CLIMA.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O único jeito de "salvar" o nosso mundo de haver extinção das florestas, árvores, etc, é se a Amazônia por exemplo fosse toda pertencente a propriedade privada. Imagine, eu sou dono de uma área considerável da Amazônia, ou seja, não têm muita coisa pra fazer com aquilo... O que irei fazer para ter lucro ?? "Vender" as madeiras para a indústria que irá precisar-lá para fabricar móveis, etc... Mas não posso fazer tudo isso de uma vez, se não, simplesmente, acaba todas as árvores da minha propriedade e eu ficarei com nenhum lucro próximo. Então, na verdade , eu irei autorizar a retirada de apenas metade das árvores(cobrar das empresas o replantio e ainda por cima cobrar-los por estarem explorando a minha propriedade) , para que assim eu sempre tenha um lucro garantido. É simples. Além de eu ajudar o replantio de árvores, estarei contribuindo para a preservação e para as indústrias. Mas , infelizmente, isto nunca irá ocorrer no Brasil, já que temos um Estado grande e incompetente(muitos o idolatram), que todos nós sabemos, deixa a indústria fazer o que quer, já que ele "passa" a mão por cima, para ter um lucrinho junto depois.

 

Voltando ao cenário proposto,no mínimo(pior cenários) metade de todas as florestas e áreas que devem ser protegidas, seriam certamente conservadas. Isto supondo que todas pessoas fossem ter esta visão, enquanto outras poderiam simplesmente serem "verdes" de mais ,outras poderiam apenas autorizar pequenas partes ou outras cobrarem um preço muito alto por km².

 

Ou melhor ainda, outros poderiam ter a ideia de transformar esta área em um parque, ou seja, a conservação da natureza irá ser o seu lucro.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se eu fosse olhar apenas para o meu próprio umbigo e analisar tão somente o estado de Minas Gerais....SIM! Há aquecimento evidente

e com efeitos evidentes, aquecimento esse que começou de 2000 em diante, cujo ápice foi entre 2002 e 2007. Tivemos invernos excepcionalmente

quentes neste período, como 2002, 2005 e 2006, além de verões quentes também.

 

Entre 2008 e 2011, tivemos o quase retorno do clima do passado, com verões mais comportados e invernos razoáveis.

 

Contudo, de 2012 até o presente ano, o calor tem dominando amplamente MG, e as chuvas também diminuíram. O ápice está sendo agora, em

2014. Por enquanto, este vem sendo, simultaneamente, o ano MAIS QUENTE e MAIS SECO da história climática da minha cidade, desde que os

registros começaram.

 

Se eu olhasse só para o meu umbigo e analisasse somente estes poucos anos, sim, eu diria que temos um aquecimento CATASTRÓFICO...mas é um

erro analisar apenas 15 anos. Quem não garante que em séculos passados já não tivemos secas piores, calores piores?

 

O que eu penso é que estamos vivendo um momento RARO em MG e Sudeste...eu penso que é BASTANTE RARO um ano como este de 2014...pelo

menos desde que os registros começaram, é isso o que se mostra. Não sei como foi em 1300 ou 1500...será que entraremos num ciclo de vários anos

parecidos com 2014? Não dá para saber, simplesmente não dá...mas tudo, provavelmente, faz parte de ciclos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
O único jeito de "salvar" o nosso mundo de haver extinção das florestas, árvores, etc, é se a Amazônia por exemplo fosse toda pertencente a propriedade privada. Imagine, eu sou dono de uma área considerável da Amazônia, ou seja, não têm muita coisa pra fazer com aquilo... O que irei fazer para ter lucro ?? "Vender" as madeiras para a indústria que irá precisar-lá para fabricar móveis, etc... Mas não posso fazer tudo isso de uma vez, se não, simplesmente, acaba todas as árvores da minha propriedade e eu ficarei com nenhum lucro próximo. Então, na verdade , eu irei autorizar a retirada de apenas metade das árvores(cobrar das empresas o replantio e ainda por cima cobrar-los por estarem explorando a minha propriedade) , para que assim eu sempre tenha um lucro garantido. É simples. Além de eu ajudar o replantio de árvores, estarei contribuindo para a preservação e para as indústrias. Mas , infelizmente, isto nunca irá ocorrer no Brasil, já que temos um Estado grande e incompetente(muitos o idolatram), que todos nós sabemos, deixa a indústria fazer o que quer, já que ele "passa" a mão por cima, para ter um lucrinho junto depois.

 

Voltando ao cenário proposto,no mínimo(pior cenários) metade de todas as florestas e áreas que devem ser protegidas, seriam certamente conservadas. Isto supondo que todas pessoas fossem ter esta visão, enquanto outras poderiam simplesmente serem "verdes" de mais ,outras poderiam apenas autorizar pequenas partes ou outras cobrarem um preço muito alto por km².

 

Ou melhor ainda, outros poderiam ter a ideia de transformar esta área em um parque, ou seja, a conservação da natureza irá ser o seu lucro.

 

Parabéns, Vitor! Gostei da tua visão. Muito bem escrito e colocado para alguém tão novo.

Já tens uma idéia bacana de crescimento, sem desprezar o meio ambiente.

Deixando nossas diferenças e discordâncias de lado, um dia gostaria de conversar pessoalmente contigo e com o COUTINHO sobre o assunto.

Apesar de saber que o Coutinho não gosta nem um pouco do que escrevo, eu gostaria de um dia conhecê-lo pessoalmente e esclarecer na boa muitas dúvidas que tenho. De repente um dia esse encontro, que será muito produtivo, aconteça!

Abração! :good:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Evidentemente, não dá para imaginar a vida sem eletricidade atualmente.

 

Mas... fico pensando nos telefones celulares...

Há 20/25 anos, não existiam, não faziam falta pra ninguém e a vida corria normalmente. :dirol:

Hoje, quase ninguém vive sem eles...

 

Tempos interessantes (By Mafili).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×