Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Sign in to follow this  
Luiz

ENSO, PDO, NAO, MJO... [acompanhamento]

Recommended Posts

Eu fico sentado a aguardar, pois pelas minhas estatísticas (dados entre 1923-2004 se não me engano), Palmas tem maior freqüência de neve em anos de El Niño. Suponho que isso se dá especialmente em anos de PDO negativa, mas isso ainda preciso verificar.

 

E não é de hoje que este seu discípulo lê isso. Há anos tu insiste que no caso de Palmas, a neve é melhor em ano de El Niño, o que não parece ser o caso do RS, mas não tenho razões para duvidar no caso do PR.

 

Eu deveria rever meus dados hoje, ainda mais porque disponho de muito mais conhecimento e meios que naquela época. Alguns fatos que surgiram das análises que fiz:

 

1. A freqüência da neve no Sul do Brasil varia de acordo com a temperatura do Pacífico;

2. A variação da freqüência da neve (n.º de dias) não é uniforme por todo o Sul do Brasil; considerando as áreas com pelos menos ou mais de 1 dia de neve/ano:

2a. Planalto Sul de SC e nordeste do RS apresentam maior freqüência de dias de neve em anos: neutros, mistos, de La Niña, de El Niño (em ordem decrescente).

2b. O Planalto de Palmas apresenta maior freqüência de dias de neve em anos de: El Niño, La Niña, neutros, mistos.

2c. Regiões com número de dias de neve inferior a um tendem a ter maior número de dias de neve em anos de La Niña.

 

Pode ser que a ordem não esteja muito precisa na exposição acima, pois escrevi de cabeça. Mas é aproximadamente isso. Estes dados demonstram que de alguma forma a situação do Pacifíco interfere nos mecanismos causadores da neve no Sul do país. Parece-me que o El Niño favorece sistemas capazes de fornecer umidade para a parte oeste do Planalto Meridional, o que explicaria a predominância dos anos de El Niño nas estatísticas de Palmas. Por outro lado, os anos mistos e neutros parecem estar associados a sistemas em que a nebulosidade não avança muito no continente, favorecendo a neve das regiões à leste do Planalto Meridional. Os anos de La Niña se apresentaram as maiores extensões atingidas pelas nevadas, nos quais cidades consideradas pouco nivosas (aqui definidas como tendo menos que um dia de neve ao ano) apresentaram o fenômeno.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Uma questão pode ser o posicionamento do bloqueio, frequentes em eventos Niño. Como sabemos, seja com Niño ou Niña, o Brasil Central tem sua estação seca no inverno. O Paraná é o estado mais próximo do Brasil Central. Logo, onde se estabelece climatologicamente o bloqueio pode influenciar no local da neve.

 

Quem souber aproveitar a dica acima pode produzir um ótimo artigo científico numa área ainda pouco estudada!

Share this post


Link to post
Share on other sites

O que se deve ter em mente é que o que eu coloquei acima foi fruto de uma análise estatística (bem simples, por sinal). Se vai nevar ou não, onde etc, seria imprudência pensar que uma observação empírica sem qualquer fundamentação teórica forneceria uma previsão razoável da distribuição da neve no Sul.

Share this post


Link to post
Share on other sites
PARA AJUDAR

 

EVENTOS COM NEVE FORTE E/OU MAIS DE UM DIA

 

1910

1912

1918

1928

1932/38

1942

1948

1955

1957

1965

1969

1972

1974

1975

1976

1978

1979

1980

1981

1984

1985

1987

1988

1989

1990

1993

1994

1996

1999

2000

2002

2006

 

Só uma coisa: 2006 teve neve FORTE OU POR MAIS DE UM DIA AONDE? Em SJ é que não foi... Nevou legalzinho em S Fco. Paula, mas, definitivamente, NAO FOI FORTE, como a última forte, em 2002. :?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Só uma coisa: 2006 teve neve FORTE OU POR MAIS DE UM DIA AONDE? Em SJ é que não foi... Nevou legalzinho em S Fco. Paula, mas, definitivamente, NAO FOI FORTE, como a última forte, em 2002. :?
Foi mais de um dia de neve: nevou antes e depois da meia-noite :mrgreen:

 

Porém a neve foi forte na minha opinião: acumulou em toda a cidade e toda região ficou pintada de branco.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Quando à neve, talvez fosse melhor compararmos a SOI (ou outro índice semelhante) aos número de dias de neve (melhor, o desvio com relação à média deles). Assim, qualquer efeito chaleira poderia ser detectado, sem prejuízo à xícara!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só para comparação... Em 2002 acumulou quanto em SJ na cidade Ronaldo? Porque só se eu estiver redondamente errado, e aí terei que reconsiderar, mas 2002 fez muito mais frio e a neve foi bem melhor, que eu me lembre. Não tô passando mal... :roll:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Só para comparação... Em 2002 acumulou quanto em SJ na cidade Ronaldo? Porque só se eu estiver redondamente errado, e aí terei que reconsiderar, mas 2002 fez muito mais frio e a neve foi bem melhor, que eu me lembre. Não tô passando mal... :roll:

 

Que me lembre, acumulou na cidade. Foi uma neve bem bonita!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Além de PDO x Neve, Enso x Neve, que outros dados poderia colocar junto com essas infornações para "encorpar" um gráfico ou uma tabela da neve no Brasil? Ciclo Solar? TSM Atlântico Sul? mesmo que uma coisa esteja relacionada a outra, é sempre bom visualizar melhor as coisas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
E não duvido que possa vir positiva em junho.

Vai quebrar um ciclo de frequancias negativas que há muito estão ocorrendo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

De todo modo, Alexandre, se positivar em junho, já foram 21 meses no campo negativo. Quase dois anos, o que, acredito, seja difícil de ocorrer.

 

2007:

 

Set: -0,36

Out: -1,45

Nov: -1,08

Dez: -0,58

 

2008:

 

Jan: -1,00

Fev: -0,77

Mar: -0,71

Abr: -1,52

Mai: -1,37

Jun: -1,34

Jul: -1,67

Ago: -1,70

Set: -1,55

Out: -1,76

Nov: -1,25

Dez: -0,87

 

2009:

 

Jan: -1,40

Fev: -1,55

Mar: -1,59

Abr: -1,65

Mai: -0,88

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mesmo que venha positiva não significa mudança de fase:

image004alf.jpg

 

Só uma curiosidade Mafil. Por que você o destaque exatamente nestes anos da década de 70? Por que não na série anterior da década, dois/três anos atrás? Fui claro?

 

Obrigado,

 

Caco

Share this post


Link to post
Share on other sites
Que atirem a primeira bola de neve
Fernando Mafili: escreveu

Historicamente o acompanhamento de SOI implica que o valor (Abril/Maio) terá implicações nas condições (Junho,Julho,Agosto).

Atualmente estamos na FASE 3...

Firulas:

Firula 1: Alexandre Aguiar disse em mensagem recente neste forvm 1972 que talvez seja análogo interessante:

Firula 2: Coutinho disse que o regime de chuvas estava de mudança

.

Espero que o meteorologista-chefe da AccuWeather seja aceito no forvm.

 

 

Isso se a gente deixar! É um baita de um incompetente! :lol: :lol: :lol:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Re: Fenômeno ENSO - Aspectos teóricos

por DiegoDalcino » Sáb Jul 11, 2009 1:07 pm

 

Finalmente o NOAA anuncia el ninho, antes ele apontava a neutralidade apontando a tendencia.

El ninho pode chegar a se desenvolver forte a moderado, poderemos ter muitos transtornos na primavera tipicos de el ninho, porem não exclusivos do padrão.

 

para quem tiver interesse:

http://www.elnino.noaa.gov/

http://www.cpc.noaa.gov/products/analys ... odisc.html

http://www.bom.gov.au/climate/enso/

 

 

isso ja tava lah no "lado B" do topico enso ... acho que ficou bem confuso esse negocio

Não se pode postar aqui porque o alexandre critica ... no enso "novo" ninguem da bola.

Edited by Guest

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se não for analisar apenas a parte do grafico acima circulada ... veremos que em fase positiva do PDO há messes que saem negativos:

1970     0.61   0.43   1.33   0.43  -0.49   0.06  -0.68  -1.63  -1.67  -1.39  -0.80  -0.97
1971    -1.90  -1.74  -1.68  -1.59  -1.55  -1.55  -2.20  -0.15   0.21  -0.22  -1.25  -1.87
1972    -1.99  -1.83  -2.09  -1.65  -1.57  -1.87  -0.83   0.25   0.17   0.11   0.57  -0.33
1973    -0.46  -0.61  -0.50  -0.69  -0.76  -0.97  -0.57  -1.14  -0.51  -0.87  -1.81  -0.76
1974    -1.22  -1.65  -0.90  -0.52  -0.28  -0.31  -0.08   0.27   0.44  -0.10   0.43  -0.12
1975    -0.84  -0.71  -0.51  -1.30  -1.02  -1.16  -0.40  -1.07  -1.23  -1.29  -2.08  -1.61
1976    -1.14  -1.85  -0.96  -0.89  -0.68  -0.67   0.61   1.28   0.82   1.11   1.25   1.22
1977     1.65   1.11   0.72   0.30   0.31   0.42   0.19   0.64  -0.55  -0.61  -0.72  -0.69
1978     0.34   1.45   1.34   1.29   0.90   0.15  -1.24  -0.56  -0.44   0.10  -0.07  -0.43
1979    -0.58  -1.33   0.30   0.89   1.09   0.17   0.84   0.52   1.00   1.06   0.48  -0.42
1980    -0.11   1.32   1.09   1.49   1.20  -0.22   0.23   0.51   0.10   1.35   0.37  -0.10

Share this post


Link to post
Share on other sites

Também acho interessante os dados recentes da SOI .. a um tempo atraz ela andava negativa em fase tres (rapida queda) ultimamente tem saidas positivas, a SOI é apenas correlação ao padrão de enso agora a SOI esta em fase cinco (proximo de zero). A SOI pode estar relacionada as variações climaticas locais o que explicaria tanta variação.

13-Jun-2009    1012.00   1013.50    -19.61     -7.54     -1.40
 14-Jun-2009    1012.43   1012.80    -11.67     -8.38     -1.58
 15-Jun-2009    1013.93   1011.90      5.20     -8.53     -1.55
 16-Jun-2009    1014.44   1012.30      5.97     -8.01     -1.44
 17-Jun-2009    1014.00   1014.10     -9.77     -7.68     -1.50
 18-Jun-2009    1013.53   1015.15    -20.46     -7.56     -1.76
 19-Jun-2009    1012.26   1014.35    -23.76     -7.86     -2.07
 20-Jun-2009    1011.70   1013.20    -19.61     -8.34     -2.34
 21-Jun-2009    1012.10   1012.40    -11.18     -8.35     -2.49
 22-Jun-2009    1014.03   1011.80      6.61     -7.64     -2.45
 23-Jun-2009    1014.41   1011.55     11.04     -6.89     -2.31
 24-Jun-2009    1014.76   1011.70     12.44     -6.19     -2.05
 25-Jun-2009    1015.86   1011.65     20.53     -5.43     -1.68
 26-Jun-2009    1016.25   1011.40     25.02     -4.61     -1.35
 27-Jun-2009    1017.19   1011.45     31.28     -4.04     -1.03
 28-Jun-2009    1016.90   1010.65     34.87     -3.41     -0.62
 29-Jun-2009    1016.68   1010.75     32.62     -2.90     -0.20
 30-Jun-2009    1016.46   1012.10     21.58     -2.78     -0.15
 1-Jul-2009     1015.85   1012.85     12.62     -2.51     -0.15
 2-Jul-2009     1014.74   1012.10     10.40     -1.96     -0.12
 3-Jul-2009     1014.03   1012.60      2.95     -1.70     -0.10
 4-Jul-2009     1014.95   1013.70      1.85     -1.46     -0.12
 5-Jul-2009     1015.45   1013.20      8.00     -1.12     -0.17
 6-Jul-2009     1014.98   1012.90      6.96     -0.63     -0.17
 7-Jul-2009     1014.19   1012.40      5.17     -0.16     -0.14
 8-Jul-2009     1014.00   1012.75      1.85     -0.02     -0.30
 9-Jul-2009     1012.94   1012.65     -4.06      0.48     -0.68
 10-Jul-2009    1013.29   1012.15      1.17      1.73     -0.86
 11-Jul-2009    1013.76   1011.15     10.22      3.72     -0.90
 12-Jul-2009    1014.63   1010.75     18.04      5.54     -0.96

Share this post


Link to post
Share on other sites
EL NIÑO/OSCILACION SUR (ENSO por sus siglas en inglés) DISCUSION DIAGNOSTICA  
emitido por  
CENTRO DE PREDICCIONES CLIMATICAS/NCEP/NWS
Traducción cortesía de: WFO SAN JUAN, PUERTO RICO  
9 de julio de 2009  

Estado de Alerta de ENSO: Advertencia de El Niño 


NOAA PRESS RELEASE  

Sinopsis: Condiciones de El Niño continuarán desarrollándose y se espera que duren hasta el Invierno del Hemisferio Norte 2009-2010.

Durante el mes de junio de 2009, ocurrió una transición en las condiciones a través del Océano Pacífico ecuatorial de condiciones de ENSO-neutral a El Niño. Las anomalías en la temperatura de la superficie del mar ecuatorial (SST, por sus siglas en inglés), continuaban aumentando con las últimas desviaciones semanales excediendo +1.0°C a través de una estrecha banda en el este del Pacífico ecuatorial (Fig. 1). Todos los índices semanales de SST aumentaron continuamente durante el mes de junio y ahora fluctuando entre +0.6°C a +0.9°C (Fig. 2). Las anomalías del contenido calórico en la sub-superficie oceánica (temperaturas promedio en los 300m superiores del océano, Fig. 3) aumentaron también a medida que la capa termoclinal continuaba profundizando (Fig. 4). En consistencia con la evolución oceánica, los vientos alisios ecuatoriales en los niveles bajos de la atmósfera estuvieron más débiles de lo normal a través de gran parte de la cuenca del Pacífico y la convección se tornó aun más suprimida sobre Indonesia. Esta combinación del océano con la atmósfera demuestra el desarrollo de las condiciones de El Niño.

Los modelos de pronósticos de las anomalías de SST para la región del Niño-3.4 (Fig. 5) reflejan un consenso en crecimiento para el desarrollo continuo de El Niño (+0.5°C o mayor en la región de el Niño-3.4). Sin embargo, la extensión de los modelos muestra una discrepancia en el fortalecimiento eventual de El Niño (+0.5°C a +2.0°C). Las condiciones actuales y las tendencias recientes favorecen el desarrollo continuo de un fortalecimiento de débil-a-moderado de El Niño hasta el otoño 2009 del Hemisferio Norte, con posibilidad de fortalecimiento a partir de entonces.

Los impactos esperados de El Niño durante los meses de julio-septiembre 2009 incluyen un aumento en la precipitación sobre partes del centro y oeste-central del Océano Pacífico, junto con la continuación de condiciones más secas de lo normal sobre Indonesia. Los impactos en la temperatura y precipitación sobre Estados Unidos son típicamente más débiles durante el verano del Hemisferio Norte y a principios de otoño, y se fortalecen generalmente durante la postrimería de otoño e invierno. El Niño, puede ayudar a suprimir la actividad de huracanes en el Atlántico aumentando el gradiente de vientos vertical sobre el Mar Caribe y el Océano Atlántico tropical. El pronóstico de NOAA sobre la temporada de huracanes en el Atlántico emitido en mayo (será actualizado el 6 de agosto) indica las probabilidades mayores para una temporada cerca del promedio.

Esta discusión es un esfuerzo consolidado de la Administración Nacional Oceánica y Atmosférica (NOAA por sus siglas en inglés), el Servicio Nacional de Meteorología de NOAA y sus instituciones afiliadas. Las condiciones oceánicas y atmosféricas son actualizadas semanalmente en la página de Internet del Centro de Predicciones Climáticas 
(Condiciones_actuales_de_El_Niño/La_Niña_y_Discusión_de_Expertos). Los Pronósticos sobre la evolución de El Niño/La Niña son actualizados mensualmente en la sección Foro_de_Pronóstico del Boletín de Diagnóstico Climático del Centro de Predicciones Climáticas (CPC por sus siglas en inglés). La próxima Discusión Diagnóstico de ENSO está programada para el 6 de agosto de 2009. Para recibir una notificación por e-mail cuando las Discusiones Mensuales de Diagnóstico ENSO sean publicadas, por favor envíe un mensaje por e-mail a: ncep.list.enso-update@noaa.gov


Centro de Predicción del Clima
Centros Nacionales de Predicción Ambiental
NOAA / Servicio Nacional del Tiempo
Camp Springs, MD 20746-4304 

Share this post


Link to post
Share on other sites

"... Compreende e NOAA prevê mudanças no ambiente da Terra, desde as profundezas do oceano para a superfície do sol, e conserva e gere os nossos recursos costeiros e marinhos".

 

Será um que refletira em um aquecimento terrestre ?

se for assim não vai ter quem ature os aquecentistas de plantão !

Share this post


Link to post
Share on other sites

2007:

 

Set: -0,36

Out: -1,45

Nov: -1,08

Dez: -0,58

 

2008:

 

Jan: -1,00

Fev: -0,77

Mar: -0,71

Abr: -1,52

Mai: -1,37

Jun: -1,34

Jul: -1,67

Ago: -1,70

Set: -1,55

Out: -1,76

Nov: -1,25

Dez: -0,87

 

2009:

 

Jan: -1,40

Fev: -1,55

Mar: -1,59

Abr: -1,65

Mai: -0,88

Jun: -0,31

 

22 meses ininterruptos com sinal negativo. Será que conseguiremos fechar 2 anos assim? Quando foi a última vez que isso aconteceu?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hummm... Os períodos citados me lembram dois grandes eventos marcantes: nevascas de 65 e 75, sem falar de 57. Ah, ía me esquecendo: tem o efeito "chaleira" nessa história!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Estaríamos iniciando abruptamente uma pequena era do gelo???

 

nem sonhando.

 

Taí um tópico que poderia ser criado, caso alguém dispusesse de dados para

alimentá-lo com as devidas informações: - que tipo de clima existiu no

Brasil no auge da última era do gelo?

Será que Minas Gerais, Goiás e Matro Grosso tinham clima subtropical, e o sul,

temperado oceânico (é só um exemplo de expeculação que poderia existir)?

 

Outro tópico. Se o clima da terra aquecesse 2ºC neste século, que clima existiam

no Brasil em 2100. Será que o clima tropical chegaria em Santa Catarina?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Silvio ultimos dados da SOI

1-Jul-2009     1015.85   1012.85     12.62     -2.51     -0.15
 2-Jul-2009     1014.74   1012.10     10.40     -1.96     -0.12
 3-Jul-2009     1014.03   1012.60      2.95     -1.70     -0.10
 4-Jul-2009     1014.95   1013.70      1.85     -1.46     -0.12
 5-Jul-2009     1015.45   1013.20      8.00     -1.12     -0.17
 6-Jul-2009     1014.98   1012.90      6.96     -0.63     -0.17
 7-Jul-2009     1014.19   1012.40      5.17     -0.16     -0.14
 8-Jul-2009     1014.00   1012.75      1.85     -0.02     -0.30
 9-Jul-2009     1012.94   1012.65     -4.06      0.48     -0.68
 10-Jul-2009    1013.29   1012.15      1.17      1.73     -0.86
 11-Jul-2009    1013.76   1011.15     10.22      3.72     -0.90
 12-Jul-2009    1014.63   1010.75     18.04      5.54     -0.96
 13-Jul-2009    1015.34   1011.25     19.33      6.84     -1.03
 14-Jul-2009    1015.29   1011.95     14.71      7.72     -1.00
 15-Jul-2009    1014.29   1012.85      3.02      7.65     -1.05

 

 

Os dados da SOI podem estar atrelados ao clima do local de medição .

Share this post


Link to post
Share on other sites

Conversely, the Southern Oscillation Index (SOI) rose over the past week to near zero. However, this would appear to be a response to local weather conditions near Darwin and Tahiti, rather than a long-term climate signal, and hence the SOI is likely to fall again in the weeks ahead.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parece que no Itatiaia havia geleira. Abra o tópico!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Parece que no Itatiaia havia geleira. Abra o tópico!

 

TINHA GELEIRA NO SUL DO BRASIL. PROVAVELMENTE NO ITATIAIA TBÉM.

 

Isso vi numa apostila de climatologia do Rodolfo. O testemunho disso são os vales em U.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest

Nós sabemos muito pouco sobre o clima, até o homem que mais entende de clima no mundo sabe muito pouco, infelizmente nossa vida é tão curta que raramente um ser humano pode presenciar uma grande mudança climática (e elas existem, nem tudo são ciclos), as vezes bate uma votade de viver milhares de anos só para acompanhar o clima. Mas o BAZ DEFINITIVAMENTE "vive" na era errada :(

Share this post


Link to post
Share on other sites

2007:

 

Set: -0,36

Out: -1,45

Nov: -1,08

Dez: -0,58

 

2008:

 

Jan: -1,00

Fev: -0,77

Mar: -0,71

Abr: -1,52

Mai: -1,37

Jun: -1,34

Jul: -1,67

Ago: -1,70

Set: -1,55

Out: -1,76

Nov: -1,25

Dez: -0,87

 

2009:

 

Jan: -1,40

Fev: -1,55

Mar: -1,59

Abr: -1,65

Mai: -0,88

Jun: -0,31

Jul: -0,53

 

23 meses ininterruptos com sinal negativo. O período atual é o quarto mais longo sem interrupção de todo o século XX, igualando com o período de 23 meses de Agosto de 1966 a Junho de 1968. Mais longo que este, só tivemos os 28 meses de Maio de 1961 a Agosto de 1963, os 25 meses de Fevereiro de 1955 a Fevereiro de 1957 e os 36 meses de Julho de 1948 a Junho de 1951 (todos na última fase negativa do PDO).

Share this post


Link to post
Share on other sites
DEVE SER NEGATIVO EM AGOSTO E SET.

 

SUJOU, RONALDO:

 

2007:

 

Set: -0,36

Out: -1,45

Nov: -1,08

Dez: -0,58

 

2008:

 

Jan: -1,00

Fev: -0,77

Mar: -0,71

Abr: -1,52

Mai: -1,37

Jun: -1,34

Jul: -1,67

Ago: -1,70

Set: -1,55

Out: -1,76

Nov: -1,25

Dez: -0,87

 

2009:

 

Jan: -1,40

Fev: -1,55

Mar: -1,59

Abr: -1,65

Mai: -0,88

Jun: -0,31

Jul: -0,53

Ago: 0,09

 

Saldo final: 23 meses ininterruptos com sinal negativo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
E não duvido que possa vir positiva em junho.

Vai quebrar um ciclo de frequancias negativas que há muito estão ocorrendo.

 

Errou por 2 meses hehe

Share this post


Link to post
Share on other sites
Só me faltava mais essa agora. Voltar a La Niña com tudo e detonar de vez com o milho e a soja. Sofrendo agora com as chuvas para semear e poderia ver definhar tudo por falta de chuva mais adiante.

Tá difícil...

 

 

NÃO CREIO EM ESTIAGENS A PONTO DE PREJUDICAR SERIAMENTE A SAFRA DE VERÃO. PODE TER ESTIAGENS MAIS FORTES BEM LOCALIZADAS, POR ORA A SAFRA DE VERÃO ESTÁ MAIS PARA BOA.

 

PODE TER FRIO FORA DE ÉPOCA.

Então este El Nino é daqueles de tiro curto?

Se voltar o La Nina poderemos ter um inverno semelhante a este em 2010?

Agora, aguentar nosso verão com frio já é demais. Já temos um litoral marrento e com frio é pior.

Se bem que limpa mais quando há frio no verão.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest

Buenas!

 

DEVE VOLTAR A FICAR NEGATIVO.

 

"Poderia" "negativar" em setembro...

 

A safra 2010 já está comprometida pelos índices de chuvas... OREMOS!!!! (segundo minha mãe "o tempo à Deus pertence"... Prefiro pensar como Kant que o Tempo é uma Intuição e à Natureza pertence....)

 

Saludos y Suerte!

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

POR ORA, VERÃO DENTRO DO NORMAL, EXTREMADO.

 

Observa-se também uma anomalia positiva desde o litoral nordestino até o norte do Rio grande, e outra mancha bem acentuada no foz do prata (pra variar), no que isso pode unfluenciar pra cá atualmente e nos meses de verão?

Share this post


Link to post
Share on other sites
O INTERESSANTE É QUE TEM UMA MANCHA GRANDE DE ÁGUA FRIA NO PACÍFICO NORTE. OS DADOS DEVEM SER DA BORDA OU PRÓXIMO DELA.

 

Mas esta é a marca da PDO positiva!!!

 

pdo_warm_cool3.jpg

(fase quente/fria)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boletim atualizado da SOMAR, sobre o EL NINO:

 

EL NIÑO FORMA-SE AO LONGO DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010, PORÉM EM UMA ÁREA DIFERENTE DO FENÔMENO CLÁSSICO: A temperatura das águas do Oceano Pacífico encontram-se mais elevadas que o normal na maior parte das áreas analisadas (desvios entre 0,5°C e 1°C). Apenas nas áreas mais próximas da costa da América do Sul, a temperatura caiu e observa-se um desvio negativo de -0,5°C. Os desvios positivos muito pequenos não garantem atual influência do fenômeno El Niño sobre o Brasil. As chuvas fortes registradas na Região Sul nas últimas semanas são normais e foram um pouco mais intensas por conta das águas mais quentes do Oceano Atlântico junto à costa do Brasil. Além disso, nas últimas semanas, um estudo sul coreano chamou bastante a atenção de todos por sugerir que exista um novo tipo de El Niño, além do fenômeno clássico. O link no fim do texto afirma em "El Niño do futuro". Mas o fenômeno já é uma realidade. Ele já aconteceu, por sinal, no ano de 2004-05, quando mesmo com o aquecimento da água do Oceano Pacífico, o centro e sul do Brasil passou por uma grande estiagem entre fevereiro e março. O resumo do estudo é simples. Não basta aquecer a água do Pacífico, como está acontecendo agora. A água precisa aquecer junto a costa da América do Sul. Se por um acaso, a água aquecer distante da costa da América do Sul, os efeitos de um El Niño clássico ou não são registrados ou são registrados de forma muito tênue. Diante disso, resta-nos analisar a evolução da temperatura das águas do Oceano Pacífico nas áreas mais próximas da América do Sul. E as previsões indicam que este aquecimento acontecerá de forma ainda mais defasada que a registrada nas áreas centrais. Até o mês passado, afirmávamos que o El Niño alcançaria um estágio maduro apenas entre janeiro e fevereiro de 2010. Isto ainda vale, porém para a área central do Oceano Pacífico. Já nas áreas próximas da costa, o aquecimento de pouco mais de 1°C acima do normal deve acontecer apenas em abril. Ou seja, durante boa parte do verão e início do outono, o Brasil estaria sujeito aos efeitos de um El Niño não-clássico, com aquecimento em uma área distante da costa da América do Sul. Apenas em meados do próximo semestre é que o aquecimento em áreas mais próximas da América do Sul poderia trazer efeitos de um fenômeno clássico.

Share this post


Link to post
Share on other sites
NÃO Á APENAS O EL OU LA, TEM OUTRAS VARIÁVEIS QUE AJUDAM OU ATENUAM ESTES DOIS.

 

NESTE ANO MUDOU O PADRÃO NESTAS OUTRAS ÁREAS.

 

Haver El Niño ou La Niña é algo que depende da temperatura das águas do Pacífico Equatorial. Já os efeitos destes fenômenos, por sua vez, podem ser atenuados ou mesmo suprimidos devido à conjunção de inúmeros fatores.

 

Pode estar chovendo, mas se o sujeito abrir um guarda-chuva, não irá se molhar. Assim, mesmo havendo El Niño (ou La Niña), há inúmeros outros fatores capazes de tornar o quadro ainda mais complexo.

 

PS.: Não estou discordando, pelo contrário. Apenas para que fique claro. :!:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.