Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Mafili

Ciclones no Atlântico Sul - Monitoramento e Previsão (2013 a 2016)

Recommended Posts

HOJE, O PEPINO PODERÁ FICAR ENTRE MG, ES E BA, A CHUVA ESTÁ MAIS AO NORTE QUE O NORMAL. E O ATLÂNTICO SUL CONTINUA BEM FRIO. UM VERÃO MAIS AMENO NO ATACADO.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Diagrama do CMC dessa tarde, é o mais "agressivo" até agora dos modelos em termos de estrutura, mostrando grande simetria em relação a baixa ao emergir, mantendo núcleo quente, e significativo aquecimento de seu núcleo alta troposfera!

 

Europeu 12z mantem a baixa com alta simetria, "deslizando" para sul, a margem da costa do Sudeste.

 

GFS 12z ainda mostra o sistema de baixa de pressão, porém muito mais enfraquecido e com pouca simetria.

 

Ambos os modelos sugerem a baixa emergindo agora entre a sexta e o sábado entre o RJ/ES. A acompanhar...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só para ilustrar.

 

CMC 12z - 18/12 e sua rodada agressiva, com a baixa altamente simetrica, e com aquecimento significativo em médios níveis.

 

7q5w.png

x8q9.png

xa98.png

 

ECMWF 12z - mostra um baixa fechada e simetrica, com influência quase nula dos jatos sobre a costa de SP nessa simulação, o que pode indicar eventual janela para formação tropical.

lrn0.png

rt5b.png

 

GFS 18z se restringe somente a uma fraca área de baixa pressão

9o22.png

 

 

Continuamos a acompanhar...

Share this post


Link to post
Share on other sites
CIRAM em sua previsão de hoje coloca chuvas volumosas no litoral de SC. Efeito da circulação marítima. Relevo ajudará?

 

Em parte Maurício.

 

=====================================================================================

 

GFS tanto 6z, quanto 0z, mostram uma baixa muito simétrica, pra padrões Atlântico Sul, e com maior aquecimento em médios/altos níveis...

 

Nesse cenário, mais o do Europeu de ontem ao menos, não seria mais tão longínquo essa baixa receber uma classificação de Invest ao menos....

 

A observar bem!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não sei se é caso pra pensar em nome, mas a projeção do CMC 12z, é TÍPICA de sistema tropical!!! E o mais agressivo até agora.

 

hsn4.png

e2dy.png

51q3.png

x5oj.png

 

O diagrama mostra a baixa ganhando força entre 1000/1010hpas, indo de norte pra sul e avançando em direção a costa, além adquirir simetria e warm-core em baixos níveis, e muito próximo de adquirir núcleo quente em altos níveis....

 

Tanto a trajetória da baixa, quanto a configuração da atmosfera, são muito parecidas com o de Anita em 2010 nessa projeção.

 

Por enquanto são apenas projeções! A acompanhar...

Edited by Guest

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boletim do NOAA agora tarde, reconhece a formação de uma baixa com núcleo quente sobre a costa do Brasil, mas por enquanto falam em Subtropical... Primeiro caminho, pro sistema ganhar Invest!!

 

"FURTHERMORE...DEEP UPPER TROUGH IS TO THEN INDUCE A SURFACE LOW

JUST EAST OF RIO DE JANEIRO BY 72-84 HRS. THIS FEATURE IS LIKELY

TO HAVE WARM CHORE CHARACTERISTICS...WITH SOME OF THE MODELS

PROJECTING A SUBTROPICAL CYCLONE. IF A CYCLONE

DEVELOPS...GOVERNMENT OF BRASIL WILL ISSUE THE NECESSARY

WARNINGS/ADVISORIES."

Share this post


Link to post
Share on other sites

SOUTH AMERICA FORECAST DISCUSSION - INTERNATIONAL DESKS

NWS WEATHER PREDICTION CENTER COLLEGE PARK MD

1136 AM EST WED DEC 18 2013

 

GFS DATA AT FTPPRD.NCEP.NOAA.GOV/PUB/DATA/NCCF/COM/GFS/PROD/

 

MODEL DISCUSSION (VALID FROM 18 DECEMBER 00UTC): GLOBAL MODELS

CONTINUE TO AGREE ON SHORT WAVE PATTERN EVOLUTION THROUGH 96-108

HRS. MINOR TIMING AMPLITUDE DIFFERENCES THEN DEVELOP LATER IN THE

CYCLE. OVERALL CONFIDENCE IN THE FORECAST REMAINS HIGH. HEAVY

RAINS ACROSS BRASIL-BOLIVIA/PERU REMAINS THE CHALLENGE OF THE

DAY...WITH STRONG AGREEMENT AMONG GLOBAL/ENSEMBLE MODELS ON

POTENTIAL FOR HEAVY RAINS ALONG THE SOUTH AMERICAN CONVERGENCE

ZONE (SACZ) OVER THE NEXT FEW DAYS.

 

AT 200 HPA...SUBTROPICAL RIDGE CONTINUES TO DOMINATE UPPER FLOW

PATTERN OVER THE CONTINENT...AS IT EXTENDS TO THE NORTH OF 40S AND

WEST OF 45W/50W. A CLOSED HIGH OVER CENTRAL BOLIVIA ANCHORS THIS

AXIS. CONSISTENT WITH PREVIOUS FORECASTS...THE HIGH IS TO

GRADUALLY RELOCATE ACROSS NORTHERN CHILE TO THE EASTERN PACIFIC BY

84-96 HRS...WHERE IT REMAINS THROUGH 132-144 HRS. AS THE RIDGE

RECEDES A TROUGH TO THE EAST IS TO THEN AMPLIFY ACROSS

BRASIL...WITH AXIS NORTHWEST ALONG 30S 47W TO MATO GROSSO/PARA. BY

96-120 HRS THE TROUGH IS TO REACH MAXIMUM AMPLITUDE. BEST

DIVERGENCE ALOFT IS EXPECTED AROUND THE SUBTROPICAL RIDGE TO THE

WEST...AND ALONG THE EASTERN-NORTHERN PERIPHERY OF THE AMPLIFYING

TROUGH. THE UPPER RIDGE-TROUGH WILL PROVIDE THE VENTILATION ALOFT

TO THE SACZ AS IT MEANDERS WEST ALONG 20S BETWEEN RIO DE

JANEIRO/NORTHERN SAO PAULO TO RONDONIA/NORTHERN BOLIVIA. THIS

CONVERGENCE ZONE WILL BE THE FOCUS OF MOISTURE CONVERGENCE. ACROSS

RIO DE JANEIRO-MINAS GERAIS-ESPIRITO SANTO-BAHIA-TOCANTINS/GOIAS

TO MATO GROSSO THE DAILY MAXIMA IS TO RANGE BETWEEN

75-125MM...WITH LOCALLY HIGHER AMOUNTS POSSIBLE DUE TO ECHO

TRAINING AND STRONG TOPOGRAPHICAL FORCING. AS THE UPPER TROUGH

PATTERN AMPLIFIES...FOCUS OF THE HEAVY RAINS WILL SHIFT WEST AND

NORTH TO PARA-TOCANTINS/GOIAS. OTHER ACTIVITY IS TO BUILD ALONG

THE TAIL END OF THE CONVERGENCE ZONE BETWEEN RONDONIA-NORTHERN

BOLIVIA TO SOUTHERN PERU. IN THIS AREA EXPECTING RAINFALL MAXIMA

OF 30-60MM/DAY THROUGH 48-72 HRS...AND 25-50MM/DAY THEREAFTER.

FURTHERMORE...DEEP UPPER TROUGH IS TO THEN INDUCE A SURFACE LOW

JUST EAST OF RIO DE JANEIRO BY 72-84 HRS. THIS FEATURE IS LIKELY

TO HAVE WARM CHORE CHARACTERISTICS...WITH SOME OF THE MODELS

PROJECTING A SUBTROPICAL CYCLONE. IF A CYCLONE

DEVELOPS...GOVERNMENT OF BRASIL WILL ISSUE THE NECESSARY

WARNINGS/ADVISORIES.

PERSISTENT MID/UPPER RIDGE PATTERN OVER THE CONTINENT IS TO

CONTINUE FOCUSING SHORT WAVE PERTURBATIONS ON THE SOUTHERN STREAM

FLOW ACROSS SOUTHERN PORTIONS OF CHILE TO PATAGONIA IN ARGENTINA.

IN THIS PATTERN...EXPECTING A FAIRLY STRONG SHORT WAVE TROUGH TO

ENTER SOUTHERN CHILE BY 60-66 HRS... AND THROUGH 72 HRS IT IS TO

QUICKLY PULL ACROSS THE SOUTHERN CONE TO THE WESTERN ATLANTIC. AT

LOW LEVELS IT WILL SUSTAIN A DEEP TROUGH...WITH ASSOCIATED FRONT

ENTERING SOUTHERN CHILE BY 48-60 HRS...AND THEN WEST ACROSS

PATAGONIA IN ARGENTINA TO CENTRAL CHILE BY 72 HRS. THIS WILL

SUSTAIN A TIGHT GRADIENT AND STRONG BOUNDARY LAYER WINDS OF

30-40KT...WITH TOPOGRAPHICALLY INDUCED CONVECTION TO PEAK AT

15-30MM.

 

THE NEXT POLAR PERTURBATION IS TO MOVE ACROSS 85W/90W BY 96 HRS.

THIS IS TO SLOWLY PULL ACROSS THE EASTERN PACIFIC TO THE SOUTHERN

CONE OF SOUTH AMERICA LATER IN THE FORECAST CYCLE. AT LOW LEVELS

IT IS TO ALSO SUSTAIN AN ELONGATED FRONT THAT IS TO ENTER SOUTHERN

CHILE LATER IN THE FORECAST CYCLE...WHERE IT IS TO ONCE AGAIN

FAVOR STRONG BOUNDARY LAYER WINDS AND MODERATE CONVECTION.

 

VICENTE...FAA (ARGENTINA)

PASCUALETTI...DMC (CHILE)

DAVISON...WPC (USA)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Poderiamos chamar de tempestade ALVES, em homenagem ao seu investigador brasileiro!

Qualquer coisa é melhor que ANITA.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agradeço de vdd a homenagem, embora não ache que mereça haha... Mas vamos esperar as coisas se concretizarem de fato.

 

==================================================================================================================================

 

Últimos Mapas de Previsão do NOAA e do CPTEC mostram claramente a baixa no litoral do Sudeste, envolvida apenas pela ZCAS no final de semana.

 

r34v.gif

5h6.gif

 

 

Depois do NOAA na sua seção pra América do Sul destacar a possibilidade de uma baixa com núcleo quente. Pela primeira vez em 2 anos (que eu me lembre), o site do NOAA para Produtos Tropicais, acusa uma possibilidade de formação de Ciclone Tropical na costa do Brasil, o que reforça mais ainda a tese que a baixa possa ganhar uma classificação INVEST.

 

gymg.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vlw Will!

 

Entre amanhã e 24/12. Tempo de duração da Baixa.

 

 

Legal , qual a chance de termos uma surpresinha ou algo bonito visto do satelite ? Acho essass formaçoes muito interessantes ! Desde que nao atinja ninguem otimo

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vlw Will!

 

Entre amanhã e 24/12. Tempo de duração da Baixa.

 

 

Legal , qual a chance de termos uma surpresinha ou algo bonito visto do satelite ? Acho essass formaçoes muito interessantes ! Desde que nao atinja ninguem otimo

 

Vai depender de quanta simetria a baixa vai adquirir. Mas a baixa será fraca, algo em torno de 1005hpas, o que impede maior organização... Mas algum tipo de circulação acho que será visível no satelite. O legal, vai ser acompanhar mesmo, principalmente se receber classificação INVEST.

 

Torcemos que não atinga ninguém mesmo, especialmente entre SC/PR/SP!

Share this post


Link to post
Share on other sites

CPTEC no seu Boletim Técnico, agora também admite a possibilidade de uma "Baixa Subtropical" com direito a legenda nos mapas sinóticos!

 

Nesta quinta-feira (19/12), o destaque da previsão de tempo é a presença da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), atuando do sudeste do PA ao ES e Atlântico adjacente. Esse sistema faz parte do escoamento do tipo bloqueio em médios níveis (500 hPa), que contribuiu para chuva significativa em áreas de MG e do ES. Nos próximos cinco dias (19 a 23) a ZCAS continuará atuando entre o Sudeste e o sudeste do PA e norte de MT, ainda embebida numa atmosfera com escoamento de bloqueio. Por isso a previsão é de bastante chuva para MG, ES e grande parte da BA e GO nessa semana (19 a 23) e atingindo o RJ a partir do dia 20/12. No Atlântico e nas proximidades do litoral do Sudeste estará formada uma baixa pressão subtropical no dia 20/12, que manterá a convergência de umidade parte o litoral de SC do PR, de SP e do RJ, deixando o tempo instável nessa área. No campo de geopotencial nota-se anomalia negativa do mesmo entre o Sudeste e o Centro-Oeste até 96h (22/12), evidenciado pela presença de um cavado em 500 hPa. Além disso, a presença de um VC em 500 hPa, atuante com o centro nas proximidades do litoral do RJ e de SP e o seu deslocamento para oeste até do dia 22, permitirá juntamente com uma massa de ar quente e instável entre o Sudeste e o Centro-Oeste pancadas de chuva localmente forte em áreas do sul ao triângulo de MG, GO, norte e centro de SP, principalmente no dia 20 e no final de semana (21 e 22). Aliado a essa circulação, no centro do Brasil, há um VCAN (vórtice ciclônico de altos níveis) a leste da Região Nordeste, o qual se deslocará lentamente para oeste nos próximos dias. O efeito disso será a amplificação para noroeste do cavado do VC em 500 hPa e a diminuição da chuva para o setor nordeste da Região Nordeste a partir do dia 22/12 e aumento da condição para pancadas de chuva no PR, SP, RJ, triângulo e sul de MG e MS. Nos dias 23 e 24 a Bolívia terá um VC em 500 hPa e um VCAN em 250 hPa atuantes. Isto gerará um bloqueio atmosférico em 500 hPa, pois entre o oeste da Argentina e o Sul do Brasil atuará uma circulação anticiclônica. Os modelos ETA15, BRAMS5, T299, G3DVAR e GFS apresentam razoável concordância no campo de chuva entre o ES, MG e a BA para os próximos dias. No campo bárico apresentam boa concordância para o litoral do Sudeste até 48h (dia 20/12). Entretanto, o modelo GFS intensifica uma baixa pressão no dia 21/12 (72h) no litoral do Sudeste e os demais suavizam colocando um cavado invertido. Mesmo assim, o modelo ETA15 apresenta um pequeno centro de baixa pressão nas proximidades do litoral norte de SC e do litoral do PR.

 

Elaborado pelo meteorologista Luiz Kondraski de Souza

 

http://tempo.cptec.inpe.br/bol_tecnico.shtml

Share this post


Link to post
Share on other sites

Diagramas do GFS e do CMC seguem apontando pra uma baixa com núcleo quente em superfície e morno em altos níveis, o que leva a crer a de fato uma Baixa Subtropical, porém pelo fato de apresentar simetria com núcleo quente em baixa troposfera, tem chance de receber de classificação INVEST.

 

==================================================================================================

PS: Classificação INVEST (que vem de Investigação), termo não muito usual na meteorologia brasileira, significa que um sistema de baixa pressão/cavado tem potencial para gerar um Ciclone Tropical, e com isso passa a ser investigado. Quem designa essa classificação e investiga é o National Hurricane Center (NOAA) para o Hemisfério Ocidental e o JTWC para demais áreas.

 

A partir do momento que uma baixa recebe essa classificação, ele recebe um código, que é composto por números de 90 a 99 (um para cada baixa) e um sufixo identificando a bacia, que no caso, seria "SL" S = South L = Atlantic

 

Logo se houver um reconhecimento por parte do NOAA o que já foi pareceu ser indicado ontem, a baixa será designada "Invest 90SL"

 

A partir daí ela passará a ser enquadrada na Escala Dvorak afim de monitorar o progresso e evolução da baixa, que vai de 1.0 a 8.0 e recebe uma classificação em T (Tropical) e ST (Subtropical). Normalmente, valores a partir de 1.5/2.0 indicam uma Tempestade Tropical/Subtropical, a partir de 4.0 Furacão.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Diagramas do GFS e do CMC seguem apontando pra uma baixa com núcleo quente em superfície e morno em altos níveis, o que leva a crer a de fato uma Baixa Subtropical, porém pelo fato de apresentar simetria com núcleo quente em baixa troposfera, tem chance de receber de classificação INVEST.

 

==================================================================================================

PS: Classificação INVEST (que vem de Investigação), termo não muito usual na meteorologia brasileira, significa que um sistema de baixa pressão/cavado tem potencial para gerar um Ciclone Tropical, e com isso passa a ser investigado. Quem designa essa classificação e investiga é o National Hurricane Center (NOAA) para o Hemisfério Ocidental e o JTWC para demais áreas.

 

A partir do momento que uma baixa recebe essa classificação, ele recebe um código, que é composto por números de 90 a 99 (um para cada baixa) e um sufixo identificando a bacia, que no caso, seria "SL" S = South L = Atlantic

 

Logo se houver um reconhecimento por parte do NOAA o que já foi pareceu ser indicado ontem, a baixa será designada "Invest 90SL"

 

A partir daí ela passará a ser enquadrada na Escala Dvorak afim de monitorar o progresso e evolução da baixa, que vai de 1.0 a 8.0 e recebe uma classificação em T (Tropical) e ST (Subtropical). Normalmente, valores a partir de 1.5/2.0 indicam uma Tempestade Tropical/Subtropical, a partir de 4.0 Furacão.

A Tempestade Tropica Anita aqui no RS em março de 2010, teve 1 Ace de 3.5, quase 1 furacão, com ventos constantes sustentados por 85 Km/h à 160 Km de Capão da Canoa, onde estava naquela ocasião

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aguardando o novo boletim do WPC sobre a formação de baixa no litoral do Sudeste, pode ser que já venha a informação de INVEST. No TPC ainda não há nenhum invest sobre o Atlantico Sul.

 

GFS mostra a baixa intensificando a partir de amanhã, mas não mostra grande evolução do sistema.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Aguardando o novo boletim do WPC sobre a formação de baixa no litoral do Sudeste, pode ser que já venha a informação de INVEST. No TPC ainda não há nenhum invest sobre o Atlantico Sul.

 

GFS mostra a baixa intensificando a partir de amanhã, mas não mostra grande evolução do sistema.

 

Novo aviso do NOAA/WPC de hoje segue indicando a formação de um Ciclone Subtropical. Porém com menos enfase que ontem na linguagem

 

"SOUTH AMERICA FORECAST DISCUSSION - INTERNATIONAL DESKS

NWS WEATHER PREDICTION CENTER COLLEGE PARK MD

1251 PM EST THU DEC 19 2013

 

FURTHERMORE...DEEP UPPER TROUGH IS TO THEN INDUCE A SURFACE LOW

JUST EAST OF RIO DE JANEIRO BY 42-48 HRS...WITH SOME OF THE MODELS

SUGGESTING POSSIBLE SUBTROPICAL CYCLONE FORMING IN THIS AREA. IF A

CYCLONE DEVELOPS...GOVERNMENT OF BRASIL WILL ISSUE THE NECESSARY

WARNINGS/ADVISORIES."

Share this post


Link to post
Share on other sites
Aguardando o novo boletim do WPC sobre a formação de baixa no litoral do Sudeste, pode ser que já venha a informação de INVEST. No TPC ainda não há nenhum invest sobre o Atlantico Sul.

 

GFS mostra a baixa intensificando a partir de amanhã, mas não mostra grande evolução do sistema.

 

Novo aviso do NOAA/WPC de hoje segue indicando a formação de um Ciclone Subtropical. Porém com menos enfase que ontem na linguagem

 

"SOUTH AMERICA FORECAST DISCUSSION - INTERNATIONAL DESKS

NWS WEATHER PREDICTION CENTER COLLEGE PARK MD

1251 PM EST THU DEC 19 2013

 

FURTHERMORE...DEEP UPPER TROUGH IS TO THEN INDUCE A SURFACE LOW

JUST EAST OF RIO DE JANEIRO BY 42-48 HRS...WITH SOME OF THE MODELS

SUGGESTING POSSIBLE SUBTROPICAL CYCLONE FORMING IN THIS AREA. IF A

CYCLONE DEVELOPS...GOVERNMENT OF BRASIL WILL ISSUE THE NECESSARY

WARNINGS/ADVISORIES."

 

 

Meu ingles é uma merda mais sério que eu li em baixo " se um ciclone se formar o governo Brasileiro emitira avisos " ? :laugh:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meu ingles é uma merda mais sério que eu li em baixo " se um ciclone se formar o governo Brasileiro emitira avisos " ? :laugh:

 

Pior que é isso mesmo! :sarcastic:

 

Na página do TPC há uma designação para o INMET como responsável de emitir avisos de Ciclones Tropicais no Atlântico Sul.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Já é possível identificar uma circulação ciclônica sobre o ES em baixa troposfera (850hpas), prestes a entrar no oceano. A partir dessa rotação, se formará a baixa amanhã.

 

ntv.gif

 

Em superfície, nota-se o reflexo... Carta Sinótica do Serviço Meteorologico do Chile, mostra valores de pressão em torno de 1006hpas entre o ES/Leste de MG (Local da rotação Ciclonica).

 

9wz6.png

 

GFS/CMC/ECMWF seguem insistindo que a baixa terá núcleo quente em superfície ao menos na fase inicial, e morno em altitude. Nenhum dos modelos projetam uma baixa profunda, chegando a no máximo 1005hpas. Abaixo a projeções do GFS/CMC

 

j4jv.png

cdln.png

ault.png

90rp.png

 

Uma situação a observar é a dos modelos regionais. Tanto o ETA quanto o MBAR mostram a baixa indo diretamente para a costa de SC/PR, diferentemente dos modelos globais que mostram a baixa em alto-mar, com efeitos quase nulos em costa. Independente da classificação, nesse cenário, ela traria fortes chuvas (e ventos intensos de forma isolada), sobre o litoral do Sul (em especial SC/RS) como nas projeções abaixo. Portanto o trajeto dessa baixa, ainda tem baixa confiança! A observar...

 

pekv.png

lym5.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

Além da possibilidade de afetar o sul, o deslocamento dessa Baixa também irá influenciar o posicionamento do canal de umidade sobre o Sudeste, ao longo dos próximos dias.

 

Muito provavelmente, esse sistema irá fazer a ZCAS descer um pouco mais pro sul, a partir do final de semana e ao longo da próxima semana, devido a convergência interligada a circulação da baixa. Com isso, todo fluxo de umidade, deverá se concentrar no RJ e Centro/Leste/Zona da Mata (incluindo Juiz de Fora) em Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal , e possivelmente por volta do Natal chegando a São Paulo, Serra da Mantiqueira e adjacentes (como sugere o NOAA na sua análise)

 

Outra situação a se acompanhar em decorrência dessa baixa e de efeito prático.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Thanks! Fico grato, que estejam aprendendo :ok:

 

==============================================================================================================================

 

Últimas imagens das cartas sinóticas mostram a rotação ciclônica já sobre a costa do ES. Ao longo de hoje deverá desenvolver o sistema de baixa pressão, ganhando melhor forma durante o final de semana, e começando a se decipar a partir de segunda/terça.

 

Num geral, todos os modelos enfraqueceram mais ainda a baixa, com valores entre 1006/1008hpas apenas... Inicialmente o sistema começará com núcleo quente em baixa superfície, mas irá em 36/48h a partir da formação aproximadamente a se converter a núcleo frio...

 

Como já mencionado antes, a presença de um cavado em alta troposfera sobre o sul do país, irá induzir uma intensa corrente de jatos sobre a área da baixa pressão em superfície, o que irá colaborar para manter a baixa fraca e sem ganhar força. Ainda sim, continua a se tratar de uma Baixa Subtropical inicialmente. Diante dessas variáveis, acho difícil essa baixa ganhar um INVEST, mas vamos acompanhar até ela se decipar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

PARA SC O MODELO MAIS "AGRESSIVO" É O MBAR, MUITA CIRCULAÇÃO DO OCEANO P/O CONTINENTE, O EFEITO OROGRÁFICO PODERÁ ACARRETAR VOLUMES ALTOS DE CHUVA EM ALGUNS PONTOS DO LITORAL/SC, EMBORA OS MODELOS NÃO ACUSEM NADA ANORMAL.

 

NESTA ÉPOCA MAIS DE 48 HORAS O ERRO, MUITAS VEZES, NOS PREGA UMAS BOAS!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Além do MBAR, o ETA (em menor escala) também aponta para esse cenário na faixa leste catarinense. Globais ignoram praticamente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A circulação ciclônica em baixa troposfera, já originou uma fraca área de baixa pressão sobre a costa do Sudeste, como mostra a imagem do OSCAT.

 

5ikq.png

 

Animação de Satelite não mostra nenhuma organização convectiva maior em torno da baixa no momento.

 

xjp1.gif

 

GFS 18z volta a intensificar a baixa para valores de 1002hpas a partir do domingo, e prossegue apresentando condições de Subtropical com núcleo quente em baixa troposfera. Não há deslocamento para a costa. A continuar monitorando...

 

4l2f.png

vrft.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dados da 12z mostram a baixa muito fraca, nem sequer é denominada na carta sinótica... Parecendo mais um cavado nesse momento. As 6z, ela aparecia com valores em torno de 1008hpas.

 

v4.gif

 

Passagem do OSCAT essa tarde mostra uma circulação ciclonica aparentemente não fechada (há uma sombra na cobertura do satelite), o que reforça a possibilidade que a baixa agora é um cavado. Provavelmente os ventos estimados nessa circulação sejam algo em torno de 10m/s (36km/h).

 

bthw.png

 

Novamente nas imagens de satelite, não nota-se nada significativo, nem seque alguma convecção (trovoadas) crescendo em torno do atual cavado.

 

lgp.gif

 

Em médios níveis troposfericos, nota-se a entrada de ar muito seco bem em cima do núcleo, vindo do sul do país, enquanto que a umidade convergida da ZCAS não consegue adentrar sobre a baixa. Daí uma das razões dessa baixa não conseguir produzir convecção, o que seria comum de sistemas com núcleo quente.

 

2veb.png

 

Corrida das 12z do GFS indica que a baixa começaria a ganhar ligeira força amanha, podendo atingir no seu pico 1004hpas até se enfraquecer no Natal. Diagrama continua tratando de uma baixa subtropical (núcleo quente em baixos níveis e beeem morno em altitude).

 

g06d.png

 

Em termos de desolcamento, GFS sugere que a baixa não se desloque para a costa, isso porque a presença de um sistema de Alta Pressão em altitude sobre o RS criaria uma espécie de bloqueio, impedindo que a baixa se desloque para a costa, e mais o avanço de um sistema frontal iriam empurrar a baixa pra leste, além do próprio sistema frontal absorver a mesma posteriormente.

 

juu.gif

 

Em termos de efeitos, as ondas podem chegar a 5m em alto-mar, algo a mais do que o normal pra costa também é possível... A continuar acompanhando...

 

6rzs.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
1491345_1396672990580172_792014566_o_zps993e45b0.jpg

 

Ótimo Fernando!

 

Repare como o centro da baixa está "exposto". Dá pra ver a circulação com nuvens ralas apenas, e você não nota nuvens de trovoadas crescendo em torno do centro.

 

Por enquanto é apenas uma baixa normal, mas produzindo uma bela imagem.

 

Essa vai pro William também!

Share this post


Link to post
Share on other sites

E em Sampa, com essa configuracao sinotica, vemos mais um dia com ceu parcialmente nublado, predominante de Stratocumulos e muito monotono.

 

As tardes tem picos rapidos de 25/26C, mas ao anoitecer a temperatura tem rapida queda ja alcancando os 18C as 19hs.

 

Amanhece com 17C em media. Isso quase todos os ultimos 10 dias. QUE SACO!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Passagem desse início de madrugada do OSCAT não mostrava mais nenhum sistema de baixa pressão sobre a costa do Sudeste com circulação fechada...

 

6mtf.png

 

...Enquanto isso a carta sinótica do CPTEC já mostrava uma nova baixa se formando sobre a costa do RJ.

 

uq7.gif

 

GFS e CMC projetam essa baixa ganhando alguma simetria amanhã, com presença evidente de núcleo quente em baixa troposfera a princípio, mas ambos sugerem o sistema muito fraco sem maior expressão. Essa baixa será subtropical.

 

z5o9.png

vyz4.png

 

Aproveitando a festa, o GFS agora projeta também outra baixa subtropical para o meio da semana, com características de núcleo quente em superfície... A continuar acompanhando...

 

a6no.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

E outro sistema de baixa pressão (como previsto) já está partindo da costa do RJ.

 

9c8b.gif

 

No satélite e até no radar, diferentemente do último sistema, chama a atenção para alguma convectividade isolada em torno da baixa em alto-mar que é subtropical.

 

voj.gif

uq32.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

CPTEC designa agora um "Ciclone Subtropical" na costa do Sudeste na sua Carta das 12z. Não muito usual nas análises sinóticas.

 

d5j.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dados do Ascat as 12h, mostram que o "Ciclone Subtropical" é bem fraquinho, possuindo ventos máximos em torno de 10/15kts em torno dos 1008hpas de pressão.

 

mxty.png

 

De qualquer forma a baixa já é bem vísivel nos satélites.

 

g1t.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

CPTEC continua designando nas suas análises, a presença de um Ciclone Subtropical sobre a costa brasileira... Pela sondagem 06z do GFS a baixa apresentava 1004hpas.

 

vbu.gif

me4g.png

 

Última passagem do OSCAT mostra a baixa bem definida em termos de circulação, com ventos em torno de 30 a 40kt, porém em torno da periferia do Ciclone.

 

5eje.png

v2u6.png

 

Em termos de estrutura, o sistema continua apresentando núcleo quente em baixa troposfera, e morno em altitude de acordo com os diagramas, porém ambos já em processo de resfriamento.

 

x0du.png

3aqy.png

 

Analisando a imagem de satelite, a baixa possui grande circulação, e colabora para a manutenção da ZCAS. Porém do outro lado está recebendo uma grande quantidade de ar seco vindo do sul do país que impacta diretamente sobre o seu núcleo, o que deixa o seu centro totalmente exposto, e apenas com nuvens ralas, o que mata qualquer chance de evolução em algo além de subtropical...

 

3iow.png

 

De qualquer forma, seguem as belas imagens rotativas sobre a nossa costa. A tendência é que a baixa se decipe entre amanhã e quinta.

 

33y.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.