Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Sign in to follow this  
Rodolfo Alves

Furacões no Atlântico Norte e Pacífico Leste - 2013

Recommended Posts

Estreando a nova formatação...

 

Depressão 18, poderá evoluir em Sonia, antes de desembarcar no México na segunda-feira pelo Pacífico Leste.

 

p3r1.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

Enquanto isso no Atlântico...

 

CMC segue firme e forte na idéia que Melissa poderá se formar no próximo final de semana no Golfo do México... Mesmo que outros modelos como o GFS/ECMWF já tenham desistindo da idéia.

 

i6e.gif

 

 

E ele não está sozinho nessa! O Global do CPTEC agora também segue o CMC... Segue a dúvida, teremos Melissa ou não? É acompanhar...

 

ozax.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

No Pacífico Leste, Sônia está proxima de fazer landfall no noroeste do México, com força mínima de tempestade tropical...

 

Pela imagem de satelite, nota-se a corrente de jatos já enfraquecendo o sistema...

 

dlpm.png

 

No restante do Pacífico Leste, nota-se uma diminuição significativa dos complexos de trovoadas, o que pode levar a crer que Sônia poderá a ser a última tempestade de 2013, ainda que o CMC indique algo se formando na próximas semanas.

 

Situação similar vive o Atlântico. Uma área de baixa pressão que é acompanhada no Caribe agora, deverá ser o último suspiro dessa temporada... No momento há 10% de chance de desenvolvimento em 5 dias.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sonia já se foi...

 

E pelo visto o distúrbio no Atlântico também. Será um ponto final nos trópicos no Atlântico e Pacífico Leste em 2013 na prática? Ainda que na teoria vá até 30/11

 

 

ecti.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

Faltando 15 dias para o termino da temporada, um cavado de baixa pressão, no Pacífico Leste é monitorado para possível desenvolvimento. Há 30% de chances de desenvolvimento. O ambiente será bem desfavorável no final de semana, com incursão de jatos e ar seco.

 

idz9.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

Uma área de baixa pressão tem atualmente 10% de chances de se tornar um ciclone tropical ou subtropical nas próximas 48 horas e 50% nos próximos 5 dias.

Devido ao cisalhamento não ser muito alto ( ~20 knots) e a temperatura da água nesta região ainda estar um pouco quente, o ambiente será favorável, mesmo que pouco ao desenvolvimento do sistema.

 

0GGFShD.gif

 

1. A NON-TROPICAL LOW PRESSURE SYSTEM IS GRADUALLY DEVELOPING OVER THE

CENTRAL ATLANTIC OCEAN SEVERAL HUNDRED MILES TO THE SOUTHEAST OF

BERMUDA. ENVIRONMENTAL CONDITIONS COULD BECOME CONDUCIVE FOR THIS

SYSTEM TO GRADUALLY ACQUIRE SUBTROPICAL OR TROPICAL CHARACTERISTICS

LARER THIS WEEKEND OR EARLY NEXT WEEK AS THE LOW MOVES

NORTHWESTWARD TO NORTHWARD. THIS SYSTEM HAS A LOW CHANCE...10

PERCENT...OF BECOMING A SUBTROPICAL OR TROPICAL CYCLONE DURING THE

48 HOURS...AND A MEDIUM CHANCE...50 PERCENT...OF BECOMING A

SUBTROPICAL OR TROPICAL CYCLONE DURING THE NEXT FIVE DAYS.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tempestade Subtropical Melissa se formou no Atlântico.

Melissa mantém ventos sustentados em 80 km/h com pressão mínima estimada em 987 mbar.

Melissa não ameaça nenhuma localidade.

 

2u7lgsg.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Melissa agora é oficialmente uma "Tempestade Tropical". O sistema ganhou força, com um núcleo ficando simétrico. É o 13' nome da temporada.

 

A partir de amanhã, Melissa começará a entrar em águas frias e se converterá a extratropical... Sistema segue em alto-mar sem representar nenhuma ameaça.

 

yvxq.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hoje, 30 de novembro marca o final da temporada de furacões no Atlântico e Pacífico Leste.

 

ATLÂNTICO:

Numa das temporadas mais calmas de todos os tempos no Atlântico, foram registrados 13 Tempestades Tropicais, 2 Furacões, e nenhum grande furacão (Categoria 3 ou mais na Saffir Simpson), contra uma média de 12, 6, 2, respectivamente.

 

Eis o Resumo abaixo:

 

b1i0.gif

 

qcjc.png

 

 

Eis alguns dados que lembraram a temporada de 2013:

 

- Em termos de Energia Acumulativa (ACE), a temporada 2013 foi a 6° mais baixa de todos os tempos.

 

- Somente em outras 4 oportunidades houveram temporadas sem grandes furacões (1968, 1972, 1986 e 1994).

 

- Pela primeira vez, desde 1983, dois ou menos furacões se formaram no atlântico. Esse ano foram Humberto e Ingrid.

 

- Humberto tornou-se o primeiro furacão do Atlântico as 5 da manhã no leste dos EUA do dia 11/9, há apenas 3h de quebrar o recorde do furacão mais tardio a se formar no Atlântico, pertencente a Gustav em 2002.

 

- Todas as Previsões da Pré-Temporada indicaram uma temporada muito ativa, sendo que algumas como da CSU indicavam 18 Tempestades Tropicais, 9 Furacões e 4 Grandes Furacões, mostrando-se um desastre para essa área.

 

 

================================================================================================================================

 

PACÍFICO LESTE

Ao Contrário do Atlântico, o Pacífico Leste teve uma temporada muito ativa em termos de tempestades e dentro da média em furacões, com 20 Tempestades Tropicais, 9 Furacões, porém com somente 1 Grande Furacão, contra uma média de 15, 8, 4 respectivamente. A previsão de pré-temporada do NOAA indicava para 11-16 Tempestades, 5 a 8 Furacões e de 1 a 4 Gdes. Furacões.

 

Eis o Resumo abaixo:

 

kir.gif

 

deo0.png

 

Entre o Pacífico Leste e Atlântico, o destaque vai para o México, que foi atingindo por 9 sistemas, sendo que Ingrid pelo Atlântico, e Manuel pelo Pacífico Leste de forma simultânea.

 

No Atlântico: Ingrid, Barry, Fernand, Depressão 08;

Pac. Leste: Barbara, Juliette, Manuel, Octave e Sonia

 

================================================================================================================================

OFF SEASON:

 

Mesmo com o calendário oficial, tendo chegado ao fim. Algumas tempestades eventualmente, ainda podem se formar fora da temporada.

 

Na História há registro de 14 Sistemas Tropicais no Atlântico, e 10 no Pacífico Leste se formando em dezembro por exemplo. Destes pode-se destacar:

 

- Tempestade Tropical Olga (11 e 12/12/2007), com ventos de 90km/h, causando 25 mortes nas Grandes Antilhas.

- Tempestade Tropical Zeta. Um dos dois unicos sistemas da história do Atlântico que se formou em um ano (30/12/2005) e se decipou em outro (7/1/2006). O outro foi Alice (30/06/1954 - 06/01/1955).

- Furacão Lili (12 a 24/12/1984). Ventos de 130km/h (Cat 1), atingindo diretamente a ilha de Hispaniola (Haiti e Rep. Dominicana)

- Furacão Winnie (4 a 7/12/1983) Categoria 1, com ventos de 140km/h no Pacífico Leste.

 

Em termos de nomeações. Qualquer tempestade que venha a se formar até 31/12, ainda receberá numerações e nomeações referente a temporada atual, mesmo a temporada já estando encerrada. A partir de 1 de Janeiro, qualquer sistema que se forme nas duas bacias, receberá nomeações já destinadas para o próximo ano, ainda que o começo só se de em 15/5 no Pac. Leste e 1/6 no Atlântico.

 

Que venha a temporada 2014!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×