Jump to content
Brasil Abaixo de Zero
Sign in to follow this  
Carlos Dias

ENSO, PDO, NAO, MJO (Acompanhamento) 2013-2016

Recommended Posts

vou tentar antecipar,

 

O fato da AAO não estar correlacionada com temperatura média no período não significa que ela não esteja correlacionada com a dinâmica do período.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os tempos estão cada vez mais interessantes,

 

Vejam este release publicado pela Universidade de Whashington,

 

Vamos tentar ler juntos,

 

September 17, 2013

 

Stronger winds explain puzzling growth of sea ice in Antarctica

 

Título interessante,

 

Ventos mais fortes explicam o crescimento intrigante do gelo marinho na Antártida

 

Qual a razão da palavra "intrigante"? Obviamente remete a confusão.

 

Vou utilizar a tradução automática, não é para agradar aqueles que não são de bem com o idioma e sim para tirar o meu da reta alguns podem até reclamar da minha livre interpretação,

 

Much attention is paid to melting sea ice in the Arctic. But less clear is the situation on the other side of the planet. Despite warmer air and oceans, there’s more sea ice in Antarctica now than in the 1970s – a fact often pounced on by global warming skeptics. The latest numbers suggest the Antarctic sea ice may be heading toward a record high this year.

 

Muita atenção é dada ao derretimento do gelo marinho no Ártico. Mas menos clara é a situação no outro lado do planeta. Apesar de ar mais quente e oceanos, há mais gelo do mar na Antártica agora do que na década de 1970 - um fato muitas vezes atacou por céticos do aquecimento global. Os números mais recentes sugerem que o gelo do mar da Antártida pode estar caminhando em direção a um recorde este ano

 

Não tenho duvida porque é dada atenção ao HN.

Como cético realmente é intrigante...A atmosfera "mais quente" os oceanos "mais quentes" e mais gelo que na década de 70 quando vários autores publicaram que uma era glacial estava a caminho.

 

=================================================

 

While changes in weather may play a big role in short-term changes in sea ice seen in the past couple of months, changes in winds have apparently led to the more general upward sea ice trend during the past few decades, according to University of Washington research. A new modeling study to be published in the Journal of Climate shows that stronger polar winds lead to an increase in Antarctic sea ice, even in a warming climate.

 

Embora as mudanças no clima podem desempenhar um grande papel nas mudanças de curto prazo no gelo do mar visto nos últimos dois meses, as mudanças em ventos aparentemente levou à cima do mar tendência mais geral de gelo durante as últimas décadas, de acordo com a Universidade de Washington pesquisa. Um novo estudo de modelagem a ser publicado no Journal of Climate mostra que os ventos polares fortes levar a um aumento do gelo marinho antártico, mesmo em um clima mais quente.

 

Juro. Aqui consegui ser analfabeto em dois idiomas. A palavra mágica aqui é "A NEW MODELING" [uma nova modelagem]...COMPUTADOR....se o modelo diz....então...é uai.

 

===================================================

“The overwhelming evidence is that the Southern Ocean is warming,” said author Jinlun Zhang, an oceanographer at the UW Applied Physics Laboratory. “Why would sea ice be increasing? Although the rate of increase is small, it is a puzzle to scientists.”

 

"A esmagadora evidência é que o Oceano Antártico está se aquecendo", disse o autor Jinlun Zhang , oceanógrafo da UW Laboratório de Física Aplicada. "Por que o gelo do mar estar aumentando? Embora a taxa de aumento é pequeno, é um enigma para os cientistas. "

 

O caso típico dos aquecimentistas do sétimo dia.....não exite nenhuma "esmagadora evidência"....se os amigos observarem no novo mapa da GISSTEMP que será publicado dia 27 de setembro de 2013 no novo relatório o IPCC 5...Notarão que entre todos os mares do planeta o único que não está aquecendo é o Atlântico Norte....Simples, todas as armadas do mundo mantém um registro detalhado da região desde que os Wikings começaram a navegar por aquelas águas.

 

Well, vou tomar um café....servidos?

Share this post


Link to post
Share on other sites

His new study shows that stronger westerly winds swirling around the South Pole can explain 80 percent of the increase in Antarctic sea ice volume in the past three decades.

 

Seu novo estudo mostra que os ventos de oeste mais fortes que rodam em torno do Pólo Sul pode explicar 80 por cento do aumento no volume de gelo marinho da Antártida nas últimas três décadas.

 

Well, aqui só lendo o trabalho para identificar a técnica utilizada.

 

The polar vortex that swirls around the South Pole is not just stronger than it was when satellite records began in the 1970s, it has more convergence, meaning it shoves the sea ice together to cause ridging. Stronger winds also drive ice faster, which leads to still more deformation and ridging. This creates thicker, longer-lasting ice, while exposing surrounding water and thin ice to the blistering cold winds that cause more ice growth.

 

O vórtice polar que gira em torno do Pólo Sul não é apenas mais forte do que era quando os registros de satélite começaram na década de 1970, tem mais de convergência, o que significa que empurra o gelo do mar em conjunto para causar amontoa. Ventos mais fortes também conduzir gelo mais rápido, o que leva a ainda mais deformação e amontoa. Isso cria mais espessa de gelo, mais duradoura, enquanto expondo a água circundante e gelo fino para os ventos frios bolhas que causam mais o crescimento do gelo.

 

A ideia está correta no meu entendimento infelizmente não há um conjunto de registros diretos confiáveis antes dos satélites fico intrigado por qual razão misteriosa o a raciocínio inverso não vale para o polo norte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
A ideia está correta no meu entendimento infelizmente não há um conjunto de registros diretos confiáveis antes dos satélites fico intrigado por qual razão misteriosa o a raciocínio inverso não vale para o polo norte.

 

Segundo algumas vilas no Alaska principalmente na região de Nome, varias vilas da região estão sofrendo com as cheias no verão. O mar de Bering tem avançado com frequente a orla das villas litoraneas e graças a barricadas de pedras não foram destruídas.

 

Em Kotzebue ao norte de Nome, quase um torneio de Jiu-jítsu que é realizado anualmente foi cancelado em virtude destas cheias e uma tempestade de neve antecipada fez que varias vilas tivesse que fechar seus aeroportos. Preocupante foi o aero de Porto lay ao norte de Kotzebue, pois este não é monitorado pelo sentor de Aviação do Alaska..no caso a Infraero deles..dai os voos vindos de Fairbanks e Barrow, pousam no escuro lá e nesta epoca onde o gelo é fino , fica numa situação de alto risco..

Share this post


Link to post
Share on other sites
A ideia está correta no meu entendimento infelizmente não há um conjunto de registros diretos confiáveis antes dos satélites fico intrigado por qual razão misteriosa o a raciocínio inverso não vale para o polo norte.

 

Segundo algumas vilas no Alaska principalmente na região de Nome, varias vilas da região estão sofrendo com as cheias no verão. O mar de Bering tem avançado com frequente a orla das villas litoraneas e graças a barricadas de pedras não foram destruídas.

 

Em Kotzebue ao norte de Nome, quase um torneio de Jiu-jítsu que é realizado anualmente foi cancelado em virtude destas cheias e uma tempestade de neve antecipada fez que varias vilas tivesse que fechar seus aeroportos. Preocupante foi o aero de Porto lay ao norte de Kotzebue, pois este não é monitorado pelo sentor de Aviação do Alaska..no caso a Infraero deles..dai os voos vindos de Fairbanks e Barrow, pousam no escuro lá e nesta epoca onde o gelo é fino , fica numa situação de alto risco..

 

Carlos, sobre os pousos no escuro, não fazia idéia que eram tão arriscados assim! Tua experiencia no Alasca deve ter sido fabulosa pra vir com tantos detalhes!!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

E não é que acertei?

 

soi30.png

 

Se continuar essa tendência a próxima queda ficará acima de zero (e o máximo acima de 15), conforme comentei e maio:

 

soi30.png

 

La Niña a vista?

Share this post


Link to post
Share on other sites
E não é que acertei?

 

soi30.png

 

La Niña a vista?

 

Deus te ouça!

Vou ficar na torcida. Depois de um inverno típico dos anos 80, uma La Niña ano que vem poderia ser o detalhe que faltava. :good2:

 

Sds.

Share this post


Link to post
Share on other sites
E não é que acertei?

La Niña a vista?

 

Certo, Feltrin,

 

Como inverter a tendência neste gráfico?

 

Bom, vamos estudando.....os próximos meses.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Putz,

La Nina, again?

tenho visto que há uma gangorra nestes fenômenos.

regra de futebol clássica. Sabe? dois toque e passa a bola. Depois, inverte, um toque a o outro dois.

quer dizer: La Nina sempre tem que iniciar fora do inverno?

tem sido assim. Quando chega o inverno, cessa.

Vamos ver!

Share this post


Link to post
Share on other sites

quanto ao gelo. Intrigante os artigos. Interessante é que hoje possuem outra explicação. Evoluíram nos dados. anos 70 os satélites eram bebês, perto dos que temos hoje.

Share this post


Link to post
Share on other sites
quanto ao gelo. Intrigante os artigos. Interessante é que hoje possuem outra explicação. Evoluíram nos dados. anos 70 os satélites eram bebês, perto dos que temos hoje.

 

Gamboa, nem pensar....uma sonda AMSU.....tem capacidade de resolução da anisotropia do universo[ alguns bilhões de casas decimais a mais de resolução] medir a temperatura em qualquer camada da LT (low troposphere) ela faria isso no pré-natal.

 

Assim como qualquer termômetro atual não é melhor que qualquer termômetro de 150 anos atrás.

 

Paulo, como você sabe ciência é feita com método...aplicando o mesmo método seja com um termômetro de 150 anos atrás ou com um satélite do ano

2163....chegarás ao mesmo resultado.

 

Abração.

Share this post


Link to post
Share on other sites

É impressão minha ou o CFS não tem a menor idéia de como estará o Nino 1+2 lá pro próximo outono/inverno??

 

Vejo uma neutralidade ou um leve El Nino no Verão, e depois membros mostrando -1,5°C e outros mostrando +2°C e um consenso em cima do muro, gerando o popular "Spread".

 

21z.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites
É impressão minha ou o CFS não tem a menor idéia de como estará o Nino 1+2 lá pro próximo outono/inverno??

 

Vejo uma neutralidade ou um leve El Nino no Verão, e depois membros mostrando -1,5°C e outros mostrando +2°C e um consenso em cima do muro, gerando o popular "Spread".

http://img818.imageshack.us/img818/224/21z.gif

 

Interessante.....muito tempo.....distante.....sem comentários.

Share this post


Link to post
Share on other sites

CLIMA: EL NIÑO E LA NINA NÃO INFLUENCIARÃO PRIMAVERA E VERÃO

 

SAFRAS (02) - Os oceanos, principalmente o Pacífico, continuam apresentando temperaturas relativamente mais baixas do que o normal para suas águas superficiais. Desse modo, a perspectiva é que o clima mundial continue numa condição de normalidade, sem que haja nenhuma influencia dos fenômenos climáticos - El Niño e La Nina. Contudo, segundo os modelos climatológicos de projeção das temperaturas das águas superficiais do Oceano Pacífico, há uma tendência de que em meados da primavera (novembro) as temperaturas subam consideravelmente, bem acima dos 0,5C, porém não há nenhum indicativo de possa vir a se formar um El Niño. Até porque na segunda metade do verão, as temperaturas voltam a decair, voltando para uma condição mais próxima da neutralidade; Com relação às temperaturas das águas do Oceano Atlântico, elas deverão permanecer acima da média em, praticamente, toda a costa Brasileira. Fomentando uma maior entrada de umidade para a região costeira. Com o clima numa condição de neutralidade, esse próximo trimestre deverá ser ainda com muita variabilidade das chuvas, isto é, os volumes de chuvas ainda serão muito desiguais em todo o Brasil. Onde num período uma região receberá mais chuvas do que outra e no período seguinte haverá uma inversão desse padrão. Em resumo, o mês de outubro deverá ser bem mais chuvoso sobre a região Sul e Sudeste, com alguns períodos bons de chuvas sobre a região litorânea do Nordeste. Contudo, sobre a metade sul do Rio Grande do Sul, essa primeira quinzena de outubro deverá ser bem mais seca do que a segunda. O mesmo irá ocorrer com o Nordeste. Desse modo, outubro deverá ser chuvoso sobre os Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais. E com chuvas irregulares sobre Mato Grosso e Goiás. Com a volta do regime de chuvas no final de outubro e inicio de novembro, o bimestre - novembro/dezembro - deverá ser com chuvas em todas as regiões brasileiras e com isso, não se observará grandes períodos de inverno e nem tão pouco veranicos. Ou seja, as frentes frias deverão passar rapidamente por todas as regiões brasileiras, provocando chuvas na forma de pancadas, com pequenos períodos chuvosos (1 a 3 dias). Mas de certa forma, s volumes totais de chuvas deverão ficar dentro ou ligeiramente abaixo da média. O verão de 2014 deverá ser com chuvas dentro e ligeiramente acima da média em todas as regiões do Brasil. Isso porque com o clima neutro, há indicativos de ocorrência de chuvas sobre todas as regiões e com isso, em um determinado período deverá ocorrer chuvas numa região e em outro período essas chuvas ficarão mais concentradas em outra região; Não há, portanto, indicativos de que possam vir a ocorrer grandes períodos de estiagem no Nordeste esse ano, como também no Sul do Brasil. E nem tão pouco grandes períodos de invernada sobre a região central do Brasil (Centro-oeste e Sudeste), como foram observados no verão de 2013; O regime de chuvas e o padrão das temperaturas deverão seguir um condição/característica, muito semelhante ao padrão de verão - pancadas de chuvas e calor. Somente no final do verão (março/14), devido ao novo resfriamento das águas superficiais do Oceano Pacífico é que há indicativos de que possam vir a ocorrer períodos de invernada sobre as regiões Sudeste e Centro-oeste e até mesmo sobre algumas localidades da Região Nordeste. As informações partem do boletim da Somar Meteorologia. (CBL)

 

Suino

Share this post


Link to post
Share on other sites

As anomalias estão muito interessantes a largo do circumpolar modo.

A linda imagem da câmera de Amundsen-Scott.....SOL no gelo...isto é importante....ALBEDO.

 

cmdlfullsize.jpg

t9h5yd.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

no momento temos,

14.000.000km ^2 de área continental.

1.500.000 km^2 de plataformas

18.000.000 km^2 de (extensões máximas)

TOTAL 33.500.000 KM^2 DE GELO NA EXTENSÃO MÁXIMA NO INVERNO.

ou seja gelo para cobrir até a latitude 60,3 S.

AGORA.....A MALUQUICE,

A PASSAGEM DE DRAKE E O ESTREITO DE MAGALHÃES ESTÃO A 56 S

NA ATUAL TAXA DE EXPANSÃO O CABO HORN ESTARÁ FECHADO PARA A NAVEGAÇÃO EM 15 ANOS.

Abraços.....talvez algum dia dê para chegar a pé......

 

CULPA DO AQUECIMENTO!!!

 

Certamente, não o aquecimento.

 

Colocando algumas fichas em mudanças abruptas,

 

como as inferidas 12,800, 8200, 5200, e 4200 BP

 

Durante o holoceno [atual período interglacial] "temos" através de paleodados uma série de mudanças abruptas de temperatura [resfriamento]

 

Neste caso [abaixo] o resfriamento durou aproximadamente 400 anos de 6000 a 6400 AC.

 

Temperatura e Acumulação de neve inferido a partir de ice core na Greenland.

Temperatura no Lago Ammersee inferida a partir de isótopos de oxigênio em sedimentos de conchas.

30ayw3k.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

no momento temos,

14.000.000km ^2 de área continental.

1.500.000 km^2 de plataformas

18.000.000 km^2 de (extensões máximas)

TOTAL 33.500.000 KM^2 DE GELO NA EXTENSÃO MÁXIMA NO INVERNO.

ou seja gelo para cobrir até a latitude 60,3 S.

AGORA.....A MALUQUICE,

A PASSAGEM DE DRAKE E O ESTREITO DE MAGALHÃES ESTÃO A 56 S

NA ATUAL TAXA DE EXPANSÃO O CABO HORN ESTARÁ FECHADO PARA A NAVEGAÇÃO EM 15 ANOS.

Abraços.....talvez algum dia dê para chegar a pé......

 

CULPA DO AQUECIMENTO!!!

 

Certamente, não o aquecimento.

 

Colocando algumas fichas em mudanças abruptas,

 

como as inferidas 12,800, 8200, 5200, e 4200 BP

 

Durante o holoceno [atual período interglacial] "temos" através de paleodados uma série de mudanças abruptas de temperatura [resfriamento]

 

Neste caso [abaixo] o resfriamento durou aproximadamente 400 anos de 6000 a 6400 AC.

 

Temperatura e Acumulação de neve inferido a partir de ice core na Greenland.

Temperatura no Lago Ammersee inferida a partir de isótopos de oxigênio em sedimentos de conchas.

30ayw3k.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Durante o holoceno [atual período interglacial] "temos" através de paleodados uma série de mudanças abruptas de temperatura [resfriamento]

 

Neste caso [abaixo] o resfriamento durou aproximadamente 400 anos de 6000 a 6400 AC.

 

Temperatura e Acumulação de neve inferido a partir de ice core na Greenland.

Temperatura no Lago Ammersee inferida a partir de isótopos de oxigênio em sedimentos de ...

Foi um pouco mais recente:

Por volta de 4.000 aC, no mês de novembro (final da primeira kinzena).

Mamutes foram congelados abruptamente sem terem seker tempo de digerir a comida!

Havia pasto na ocasião no norte da Sibéria e haviam manadas de mamutes e dmais animais comedores de pasto!

Foram congelados qdo a camada protetora líquida, suspensa na atmosfera veio abaixo...

Sem proteção, o calor se perdeu no espaço... Adeus estufa...

Era glacial teve início...

Dpois disso, apenas oscilações mínimas de uma única e perpétua era glacial!

Bjs

Share this post


Link to post
Share on other sites

Porém os períodos interglaciais são pequenos.

 

Carlos Campos, a extinção da megafauna certamente relacionada com mudanças bruscas o estranho que nem toda megafauna "se extinguiu duma vez".

 

Alguns autores reputam causa humana para alguns animais...altamente improvável.

 

O povo de Clóvis também foi extinto na América do Norte.

 

Talvez o único episódio relativamente documentado de extinção de um povo de homens modernos.

 

Cuidado com o que desejam.

 

6a010536b58035970c0128766b00e7970c-pi

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ao invés do IPCC tentar mostrar dados de aquecimento, esses doutores deveriam olhar para o outro lado, o frio excessivo para plantações e pessoas é pior que o calor e pode causar muito mais danos do que se imagina. Chega de manipular as pessoas gerando dados duvidosos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Que parte do Brasil que fica a estação Vostok ??

 

Como o Brasil é signatário do acordo internacional sobre a Antártica.

 

Tecnicamente e cientificamente pertence ao Brasil também.

 

É uma espécie de PNI bem distante.

 

Entendi a tua provocação Troy....mas é bom.....esse fórum gosta de encrenca, polêmica,

 

O tema é sério.....abraços.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Que parte do Brasil que fica a estação Vostok ??

 

Como o Brasil é signatário do acordo internacional sobre a Antártica.

 

Tecnicamente e cientificamente pertence ao Brasil também.

 

É uma espécie de PNI bem distante.

 

Entendi a tua provocação Troy....mas é bom.....esse fórum gosta de encrenca, polêmica,

 

O tema é sério.....abraços.

 

O tema é bem sério, não tenho capacidade de discuti-lo pois sou meio leigo neste assunto, apesar de entender perfeitamente seus gráficos e ideias, mas se aqui é Brasil e lá é Brasil, seguimos discutindo aqui o que poderia ser discutido lá.

 

Estação Vostok é brasileira? Well, se fosse a Comandante Ferraz antes de tudo se ferrar por lá, sim, estaríamos hablando sobre o Brasil.

 

Vai ficar bonita.

 

comandante.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ao invés do IPCC tentar mostrar dados de aquecimento, esses doutores deveriam olhar para o outro lado, o frio excessivo para plantações e pessoas é pior que o calor e pode causar muito mais danos do que se imagina. Chega de manipular as pessoas gerando dados duvidosos.

 

Artur, Realmente o planeta vem se aquecendo desde o final da pequena idade do gelo [LIA] ao menos no hemisfério norte.

 

No momento atual a falta de aquecimento estatisticamente significativo nos últimos 15/17 anos implica que os modelos de circulação global não conseguem,

 

Reproduzir o acoplamento oceano/atmosfera dos processos El Niño e La Niña. Os maiores " contribuidores" da variabilidade global de temperatura e precipitação.

 

Reproduzir, As respostas para erupções vulcânicas e aerosóis na atmosfera....capazes de reduzir a pó qualquel ElNiño.

 

Reproduzir, em escala global ou reginonal as precipitações

 

Reproduzir,a cobertura de nuvens.

 

Reproduzir, a SST

 

Reproduzir, a Temperatura global

 

Reproduzir, a Extensão de gelo.

 

Reproduzir, bloqueios em ondas de calor.

 

Não dão a mínima compreensão das teleconexões.....por que diabos uma coisa que ocorre a 15.000 km de um local afeta este local e não afeta outro a apenas 150 km do local

 

Bom, essas algumas compilações que a maioria do mundo cético faz.

 

Abração

Share this post


Link to post
Share on other sites
Que parte do Brasil que fica a estação Vostok ??

 

Raia da Pedra ?? Itapuca ??

Teu nariz!

Fica em Piraquara!

:laugh:

 

KKKKKKKKKKKKKKKK o posto de Sibéria Brasileira já tem dono.

 

#prontofalei

Share this post


Link to post
Share on other sites

O lugar desta mensagem é aqui,

 

A menos que eu use o icecore de

 

MATÃO,JOINVILLE, RIACHO GRANDE, PORTO ALEGRE, MARIA DA FÉ,JUIZ DE FORA, SÃO BERNARDO DO CAMPO, SÃO GABRIEL.

 

algum moderador ou administrador moveu a mensagem.

 

Como vou monitorar o clima do Brasil.....sem ter estes dados?

 

Peço uma explicação técnica.

 

Já basta trancarem o tópico futebol....do nada.

 

6a010536b58035970c0128766b00e7970c-pi

Share this post


Link to post
Share on other sites

Well, aqui ficam os dados dos últimos 420.000 anos.

Neste fórum 420.000 anos de dados é considerado off.

Moleza, um trabalho realizado durante anos com a uma temperatura média de -50ºC

Abraços.

 

Vostok Ice Core Deuterium Data for 420,000 Years

ftp://ftp.ncdc.noaa.gov/pub/data/paleo/icecore/antarctica/vostok/deutnat.txt

 

ou

 

North Greenland Ice Core Project Oxygen Isotope Data

ftp://ftp.ncdc.noaa.gov/pub/data/paleo/icecore/greenland/summit/ngrip/isotopes/ngrip-d18o-50yr.txt

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estas são algumas considerações para outubro de 2013 em São Paulo.[A estação Mirante de Santana em outubro 2013, tempo e espaço]

Neste comentário estão considerações apenas sobre as condições apenas do Pacífico Equatorial.

O qual não é exatamente o player deste outubro.

======================

 

Well, Este comentário é apenas um modo que tenho de expressar alguns pontos sobre a primavera paulistana.

Deixando claro que este mesmo modo encarar o Pacífico Equatorial será válido para novembro em linhas gerais os ajustes sempre são necessários.

======================

 

As lacunas deixadas para sugestões e complemento dos amigos serão extremamente bem vindas.

 

Abraços

======================

Concluindo

A análise da fase 5 [consistentemente próxima zero no bimestre agosto e setembro sendo dominante ainda no final e setembro] do Índice da Oscilação Sul [sOI],

Apresenta uma média de 20,1 ºC contra uma média no período 81/10 de 19,9ºC.

Sugerindo uma acréscimo de 0,2ºC na média

Aproveitando já que estou neste ponto acrescento as condições de El Niño 3.4 utilizando o ONI [ El Niño Index] média de Niño 3.4 por tres meses consecutivos no caso específico SON [setembro, outubro e novembro] centrado em outubro.

A combinação da condição SOI com a condição El NIño gera a condição ENSO.

São encontrados;

Tres La Niñas no período 84, 95 e 2007 com desvios interessantes na temperatura +0,8ºC, -0,7ºC e +1,4ºC respectivamente [chuvas??? deixo para os tarados por São Paulo]

Dois El Niños 86 e 2004 ambos com desvios negativos -0,2ºC e -0,7ºC respectivamente.

Tres Neutros 85, 92 e 2003 todos com desvios positivos.

 

HÁ espaço para muita discussão neste ponto.

 

Aqui fico com minhas conclusões habituais ás condições de ENSO para outubro na cidade de São Paulo influência perceptível no início da estação chuvosa.

 

ANO TEMPERATURA MÉDIA DESVIO ENSO INTENSIDADE DE ENSO

1984 20,7 -19,9 0,8 LA NIÑA -0,6

1985 20,2 -19,9 0,3 NEUTRO -0,4

1986 19,7 -19,9 -0,2 EL NIÑO +0,9

1992 20,2 -19,9 0,3 NEUTRO -0,3

1995 19,2 -19,9 -0,7 LA NIÑA -0,8

2003 20,1 -19,9 0,2 NEUTRO +0,4

2004 19,3 -19,9 -0,7 EL NIÑO +0.7

2007 21,3 -19,9 1,4 LA NIÑA -1,1

 

 

========================================

1985 20,2 -19,9 +0,3 NEUTRO

1992 20,2 -19,9 +0,3 NEUTRO

2003 20,1 -19,9 +0,2 NEUTRO

========================================

 

A condição neutra apresenta alguma consistência indicando um valor a ser considerado, porém inferior ao desvio padrão da série outubro no período 81/10....reservar estes 0,27ºC

========================================

Voltando ao mapa,

 

2ektcex.png

 

Fica evidente que deve-se explorar outras condições no Pacífico Equatorial;

 

Antes, refazer os cálculos para a série completa [122 anos] claro que aqui esbarramos no problema das reconstruções.

 

SOI Oct 0 -0.228...fraca

NINO12 Oct 0 0.127...pobre

NINO3 Oct 0 0.197...pobre

NINO4 Oct 0 0.339...média

NINO3.4 Oct 0 0.244...fraca

 

Evidentemente revelou alguma coerência a correlação com Niño 4 é muito superior a correlação com SOI e Niño 3.4 [ observem que a fase 5 da SOI nos anos selecionados apresenta um comportamento aleatório em relação a Niño 3.4

 

Assim obter uma equação para Niño 4 série completa,

 

Em outubro,

 

a = 18.428

b = 0.765344

 

T= 18,428 + 0,7653 [Niño 4]

 

Vixe, não é preciso nem testar o aquecimento da estação Mirante do Santana torna isto um exercício infrutífero.

====================================

Obter uma equação para Niño 4 na série 81/10.

 

a = 19.8906

b = 0.579944

 

T = 19,8906 + 0,5799[Niño 4]

 

Niño 4 = para outubro = uns -0,2ºC

 

T~ 19,77ºC

 

Na área total T~19,5ºC

 

Agora aqui, não basta utilizar apenas o índice Niño 4.

 

Observe [no gráfico de correlações com a SSTa] que área de influência não se limita a forma canônica de NIño 4 sendo necessário construir a anomalia de uma área bem maior...não é exatamente grande problema. [fica na sequência para novembro]

 

SST

210eikw.gif

 

Niño 4

2ibe2vp.gif

 

 

=========================================

 

 

23w01tw.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

SSTa no Atlântico Sul.

Como não é usual longos períodos de anomalias consistentes no Atlântico Sul.

Lá em março achei que poderia "esquentar"....porém.....não foi o que aconteceu.

Paciência,

Todavia o Atlântico Sul tem sido um grande player para São Paulo neste 2013.

 

n652z9.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
SSTa no Atlântico Sul.

Como não é usual longos períodos de anomalias consistentes no Atlântico Sul.

Lá em março achei que poderia "esquentar"....porém.....não foi o que aconteceu.

Paciência,

Todavia o Atlântico Sul tem sido um grande player para São Paulo neste 2013.

 

n652z9.png

A imagem não abriu...

 

 

Paciência!

 

 

 

Pois, é...

Mas entendi q qdo um lado enfrakece (Pacífico), o outro toma a liderança (Atlântico),

e não só SP tem sentido os efeitos das águas mais frias...

Aki tbm está assim, inclusive com diminuição considerável das chuvas!

 

Confere?

 

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois, é...

Mas entendi q qdo um lado enfrakece (Pacífico), o outro toma a liderança (Atlântico),

e não só SP tem sentido os efeitos das águas mais frias...

Aki tbm está assim, inclusive com diminuição considerável das chuvas!

 

Confere?

 

Abraços

 

Entendi a tua dúvida.

Carlos, relembrando o mapa de correlações que eu gerei para outubro.aque

O mapa é gerado com as médias mensais de São Paulo e a Temperatura superficial do mar.[sST = sea surface temperature]

No qual destaquei 3 regiões;

Perceba,

a- O Pacífico Equatorial. A segunda maior força do clima em escala global afeta todas as regiões do mundo em qualquer uma das suas três fases algumas de forma marcante em alguns períodos do ano e de forma imperceptível em outros períodos.

Experimentos indicam que estações próximas [10 km] podem apresentar comportamentos distintos.

Em todo caso observe que para São Paulo a área de correlação* extrapola e muito a região canônica de ENSO e se estabelece principalmente na piscina quente do Pacífico [a detalhar]

 

b- No Atlântico Sul também existe uma área de correlação* aqui cabe um fato não generalizem aquilo que pode ser válido para São Paulo nem vagamente é válido para Manau. [evite qualquer generalização perniciosa, tipo "quente e úmido" ou "frio e seco".

 

c- Existe uma área de anticorrelação** em uma região que compreende aproximadamente a Península Antártica e ao largo da Costa do Chile. {fazendo o oposto que eu disse: _ Você já deve ter lido que "....à tarde em hoje em Curitiba foi mais fria que na estação Comandante Ferraz....

 

Matematicamente nenhuma possui preponderância sobre outra.

 

* Tenha em mente que correlação não é causalidade;

Um exemplo; Um congestionamento em uma rodovia devido a uma acidente é proporcional ao número de viaturas presentes [isto é correlação] A causa do número de viaturas é a gravidade do acidente.

 

** Anticorelação: Matematicamente é a mesma coisa, porém com sinal trocado [ se uma coisa aumenta a outra diminuí

 

como se pode observar no segundo gráfico anomalias de outubro 2013

 

 

2ektcex.png

 

2wd51sj.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

verdade o telefone está horrível....ué....tempestade solar??

Enfim Para a querida Porto Alegre além da notória ausência de ENSO.

A razão para utilizar dados pós 2000 é uma tentativa de captar "novas tendências"

Nestes,

TEMPOS INTERESSANTES

23ij5hz.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bastante coerente os modelos com a estatística outubro para janeiro.

Chuvas para NDJ é muito difícil falar chuva abaixo da média para a cidade de São Paulo em NDJ. (qualquer toró....no lugar certo)

Mormente dado que ENSO pouca influência direta tem.

Também é ousadia chamar e irregular é água que não acaba mais.

Esta vidinha de chuva de sistema frontal....está terminando.

E que venha a ZCAS....

 

2nq5cgi.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
E vai se mantendo mais uma vez, a previsão de temperaturas abaixo da média neste mês de novembro por todo Brasil, com uma leve ressalva de que vai esquentar bastante entre 10 e 16 de novembro, em sua maioria no sul.

 

wk1.wk2_20131102.Tsfc.gif

 

wk3.wk4_20131102.Tsfc.gif

 

COERENTE: Com os meus apontamentos,

 

2ektcex.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
como os teus olhos podem te enganar,

 

novembro 1999....

 

2e0mpnc.gif

 

 

Eheheheh não posso deixar de notar na imagem que tanto o Pacifico como o Atlantico na altura de SP se encontram resfriados, inclusive nas regiões niño. Portanto, a explicação maior do frio e distante Novembro de 1999 está mais na média de duas observações do que somente na observação de um lado. Atentem a interconexão entre PAcifico frio + Atlantico frio, uma coisa leva a outra que levou ao paulistano passar frio em Novembro com janela fechada e cobertor...que coisa!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como faz tempo....

 

uma atualizada na coisa....

 

04/11/2013

 

The latest weekly SST departures are:

Niño 4 0.2ºC

Niño 3.4 -0.2ºC

Niño 3 -0.1ºC

Niño 1+2 -0.7ºC

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.