Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Rodrigo-GO

Members
  • Content count

    1413
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Rodrigo-GO

  1. Rodrigo-GO

    WxBrasil - Ideias

    Muito bom Marcelo. Parabéns.
  2. Goiânia teve temporal dos bons ontem à noite. Muita chuva, relâmpagos, ventos e trovões. Mas parece que entre terça e quinta seca de novo e o calorão volta. Mesmo com essas chuvas o calor não dá trégua, inclusive à noite. No momento céu nublado com nuvens ralas.
  3. Essa noite tivemos muito vento e trovões aqui em Goiânia. Em alguns bairros a chuva caiu forte, mas aqui em casa apenas molhou o chão. O bloqueio está cedendo,finalmente.
  4. Goiânia com muitas nuvens agora. Possibilidade de alguma pancada isolada. Mas teremos ainda mais 1 semana de terror. Acaba 2015, please.
  5. O calor observado nesta primavera é algo surreal mesmo. Calorão em setembro e outubro é normal, mas a sequência de dias tão grandes como essa eu nunca vi. Até as noites estão muito abafadas, com mínimas em torno dos 23ºC. Os campos estão arados mas sem nada ainda, aguardando a tão esperada chuva.
  6. A onda de calor que assola Goiânia tende a credenciar este outubro como o mais quente dos últimos cinco anos, segundo os dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Os 13 primeiros dias do mês registraram como média de temperatura máxima 36,9°Celsius, dois graus a mais do que em outubro de 2014 (34,8°C), até então o mais quente computado. Ontem, por exemplo, a temperatura máxima foi de 38,4°C em Goiânia e a umidade relativa do ar chegou a 17%.
  7. Virou. Nunca vi uma sequência tão grande de calor como em 2015. Outubro não terá chuvas e a esperança é de chuvas dentro da normalidade de novembro a março, senão...... Pra região do planalto central é muito nítida a mudança climática: verões mais secos e temperaturas mais elevadas. E tem teorias falando em "resfriamento global". :laugh: :laugh: :laugh: Pergunte a algum goiano com mais de 40 anos o que ele acha disso.
  8. Goiãnia segue com chuva moderada desde a madrugada. Finalmente.
  9. E 2015 foi definitivamente sepultado. Alguns bazianos vivendo um inverno histórico, totalmente inverso do que a maioria gostaria. Me preocupa o fato de esses recordes se referirem apenas à temperaturas máximas, ondas de calor etc... Nos últimos anos vínhamos tendo mais La Ninas, redução do número de manchas solares, enfim, fatores que "ajudariam" num resfriamento. E acontece exatamente o contrário, como em outras partes do globo (europa ocidental, costa oeste americana...) Em nosso caso, será culpa do Atlântico? O que tem acontecido? A variabilidade dos modelos, que ora apontam um frio forte e no outro dia apontam calor, demonstra que temos muiiiiiiiiito ainda a aprender. Coitados dos profissionais que trabalham com previsão, são desafios enormes.
  10. ONS prevê chuvas abaixo da média para setembro Nível de reservatórios ao final de novembro no Sudeste/Centro-Oeste deverão ficar em 30,8% e em 14,5% no Nordeste Mauricio Godoi, Sueli Montenegro e Wagner Freire, da Agência CanalEnergia, Operação e Manutenção 27/08/2015 A projeção preliminar das vazões para setembro esperada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico é de energia natural afluente abaixo da média histórica. Os dados apontam para um nível de 81% da média de longo termo nos submercados Sudeste/Centro-Oeste e Sul, 78% no Norte do país e de 56% da media histórica no Nordeste. Um dos destaques apresentados na reunião do Programa Mensal de Operação é a ocorrência de um maior número de frentes frias chegando ao país, mas sem muita chuva. De acordo com a previsão do ONS, a vazão nas bacias do Baixo Paraná, no Alto Tietê e Paraguai, que estão no submercado SE/CO, apresentarão índices acima da média de longo termo. Já para o Sul espera-se em setembro uma perspectiva de vazões acima da média nas bacias do Capivari e no Paranapanema. No Nordeste, onde a bacia do São Francisco responde por quase a totalidade das vazões é esperada ENA de 53% enquanto no Norte para a bacia do Tocantins está prevista uma vazão de 78%. No primeiro dia de reunião do PMO, o operador estimou que espera um armazenamento máximo no SE/CO de 30,8% ao final de novembro com o desligamento das térmicas de CVU até R$ 600/MWh. Esse nível ficaria em 32,8% caso as UTE de CVU de até R$ 800/MWh estivessem acionadas e de 33,9% para aquelas cujo preço está acima de R$ 1 mil/MWh. No NE, a estimativa é de um nível de 14,5% nesse mesmo período. O nível mais otimista se deu pela redução da demanda por energia no país. Na análise do ONS, o nível de segurança para o período úmido para alcançar um armazenamento de 20% em novembro de 2016 no SE/CO é de 70% da MLT entre os meses de dezembro de 2015 e abril de 2016. Nesse cenário traçado está considerada a segunda pior ENA do histórico no período seco, de 64% da MLT, registrado em 1955. Já para o NE esse nível de ENA no período úmido deveria ficar em apenas 50% da média histórica para se alcançar os mesmos 20% em novembro de 2016, utilizando a mesma premissa para o período seco na região, de 54% da MLT, registrada em 2002. A previsão de carga para o mês de setembro está inicialmente estimada em 2,9% a menos do que no mesmo mês do ano passado, com 63.456 MW médios. Segundo o operador, o normal é verificar a chegada de frentes frias a cada 4 ou 5 dias, em setembro se prevê a ocorrência a cada três dias. Um dos motivos é que não se espera a repetição de bloqueios atmosféricos que impedem o avanço dessas frentes como foi verificado no mês de agosto. As frentes frias deverão ser verificadas nos dias 3, 6 e 10 de setembro, inclusive essa última deverá ser a responsável por muita chuva no sul e no sudeste. Sobre a previsão climática, o ONS disse que as primeiras configurações de ZCAS começam a aparecer em novembro. O El Niño é de intensidade moderada, mas há tendência de se tornar forte. Alguns modelos ainda apontam para o início do período chuvoso no Sudeste já em setembro chegando a São Paulo. O ONS classifica que a previsão de chuvas para o sul do país nos próximos três meses vai de normal a acima da média. Na apresentação aos agentes, houve um relato da decisão do CMSE em reduzir as térmicas com Custo Variável Unitário superior a R$ 600/MWh, uma semana depois da reunião do PMO de agosto. Os técnicos trouxeram uma tabela com o despacho térmico desde 2014 e os custos de geração por fonte. Para as térmicas com custo superior a R$ 1 mil/MWh, exemplo, o gasto foi de R$ 272 milhões/ano. Quanto ao São Francisco há uma preocupação com o baixo armazenamento e a baixa afluência. É necessário chegar mais água a Sobradinho e, por isso, a ideia é aumentar a defluência de Três Marias para melhorar a situação do reservatório. Semana passada aumentaram de 350 para 400 m³ por segundo, mas isso não resolve o problema da geração. As previsões indicam armazenamento abaixo de 10% no NE no fim do período seco. Na prática, o São Francisco hoje não é tão importante em termos de segurança energética, segundo o agente que acompanhou a reunião porque o Nordeste tem outras fontes. A situação é talvez mais preocupante, segundo ele, por causa de outros usos da água. A defluência hoje de Sobradinho e Paulo Afonso é de 900 m³ por segundo. Mesmo com isso, o ONS imagina que vai ter problema de abastecimento. Na reunião houve críticas ao despacho fora da ordem de mérito por um dos participantes. Ele argumentou que a ação do ONS contraria a CvaR e isso está deslocando as hidrelétricas. O ONS disse que vai registrar a ponderação e voltou a afirmar que eles estão estudando aprimoramentos na metodologia. A entrada do segundo bipolo do Madeira foi postergada de setembro para novembro, pois a demanda está abaixo da capacidade de escoamento do primeiro sistema de transmissão.
  11. E ontem choveu novamente em Goiânia. Chuva fraca a moderada, mas que serviu para aumentar muito a umidade. No momento céu nublado e 19ºC.
  12. Adorei a previsão de chuva para a semana que vem aqui em Goiânia. O ar está muito seco, embora o calor esteja até o momento bem controlado. Máximas de 31ºC e noites ainda frias.
  13. Eu também te falava o mesmo. Jamais nutri qualquer tipo de esperança. É verdade Bruno. Aliás, deu uma explicação bem legal no seu blog. São vários fatores influenciando negativamente neste momento. A esperança agora é que as chuvas sejam abundantes nas represas para não termos problemas com abastecimento e energia. Fora que outro verão seco significaria mais calor. Ninguém merece nosso "clima". :cray: :cray: :cray:
  14. As profecias feitas pelo Caio em abril, de que as condições eram beeeeem desfavoráveis a um inverno decente, se concretizaram. O inverno 2015 não pode ser mais salvo, a não ser a entrada de fortes massas de ar frio do fim de agosto em diante, o que NÃO vai acontecer. Claro que ainda teremos na região sul e partes de MS e SP algum friozinho, mas nada que salve o ano. Pra grande maioria é torcer para que a agonia dos meses de setembro e outubro seja menos dolorosa e que as chuvas não se atrasem. OBS: Amigo Renan, sugiro ir pra Ushuaia. Segunda vez que vai à região mais fria do país, passa mais de uma semana em pleno inverno e pega calor. Ô homi pé quente. :laugh: :laugh: :laugh: Abraços
  15. Aqui em Goiânia as madrugadas estão geladas e os dias quentes, por isso ainda não estamos usando ar à noite. Mas o inferno está próximo, setembro e outubro.
  16. Aqui em Goiânia o uso do ar condicionado foi antecipado em casa. Utilizei-o pela primeira vez desde abril. Além disso, necessitamos de combiná-lo com um umidificador, por causa da baixa umidade. Normalmente fazemos isso uns 20 dias depois de hj. Promessa de primavera tórrida.
  17. Pra quem tá reclamando. http://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/sensacao-termica-em-cidade-iraniana-alcanca-incriveis-727-celsius-17037844
  18. Por essas previsões tô com medo do que nos aguarda em setembro. Dias e dias a 38°C e umidade a 10/15%. O Brasil definitivamente vive um aquecimento.
  19. http://www.climatempo.com.br/noticia/vem-ai-uma-mini-era-do-gelo- A pergunta é: qual o impacto que o aquecimento atual provocará no possível resfriamento pela baixa quantidade de manchas solares? :russian: :russian: :russian:
  20. Goiânia com céu claro e temperatura de 14 graus. De meados de maio a início de agosto todas as noites são frias no planalto central. Quanto aos dias, só esfriam com massa polar. E 2015 continua sendo um dos PIORES invernos que já vi.
  21. Gente, tô assustado com essas projeções. Não tem uma única notícia boa. Inverno 14 foi horrível, 15 caminha na mesma toada e 16 já com previsão de comprometimento? Será uma tendência? Ou somente demos azar de nascer dentro de um ciclo quente?
  22. Caio, alguma coisa boa no fim do mês e acabou pra maioria dos estados. Com um el nino desses é bloqueio certo na segunda quinzena de agosto e chuvas só em outubro. 2015 como 2014 foi pro saco. Obs: excelente o nível das discussões, realmente um grande aprendizado. Por fim, segue nevando em ushuaia. Hj fotografei a estação meteorológica de Cerro Castor.
  23. Vinicius, 5 graus em 850? Seria um baita frio.
  24. E segue nevando em El Calafate, já sao várias horas de precipitacao. Espero que o final de julho tenha a tao sonhada massa polar que os bazianos querem. Já em Goiania temos chuva com 20 graus no momento, excelente para o horário.
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.