Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

floricambara

Members
  • Content count

    76
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

616 Excellent

1 Follower

About floricambara

  • Birthday 05/01/2002

Location

  • Location
    Rio Grande do Sul

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    Na região de Porto Alegre, apesar de não ser nativa dela, há bastante araucárias até. Não tanto quanto nos planaltos sulistas, mas há. O problema é que é uma árvore muito grande, demanda espaço, aí fica difícil plantar nas cidades, acaba ficando restrita aos que têm pátios maiores e aos espaços públicos. Aliás, a nossa região está bem na transição entre os biomas pampa e mata atlântica, então temos contato com dois tipos de natureza, digamos. Já tinha ouvido falar dessa praga. É um problema, de fato, mas bem que poderiam as prefeituras ter esse cuidado maior com as árvores para que pudéssemos admirar, além das florações das nativas, também a beleza outonal. Não se trata ao meu ver só de algo paisagístico, mas também cultural: acompanhar as quatro estações é um traço que cultivamos por muito tempo no Sul e que deveríamos valorizar mais, inclusive na nossa arborização. Podemos pensar em espécies outonais mais resistentes, por que não? A nossa salvação outonal quem sabe sejam as já citadas extremosas, que ainda são amplamente utilizadas nas cidades sulistas. Mas uma pergunta é o que te faço agora: afinal, por que é que antigamente os plátanos se davam melhor aqui? A erva-de-passarinho é coisa recente?
  2. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    Compartilho do mesmo gosto. Não que eu desgoste de todas as árvores nativas do Rio Grande do Sul; muito pelo contrário, gosto muito dos jacarandás, dos ipês, dos butiás e das araucárias. Mas sinto falta de ver certas espécies que, apesar de serem lindas, não se plantam muito porque não são nativas. No Brasil parece haver um preconceito grande com as exóticas. Como eu já disse, as prefeituras aqui raramente as introduzem nas cidades. Estão ficando cada vez mais incomuns em muitos lugares, porque as que restam são antigas, acabam morrendo e são substituídas por nativas que não são lá muito bonitas. Acho que uma das poucas espécies caducas que permanece bem forte é a extremosa, estando os plátanos, os álamos, os áceres e árvores do tipo em certa decadência. Em Porto Alegre, a propósito, já caíram plátanos na cidade por causa de tempestades, e a prefeitura, no lugar, decidiu pôr árvores nativas mas esteticamente questionáveis. Com isso tudo acaba restando aos próprios moradores a tarefa de embelezar a cidade com cores outonais. E é interessante que todos adorem ver essas árvores na serra, mas ao mesmo tempo não pensem em introduzi-las na cidade onde vivem. Eu pessoalmente estou pensando em plantar uns plátanos e outras árvores caducas em áreas públicas perto de onde moro. A tua cidade é pequena, eu sei, mas já tiveste algum problema com esses plantios? Tenho medo de gastar dinheiro com uma muda (não são baratas) e acabarem destruindo a árvore ou até mesmo a prefeitura decidir retirá-la do lugar. (A foto que deixo é do dia 22 de agosto, quando saí a um lado desconhecida para fotografar a geada e, surpreso, me deparei com álamos numa praça. Algum morador da região deve ter os mesmos gostos que nós, porque duvido que a ação tenha sido da prefeitura. Além dessas crescidas aí, vi vários galhos fincados no chão, creio que alguém quis multiplicar esses álamos. Que cresçam rápido!!!)
  3. Sim! Nós do Rio Grande do Sul temos que prestar atenção a isso. Sempre achei muito interessante observar essa contínua transição no decorrer do ano. A aura dos dias vai mudando mês a mês, e a pessoa percebe claramente isso. Um dia de dezembro é muito diferente de um dia de junho, e não é só pela temperatura.
  4. Concordo. Diferentemente do ano passado, em 2020 parece que tivemos de fato um inverno; houve momentos de calor na estação, é claro, mas é certo que o frio se destacou. Há anos em que o inverno tem tanto calor e tão pouco frio, frio esse quase que em gotas, a tal ponto que o porto-alegrense meio que começa a se questionar se as décadas não estão roubando da cidade uns graus de latitude.
  5. Geada em Barra do Ribeiro, cidade ao nível do mar e à beira do lago Guaíba. Como mostrado antes, frio de inverno em todo o Rio Grande do Sul.
  6. Um 20 de setembro llindo, com céu azul, uma leve brisa e um ar invernal. Faz 16 graus no momento.
  7. Foto desta manhã. É, o céu não está tão azul quanto pensei à primeira vista, quando ainda não tinha bem amanhecido, há uma fina camada branca no céu. De qualquer modo, um dia bonito. Notem que a árvore ao lado direito, caduca, já está com algumas folhinhas verdes nascendo, o que indica a primavera chegando.
  8. 6 graus? 😯 Realmente esfriou mais do que indicam os sites.
  9. Amanhece com 9 graus em Porto Alegre (segundo o Weather, mas ao que parece, pelo que diz o @Eclipse, esfriou mais). E um sol lindo, um céu azul, sem que o ar esteja seco. Dia perfeito de setembro na minha opinião. Máxima de 18 graus.
  10. Dia encoberto e de declínio de temperatura em Porto Alegre. Ao meio-dia fazia 15 graus; agora, faz 13.
  11. Chove no momento em Porto Alegre. Com o vento que agora sopra, o friozinho não é ignorável. Esfriou.
  12. O dia está encoberto hoje em Porto Alegre, exatamente como uma semana atrás. A temperatura está amena, apesar de menos fria do que a do fim de semana passado. Faz 18 graus no momento, e a máxima para hoje é de 19. Um dia agradável.
  13. Atualização: neste momento, dando uma caminhada pela casa, senti o meu pé úmido. Pensando ter pisado em algum líquido, fui conferir, mas acabei percebendo que, na verdade, o chão está todo úmido mesmo, naturalmente. 😵. Que sensação de sujeira. 🤢.
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.