Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

floricambara

Members
  • Content count

    134
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

1006 Excellent

About floricambara

  • Birthday 05/01/2002

Location

  • Location
    Rio Grande do Sul

Recent Profile Visitors

245 profile views
  1. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    Não sei o porquê disso, mas tentei de novo pô-las lá. Acho que se corrigiu o problema agora.
  2. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    Todo lo que diciste tiene sentido, pero creo que este ejemplar probablemente se hizo por esqueje de algún árbol que se adaptó al clima de aquí, así que creo no ser problema el origen del árbol. De todo modo, me parece que ambos árboles lograrán crescer y darnos belleza a la ciudad.
  3. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    Devido à triste morte por excesso de fertilizante do meu saudoso liquidâmbar, a primeira árvore que plantei, o meu plantio do mês de fevereiro teve de ser da mesma espécie. Plantei outro para substituir aquele. Este novo exemplar é consideravelmente mais alto que o primeiro, embora menos vivo, visto que tem algumas queimaduras nas folhas. No entanto, há vários brotos, pelo que julgo que nascerão folhas novinhas e verdinhas. O que me aflige agora é o estado da ginkgo biloba. As folhas estão meio amareladas e “rasgadas”/”cortadas”. É difícil definir os motivos, porque obtenho respostas muito variadas ao pesquisar a respeito. Excesso de água, falta dela, solo pobre, falta de drenagem, pragas… Não sei! A explicação mais convincente que obtive é a que diz que se trata de choque de transplante. Em tese, ela deve recuperar-se com o tempo. Assim espero.
  4. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    No domingo plantei a minha terceira muda: uma ginkgo biloba (também mas menos conhecida como nogueira-do-japão). Foram vários os motivos para a escolha dessa espécie. A sua história interessante, o fato de ser gimnosperma e a única espécie remanescente do ramo do grupo gimnosperma das gincófitas, a beleza estacional (principalmente no outono, com o seu amarelo)… ah, e também o fato de ser uma espécie bem rara aqui. Há uma no jardim botânico da cidade, outra numa praça, outra num parque, mas é mesmo assim muito incomum. O preço da muda foi o mesmo que o das outras, nada excepcional, e ela é bem pequena. Não vai mudar tanto nos próximos dois ou três anos, porque o crescimento da espécie é bem lento. No entanto, ela pode viver várias gerações, e vai ser lindo isso. O salgueiro-chorão que plantei em dezembro estabeleceu-se com muita facilidade. O liquidâmbar, por outro lado, tem sofrido um pouco, sofreu com o meu erro de o fertilizar em demasia. Mas creio estar em recuperação. A próxima acho que será um ácer (Acer palmatum), mas ainda estou por me decidir.
  5. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    Bonito árbol. Me gustaron las flores. Sin embargo creo que no sea adecuado introducirlas aqui, puesto que son invasivas.
  6. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    No mesmo parque em que plantei o liquidâmbar no fim de outubro, plantei semana passada um salgueiro-chorão (Salix babylonica). Antes quero falar do meu liquidâmbar. Trata-se de espécie conhecida por crescer lentamente nos primeiros anos, fato que me desagrada, pois quero o quanto antes admirar mais concretamente a minha árvore. Tenho cuidado bem da minha árvore: saio para regá-la a cada três dias. Tendo amarelado um pouco as folhas dela nas últimas semanas, pensei que seria bom aplicar um fertilizante NPK à terra e o fiz, porém as folhas parece até que pioraram. Enfim, a partir de agora não vou mais jogar nada na terra: só fazer a habitual rega. Vamos agora para o chorão. Eu não sabia se comprava o chorão nativo (Salix humboldtiana) ou o exótico (Salix babylonica) nem se na floricultura diferenciariam as duas espécies. O nosso tem as folhas menos pendentes que o exótico. É praticamente só o exótico que vemos plantados por aí, porque o nativo praticamente não é usado na arborização urbana. A minha intenção era plantá-lo à beira do lago do parque. Na indecisão, o que fiz foi pedir que me providenciassem um chorão e só isso, e o que me trouxeram foi o exótico, bem como eu esperava. Plantei-o no lugar planejado, e logo se encheu de brotos. Diferentemente do liquidâmbar, parece ser uma espécie menos exigente, dada a rapidez da adaptação. De fato, é o que se diz por aí: a espécie cresce muito rápido, apesar de não viver tanto, de poder morrer em mais ou menos 20 anos. Espero com ansiedade que cresçam vigorosamente e que os meus próximos plantios deem certo. Um por mês, por que não? Penso em na próxima vez plantar uma ginko biloba ou um ácer. Não penso nos áceres e nos plátanos porque eles, diferentemente das espécies anteriores, parecem ser mais suscetíveis a pragas. Julgo possível também plantar um sarandi-amarelo (o palo amarillo que nos mostrou o @Pablo MQL), não obstante seja possível que nem conheçam a espécie na floricultura. Não sei, vamos ver.
  7. Está começando a anoitecer aqui e continuamos torrando. A noite vai ser péssima!
  8. Acho que no momento somos o lugar mais quente do mundo:
  9. Calorão horrível no Rio Grande do Sul. O Windy aponta 40% de umidade relativa do ar em Porto Alegre, mas o Weather diz que ela é, na verdade, de 31%.
  10. Me apareceu este mapa no Reddit. Para os entusiastas do frio e/ou do clima temperado, caso as previsões do estudo de base se confirmem, será um gigantesco desastre. O Cfb vai praticamente acabar, o Af vai ocupar espaços no Sul, partes do sertão vão secar ainda mais. Quem sabe alguém que saiba mais do assunto, que até já tenha lido o estudo referido, possa opinar isso.
  11. O dia está tão esquisito. Sim, está fresco, ventando muito, aquele céu meio invernal até, mas ao mesmo tempo que o vento gelado bate na cara o solão a queima. É a inclinação do globo terrestre.
  12. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    A la orilla del lago Guaíba hay ejemplares de ceibos. Es un árbol nativo de la ciudad y de gran parte de Rio Grande do Sul: A mí me encanta su forma. No es regular, sino con varias curvas y todo eso. Tiene bonitas flores también. A propósito, las en portugués llamadas extremosas (Lagerstroemia indica) tienen algo en común con los ceibos: apresentan la otoñada pero también bella floración.
  13. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    Conozco ese árbol. Es común al borde de las rutas. Es lindo, de verdad, aunque no recuerde haberlo visto en las calles, quizás por falta de observación. Otro árbol caduco que nos mostraste es el ceibo, corticeira-do-banhado en portugués (hay la corticeira-da-serra), que es también bonito, y es relativamente común en Porto Alegre. De hecho, hay árboles caducos nativos aquí, se veen al borde de las rutas, en lugares húmedos, al borde de los ríos, pero en mayoría creo que no sean tan usados en la arborización urbana.
  14. Tarde de fim de outubro muito agradável em Porto Alegre e no Rio Grande do Sul como um todo, apesar do céu encoberto meio “sombrio”. Mas pelo menos até a terça predominarão dias agradáveis (e ensolarados)!
  15. floricambara

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    Y creo que sea más adaptable a la región que los plátanos (Platanus x hispanica). Aquí se veen en las calles algunos plátanos y algunos liquidámbares (más aquellos que estos), pero, al paso que ya he visto muchos plátanos con plagas, todos los liquidámbares estaban en buen estado. No sé si es coincidencia, si hay alguna razón, pero ello me deja optimista.
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.