Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

marcio valverde

Members
  • Content count

    6
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

26 Excellent

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Após um dia quente (liguei o ar-co para dormir) acordamos com neblina e um vento bem gelado. Essa era a paisagem (notem a torre sumida nas brumas): Agora já temos sol entre nuvens e temperaturas em ascensão. Os breves momentos em que a garoa me fez companhia pelo caminho me fizeram relembrar esse poema: GAROA Que pó de arroz espiritual empoa o halo dourado e móv.el destas urnas, destes lampiões nas solidões noturnas? Que cabeleira prateada Voa e se enrosca nas árvores despidas, crucificadas, pelas avenidas? Que agudo lápis, manejado à-toa, risca de branco a descorada tela que por moldura tem minha janela? Que som suave é este que nem soa, mão de sonho que bate na vidraça, como quem quer entrar e depois passa? Que multidão meu silêncio povoa? Que véu de noiva minha face beija e que umidade meu olhar mareja? —A garoa... http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/sao_paulo/affonso_schmidt.html
  2. Depois de oitenta dias sem nenhuma gota dágua, choveu esta noite 3 (três) mm A última chuva significativa continua sendo aquela de 1° de abril. Cento e vinte e sete dias e contando.
  3. Um verdadeiro alento essas previsões de chuva que os modelos indicam para o interior de São Paulo. Para vocês terem uma ideia aqui na minha casa a última chuva significativa ocorreu em 01/04 - 52,5 mm, ou seja, contando com o dia de hoje estaremos completando 120 dias de seca. Nesse intervalo tivemos apenas dois acumulados irrisórios em 15/05 e 16/05 com 0,5 e 3,5 mm respectivamente. Neste ano o período de seca começou mais cedo do que normalmente ocorre e, além disso, não foi entremeado por chuvas isoladas como costuma ocorrer de modo que a secura do solo e do ar já está bem alarmante. Faz pena ver o gado nos pastos completamente secos andando de lá para cá sem ter o que comer. Nem todos os pecuaristas tem recursos para internar os rebanhos em confinamentos e a lavoura também tem sofrido. A curiosidade fica para os cursos d'agua e bacias de acumulação ainda com bons volumes em razão dos dois anos anteriores fartos de chuva que proporcionaram boa recarga do lençol freático. Enfim, ansioso pela confirmação das previsões e que, de preferência, também traga algum friozinho.
  4. Registrei-me ontem no BAZ e hoje, por uma dessas coincidências da vida, já tenho a oportunidade de contribuir com o fórum de alguma forma. Tive que fazer uma viagem hoje pela manhã e qual não foi minha felicidade ao me deparar com uma inesperada geadinha no caminho. Praticamente todas as baixadinhas pelo caminho apresentavam esse mesmo cenário. Na cidade a temperatura rondava os seis graus e o termômetro do carro marcava dez graus e eu sei que fora da cidade sempre cai um pouco. No começo da noite a diferença costuma ser de uns dez graus mas eu não esperava que essa diferença se mantivesse até o amanhecer. As fotos foram tiradas na vicinal que liga Mirandópolis a Pacaembu e algumas nas imediações do Rio Aguapeí (Rio Feio para os íntimos). Altitude e topografia idênticas às de Valparaíso onde a automática registrou mais de quatro graus, o que me leva a crer que aquela estação esteja instalada num topo. Fotos e dados são por mero deleite de curioso pois sei que termômetro de carro não vale como registro. Vejam só:
×