Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

LucasFSopranos

Members
  • Content count

    376
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    4

LucasFSopranos last won the day on November 16

LucasFSopranos had the most liked content!

Community Reputation

1151 Excellent

Location

  • Location
    São Sebastião do Paraíso/MG

Recent Profile Visitors

1042 profile views
  1. Bom, vamos ver se o CFS vai acertar sua previsão tanto para a precipitação quanto para a temperatura:
  2. São Sebastião do Paraíso/MG - Novembro Média em relação a 1981-2010. Média máxima: 29,2°C (+0,4) Média simples: 23,9 Média mínima: 18,7°C (+1,1) Máxima absoluta: 34,2°C 04/11 Mínima absoluta: 16,0°C 17/11 Maior mínima: 20,2°C 30/11 Menor máxima: 22,8°C 15/11 Precipitação acumulada: 311,2 mm (+101,8 mm) Maior precipitação em 24hrs: 54,6 mm 28/11 Dias com precipitação 1>mm: 17 dias(+5 dias)
  3. LucasFSopranos

    Inverno de 1985

    Obrigado novamente, Aldo Santos. Isso vai ser de grande ajuda.
  4. Para cá o mapa está certo. Chuva acima da média e temperatura com anomalia positivas. Foram 311,2 mm em 17 dias de precipitação. A média das temperaturas 18,7(+1,1) 29,2(+0,4)
  5. LucasFSopranos

    Inverno de 1985

    Muito obrigado, Aldo Santos. Mas como eu conseguiria achar o n° OMM de todas estações meteorológicas?
  6. Aqui o ultimo Dezembro com chuva acima da média foi em 2015 com 411m em 24 dias de precipitação. Tomará q essa sequência de Dezembro's com chuva abaixo da média acabe esse ano. O interessante é notar nesses mapas uma anomalia positiva de 100 e 300mm em lugares q a média de precipitação em Dezembro e Janeiro já é muito alta.
  7. A cada rodada o CFS melhora a previsão para DEZ/JAN/FEV/MAR:
  8. Aqui continua a chover bem, apesar de que agora de forma fraca. No dia acumulado de 53mm e no mês 280mm. Se chover o previsto pelo modelo Europeu passa facilmente os 300mm. Mas com a chuva de hoje já é o mês mais chuvoso do ano. Esperamos q Dezembro não deixe isso barato. Agora 21,8°C e 94% de URA.
  9. LucasFSopranos

    Inverno de 1985

    Eu acho que a mínima no Sul de Minas ficou entre -1°C e -5°C por três dias seguidos, Victor Naia. No Correio Braziliense citou 5 graus negativos nas região de Franca, o Jornal do Brasil cita 4 graus negativos no Sul de Minas e mais esses 8 graus negativos de Jacuí (apesar de q esse -8 é temperatura de relva ou algum termômetro amador, mas dá para ter uma noção de quanto frio fez) Mas é bem estranho q tenha dados de poucas estações meteorológicas do Sudeste no BMDEP/INMET nessa onda de frio. Parece até de propósito, pois como você pode ver no Correio Braziliense de 11 jun esses dados existem. Aqui segundo o Correio, q deve ter consultado o INMET na época, fez -1,6°C no dia 9. Das 67 estações meteorológicas convencionais do Sudeste q estão no BMDEP/INMET apenas 20 estações tem dados completos sobre junho de 1985. Ou seja apenas 30% das estações meteorológicas. Aí fica bem complicado pra quem quer estudar essa onda de frio histórica.
  10. LucasFSopranos

    Inverno de 1985

    Encontrei algumas noticias sobre essa onda de frio de 1985 na Hemeroteca Digital e já que o BDMEP do INMET não deixa disponível grande parte dos dados dessa onda de frio, eu creio que esse tenha sido um belo de um achado: Correio Braziliense, 10 junho 1985 Correio Braziliense, 11 jun 1985 Jornal do Brasil, 10 jun 1985 Jornal do Brasil, 11 jun 1985 Jornal do Brasil, 12 jun 1985
  11. Algumas boas mínimas no Sul de Minas: 7,0°C Distrito de Monte Verde 10,8°C Maria da Fé 12,8°C Passa Quatro 12,8°C Varginha 14,6°C Caldas 14,8°C Machado Aqui não teve nenhuma influência significativa, pois a mínima de hoje foram de pífios 17,4°C. Não é sequer a mínima absoluta desse mês de novembro. Na média do mês aqui é bem provável que feche o mês de novembro com anomalia positiva bem pequena. Dado os últimos meses é algo para comemorar já: 18,4(+0,8) 29,4(+0,5) Na precipitação aqui já ultrapassou a média do mês de novembro. Por enquanto o acumulado foram de 230 mm em 14 dias de precipitação.
  12. A tão sonhada ZCAS vem em dezembro? Bom, pelo menos pelas rodadas do CFS a tendência é de um dezembro com chuvas acima da média em quase todo centro-sul:
  13. LucasFSopranos

    Normais Climatológicas Longas

    Essa é a média de precipitação anual de neve (cm) entre 1921-1960 na Itália. Números de dias com precipitação de neve: É bem provável q esse padre italiano morava em alguma cidade com uma altitude maior que 1000m. Veja que nos mapas q eu coloquei as cores mais escuras ficaram concentradas nos Alpes italianos(norte da Itália), nos Apeninos(centro da Itália) e eventualmente uma ou outra cidade de grande altitude no Sul da Itália.
  14. Não dê indireta caso queira argumentar algo contra mim. Eu não mordo. Estranho você querer debater isso da forma como foi colocada pelo Matheus, mas não me marcar para debater o motivo de eu achar essa conversa atrelado a um racismo. O debate em si sobre genética/resistência ao frio não tem nada de errado, mas a forma como foi colocada pelo Matheus eu vejo muitos problemas. Tanto é que quando você coloca essa pesquisa que o Matheus mandou no Google aparece um post cópia desse artigo do G1 em uma página do Facebook chamada "Europride - Orgulho Eurodescendentes" em junho desse ano. Página obviamente de supremacistas brancos brasileiros.
  15. Digamos q esse artigo de fato esteja correto, afinal o assunto deve ser mais complexo que um artigo da Globo. Como você define no Brasil, um país extremamente miscigenado, quem é ou não resistente ao frio? Pois cor de pele não define a ascendência da pessoa. A pessoa pode ser "morena" e ser descendente de escandinavos. Parte do artigo do G1: “É uma proteção genética. A pessoa de origem caucasiana, europeia, tem uma adaptação fisiológica maior ao frio e menor ao calor”, explica ele . “Elas ageentam bem temperaturas baixas, mas sofrem demais durante fortes verões”. Ou seja, a maioria esmagadora do povo brasileiro tem essa proteção genética. Por isso é bobagem, bobagem, bobagem. Tudo é uma questão de adaptação ao frio.
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.