Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Tomás WRuas

Moderators
  • Content count

    1765
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    24

Tomás WRuas last won the day on December 29 2019

Tomás WRuas had the most liked content!

Community Reputation

3739 Excellent

About Tomás WRuas

  • Birthday 07/18/2001

Location

  • Location
    Florianópolis

Recent Profile Visitors

2632 profile views
  1. Tomás WRuas

    Vegetação, Botânica e Jardinagem

    Tem um artigo que fala sobre um derecho que varreu a Amazônia em 2005 causando vasta mortandade de árvores: https://agupubs.onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1029/2010GL043733
  2. SAÍDA BRUTA DO EUROPEU 00z COLOCA NEGATIVA PRA PORTO ALEGRE! NUNCA VI ISSO NUMA GRADE TÃO PERTO! A CONFIRMAR, SERÁ HISTÓRICA PARA O RS ESSA ONDA DE FRIO!
  3. Se alguém tiver uma foto da estação do Aeroporto, ou da estação da Fazenda Ressacada ou ainda da PWS Santo Antônio de Lisboa, por favor, mande aqui! Quaisquer sugestões ou indicações de erro tbm, por favor mandem. Sobre futuras estações: meu projeto é instalar uma na Costa de Dentro em breve pra pegar mínimas bacanas no clima do extremo sul de Floripa. No azul:
  4. Na segunda feira o amigo @Caio César instalou uma Davis Pro2 no bairro Ratones aqui em Floripa. O local é um vale bem fechado no coração da Ilha de Santa Catarina, e por esse motivo a expectativa é de que registre os extremos da cidade —de mínimas e de máximas. Aproveitando o assunto, eu criei um tópico listando cada estação meteorológica de Florianópolis e detalhando o respectivo microclima que monitora:
  5. A cidade de Florianópolis conta atualmente com uma boa cobertura de estações meteorológicas que representam os diversos microclimas da cidade. Por sua geografia peculiar —uma ilha montanhosa alongada no sentido norte/sul—, Floripa diverge das outras capitais do sul que apresentam uma mancha urbana mais densa e centralizada. A urbe da capital de Santa Catarina é constituída por distritos independentes espalhados pela ilha e fora dela, separados por morros que chegam aos 532 metros. A cidade conta hoje com 13 estações automáticas confiáveis: 11 na ilha, 1 no continente e 1 fora do município, em São José, do Inmet. clique na imagem pra ampliar Os microclimas de Florianópolis são regidos pela interação com o Oceano Atlântico e com o relevo. Enquanto a face leste da Ilha é bastante ventosa e de pouca amplitude, a face oeste e a planície do norte registram maior variação térmica e menos vento. A região da UFSC, o "buraco" central da Ilha, é onde menos venta e também onde normalmente registra-se as maiores temperaturas da cidade. O centro histórico e a parte continental são parecidas: têm vento, mas por serem mais afastadas do mar aberto são mais quentes. Todas as regiões têm suas peculiaridades, que eu detalho abaixo. População (IBGE/2015): Centro: 103.940 Continente: 98.821 Leste: 82.729 Norte: 100.950 Sul: 83.250 SUL DA ILHA O sul da Ilha apresenta vários microclimas diferentes. A planície do Campeche, aonde fica o Aeroporto e a Fazenda Ressacada, funciona como uma pista de ventos nos locais mais expostos (aero), mas também registra frio de irradiação em partes mais protegidas (Ressacada). Ao sul da planície, a cadeia de morros volta a dividir a Ilha entre as faces leste e oeste. O leste é ventoso e de pouca amplitude, mas têm picos de calor pronunciados (devido ao recorrente adiabático da Serra do Tabuleiro) e uma dinâmica que assemelha-se mais ao litoral sul catarinense (latitude maior). Locais protegidos do vento, como a Costa de Dentro, também registram frio por irradiação e conseguem aproximar-se de 0° em episódios de frio intenso e estável (Itapoá effect). A parte baixa do oeste (Caieira, Ribeirão da Ilha) não é monitorada. O Sertão do Ribeirão, localidade que fica num vale a 120 metros de altitude, é a estação mais fria da Ilha. PWS Balneário dos Açores altitude: 12 m estação: Ambient Weather WS-2902 link: https://www.wunderground.com/dashboard/pws/IFLORI67 PWS Sertão do Ribeirão altitude: 120 m estação: Davis Vantage Pro2 link: https://www.weatherlink.com/embeddablePage/show/8b0d776d6fa24f1194576c892437ba30/summary Estação Fazenda Ressacada/UFSC altitude: 5 m estação: UFSC link: https://pcdweb.dualbase.com.br/login Estação Aeroporto Hercílio Luz (Floripa Airport) altitude: 4 m estação: aero link: https://www.ogimet.com/cgi-bin/gsynres?ind=83899&ndays=31&ano=2020&mes=07&day=31&hora=23&min+59&ord=INV&enviar=Ver LESTE DA ILHA Toda a face leste da Ilha é bastante ventosa e por isso tem pouca variação de temperatura próximo ao mar. No entanto, mesmo nessa faixa, locais mais protegidos do vento conseguem registrar temperaturas baixas e até geadas ocasionais. As temperaturas costumam variar entre 22° e 27° no verão e entre 14° e 20° no inverno. Locais expostos raramente baixam de 6°. Locais protegidos podem se aproximar de 2° em ondas de frio fortes e estáveis (jun/2016, jul/2013, etc). azul: PWS Avenida das Rendeiras vermelho: antiga PWS Canto dos Araçás verde: Fazenda Ressacada/UFSC roxo: bairro Córrego Grande PWS Avenida das Rendeiras (Lagoa da Conceição) altitude: 8 m estação: Ambient Weather WS-2902 link: https://www.wunderground.com/dashboard/pws/IFLORI30 REGIÃO CENTRAL E CONTINENTE O distrito central compreende o Centro Histórico, a região da UFSC e alhures. O vale da UFSC registra máximas altas e, nas áreas menos urbanizadas, mínimas boas. É um local pouco ventoso em comparação ao resto da Ilha e lembra um clima mais "continental", de vale. Já o Centro Histórico, assim como a Floripa Continental, tem um comportamento mais influenciado pelo mar (Baías Norte e Sul). Inmet São José altitude: 5 m estação: Vaisala (Inmet) link: https://tempo.inmet.gov.br/TabelaEstacoes/A001 Estação IFSC Florianópolis - Continente altitude: 2 m estação: IFSC link: //// Estação IFSC Florianópolis - Ilha altitude: 20 m estação: IFSC link: //// Estação Itacorubi altitude: 5 m estação: Epagri link: http://www.ciram.sc.gov.br/agroconnect/# Estação CCA/UFSC altitude: 6 m estação: UFSC link: https://pcdweb.dualbase.com.br/login NORTE DA ILHA Por ser a área mais larga no sentido leste-oeste da Ilha, têm muitas variações microclimáticas. A região de Ratones —que inclui toda a planície do Manguezal de Ratones mais o bairro em si— é a mais extremada de Florianópolis, podendo ter marcas negativas e temperaturas na casa dos 40°. Como em toda a cidade, a parte leste tende a ser mais ventosa e amena do que a oeste. No extremo norte, parte mais estreita, o mar regula o clima, que tem pouca variação e registra nevoeiros frequentes no inverno. PWS Santo Antônio de Lisboa altitude: 18 m estação: Ambient Weather WS-2902 link: https://www.wunderground.com/dashboard/pws/IFLORIAN25 PWS Ratones (Cheiro Verde Orgânicos) altitude: 12 m estação: Davis Vantage Pro2 Plus link: https://www.weatherlink.com/bulletin/b628e734-60fb-4ab5-8771-7fda269831b7 Estação Carijós altitude: 4 m estação: Epagri link: http://www.ciram.sc.gov.br/agroconnect/#
  6. Ventania de noroeste realmente insana em alguns locais de Floripa. Aqui no sempre ventoso sul da Ilha registrei 79 km/h na madrugada e o vento segue uivando. É a maior rajada de vento norte que registro!
  7. Hoje tem Superlua Difusa Brilhante, ocorre uma vez a cada 1200 anos! Não sabia?!
  8. Bem vindo a POA. Vc já conhece a cidade? Mas sério: a real é que o Inmet tá num local horrível pra queda noturna. Um topinho cercado de árvores 🤢 Ainda bem que temos essa outra estação no bairro Auxiliadora pra suprir essa necessidade de boas mínimas: 🤡 É bastante irritante que Porto Alegre não tenha sequer uma estação decente. Bem instalada, em local padrão, ventilado e que acumule ar frio. É pedir demais? 😪
  9. Meta: todo mundo lambuzado no sorvetão dos pinguins! Quebra essa, 2020!
  10. é.... Subi lá no Sertão do Ribeirão hoje e troquei as pilhas. 2020 não deixa de ser 2020. Perdi todos os dados entre 16h do dia 30/06 até 15h de hoje, 04/07. Tudo bem. Tudo bem. Respiiira. Foi-se a mínima do ano (até agora, risos), o ciclone do ano e a maior rajada da década. Tudo nesses 4 dias fora. Agora a energia tem 3 dias pra voltar por lá até eu recomeçar a perder dados. Há uma boa notícia, porém: o anemômetro que tinha voado no temporal eu consegui achar! Provavelmente o destino ficou com pena e disse, ah, deixa o anemômetro pra ele, vai, coitado. Passei o olho pelo chão e encontrei. Tava pertinho da estação, meio enterrado no pasto. Não tá morto quem peleia. Fotos de lá hoje, máxima de 19,8°:
  11. E a estação do Sertão do Ribeirão segue fora perdendo a mínima do ano, que era o 4,9° lá de maio... Na Fazenda Ressacada/Tapera/UFSC faz 5,0° agora. Sertão, 120 metros acima, pode ter 3,x já. Geada boa amanhã se não ventar. Torcendo com todas as minhas forças pra estação voltar com dados quando a energia retornar.
  12. Tomás WRuas

    Ciclone Bomba - 30/06/2020

    Minha experiência com o derecho foi intensa! Logo antes dele chegar em Floripa eu peguei minha câmera e fui de bicicleta até um local mais aberto pra fazer o registro. Acabei me atrasando e cheguei em cima da hora. Foi na Ponta das Almas: local na beira da Lagoa da Conceição com vista SW, acessível por uma pequena trilha. Posicionei a câmera pra fazer o timelapse e fiquei filmando com o celular. Eu tava completamente inebriado pela perfeição da shelf cloud e mal percebi que em questão de minutos ela tava em cima de mim. Corri pra pegar a câmera, joguei ela na mochila e começaram as rajadas fortes. Peguei o celular pra filmar e... memória cheia. Celular queria que eu apagasse uns apps ali e a chuva começando. Coloquei o celular na mochila e o negócio ficou severo. Rajadas aumentaram abruptamente, começou a chover e eu só tive tempo de me agachar contra a parede de um rancho que tinha ali e ficar rezando pra não ser atingido por um raio nem detritos. Foi um barulho de mato quebrando muito forte, granizo miúdo nas costas. ME CAGUEI! Nunca tinha ficado tão exposto numa tempestade assim. Mas posso dizer que valeu a pena: o timelapse ficou show. Quando diminuiu o vento eu fui correndo até uma casa que tinha ali perto pedir abrigo pra salvar a câmera. Ela não chegou a molhar. Eu fiquei encharcado e morrendo de frio, mas com o nível de adrenalina do momento é claro que nem senti. Pedalei de volta pra casa no meio de muito galho quebrado na pista. A luz voltou bem cedo comparado aos outros locais: na madrugada seguinte já tinha energia em casa. Minhas duas estações tiveram problemas com o temporal: WS 2902 do Balneário dos Açores pegou rajada de 83 km/h antes de cair a energia (estava sem pilhas no console); a Davis Pro2 do Sertão do Ribeirão marcou 80 km/h antes de ficar off: está sem energia na localidade até agora! A moradora conseguiu me mandar mensagem ontem e disse que o anemômetro sumiu! RIP!
  13. MÁXIMA DE 4,4° EM SÃO JOSÉ DOS AUSENTES, RS (INMET) MENOR PRA JUNHO DESDE A INSTALAÇÃO DA ESTAÇÃO (2006)
  14. Florianópolis vai registrando a jornada diurna mais fria do ano. Amanheci com 10,4° na Praia dos Açores com chuva e rajadas que passaram dos 70 km/h de SSW. Agora faz 13,1°. No Sertão do Ribeirão a mínima ficou em 10,1° e agora faz 11,3° com 90% e garoa por lá. A máxima deve ficar nos 12,8° registrados à meia noite.
  15. Mais cedo registrei a maior rajada desde que instalei a estação do Balneário dos Açores: 77 km/h de NW! Advecção insana de ar quente!
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.