Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Tomás WRuas

Moderators
  • Content count

    1354
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    12

Tomás WRuas last won the day on July 3

Tomás WRuas had the most liked content!

Community Reputation

776 Excellent

6 Followers

About Tomás WRuas

  • Birthday 07/18/2001

Location

  • Location
    Porto Alegre, RS

Recent Profile Visitors

822 profile views
  1. Seja bem-vindo! Qual é a sua estação, amigo? Eu estava mesmo sentido falta de dados da sede do município de São Chico.
  2. Máximas abaixo de 5°C - 10/08/2018: 1,5° Morro das Torres (Urupema) 4,1° Mirante da Serra do Rio do Rastro (Bom Jardim) 4,3° São Joaquim/Inmet 4,3° Mundo Novo (Urubici) 4,4° Ausentes/Inmet 4,6° Cruzeiro (São Joaquim)
  3. Não esqueça da máxima de 8,6° do ano passado, a menor desde 1975! Máxima diurna de 10,0° no Inmet. As rajadas de vento bateram nos 48 km/h. A máxima do dia foi de 10,7° à meia noite, mas vou anotar 11,2° que foi a máxima pelo horário UTC. De qualquer jeito, a menor do ano e uma das tardes mais frias dos últimos anos.
  4. ‼️‼️‼️‼️‼️‼️‼️‼️
  5. Adicionaram duas estações de Toronto (Canadá) no Charlier, cujo título é, por algum motivo, "Estações do Brasil". ¯\_(ツ)_/¯ Agora 11,0° com 84% e rajadas de 43 km/h.
  6. Neve de 20 minutos atrás no Mundo Novo, em Urubici. Vídeo do @Fernando Keiser: WhatsApp Video 2018-08-09 at 15.38.12.mp4
  7. Câmeras ao vivo enganam muito. Tem alguma outra fonte pra afirmar que neva em Caxias?
  8. PORTO ALEGRE - INMET - JULHO 2018 Tabela da estação automática | As médias e extremos abaixo são da convencional, com anomalias para a normal 1981-2010. Média compensada: 14,7° (+0,9°) Média das mínimas: 11,7° (+1,6°) Média das máximas: 19,3° (-0,0°) Máxima absoluta: 30,5° Mínima absoluta: 5,4° Maior mínima: 17,2° Menor máxima: 12,8° Precipitação: 186,5 mm (+45,2 mm) Observações: Julho ruim em médias mas não em sensação de frio. Na verdade, julho na normal 1981-2010 ficou muito frio. Este mês, para o padrão atual, ficou na média (como se vê na tabela da automática). Mas acabou saindo quase um grau acima na 1981-2010. Enfim: foi um mês frio porque foi muito chuvoso e nublado. Bom de mínimas, ruim de máximas. É a primeira vez que junho e julho ficam com média máxima na casa dos 18° (automática) desde 2011. Queria mais, mas não posso reclamar. Inverno ainda abaixo da média no acumulado. Aguardando agosto, que promete um padrão parecido: mínimas acima, máximas abaixo e bastante chuva.
  9. Acho que sim. Mas foi a mp mais forte do ano em muitos locais por aqui. Fez -6,3° em Urupema e -4,3° em Bom Jardim, mínimas absolutas de 2015 nas respectivas cidades. Aqui em Porto Alegre deu 5,6°.
  10. Gente, pra quem quiser dar uma olhada, postei toda a aventura da subida ao Pico da Bandeira aqui:
  11. No último fim de semana (28 e 29 de julho), fiz a trilha para subir a terceira montanha mais alta do Brasil: o Pico da Bandeira. Foi na última hora que ficou decidido que eu faria a subida com pernoite para ver o nascer do Sol no Pico. A ideia inicial era subir e descer no domingo mesmo. Só depois percebi como foi acertada a decisão de ter feito a trilha em dois dias. É muito cansativo. A experiência foi absolutamente incrível. Especificamente sobre a meteorologia, tive uma aula impressionante de efeito baixada, tanto ao subir o Pico de madrugada (saímos às 3h da manhã do acampamento Terreirão), quanto no próprio acampamento à noite, onde fiquei perambulando com um termo-higrômetro pra medir as diferenças de temperatura que eu estava sentia muito forte na pele. Depois de experimentá-lo in loco e com tanta força (trago os dados mais abaixo), fiquei maravilhado com o efeito baixada e não serei mais capaz de apequenar o famoso "frio de buraco". Segue o relato: No último ponto acessível por carro do lado mineiro do Parque - o acampamento Tronqueira, a 1970 metros -, saímos eu, Sairo (o guia) e mais 9 pessoas que estavam no grupo, ali pelas 16h. Fazia uns 19°, sem vento. Uma das únicas araucárias do caminho. Neste ponto, tinha um pouco de neblina e a temperatura tinha despencado pra 11°. Chegando no Terreirão. A subida levou cerca de 2h até o acampamento Terreirão (2370 metros), onde passaríamos a noite. Chegamos lá pelas 18h e o acampamento tinha acabado de ser sombreado. A temperatura estava desabando. MVI_2065.MP4 Subi em umas pedras para ver o pôr do sol e levei o termômetro. A temperatura desabou de 7° para 2° em cerca de 40 minutos no topinho que estava servindo de mirante. Foi de onde gravei este vídeo, com destaque (zoom) no Pico da Bandeira: MVI_2068.MP4 O ponto onde mais tarde eu registraria a menor temperatura é entre a mancha branca no chão e a mesa de madeira. Temperatura desabando. Depois, comi alguma coisa e fui tirar umas fotos. Quando cheguei ao centro do acampamento (eu estava mais para o canto) senti que o ar estava MUITO gelado. As luvas não eram suficientes pro frio que fazia por lá. Voltei, peguei o termômetro que estava ao lado do alojamento estagnado em 2° e fui caminhando com ele na mão pelo acampamento. Já era 21h. Cheguei no centro do camping e tinha geada na grama e muito gelo nas barracas. O marcador do termômetro foi desabando. Marcou -2,9° no ponto mais frio, no centro do acampamento. Andei uns metros pro lado, ele subia, quase positivava. Pro outro lado, idem. Subi no ponto de onde tirei as fotos do pôr do Sol, uns dois metros verticalmente mais alto que o camping: 4,0° positivos. uma diferença de 7 graus em apenas 20 metros. No topinho ventava bem fraco. Fui então pra onde eu estava instalado, no alojamento, e lá fazia 3° e podia-se ficar sem luva tranquilamente. Detalhe: o alojamento era dentro da baixada. Ou seja, certamente havia diferenças de temperatura de mais de 7° dentro mesmo da baixada. Tudo graças ao frágil bolsão de ar frio de uma baixada rasa a 2370 metros de altitude em uma noite extremamente seca. Frio muito seco. Corri até a placa pra tentar bater foto com ela ao fundo, mas foi só o tempo de bater outra foto e... O termômetro já atualizou muito menos frio, dentro da baixada, sem diferença significativa de relevo nenhuma. No dia seguinte, acordamos às 2h30min e tomamos café. A temperatura no acampamento baixada havia se tornado homogênea, devido a um fraco vento que quebrara o bolsão de ar frio. Os comentários de que havia esquentado eram muitos. Fazia 5°. Iniciamos a subida às 3h da madrugada. A caminhada foi incrível. Pontos com vento, pontos sem. Temperatura em gangorra. Medi -0,7° em um ponto mais plano aos pés do Pico da Bandeira (como estava caminhando e a área mais fria era pequena, não deu tempo de deixar o marcador estabilizar, provavelmente fazia uns -2°) e até 5° em outros lugares. Tinha geada nas baixadas e um fiozinho d'água congelado no caminho. Chegamos em torno das 6h40min. No Pico, um cenário único: o Sol nascendo de um lado e a Lua cheia se pondo do outro. Cobertura de nuvens abaixo de nós e nada, nada mesmo, acima. Uma experiência indescritível. Fazia 5° antes do sol nascer, salvo engano. Vento era fraco. MVI_2190.MP4 Iniciamos a descida às 7h30min. Finalmente pude ver o cenário que tinha acabado de percorrer às escuras. Ainda havia pontos com geada e placas de gelo onde havia água e sombra. O Pico da Bandeira visto da trilha. Este é o ponto de baixada aos pés do Pico que registrei negativa e geada. Acampamento Terreirão (2370 m) visto de cima. MVI_2241.MP4 A trilha era praticamente só pedra do Terreirão até o Pico. Geada na volta em muitos pontos sombreados mais baixos. Terreirão. Chegamos no Terreirão às 10h. Ficamos cerca de uma hora, lanchamos, e partimos. Já chegando ao Tronqueira, por volta das 12h, era este o cenário: Experiência única, que recomendo a todos que experimentem ao menos uma vez. Vale muito à pena o sofrimento! MVI_2078.MOV
  12. Máxima de 7,6° na estação da Serra da Rocinha (Timbé do Sul) a 658 metros!
×