Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

klinsmannrdesouza

Members
  • Content count

    436
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by klinsmannrdesouza

  1. A Austrália vem passando por ondas de calor assustadoras neste verão, muitas áreas com temperaturas superiores a 40 graus com a umidade do ar muito baixa; com certeza deve ser verdade, é como se a Austrália fosse uma versão mais extrema dos climas brasileiros.
  2. Leste Europeu e Oriente Médio estão abaixo da média, quando o frio é democrático geralmente costuma ser mais brando na Europa e mais intenso no norte da África como agora.
  3. Naquele verão não choveu horrores na campanha gaúcha como agora, fora que porto alegre teve 42 graus de máxima absoluta; desta vez o sofrimento está entre Santa Catarina e o Espírito Santo.
  4. Bem significativo para a latitude, a Europa e norte da África estão tendo um '' inverno 2000'' para os padrões de lá.
  5. Concordo com você, cada região do país tem uma percepção de qual ano foi pior ou melhor em termos de chuva e temperatura; na metade norte do Sudeste está idêntica à janeiro/fevereiro de 2014, já na metade sul a situação está melhor do que naquele ano, assim como no Sul e em parte do centro-oeste, digamos que o bloqueio seco está mais concentrado numa parte do país. O maior problema é que se não ocorrer grandes acumulados de chuva no resto do mês e em fevereiro a situação poderá se complicar ainda mais, a chave da crise hídrica de 2014-2015 foi justamente a falta de uma compensação da atmosfera nos outros meses, e não somente o bloqueio de janeiro dos dois anos.
  6. De vez em quando este modelo erra nas chuvas, espero que isto ocorra desta vez; os outros estão indicando um gradativo aumento das chuvas em muitas áreas do país.
  7. Eu discordo que está parecido com 2013-2014 porque este bloqueio de agora é menos intenso do que o daquele ano, a abrangência foi bem maior e todos os níveis atmosféricos ficaram muito secos ao ponto de inibir totalmente qualquer chuva desde a Bahia, passando por Goiás, DF, Mato Grosso do Sul, Sudeste até o Sul do país; diferente do de agora que não há o empilhamento da ASAS com a alta em 500 mbl, tanto que ocorreram chuvas isoladas no sul de Minas Gerais e São Paulo, o posicionamento da ASAS está mais ao norte. Na temporada chuvosa de 2015-2016 as instabilidades se concentraram no Rio de Janeiro, sul/oeste mineiro e São Paulo, tivemos um janeiro muito chuvoso em muitas áreas do país com direito a uma típica ZCAS.
  8. Olha, pelos mapas que você postou Belo Horizonte poderá ter alguma chuva depois do dia 24, além da metade oeste de Minas Gerais, somente o Vale do Jequitinhonha e o Espírito Santo ainda ficarão secos.
  9. Essas nuvens são um indicativo de que a alta pressão não está em todos os níveis, restando um pouco de umidade para ocasionar chuvas em alguns lugares.
  10. Desses o mais abrasador foi 2013-2014, o mais agradável foi 2017-2018, 2015-2016 foi chuvoso em SP, sul de Minas/Triângulo, RJ e seco nas outras áreas, coma exceção de janeiro que foi extremamente chuvoso em Minas Gerais e Espírito Santo graças aos vários sistemas frontais que chegavam até Salvador. O que estamos vivendo agora estásendo muito parecido com o de 2015-2016, com a diferença de estar chovendo bastante na metade norte do Nordeste.
  11. O Europeu mostra um significativo aumento das chuvas na metade sul do Sudeste, enquanto na outra parte o tempo continuará seco; o GFS por outro lado projeta acumulados maiores em grande parte da região, porém o GFS dificilmente acerta as previsões por ser muito volátil.
  12. Deve superar fácil aquele, pois este que virá causará queda de temperatura em quase toda a América Central e também todo o oeste dos Estados Unidos, em 2014 o frio ficou bloqueado no Texas, chegou até parte do México e Cuba, diferentemente de agora que o frio se espalhará por toda a América do Norte.
  13. Será um verdadeiro alazão polar, TODA a América do Norte e Central terá baixas temperaturas, uma grande área de baixa pressão drenará o frio diretamente do norte canadense, o frio pode ser o mais intenso em muitos anos, Toronto/Chigago vão despencar para -20/-22, no meio-oeste americano entre -12/-16 graus, sul dos Estados Unidos/ norte do México entre -8 e 0 graus (!!!!!!), restante do México e América Central entre 4 e 16 graus (!!!!!), as calientes praias mexicanas ficarão muito geladas, a frente fria poderá chegar até o norte da Venezuela (!!!!!)
  14. Os modelos numéricos indicam temperaturas abaixo de zero até no norte da Florida e metade norte do México!
  15. O bloqueio atmosférico de jan/fev 2014 durou mais de duas semanas afetando mais da metade do país; já o de jan/2015 foi menos intenso e mais restrito a baixa/média atmosfera, de forma que ocorreram temporais isolados principalmente no estado de São Paulo, este foi o primeiro a sair da crise hídrica.
  16. Exatamente, as águas no litoral chilelo estavam muito mais aquecidas do que o normal formando um bloqueio atmosférico nessa área, impedindo as frentes frias adentrarem a Patagônia. Isso acabou por contribuir para a formação de outro bloqueio na costa do atântico desde o litoral da Bahia até o Uruguai, pois as frentes frias eram barradas no lado oposto e as poucas que conseguiam chegar no litoral argentino já estavam enfraquecidas. Neste caso, a ASAS ficou acoplada com um anticiclone em 500 mb, ou seja, em todos os níveis atmosféricos havia ar seco inibindo qualquer convecção que é característico do verão; outro fator é que na região equatorial do Pacífico as águas estavam levemente mais quentes do que o normal. Agora não há anomalias positivas de temperatura no litoral do Chile, o que indica a passagem frequente dos sistemas frontais, sobre o Brasil isto significa que este bloqueio atmosférico não será intenso como foram os de 2013/2014 e 2014/15, porém causará um impacto negativo nas chuvas sobre a Bahia, centro-norte de Minas Gerais e Espírito Santo.
  17. Não sabia que chegou a ter previsão do tempo na tv no país nos anos 70, pensei que fosse apenas na década seguinte. Sobre os anos 90, a Globo foi a emissora que mais variou nos quadros de previsão do tempo: com a Sandra Anhemberg em 1991 era muito simples, mostrava a imagem de satélide depois um mapa do Brasil mostrando apenas aonde iria chover e as temperaturas máximas; em 1994 houve uma reformulação onde o mapa ficou um pouco mais detalhado, tem um vídeo no youtube de uma reportagem que fizeram sobre a onda de frio daquele ano, inclusive mostrando a acumulação incomum da neve nas serras sulinas; em 1996 contrataram da climatempo o Carlos Magno, só aí o mapa passou a mostrar as temperaturas mínimas e todas as condições de sol e chuva, dois anos depois (1998) a Fabiana Scaranzi apresentava a previsão no Jornal Nacional substituindo em parte o Magno; depois este saiu e a Fabiana ficou fixa, ela que deu os alertas do frio extremo de 2000, a partir daí a internet ficou mais barata e facilitou muito o acesso ao público leigo sobre meteorologia.
  18. 1956 inclusive foi um ano marcado pelo frio constante e intenso no Brasil e América do Sul, além do janeiro muito seco em SP tivemos o mês de maio mais frio desde o início dos registros, infelizmente na época as previsões do tempo eram muito escassas aqui o que dificultava a coleta de informações importantes, por isso muitos agricultores perdiam as colheitas por causa das geadas severam que aconteciam quase todo ano nas décadas de 40 (final), 50, 60 e 70, forçando os mesmos a venderem suas terras e se mudarem para regiões mais ao norte como Mato Grosso, Rondônia e Pará. A previsão do tempo tornou-se mais acessível apenas nos anos 80 com o início na informatização computacional da climatologia brasileira; nos anos 90 muitos canais nacionais estrearam quadros de previsão do tempo, como a Globo com a Sandra Anhemberg em 1991, depois o próprio fundador da climatempo e meteorologista Carlos Magno foi contratado pela emissora alguns anos depois.
  19. Olhando por esta rodada, os acumulados de chuva serão abaixo do normal porém com uma certa melhora, mesmo o Europeu que é o mais pessimista indica chuvas para todo o estado de São Paulo, sul/oeste de Minas Gerais e partes do Rio de Janeiro, se ocorrer isso ficará com certeza muito distante de jan/fev 2014.
  20. Sim, foi uma nuvem funil, um clássico formato de cone, a célula de chuva deveria ser uma cumulusnimbos com rotação numa parte da mesma.
  21. O verão em Quito é o inverno de Porto Alegre.
  22. A climatempo apontava nas previsões o cenário oposto, chuvas mas generalizadas no país em janeiro e pouca chuva em fevereiro, ao menos até agora não sei concretizou.
  23. Este oceano muito aquecido é um grande combustível para a formação de ciclones tropicais caso o bloqueio seco recue para leste.
  24. Impressão minha ou as anomalias positivas diminuíram sobre o Sudeste?
  25. Na costa oeste da América do Sul tem uma grande área entre as latitudes 20 e 40S que muitas vezes está muito abaixo da média, justamente na região dessa cidade; mais ao sul as águas estão aquecidas, enfraquecendo as altas polares de adentrarem o continente pela Patagônia, o que acaba por alimentar o bloqueio atmosférico do lado de cá.
×