Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

klinsmannrdesouza

Members
  • Content count

    348
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

163 Excellent

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Incrível, lá neva até as vésperas do verão, e as máximas raramente chegam aos 20 graus!
  2. Compartilho da sua opinião, ano bom pra mim é quando as chuvas ocorrem em abundância na época certa, bem como no período frio temos massas polares amplas com no mínimo moderada intensidade, sem ficar bloqueada no interior do continente sul-americano e sem ser aquelas marítimas que trazem frio modorrento de 11/22 graus.
  3. No verão 2013/2014 não havia el ñino, foram as anomalias positivas do Atlântico que fomentaram o bloqueio atmosférico
  4. Também é patético os canais da telvisão noticiarem a formação do el niño com certa satisfação de que ''vai dar calor, sol e praia'' quando na verdade as portas da fornalha se abrem, acabando ou reduzindo os canais de umidades necessários. Quando ocorre la niña, os mesmos noticiam com um medi exagerado e com uma cara de quem viu e não gostou, sendo que AMBOS produzem prejuízos em diversos lugares do planeta.
  5. Fica bloqueada por causa do Himalaia, senão a Índia teria invernos bem rigorosos e poderia nevar com mais frequência no norte do país. Mas mesmo assim ainda consegue fazer um pouco de frio acima do paralelo 20 por causa dos resquícios de ae frio suavizados que chega por lá.
  6. De 2001 a 2006 a atmosfera foi desfavorável ao avanço das massas polares no outono e inverno, o resultado foi que o período frio desses anos ficou bem aquém do esperado, com exceção de 2004 que foi na média, o único dissabor foi a primavera antecipada. A partir de 2007, as massas polares começaram a avançar com maior intensidade para as baixas latitudes da América do Sul, incluindo o Sudeste e parte do estado da Bahia, este padrão perdurou até 2013. Se colocar na balança estes dois períodos, o saldo final será de que o íltimo foi melhor em termos de frio e neve, porque dos anos citados, 2011 e 2013 foram de frio forte à extremo com reltiva acumulação de neve, 2007, 2008 e 2009 foram normais, somente 2012 foi acima da média. Não dá pra comparar 2011 e 2013 com 1962, 1975, 1978/9, 1985 ou 1988, que tiveram ondas de frio bem mais intensas que nos últimos vinte anos, mas foi bom nesses anos recentes (principalmente 2013) para os mais velhos amantes do frio matarem a saudade das geadas e até mesmo da neve, e para os mais novos sentir um pouco do que quem viveu nas décadas de 70 e 80 sentiam quase todos os anos.
  7. Londres tem um inverno bem ameno por estar praticamente no paralelo 50N, ainda mais por estar diretamente na influência da Corrente do Golfo. Nas Ilhas Britânicas, temperaturas menores que -10 são raras e ocorrem apenas em invernos excepcionalmente frios ou excepcionalmente altitudes mais altas na porção setentrional; a neve ocorre com baixa acumulação.
  8. Nova Déli está a 28ºN, o clima de lá e subtropical cujos verões são bem quentes e os invernos amenos, o curioso é a regularidade das temperaturas nesta época do ano, sem grandes extremos para sua localização. Ah, o inverno indiano costuma ser bem seco, com exceção do Norte do país.
  9. Se as anomalias de temperatura na região Equatorial do Pacífico continuarem com essa oscilação, poderemos ter um verão bastante dinâmico em termos de chuva, ou quiçá próximo da normalidade.
  10. A maritimidade potencializada pela Corrente do Golfo tornam os invernos bem mais brandos na parte centro-ocidental da Europa, enquanto que em latitudes semelhantes aisáticas não há este fator, as disparidades térmicas das isotermas são absurdamente altas. Sobre o Hemifério Sul, temos o fator maritimidade que impede invernos rigorosos, ainda que ocorram fortes ondas de frio na América do Sul e na Oceania.
  11. Continentalidade da Ásia, provocando invernos extremamente rigorosos (perdendo apenas para a Antartida), somado com o relevo mais baixo na metqde orientqal da China, facilitando o avanço do ar frio para latitudes inferiores ao Trópico de Câncer (podendo afetar países como Tailândia e Vietnã).
  12. Se essas projeções se confirmarem, será um bom mês para a continuação da recuperação da seca que o Nordeste estava sofrendo até alguns anos atrás, e também porque não fará muito calor.
  13. Desde que não seja um calor absurdo e que prejudique as chuvas, tudo bem.
  14. Esta baixa pressão é um ciclone extratropical?
  15. Uma baixa pressão intensa consegue puxar muito frio para latitudes menores mesmo a alta polar sendo mais fraca.
×