Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

klinsmannrdesouza

Members
  • Content count

    791
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

klinsmannrdesouza last won the day on April 27

klinsmannrdesouza had the most liked content!

Community Reputation

846 Excellent

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Os continentes com as massas polares mais intensas são a Ásia e América do Norte, por causa da grande extensão de terra que ambos tem; enquanto os que possuem massas polares amplas são a Ásia e América do Sul, no primeiro elas conseguem influenciar o tempo até no sul da Tailândia todo ano, enquanto a neve chega até no Trópico de Câncer. Aqui no continente sul-americano as massas polares chegam até o paralelo 5S nos meses mais frios (maio, junho e julho), por causa da planície do Pantanal, que funciona como uma "avenida rápida" para elas chegarem até a Amazônia sem perderem muito de sua intensidade. É comum as temperaturas chegarem a 12 graus no Acre, 10 no sul de Rondônia, 8 no oeste do MT, 5 na região de Porto Murtinho MS e a 0 no Chaco paraguaio.
  2. Aqui na capital sul-matogrossense as menores temperaturas do ano são bem parecidas com a cidade de São Paulo, ao redor dos 5 graus em muitas áreas da cidade. As únicas diferenças são a maior homogeneidade térmica aqui (urbanização mais horizontal) e a constância do frio por lá ser maior.
  3. Aqui em Campo Grande MS a escala é assim: - Frio extremo ou histórico: abaixo dos 5 graus; - Muito frio: entre 5 e 10 graus; - Frio: de 11 a 18 graus; - Temperatura normal: entre 19 e 26 graus; - Calor: de 27 a 34 graus; - Calor extremo ou histórico : acima dos 35 graus.
  4. Aqui em Campo Grande (MS) no mês de junho o sol se põe exatamente as 17 hs em ponto, 17:40 já está totalmente escuro, e o amanhecer nessa época começa por volta das 05:40 pro sol nascer as 06:20.
  5. A comparação aqui foi entre todas as faixas de terra entre as latitudes 25 e 45N, de fato a Península Ibérica e o norte da Índia possuem invernos bem fracos por causa das barreiras do relevo (no caso da Índia) e pelo oceano mais aquecido graças a Corrente do Golfo ( no caso do Sul da Europa). Lisboa praticamente não registra temperatura mínima menor que zero graus, Nova Délhi tem no máximo alguns dias entre 4/15C (está na mesma latitude que Florianópolis); diferente da China em que a neve chega até o paralelo 23M no interior e 25N no litoral.
  6. A atmosfera mudou o padrão de circulação para o verão, mas nós estamos na primavera, o verão no calendário só começa dia 21. Este último é o astronômico, a virada atmosférica é o verão climático.
  7. Verão climático é quando o padrão atmosférico de circulação começa a se comportar como nos meses mais quentes do ano, muita chuva no Brasil central e tempo mais seco no sul do país e na Argentina e Chile. Essa mudança geralmente ocorre antes do começo do verão astronômico, 21 de dezembro.
  8. O atlântico sul resfriado nos ajuda muito em qualquer época do ano, porque isso permite o avanço das frentes frias para as latitudes mais baixas, trazendo chuvas fortes na primavera/verão e ondas de frio amplas no outono/inverno. Esse fator nos importa até mais do que as variações do pacífico equatorial; tanto que em alguns casos anula os efeitos do el nino. 1994 teve el nino mas o atlântico sul estava resfriado, o resultado foram duas massas polares gigantescas que afetaram quase todo o Brasil, além de 80% da América do Sul, pintaram a paisagem de branco nas serras sulinas e geou até no sul de Goiás, fato raro de ocorrer.
  9. Na Ásia o ar frio escoa com muita facilidade por causa da extensão continental; é o continente mais gelado fora da Antártica. Nevar no sul da China e em áreas mais elevadas do Vietnã não e tão raro , só que não acumula ( parecido com as áreas serranas do RS e SC), as médias de temperatura no outono e inverno entre os paralelos 25 e 45N são bem menores do que no norte da África e sul da Europa.
  10. Novembro é o primeiro mes da época chuvosa no Nordeste, pois é comum chover no interior até mesmo no sertão de Pernambuco, ficando seco no litoral entre o Maranhão e a região de Salvador na Bahia. Em dezembro a ZCIT começa a influenciar o litoral norte Nordestino, aí começam as primeiras chuvas por lá.
  11. A região da Siberia, Ásia Central e parte da China tem um inverno muito frio porém seco, a massa continental na região impede precipitações invernais abundantes. Geralmente por lá neva bastante no outubro, quando o anticiclone frio siberiano se forma e se expande na direção sul; nos meses de dezembro e janeiro com a forte subsidencia sobre o continente ocorre de nevar no Japão, nas Correias e até mesmo no centro-sul da China
  12. O lado positivo de se morar no interior da América do Sul ( oeste da região sul do Brasil, MS, Paraguai) é sentir as massas polares continentais, que provocam bons períodos de resfriamento e ainda por cima causam chuvas moderadas/chuvisco. Nesses lugares, dá pra sentir frio inclusive com sol forte, graças aí relevo mais baixo que facilita o deslocamento dos ventos.
  13. Aqui no BAZ num tópico tem uns textos do século XIX relatando neve em Ouro Preto (MG), geadas no verão em Goiás e mortes pelo frio nós arredores de Cuiabá; os invernos deveriam ser bem deveria na época. Se naquele tempo houvesse a tecnologia de agora, provavelmente a cidade de São Paulo teria médias anuais parecidas com de Curitiba neste século, e no sul do País os estados do RS e SC registraram temperaturas dignas de clima temperado.
  14. No passado distante existia uma relação entre a radiação solar e a pigmentação da pele, cabelos e olhos. Nas regiões próximas ao Equador principalmente em climas tropicais os seres humanos tinham muita melanina para filtrar uma parte dos raios UV, afim de evitar problemas como câncer de pele; em contrapartida quanto mais afastado dos trópicos mais claros eram os seres humanos, as pessoas mais claras eram encontradas na Escandinávia, região nativa dos nórdicos. Outras características adaptativas como cabelos lisos ou crespos dispersavam o calor pelo couro cabeludo ou protegiam a cabeça do frio, bem como a maior tolerância à lactose dos povos de climas temperados e frios, se deviam pela necessidade de sobrevivência e a pouca tecnologia dos nossos antepassados, que basicamente eram caçadores coletores e pequenos agricultores, expostos diariamente na natureza. Depois da colonização americana e a vinda dos europeus para cá, houve um gradual deslocamento dos povos nativos de cada local, juntamente com isso ocorreu a adaptação de povos em ambientes diferentes daqueles que estavam acostumados: descendentes de europeus passaram a viver em climas tropicais e descendentes de africanos em climas temperados, ainda que há predisposicoes a certos ambientes de acordo com a etnia de cada um, não faz mais sentido determinar se uma pessoa gosta mais de calor ou frio analisando apenas sua etnia.
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.