Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Flavio Feltrim

Members
  • Content count

    544
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

4 Neutral

About Flavio Feltrim

  • Birthday 10/16/1980
  1. Não totalmente, mas percebe-se que muitos elementos parecem desprezados na rodagem (ou foi apenas um erro grotesco de plotagem do mapa)! O importante é ver todas as saídas que tem sido publicadas pra ver se o cenário se mantem... agora, se a cada saída muda bastante demonstra instabilidade e portanto pouca confiabilidade. E como o Mafili sempre nos lembra, em breve entramos no equinócio e a confiabilidade ficará mais reduzida!
  2. Essa saída do CFS é tão bizarra que a quantidade de gelo fica inalterada entre fevereiro e maio... algo que impacta significativamente na dinâmica da temperatura dos oceanos é desprezado no modelo! Curiosamente, mostra o sea ice no mínimo do polo sul em fevereiro e nada de sea ice no polo norte, que está em seu máximo!
  3. Aposto numa "neutralidade Niña" baseado em outros fatores que acompanho, nenhum relacionado a modelos... assim como me preocupa muito esse excesso de chuvas em várias parte do Brasil, que em breve poderá se reverter num fevereiro oposto (quente e seco).
  4. Nossa temporada de "furacões" começou cedo... fortes emoções até abril!
  5. ENSO sozinho não vai ditar regras enquanto isso estiver ocorrendo no Atlântico por essas paragens...
  6. Efeito do calor. :mosking: Notícia verídica, porem sem maiores problemas: Tremores de terra atingem cidades do Paraná Tremores foram registrados pelo Centro de Sismologia da USP em Rio Branco do Sul e São Jerônimo da Serra. Nenhum atendimento foi registrado entre a noite de domingo (17) e a madrugada desta segunda, conforme o Corpo de Bombeiros. https://glo.bo/2x7EIsI
  7. EXATAMENTE! Não por acaso, anos de La Niña tendem a ser mais propícios aos furacões no Atlântico norte...
  8. Incrível o resfriamento dos últimos 7 dias na TSM do Atlântico Norte nas áreas onde os furacões passaram! Natureza sábia fazendo bom uso dos recursos que tem para equilibrar a energia!
  9. Exatamente! Isso preocupa bastante... e quanto mais quente e demorado, pior o choque!
  10. Para vocês verem como até mesmo pesquisadores da mesma área não se conversam (ou simplesmente ignoram) os trabalhos dos colegas: publiquei um artigo nessa mesma revista 5 anos antes desse que o Carlos postou mostrando exatamente a mesma coisa (uso de PVC para construção de mini-abrigos) e o trabalho sequer foi mencionado: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v9i0.27514 Enfim...
  11. Mas não é o que tá parecendo, conforme a própria figura mostra. :negative: Aí dá pra entender as nevascas no inverno americano :rtfm: Luciano... essa figura que você postou mostra apenas o período de julho de 2016 até hoje e a previsão até FMA (fev-mar-abr) de 2018. Como é um período muito curto, não é possível dizer que sempre pagamos o pato, tem que olhar uma série mais longa! Outro detalhe: em geral, a La Niña tem o ápice no final do ano mas costuma interferir mais no inverno do ano seguinte (ex: 2016, que começou com La Niña).
  12. El Niño e La Niña tem ápice em dezembro!
  13. Algo em comum em quase todos os exemplos: Atlântico Sul acima da média, independente da região Niño estar quente, fria ou neutra! Antes que eu me esqueça: o inverno acaba só em setembro! :hi:
  14. Parceria WXBrasil / Metsul

    Parabéns pelo excelente trabalho e sucesso na nova empreitada Marcelo! Grande abraço!
×