Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Rodolfo Alves

Moderators
  • Content count

    5597
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    33

Everything posted by Rodolfo Alves

  1. TÓPICO PARA MONITORAMENTO E PREVISÃO - BRASIL/AMÉRICA DO SUL - JUNHO 2019 Finalmente chegou Junho.... Quem sabe a tão sonhada bomba polar vem aí, trazendo muito frio e a branquinha tão desejada, o que vai fazer a alegria e a felicidade de todos os bazianos. #EUACREDITONOINVERNO2019
  2. MODELO EUROPEU EM SAÍDA DESTA MADRUGADA PARA O COMEÇO DE JULHO. HORA DE TIRAR A "ALICE" QUE HABITA NOS BAZIANOS DO ARMÁRIO.....
  3. TÓPICO PARA MONITORAMENTO E PREVISÃO DE TELECONEXÕES/VARIÁVEIS CLIMÁTICAS (ENSO-AAO-PDO-MJO), ETC. Antigo Tópico: viewtopic.php?f=133&t=15325
  4. MÍNIMAS SÃO PAULO - RMSP 3,5 MARSILAC 5,0 SÃO LOURENÇO DA SERRA/CIIAGRO 5,1 JUQUITIBA/CIIAGRO 5,2 CAPELA DO SOCORRO 5,9 SANTANA PARNAIBA 6,7 SÃO MATEUS 7,6 PARELHEIROS 7,6 PIRITUBA 8,0 IAG CONVENCIONAL (MENOR ANO) 8,6 BUTANTÃ 8,1 PERUS 8,1 ITAQUERA 8,2 MAUÁ 8,7 JABAQUARA 9,1 VILA FORMOSA 9,3 TREMEMBÉ 9,4 FREGUESIA DO Ó 9,5 IPIRANGA 9,5 SÃO MIGUEL PAULISTA 9,7 ITAIM PAULISTA 9,8 VILA PRUDENTE 9,9 VILA MARIA 10,0 CIDADE ADEMAR 10,0 PENHA 10,2 SESC INTERLAGOS 10,6 PICO DO JARAGUÁ/CETESB 10,7 MOOCA 10,7 CAMPO LIMPO 10,7 SANTO AMARO 10,7 MBOI MIRIM 11,0 MIRANTE DE SANTANA/AUT 11,0 SANTANA 11,1 MIRANTE DE SANTANA/CONV (MENOR ANO) 11,1 LAPA 11,2 RIACHO GRANDE 11,3 AEROPORTO CONGONHAS 11,4 ANHEMBI 11,5 VILA MARIANA 11,8 SÃO CAETANO (DAVIS) 13,7 SÉ/CGE
  5. ACCUWEATHER emitiu sua previsão para o Inverno. E a previsão não é animadora! "“Weak El Niño conditions will likely be a factor in the overall pattern across South America much of the winter,” AccuWeather Lead International Meteorologist Jason Nicholls said." A wet winter is on tap for southeastern Brazil as rain frequents the region, bringing the risk of flooding. The primary areas of Brazil that can anticipate potentially flooding rain include the states of Rio Grande Do Sul to Parana and southern Mato Grosso Do Sul. Northeastern Argentina, Paraguay and Uruguay can also expect a wet winter. This includes Buenos Aires, Asuncion and Montevideo. “Cold shots will be limited, but there can be a few shots of cold air into these areas later in June and July,” Nicholls said. “Wet snowflakes cannot be ruled out into portions of Buenos Aires, La Pampa and Cordoba provinces,” he added. Chilly wintry air will be hard to come by farther north in Brazil as much of the country experiences a largely warm and dry season. “However, a scattered frost event or two cannot be ruled out as far north as Parana and interior portions of Sao Paulo,“ Nicholls added.
  6. RECORDE DE CALOR HISTÓRICO NO IAG A Exemplo do que aconteceu no Mirante de Santana, a Estação Meteorológica Convencional do Instituto de Astronomia e Geofísica da USP (IAG), registrou em 2019, o Maio mais quente em 86 Anos de medições. A Média de maio ficou em 15,9/25,9ºC com 20,9ºC de Média Simples, o que configura recorde em todas as variáveis. MAIORES MÉDIAS SIMPLES MENSAIS EM MAIO - IAG (1933-2019) 20,9ºC - 2019 20,5ºC - 1984 20,1ºC - 1986, 1936 20,0ºC - 2002 MAIORES MÁXIMAS MÉDIAS MENSAIS EM MAIO - IAG (1933-2019) 25,9ºC - 2019 25,8ºC - 1984 25,7ºC - 1936 25,1ºC - 1940, 2018 MAIORES MÍNIMAS MÉDIAS MENSAIS EM MAIO - IAG (1933-2019) 15,9ºC - 2019 15,3ºC - 1983 15,6ºC - 1986 15,4ºC - 1992 Um outro fator chama a atenção na estação do IAG também, quanto a possibilidade da Temperatura mínima Sub 10 mais tardia da história da estação. Até a data de hoje, 08 de junho, não tivemos nenhuma mínima Sub 10 no IAG. Somente em outros 7 anos chegamos a essa data sem nenhuma Sub 10. PRIMEIRA SUB 10 MAIS TARDIAS DA HISTÓRIA DO IAG (1933-2019) 1º 27/06 (2015) 2º 24/06 (1970) 3º 23/06 (2005) 4º 16/06 (1992) 5º 14/06 (1980) 6º 12/06 (1994) 7º 10/06 (2017) 8º 2019 até o dia 08/06 sem nenhuma Sub 10 A Sub 10 mais tardia da história do IAG pertence a 27 de Junho, registrada em 2015. Isto é, nunca na história da estação, um ano chegou ao final de junho sem nenhuma Sub 10. Caso o IAG chegue a essa data sem nenhuma Sub 10, teremos um novo recorde de calor na estação.... Vamos acompanhando.
  7. SÃO PAULO - MAIO 2019 Maio ficará marcado pela "continuação do verão" em São Paulo, com direito a quebra de vários Recordes. O Mirante de Santana fechou Maio com anomalias de mais de 2 graus, em relação a média 1981-2010. Com esses valores, Maio 2019 terminou como o mais quente de toda a história do Mirante de Santana, quebrando recordes na mínima e máxima média, bem como na compensada. MAIORES MÍNIMAS MÉDIAS EM MAIO - MIRANTE DE SANTANA (1945-2019) 17,2ºC 2019 16,6ºC 1992 16,3ºC 1986 16,1ºC 2002 16,0ºC 1984 MAIORES MÁXIMAS MÉDIAS EM MAIO - MIRANTE DE SANTANA (1945-2019) 25,7ºC 2019 25,6ºC 1984 25,2ºC 2009 25,1ºC 2005, 1967, 1970 25,0ºC 2018 MAIORES COMPENSADAS EM MAIO - MIRANTE DE SANTANA (1945-2019) 20,7ºC 2019 20,1ºC 1984 19,6ºC 2005, 2009 19,5ºC 1992, 2002 19,4ºC 1986 Além do mais, o Mirante de Santana também quebrou o recorde absoluto da maior temperatura mínima para maio em toda a sua história. No dia 12, fez 20,8ºC de mínima. Além disso no dia 4, a mínima de 20,4ºC foi a 3ª maior da história da estação. MAIORES TEMPERATURAS MÍNIMAS EM MAIO - MIRANTE DE SANTANA (1945-2019) 20,8ºC 12/05/2019 20,6ºC 18/05/1992 20,4ºC 04/05/2019 20,1ºC 05/05/1970 20,0ºC 03/05/1989, 17 e 29/05/1992 Em São Mateus, estação que voltou a funcionar em abril, maio também terminou muito acima da média, em torno de 2 graus, o que deixou também como o mais quente desde a abertura da estação em 2012, porém não houve quebra de recordes absolutos para o mês. Em outras estações da cidade, apenas Marsilac no extremo sul da cidade, conseguiu fechar com média abaixo de 20 graus. Abaixo resumo de Maio/2019 em 8 estações na Capital e ABC.
  8. Temporada Oficial de Furacões no Atlântico Norte começou hoje com distúrbio sendo monitorado. Uma área de baixa pressão na costa do México, já classificada em INVEST 91L está sendo monitorada para desenvolvimento em depressão ou tempestade tropical, antes de chegar no México, próximo a Vera Cruz. NHC dá 50% de chances disso acontecer.
  9. MÍNIMAS SÃO PAULO E ALHURES 25 MAIO 8,0ºC PICO DO JARAGUÁ/CETESB 8,3ºC JUQUITIBA/CIIAGRO 8,6ºC SÃO LOURENÇO DA SERRA/CIIAGRO 9,2ºC SANTANA PARNAIBA/CGE 9,3ºC PARELHEIROS/CGE 9,3ºC MARSILAC/CGE 9,6ºC CAPELA DO SOCORRO/CGE 10,4ºC JABAQUARA/CGE 10,5ºC SESC INTERLAGOS/INMET 10,5ºC RIACHO GRANDE/CGE 10,6ºC CAMPO LIMPO/CGE 10,8ºC SÃO MATEUS/CGE 10,8ºC PENHA/CGE 10,8ºC FREGUESIA DO Ó/CGE 10,8ºC MBOI MIRIM/CGE 10,8ºC ANHEMBI 10,8ºC VILA MARIA/VILA GUILHERME/CGE 11,0ºC VILA MARIANA/CGE 11,1ºC IAG CONVENCIONAL 11,1ºC PIRITUBA/CGE 11,1ºC BUTANTÃ/CGE 11,2ºC INTERLAGOS/CETESB 11,2ºC PINHEIROS/CGE 11,2ºC ARICANDUVA/CGE 11,3ºC VILA PRUDENTE/CGE 11,3ºC CIDADE ADEMAR/CGE 11,3ºC LAPA/CGE 11,4ºC MIRANTE DE SANTANA/CONV 11,4ºC SANTANA/CGE 11,4ºC MAUÁ/CGE 11,5ºC MIRANTE DE SANTANA/AUT 11,5ºC IPIRANGA/CGE 11,5ºC SANTO AMARO/CGE 11,6ºC SÉ/CGE 11,6ºC AEROPORTO CONGONHAS 11,7ºC PINHEIROS/CETESB 11,7ºC SÃO MIGUEL PAULISTA/CGE 11,7ºC MOOCA/CGE 11,8ºC AEROPORTO CAMPO DE MARTE 11,8ºC ITAQUERA/CGE 11,9ºC ITAIM PAULISTA/CGE 11,9ºC DAVIS SÃO CAETANO DO SUL 12,0ºC AEROPORTO GUARULHOS 12,0ºC TREMEMBÉ/CGE 12,1ºC PENHA/CGE 12,1ºC PARQUE DOM PEDRO/CETESB
  10. Rodolfo Alves

    Eventos de Ciclones Subtropicais/Tropicais no Brasil

    TEMPESTADE SUBTROPICAL JAGUAR - MAIO DE 2019 Período: 20 a 22 de Maio de 2019 Ventos Máximos: 65km/h (Rajadas 75km/h) Pressão Mínima: 1010hpas Área de Atuação: Litoral do RJ em alto-mar Principais Impactos: Mar agitado em alto-mar. Link para acompanhamento: http://www.abaixodezero.com/index.php?/topic/6546-monitoramento-e-previsão-ciclones-subtropicaistropicais-no-atlântico-sul/&page=26&tab=comments#comment-435014
  11. LISTA CRONOLÓGICA DOS PRINCIPAIS EVENTOS DE CICLONES SUBTROPICAIS/TROPICAIS SOBRE O BRASIL: Atualizado: Maio/2019 ANTES DA MARINHA COMEÇAR A MONITORAR E CLASSIFICAR ESTES SISTEMAS: - 2004 (Jan): Depressão Tropical (Jan/2004) - 2004 (Mar): Furacão Catarina - 2006 (Fev): Tempestade Tropical Não Nomeada - 2010 (Mar): Tempestade Tropical Anita APÓS A DEFINIÇÃO DA MARINHA PARA MONITORAR E CLASSIFICAR SISTEMAS SUBTROPICAIS E TROPICAIS Verão 2010/2011: - 2011 (Mar):Tempestade Subtropical Arani Verão 2013/2014: - 2014 (Fev): Depressão Subtropical 01 - 2014 (Mar): Depressão Subtropical 02 Verão 2014/2015: - 2015 (Jan): Depressão Subtropical - 2015 (Fev): Tempestade Subtropical Bapo - 2015 (Mar): Tempestade Subtropical Cari Verão 2015/2016: - 2016 (Jan): Depressão Subtropical Verão 2016/2017: - 2016 (Nov): Tempestade Subtropical Deni - 2016 (Dez): Tempestade Subtropical Eçaí Verão 2017/2018: - 2017 (Dez): Tempestade Subtropical Guará Verão 2018/2019: - 2019 (Mar): Tempestade Tropical Iba - 2019 (Mai): Tempestade Subtropical Jaguar TOTAL DE SISTEMAS (DEPRESSÕES/TEMPESTADES/FURACÕES) DESDE 2004: 16 SISTEMAS POR CLASSIFICAÇÃO: SUBTROPICAL: 11 TROPICAL: 5 SISTEMAS POR TIPO: DEPRESSÃO: 5 TEMPESTADE: 10 FURACÃO: 1 SISTEMAS POR MÊS: NOVEMBRO: 1 (Tempestade) DEZEMBRO: 2 (Tempestades) JANEIRO: 3 (Depressões) FEVEREIRO: 3 (2 Tempestades, 1 Depressão) MARÇO: 6 (1 Furacão, 4 Tempestades, 1 Depressão) MAIO: 1 (Tempestade) LANDFALLS: BA: DEPRESSÃO TROPICAL 2004 SC: FURACÃO CATARINA 2004
  12. CHM informa que Jaguar se convertou a Extratropical. Fim do monitoramento.
  13. NOVO TÓPICO PARA MONITORAÇÃO DE CICLONES SUBTROPICAIS/TROPICAIS NO ATLÂNTICO SUL Tópico Antigo Fechado (para consultas) ---> Histórico dos Principais Ciclones Subtropicais/Tropicais no Brasil (Sempre Atualizado) ---> ================================================================================== 5 INFORMAÇÕES ÚTEIS PARA A MONITORAÇÃO: 1) Há um Temporada de ocorrência definida? Não Existe. Porém os principais sistemas conhecidos pós-2004 [highlight=yellow]se formaram entre Janeiro e Março, sendo este o período mais favorável para ocorrência.[/highlight] Há ocorrências isoladas entre Novembro e Dezembro, porém estes sistemas não entram para a lista, por não terem assumido forma simétrica. 2) Quem é o órgão Responsável por Monitorar e Emitir Aviso? Embora não haja um Centro designado pela OMM para monitorar Sistemas Tropicais no Atlântico Sul. Desde 2011, ficou definido que o [highlight=yellow]Centro Hidrográfico da Marinha do Brasil (CHM), será o órgão oficial para monitorar e emitir avisos para o território brasileiro, bem como aplicar o sistema de nomeação, que da qual criou, sobre as baixas subtropicais/tropicais que se formarem no Atlântico Sul na sua área de responsabilidade.[/highlight] A nomeação e classificação aplicada pela Marinha por ser oficial, tem que ser aceita por todos os órgãos de meteorologia nacionais, e virando referência nos órgãos internacionais. Internacionalmente, sistemas que apresentarem características tropicais, devem receber classificação INVEST (com súfixo "Q" ou "SL" dependendo do órgão que emitir a classificação), mas estes órgãos não nomeiam ou classificam os sistemas. 3) Cobertura e Monitoramento: A área de cobertura da Marinha para monitoração de sistemas tropicais e subtropicais será a [highlight=yellow]área marítima correspondente ao território Brasileiro[/highlight] a partir de 20 graus Oeste de Longitude, conforme mapa abaixo. Qualquer sistema que venha se desenvolver fora desta área, não será monitorado ou classificado pela Marinha Brasileira, por não se tratar de sua responsabilidade, assim como sistemas formados dentro do território brasileiro não serão monitorados após sairem da área de responsabilidade. 4) Classificação dos Sistemas que poderá ser adotada pela Marinha: Em caso de distúrbios (Sistemas de baixa pressão/cavados, que apresentam potencial para desenvolvimento, com consistência mínima de 24 horas): - Distúrbio Subtropical ------------------------------------------------------------------------------------- Em caso de serem tropicais (Núcleo quente em baixa e alta troposfera): - Depressão Tropical: Quando a baixa apresenta circulação fechada e ventos inferiores a 64km/h. - Tempestade Tropical: Quando a baixa apresenta circulação fechada e ventos entre 64 e 117km/h. - Furacão: Quando a baixa apresenta circulação fechada e ventos igual ou acima de 118km/h. * A partir de furacão, o sistema passa a entrar na Escala Saffir Simpson, que vai de 1 a 5: Categoria 1: 118-153km/h, Categoria 2: 154 a 177km/h, Categoria 3: 178 a 208km/h, Categoria 4: 209 a 251km/h, Categoria 5: Acima de 251km/h PS: Sistemas no Brasil acima de 118km/h serão designados oficialmente de "Furacão", assim como no Atlântico Norte e Pacífico Leste. Em 2004 Catarina ficou adotado internacionalmente como um "Ciclone Tropical", que é a designação genérica para furacões. ----------------------------------------------------------------------------------------------- Em caso de serem subtropicais: (Núcleo quente em baixa troposfera e fria ou morno em alta troposfera): - Depressão Subtropical: Ciclone Subtropical com ventos inferiores a 64km/h. - Tempestade Subtropical: Ciclone Subtropical, com ventos igual ou acima de 64km/h. PS: Qualquer baixa com essa configuração independente da velocidade de ventos, será um "Ciclone Subtropical", somente serão subdivididas em depressão e tempestade. Não existe "Furacão Subtropical". ------------------------------------------------------------------------------------------------ 5) Lista de Nomes: A partir de 2011, a Marinha elaborou uma lista de 10 nomes em ordem alfabética e em tupi-guarani, para nomear sistemas Subtropicais e Tropicais que se formarem dentro de sua área responsável pela monitoração. Essa lista deverá ser rotatória, isto é, os nomes se repetem sempre que chega ao último da lista. [highlight=yellow]Um sistema será nomeado, sempre que ele atinge a classificação de Tempestade seja ele Subtropical ou Tropical[/highlight]. Depressões Tropicais ou Subtropicais e Distúrbios Subtropicais não serão nomeados. O Catarina, e a Tempestade Tropical Anita não foram nomeadas pela Marinha, portanto não entram na lista. Já a Tempestade Subtropical Arani que foi nomeada pela Marinha em 2011, é o primeiro nome. Mais recentemente em 2015, Bapo e Cari foram nomeadas. Assim sendo, o próximo nome da Lista será Deni. Lista elaborada pela Marinha: Arani (Subtropical - Já usado em 03/2011) Bapo (Subtropical - Já usado em 02/2015) Cari (Subtropical - Já usado em 03/2015) Deni Eçaí Guará Iba Jaguar Kamby Mani
  14. DEPRESSÃO SUBTROPICAL JAGUAR Aviso Nº05 - 22/05/2019 Ventos Sustentados: 55km/h - Pressão: 1010hpas - Movimento: SE 28km/h AVISO NR 432/2019AVISO ESPECIALEMITIDO ÀS 0300 HMG - QUA - 22/MAI/2019DEPRESSÃO SUBTROPICAL "JAGUAR" COM PRESSÃO CENTRAL DE 1010 HPA EM 30S033W, MOVENDO-SE PARA SUL/SUDESTE A UMA VELOCIDADE ESTIMADA DE 15 NÓS COM PREVISÃO DE VENTOS CICLÔNICOS FORÇA 7/8 COM RAJADAS NO SETOR SUL DO SISTEMA NA ÁREA SUL OCEÂNICA. POSIÇÃO PREVISTA EM 221200 HMG EM 31S030W.VÁLIDO ATÉ 221200 HMG.ESTE AVISO SUBSTITUI O AVISO 431/2019.
  15. De todas essas recentes, acho que só Cari chegaria perto de ser classificada pelo NHC.
  16. REPERCUSSÃO DE JAGUAR: CPTEC E INPE dando atenção a Jaguar: CLIMATEMPO também deu destaque para Jaguar: https://www.climatempo.com.br/noticia/2019/05/20/tempestade-subtropical-jaguar-se-formou-na-costa-do-sudeste-4898 Tempestade subtropical Jaguar se formou na costa do Sudeste 20/05/2019 às 22:36 por Josélia Pegorim Uma nova tempestade subtropical se formou sobre o Atlântico Sul, ao largo da costa do Espírito Santo e do Rio de Janeiro e recebeu o nome de Jaguar. No domingo, 19 de maio, a baixa pressão atmosférica que se organizou no mar entre estes dois estados evoluiu para uma depressão subtropical no domingo, 19 de maio, e na manhã da segunda-feira, 20 de maio, se intensificou para uma tempestade subtropical e foi batizada pelo Marinha do Brasil. A formação de tempestades subtropicais no Atlântico Sul em maio é um fato raro, pois nesta época normalmente a água do mar não está mais quente para sustentar este tipo instabilidade. Mas este ano, a costa brasileira ficou anomalamente aquecida, o que tem alimentado fortes áreas de instabilidade em especial no litoral da Região Sudeste desde o início do verão. Jaguar é a segunda tempestade subtropical a se formar na costa da Região Sudeste no outono de 2019. Na última semana de março de 2019 houve a formação da tempestade Iba. As observações do último mês, entre 18 de abril e 18 de maio de 2019, ainda mostravam o mar no litoral leste do Brasil ainda estava com temperatura acima da média, incluindo a Região Sudeste. Tempestade subtropical Jaguar às 20h40 (Brasília) de 20/5/19 A tempestade subtropical Jaguar está em alto-mar, bastante afastada do continente e não ameaça do território brasileiro. O sistema se desloca sobre o oceano e se afastando cada vez mais do Brasil. Não há motivo de alerta para o litoral brasileiro por causa desta tempestade. Segundo o boletim emitido pela Marinha do Brasil às 15 horas de 20/5/19, a pressão atmosférica mínima no centro de Jaguar era de 1010 hPa. A tempestade se movia para sul/sudeste, afastando-se do Brasil, com velocidade estimada em 15 nós (aproximadamente 28 km/h). Jaguar estava a quase 185 km do litoral capixaba. Os ventos estimados eram de força 8/9, na escala Beaufort, que correspondem a velocidades entre 62 km/h e 88 km/h. Os ventos fortes de Jaguar deixam o mar agitado. Fora do Brasil, a formação de Jaguar foi destacada pelo Twitter do MET OFFICE, órgão oficial de Meteorologia do Reino Unido:
  17. TEMPESTADE SUBTROPICAL JAGUAR Aviso Nº 04 - 12:00 - 21 de Maio de 2019 Ventos Sustentados: 64km/h - Pressão: 1010hpas - Movimento: SE 28km/h AVISO NR 431/2019AVISO ESPECIALEMITIDO AS 1500 HMG - TER - 21/MAI/2019TEMPESTADE SUBTROPICAL "JAGUAR" COM PRESSÃO CENTRAL DE 1010 HPA EM 29S034W, MOVENDO-SE PARA SUL/SUDESTE A UMA VELOCIDADE ESTIMADA DE 15 NÓS COM PREVISÃO DE VENTOS CICLÔNICOS FORÇA 8/9 COM RAJADAS NO SETOR SUL DO SISTEMA NA AREA SUL OCEANICA. POSIÇÃO PREVISTA EM 220000 HMG EM 30S032W.VALIDO ATE 221200 HMG.ESTE AVISO SUBSTITUI O AVISO 423/2019.
  18. NHC (e todos os outros centros do mundo) usam como critério ter um mínimo de atividade de convecção em torno da circulação para manter uma classificação Subtropical. Eles analisam dados de ASCAT, Satélite em tempo real. Um belo exemplo disso é a última discussão do NHC para a Depressão Subtropical Andrea, explicando o porque o sistema deixou de ser subtropical. Post-Tropical Cyclone Andrea Discussion Number 5 NWS National Hurricane Center Miami FL AL012019 500 PM AST Tue May 21 2019 The cyclone has lacked deep convection since early this morning, and therefore it no longer qualifies as either a tropical or a subtropical cyclone. Dry mid-level air, the influence of an upper-level low, and marginal SSTs should preclude re-development. The cyclone is likely to dissipate in a day or so as it becomes absorbed into a frontal zone. O CHM por sua vez classifica a baixa em Subtropical, somente pelo fato dela aparecer com núcleo quente no Diagrama de Ciclofase, e não pela análise na imagem de satélite.... Jaguar em nenhum momento apresentou qualquer convecção em torno da circulação. Jamais seria classificada de Subtropical se fosse o NHC. Outras Tempestades Subtropicais, como Bapo, também jamais seriam classificadas de Subtropical por outros órgãos, pelo mesmo fato de não apresentar convecção que sustente uma classificação em Subtropical.
  19. NHC emitiu seu último aviso para Andrea. Convecção morreu em toda a circulação, e segundo o NHC isso não lhe dá mais condições de ser tropical ou subtropical.
  20. Nesta manhã de terça-feira, a Tempestade Subtropical Jaguar segue sem alterações significativas. CHM segue a classificando com ventos sustentados de 35Kt (64km/h), pressão de 1010hpas e movendo a SSE a 28km/h. Jaguar segue sem apresentar nenhum tipo de convecção em torno do seu centro, com apenas alguma convecção muito isolada na periferia da circulação, típico dos sistemas subtropicais classificados pelo CHM (o que não seria classificado igualmente pelo NHC). A Tempestade segue para alto-mar e deverá ser absorvida amanhã pelo avanço de um sistema frontal pelo sul do Brasil.
  21. Saída do Modelo Europeu de hoje (EPS) para o final de Junho.
  22. NHC divulgou primeiro mapa para Tempestade Subtropical Andrea. Andrea deverá se manter pelo menos até amanhã como Tempestade Subtropical. Pode inclusive ganhar um pouco de força pela manhã. Após isso, o sistema entrará em ambiente hostil e será absorvida por um sistema frontal. Imagens de Satelite mostram que Andrea está sendo influenciada por um Upper Level Low (VCAN) a oeste da sua circulação. Há um pequeno ramo de trovoadas associado a este sistema, porém a uma certa distância do centro, o que evidência a condição subtropical deste sistema.
  23. FATO HISTÓRICO....!!!! PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA, DUAS TEMPESTADES SUBTROPICAIS ESTÃO ATIVAS AO MESMO TEMPO NO ATLÂNTICO NORTE E NO ATLÂNTICO SUL. Com a formação (bizarra) de Jaguar no Atlântico Sul, sendo a primeira tempestade subtropical da história a se formar em maio, e agora a tarde, a formação de Andrea no Atlântico Norte, há 10 dias do começo oficial da temporada, temos uma combinação que até então era impossível de acontecer. Formação de Andrea no Tópico do Atlântico Norte: Tempos Interessantes!!!
  24. NHC INFORMA QUE IRÁ COMEÇAR A EMITIR AVISOS PARA TEMPESTADE SUBTROPICAL ANDREA AS 19H30 (HORA DE BRASÍLIA)
  25. Tempestade Subtropical Jaguar se formou nessa tarde na costa do RJ, em alto-mar. Jaguar é mais uma daquelas tempestades subtropicais, que só ganham classificação pelo CHM. Nas imagens de satélite não se nota nenhuma organização mais relevante em torno do sistema de baixa pressão. Nenhum tipo convecção é observada em torno da circulação (característica fundamental para classificação de subtropical no Atlântico Norte). No diagrama de ciclofase, nota-se que a baixa foi prevista inicialmente para possuir núcleo quente em superfície e morno em altitude. Apesar dos pesares, Jaguar é extremamente raro. Se formou em maio, algo que nunca havia ocorrido no Atlântico Sul. O mês de maio representaria uma espécie de "Novembro" no Atlântico Norte, mês com menor atividade naquela bacia. Um dos fatores que contribuíram para a formação de Jaguar, é o Atlântico Sul estar extremamente quente. Na região da formação a SST está entre 26-28 graus. Jaguar terá uma vida curta... Um sistema frontal que avança nesta terça-feira pelo sul do Brasil irá absorver a tempestade entre amanhã e a quarta-feira. Este sistema frontal aliás, deve ser responsável pela entrada de uma forte massa de ar polar, a primeira mais forte deste outono. Jaguar não representa nenhuma ameaça a costa Brasileira. Apenas a navegação marítima deverá ficar atenta. O CHM prevê ondas de 3 a 5 metros em alto-mar. AVISO NR 418/2019AVISO DE MAR GROSSO/MUITO GROSSOEMITIDO ÀS 1600 HMG - DOM - 19/MAI/2019ÁREA DELTA A 20MN DA COSTA A PARTIR DE 200000 HMG. ONDAS DE SE/NE 3.0/5.0 METROS.VÁLIDO ATÉ 210000 HMG.ESTE AVISO SUBSTITUI O AVISO NR 406/2019.
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.