Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Rodolfo Alves

Moderators
  • Content count

    5550
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    32

Everything posted by Rodolfo Alves

  1. TABELÃO DAS MÍNIMAS DESTA NOITE - SÃO PAULO/RMSP 11,5ºC - MARSILAC/CGE (MENOR DO ANO) 12,0ºC - CAPELA DO SOCORRO/CGE 12,8ºC - SÃO LOURENÇO DA SERRA/CIIAGRO 13,0ºC - PARELHEIROS/CGE 13,6ºC - IAG/CONVENCIONAL (MENOR DO ANO) 13,6ºC - SÃO MATEUS/CGE (MENOR DO ANO) 13,7ºC - SÃO MATEUS TOPÃO/RODOLFO 14,0ºC - MAUÁ/CGE (MENOR DO ANO) 14,0ºC - SANTANA PARNAÍBA/CGE 14,3ºC - PICO DO JARAGUÁ/CETESB 14,4ºC - BUTANTÃ/CGE 14,5ºC - AEROPORTO CUMBICA 14,9ºC - JABAQUARA/CGE 14,9ºC - SESC INTERLAGOS/AUT (MENOR DO ANO) 15,0ºC - BARUERI/AUT (MENOR DO ANO) 15,0ºC - PIRITUBA/CGE 15,1ºC - RIACHO GRANDE/CGE 15,1ºC - IPIRANGA/CGE 15,2ºC - JUQUITIBA/CIIAGRO 15,2ºC - ITAQUERA/CGE 15,5ºC - AEROPORTO CAMPO DE MARTE 15,5ºC - FREGUESIA DO O/CGE 15,5ºC - PINHEIROS/CGE 15,6ºC - PERUS/CGE 15,8ºC - ITAIM PAULISTA/CGE 15,9ºC - VILA FORMOSA/CGE 16,0ºC - SÃO MIGUEL PAULISTA/CGE 16,2ºC - AEROPORTO DE CONGONHAS 16,2ºC - VILA PRUDENTE/CGE 16,3ºC - MBOI MIRIM/CGE 16,3ºC - CIDADE ADEMAR/CGE 16,3ºC - VILA MARIA/CGE 16,6ºC - VILA MARIANA/CGE 16,7ºC - SANTO AMARO/CGE 16,7ºC - CAMPO LIMPO/CGE 16,8ºC - PENHA/CGE 16,8ºC - ANHEMBI/CGE 16,8ºC - TREMEMBÉ/CGE 16,9ºC - MIRANTE DE SANTANA/AUT (NÃO FOI A MENOR DO ANO) 16,9ºC - MIRANTE DE SANTANA/CONV (NÃO FOI A MENOR DO ANO) 17,1ºC - SANTANA/CGE 17,5ºC - LAPA/CGE 17,5ºC - MOOCA/CGE 17,5ºC - SÃO CAETANO/DAVIS 17,9ºC - SÉ/CGE (NÃO FOI A MENOR DO ANO)
  2. TÓPICO PARA MONITORAMENTO E PREVISÃO DE TELECONEXÕES/VARIÁVEIS CLIMÁTICAS (ENSO-AAO-PDO-MJO), ETC. Antigo Tópico: viewtopic.php?f=133&t=15325
  3. LOCALIZAÇÃO E FOTOS DAS ESTAÇÕES DO CGE/SP ATUALIZADO EM NOVEMBRO 2017
  4. ESTAÇÃO MARSILAC - (Inaugurada Dez 2018) Estrada da Ponte Seca - Posto SABESP -23.916332/-46.727397 752 metros MAPA ATUALIZADO DAS ESTAÇÕES DO CGE:
  5. ALGUMAS MÍNIMAS DESSA MANHÃ EM SÃO PAULO/RMSP: 14,7ºC - PARELHEIROS/CGE 14,8ºC - CAPELA DO SOCORRO/CGE 14,9ºC - JABAQUARA/CGE 15,1ºC - MARSILAC/CGE 15,1ºC - JUQUITIBA/CIIAGRO 15,3ºC - RIACHO GRANDE/CGE 15,3ºC - BARUERI/INMET 15,4ºC - SESC INTERLAGOS/INMET 15,7ºC - BUTANTA/CGE 15,9ºC - SANTANA DO PARNAIBA/CGE 16,0ºC - MAUÁ/CGE 16,0ºC - VILA MARIANA/CGE 16,1ºC - IAG/CONV 16,1ºC - SANTO AMARO/CGE 16,3ºC - IPIRANGA/CGE 16,4ºC - SÃO MATEUS/CGE 16,4ºC - ITAQUERA/CGE 16,6ºC - MIRANTE DE SANTANA/AUT 16,6ºC - AEROPORTO CONGONHAS 16,6ºC - SANTANA/CGE 16,6ºC - PINHEIROS/CGE 16,7ºC - MIRANTE DE SANTANA/CONV 16,8ºC - AEROPORTO CUMBICA 16,9ºC - PERUS/CGE 17,0ºC - SÃO CAETANO HELIPORTO/DAVIS 17,1ºC - SÉ/CGE 17,4ºC - AEROPORTO CAMPO DE MARTE
  6. Rodolfo Alves

    Análise de Performance de Modelos

    ANÁLISE MODELOS - EVENTO DE CHUVA TORRENCIAL - MARÇO 2019 RIO DE JANEIRO Um evento extraordinário de chuva aconteceu entre o dia 8 e 9 de Março na cidade do Rio de Janeiro, provocando volumes extraordinários de chuva e ocasionando ao menos 10 mortes na cidade maravilhosa. Aqui vou falar brevemente sobre o evento, e verificar qual foi a previsibilidade dos modelos perante a esta situação. Nas Estações Pluviométricas do sistema Alerta Rio, foram observados em 24 horas, (até as 17:00), volumes de 343mm na Rocinha, 341mm no Alto da Boa Vista, 334mm no Jardim Botânico e 329mm em Copacabana. A relação completa está abaixo. Em termos gerais esse é o 2º maior acumulado de toda a história do Alerta Rio, que iniciou suas operações em 1997. O recorde pertence a estação de Sumaré que acumulou 360,2mm no período de 24h, em abril de 2010. Outras estações também tiveram acumulados expressivos. A Estação Meteorológica do INMET em Forte de Copacabana acumulou incríveis 357,6mm. O Aeroporto de Jacarepaguá acumulou em 24 horas, 254,0mm O motivo de toda essa chuvarada é bastante complexo. Mas na prática se resume a um sistema frontal que avança lentamente pela costa do sudeste, associado a um sistema de baixa pressão no oceano. Essa baixa ajudou a criar um fluxo de umidade vindo do norte, criando assim uma Zona de Convergência de Umidade (ZCOU). Essa animação do Radar de São Roque das 17:00 do dia 8 as 17:00 do dia 9, com imagens a cada 30 minutos, mostra como a chuva foi incessante e contínua. Algo extremamente raro. Estimativa de Precipitação Acumulada, elaborada pelo Radar do Pico do Couto O Alerta Rio emitiu dois alertas com relação a este evento de chuva. As 18:35 Estágio de Atenção, quando a chuva forte já atuava a mais de 1 hora sobre o município, e as 20:55 decretou Estado de Crise. N96 08/04/2019 – 18h35min: O Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro informa que o município entrou em ESTÁGIO DE ATENÇÃO às 18h35 desta segunda-feira, dia 8 de abril de 2019, devido à atuação de um sistema de baixa pressão no oceano. De acordo com o Alerta Rio, núcleos de chuva forte devem continuar atuando na Zona Sul da cidade. Nas últimas leituras dos pluviômetros da Prefeitura, houve registro de chuva muito forte em bairros como Jardim Botânico e Copacabana. N98 08/04/2019 – 20h55min: O Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro informa que o município entrou em ESTÁGIO DE CRISE às 20h55 desta segunda-feira, dia 8 de abril de 2019, por conta da atuação e permanência de núcleos de chuva em diferentes pontos do município, principalmente no entorno do Maciço de Tijuca. De acordo com o Alerta Rio, núcleos de chuva forte devem continuar atuando na Zona Sul, na Grande Tijuca e em pontos da Barra da Tijuca. Nas últimas leituras dos pluviômetros da Prefeitura, houve registro de chuva muito forte em bairros como Barra, Vidigal, Rocinha e Jacarepaguá. O INMET emitiu um Alerta Vermelho por volta das 19:00 para chuvas fortes Na análise dos modelos, do qual é a finalidade deste tópico, nenhum modelo conseguiu estimar este evento. Reparem que dos modelos consultados, apenas o que mais se aproximou do evento foi o ECMWF que estimou o pico de precipitação a oeste do Rio de Janeiro. O UKMET também se aproximou ligeiramente, mais indicou a chuva mais a norte. Foi analisada a rodada da 0Z do dia 8, portanto a menos de 24 horas do evento, aonde se poderia ter uma maior previsibilidade. ECMWF GFS FV3 (Novo GFS) UKMET ICON CMC COSMO-INMET Na Simulação por horário do Modelo Europeu (ECMWF) é possível ver que o modelo indicava na 0Z o período mais forte de chuva justamente durante a noite e madrugada de seg para ter.
  7. TÓPICO CRIADO PARA POSTAGEM DE ANÁLISES DA PERFORMANCE DOS MODELOS DE PREVISÃO ============================================================================= MODELOS X REALIDADE: ONDA DE FRIO JUN/16 - MÍNIMAS EM SÃO PAULO Inaugurando o tópico, vou começar com uma análise em relação a performance dos modelos em relação a onda de frio que atingiu o Centro-Sul do Brasil, para a Cidade de São Paulo. A análise se incidirá sobre o valor das temperaturas mínimas sobre três olhares: A menor do CGE (geralmente registrada em Capela do Socorro ou Parelheiros), a registrada no IAG (Convencional no Jardim Zoológico), e no Mirante de Santana. O período em questão da análise será entre 10/6 (Sex) e 13/6 (Seg), tendo como base de previsão, a última saída dos modelos antes do período a ser analisado, isto é 12z-09/06, saída que teoricamente teria a melhor confiabilidade. Os modelos a serem analisados: GFS - ECMWF - CMC - ETA - COSMO/MBAR A Seguir, vejamos a saída 12z - 09/06 de cada modelo: GFS: ECMWF (YR): CMC: ETA: COSMO/MBAR: Na tabela abaixo, coloquei para cada dia analisado, a mínima aproximada estimada por cada modelo, juntamente com as mínimas verificadas em 5 estações do CGE (Parelheiros/Capela do Socorro/Riacho Grande/São Mateus/Sé-CGE), IAG, Aero de Congonhas e Mirante (Convencional): Análise Menor Temperatura do CGE: Na tabela abaixo, confrontei a menor temperatura registrada pelas estações do CGE em cada dia, com o que foi previsto pelos modelos. O intuito aqui era vê, qual modelo se aproximava mais da realidade. Com isso foram somadas todas as diferenças diárias (para mais ou para menos). Nesta variável, foi verificado que o CMC foi o modelo com melhor performance nos dois primeiros dias, com diferença menor que 1 grau entre o previsto e o registrado, porém, o modelo estimou demais o frio entre o domingo e a segunda, errando entre 3,4 e 5,9ºC as suas previsões. Por conta desta diferença entre o 2º e o 4º dia, o CMC empatou em performance com o GFS no período analisado, tanto na média geral, quanto no acumulado de diferença. Sendo assim, o ETA (na média) foi o modelo que melhor previu as temperaturas nesta variável, pois teve diferença em torno de 1 grau em 3 dos 4 dias. Análise IAG: Seguindo as mesmas regras da análise do CGE, o modelo ETA novamente teve a melhor performance ao prever mínimas, levando como base a estação do IAG. A diferença nos 4 dias, variou entre 0,2 e 2,4ºC pelo modelo do CPTEC, enquanto que pelo CMC foi muito pequena no primeiro dia, mas piorando demais entre o 2º e o 3º dia. GFS e ECMWF na variável IAG tiveram boa performance, e ficaram relativamente próximo ao ETA. Análise Mirante: Seguindo as mesmas regras, a situação se inverte com o Mirante. Nesta variável, o modelo que teve melhor acerto foi o ECMWF (via YR), com diferença média de 1,1 grau nos 4 dias em relação ao registrado na estação convencional do INMET. Outro modelo que teve performance parecida com o ECMWF, foi o COSMO/MBAR. Um pouco mais atrás vem GFS e ETA, com o CMC longamente atrás. Em resumo, nesta forte incursão de frio, o ETA foi o modelo que na média, mais se aproximou das mínimas registradas pelo CGE (estações mais frias) e IAG. Enquanto que o Europeu, foi o que mais se aproximou para as mínimas registradas no Mirante de Santana.
  8. CENAS INCRÍVEIS DA ENCHENTE NO RIO DE JANEIRO. ME LEMBROU MUITO MOÇAMBIQUE, APÓS O CICLONE TROPICAL IDAI
  9. Em contato com o DISME de São Paulo, o INMET me confirmou que a mínima registrada na Estação Convencional do Mirante de Santana no sábado (6), incluindo a medição noturna, foi de 22,6ºC. Portanto, agora oficialmente temos um novo recorde absoluto de maior mínima para abril em São Paulo! MAIORES TEMPERATURAS MÍNIMAS EM ABRIL - MIRANTE DE SANTANA (1945-2019) 22,6ºC - 06/04/2019 22,4ºC - 02/04/2002 22,3ºC - 03/04/1999 22,2ºC - 03/04/2005 22,0ºC - 01 e 26/04/2007
  10. RECORDES DE CALOR EM SÃO PAULO: Seguindo o script, novos recordes de calor foram confirmados neste sábado na cidade de São Paulo. Na Estação Convencional do IAG a mínima oficial ficou em 21,6ºC na leitura desta noite, com isso tivemos a maior temperatura mínima da história do IAG para Abril! MAIORES TEMPERATURAS MÍNIMAS EM ABRIL - IAG (1933-2019) 21,6ºC - 06/04/2019 21,2ºC - 15/04/1987 20,9ºC - 02/04/1996 20,8ºC - 07/04/2005 No Mirante de Santana a estação automática registrou mínima de 22,4ºC as 21h00. Infelizmente não temos acesso a leitura noturna da temperatura mínima, mas provavelmente também teve seu recorde de mínima absoluta para abril quebrado ou no mínimo igualado. A estação convencional tinha 23,0ºC de temperatura instantânea as 21:00. MAIORES TEMPERATURAS MÍNIMAS EM ABRIL - MIRANTE (1945-2019) 22,4ºC - 06/04/2019 (Aut) e 02/04/2002 22,3ºC - 03/04/1999 22,2ºC - 03/04/2005 22,0ºC - 01 e 26/04/2007 No Caso da estação Automática do Mirante de Santana, os 22,4ºC representa a quebra do recorde de mínima para Abril, que era de 21,9ºC.
  11. MÍNIMAS SÃO PAULO - A ACOMPANHAR.... Noite extremamente quente em São Paulo e talvez com potencial de recorde. A Leitura desta manhã da Estação Convencional do Mirante de Santana deu 23,3ºC de mínima (Dado este que está ocultado no site do INMET infelizmente). Se esta mínima se mantiver até as 21h00, horário que será feita a última medição do dia, teremos um novo recorde de mínima para Abril. O Recorde atual é 22,4ºC de 02 de Abril de 2002. Na estação meteorológica convencional do Instituto Astrônomico e Geofísico da USP (IAG), a mínima esta madrugada foi de 21,6ºC em leitura feita as 7 da manhã. Se este valor também se mantiver até as 21h00, será recorde absoluto para abril. O Recorde atual é: 21,2ºC de 15 de Abril de 1987.
  12. MÍNIMAS EM SÃO PAULO ATÉ AS 7:00 MIRANTE AUT 22,9ºC SESC 21,7ºC BARUERI 21,5ºC CGE: SANTANA 22,9ºC SÉ-CGE 22,8ºC PINHEIROS 22,6ºC SANTO AMARO 22,5ºC VILA MARIANA 22,4ºC ITAQUERA 22,0ºC MAUÁ 21,8ºC BUTANTA 21,7ºC PERUS 21,4ºC JABAQUARA 21,4ºC RIACHO GRANDE 21,2ºC PARELHEIROS 20,8ºC CAPELA DO SOCORRO 20,5ºC MARSILAC 20,0ºC
  13. Estação Meteorológica do IAG teve máxima de 32,8ºC nesta quinta-feira. Este valor é um dos 7 maiores para Abril desde 1933 na estação.
  14. 33ºC Chuva com Trovoadas para amanhã em São Paulo
  15. 32,0ºC NESTE MOMENTO EM SÃO PAULO.... ESTAMOS CHEGANDO PERTO DO RECORDE ABSOLUTO PARA O MÊS. ESTARIAMOS ENTRANDO NA TRANSIÇÃO OUTONO-VERÃO??
  16. ATENÇÃO! NÃO É PERMITIDO POSTAGEM OFF TOPIC NESTE TÓPICO! @Beto KrepskyE @Victor Naia ESTÃO RECEBENDO UMA ADVERTÊNCIA. EM CASO DE REINCIDÊNCIA, FICARAM SUJEITOS A PUNIÇÃO POR PARTE DA ADMINISTRAÇÃO DO FÓRUM.
  17. NOVO TÓPICO PARA MONITORAÇÃO DE CICLONES SUBTROPICAIS/TROPICAIS NO ATLÂNTICO SUL Tópico Antigo Fechado (para consultas) ---> Histórico dos Principais Ciclones Subtropicais/Tropicais no Brasil (Sempre Atualizado) ---> ================================================================================== 5 INFORMAÇÕES ÚTEIS PARA A MONITORAÇÃO: 1) Há um Temporada de ocorrência definida? Não Existe. Porém os principais sistemas conhecidos pós-2004 [highlight=yellow]se formaram entre Janeiro e Março, sendo este o período mais favorável para ocorrência.[/highlight] Há ocorrências isoladas entre Novembro e Dezembro, porém estes sistemas não entram para a lista, por não terem assumido forma simétrica. 2) Quem é o órgão Responsável por Monitorar e Emitir Aviso? Embora não haja um Centro designado pela OMM para monitorar Sistemas Tropicais no Atlântico Sul. Desde 2011, ficou definido que o [highlight=yellow]Centro Hidrográfico da Marinha do Brasil (CHM), será o órgão oficial para monitorar e emitir avisos para o território brasileiro, bem como aplicar o sistema de nomeação, que da qual criou, sobre as baixas subtropicais/tropicais que se formarem no Atlântico Sul na sua área de responsabilidade.[/highlight] A nomeação e classificação aplicada pela Marinha por ser oficial, tem que ser aceita por todos os órgãos de meteorologia nacionais, e virando referência nos órgãos internacionais. Internacionalmente, sistemas que apresentarem características tropicais, devem receber classificação INVEST (com súfixo "Q" ou "SL" dependendo do órgão que emitir a classificação), mas estes órgãos não nomeiam ou classificam os sistemas. 3) Cobertura e Monitoramento: A área de cobertura da Marinha para monitoração de sistemas tropicais e subtropicais será a [highlight=yellow]área marítima correspondente ao território Brasileiro[/highlight] a partir de 20 graus Oeste de Longitude, conforme mapa abaixo. Qualquer sistema que venha se desenvolver fora desta área, não será monitorado ou classificado pela Marinha Brasileira, por não se tratar de sua responsabilidade, assim como sistemas formados dentro do território brasileiro não serão monitorados após sairem da área de responsabilidade. 4) Classificação dos Sistemas que poderá ser adotada pela Marinha: Em caso de distúrbios (Sistemas de baixa pressão/cavados, que apresentam potencial para desenvolvimento, com consistência mínima de 24 horas): - Distúrbio Subtropical ------------------------------------------------------------------------------------- Em caso de serem tropicais (Núcleo quente em baixa e alta troposfera): - Depressão Tropical: Quando a baixa apresenta circulação fechada e ventos inferiores a 64km/h. - Tempestade Tropical: Quando a baixa apresenta circulação fechada e ventos entre 64 e 117km/h. - Furacão: Quando a baixa apresenta circulação fechada e ventos igual ou acima de 118km/h. * A partir de furacão, o sistema passa a entrar na Escala Saffir Simpson, que vai de 1 a 5: Categoria 1: 118-153km/h, Categoria 2: 154 a 177km/h, Categoria 3: 178 a 208km/h, Categoria 4: 209 a 251km/h, Categoria 5: Acima de 251km/h PS: Sistemas no Brasil acima de 118km/h serão designados oficialmente de "Furacão", assim como no Atlântico Norte e Pacífico Leste. Em 2004 Catarina ficou adotado internacionalmente como um "Ciclone Tropical", que é a designação genérica para furacões. ----------------------------------------------------------------------------------------------- Em caso de serem subtropicais: (Núcleo quente em baixa troposfera e fria ou morno em alta troposfera): - Depressão Subtropical: Ciclone Subtropical com ventos inferiores a 64km/h. - Tempestade Subtropical: Ciclone Subtropical, com ventos igual ou acima de 64km/h. PS: Qualquer baixa com essa configuração independente da velocidade de ventos, será um "Ciclone Subtropical", somente serão subdivididas em depressão e tempestade. Não existe "Furacão Subtropical". ------------------------------------------------------------------------------------------------ 5) Lista de Nomes: A partir de 2011, a Marinha elaborou uma lista de 10 nomes em ordem alfabética e em tupi-guarani, para nomear sistemas Subtropicais e Tropicais que se formarem dentro de sua área responsável pela monitoração. Essa lista deverá ser rotatória, isto é, os nomes se repetem sempre que chega ao último da lista. [highlight=yellow]Um sistema será nomeado, sempre que ele atinge a classificação de Tempestade seja ele Subtropical ou Tropical[/highlight]. Depressões Tropicais ou Subtropicais e Distúrbios Subtropicais não serão nomeados. O Catarina, e a Tempestade Tropical Anita não foram nomeadas pela Marinha, portanto não entram na lista. Já a Tempestade Subtropical Arani que foi nomeada pela Marinha em 2011, é o primeiro nome. Mais recentemente em 2015, Bapo e Cari foram nomeadas. Assim sendo, o próximo nome da Lista será Deni. Lista elaborada pela Marinha: Arani (Subtropical - Já usado em 03/2011) Bapo (Subtropical - Já usado em 02/2015) Cari (Subtropical - Já usado em 03/2015) Deni Eçaí Guará Iba Jaguar Kamby Mani
  18. Modelo Europeu há várias saídas insistindo no retorno de forte pico de calor na próxima semana. Na última saída, coloca máxima de 31ºC (Bruto) na Capital Paulista.... Inclusive há possibilidade de evolução de um padrão de bloqueio.....
  19. Iba ainda segue na página de Ciclones Tropicais do NOAA até hoje a noite. Amanhã não veremos mais esse marcador no Atlântico Sul. Com o fim de Iba, atualizei o Tópico de Eventos de Ciclones Subtropicais e Tropicais no Brasil. A atualização pode ser vista nesse link.
  20. Rodolfo Alves

    Eventos de Ciclones Subtropicais/Tropicais no Brasil

    TEMPESTADE TROPICAL IBA - MARÇO DE 2019 INVEST 90Q/01Q Período: 23 a 28 de Março de 2019 Ventos Máximos: 83km/h (Rajadas 93km/h) Escala Dvorak: 3.0 Pressão Mínima: 1006hpas Área de Atuação: Litoral da BA/ES em alto-mar. Principais Impactos: Ondas de 2 a 3 metros na costa da BA/ES Acompanhamento pelo BAZ: http://www.abaixodezero.com/index.php?/topic/6546-monitoramento-e-previsão-ciclones-subtropicaistropicais-atlântico-sul/&page=12&tab=comments#comment-431481
  21. LISTA CRONOLÓGICA DOS PRINCIPAIS EVENTOS DE CICLONES SUBTROPICAIS/TROPICAIS SOBRE O BRASIL: Atualizado: Março/2019 ANTES DA MARINHA COMEÇAR A MONITORAR E CLASSIFICAR ESTES SISTEMAS: - 2004 (Jan): Depressão Tropical (Jan/2004) - 2004 (Mar): Furacão Catarina - 2006 (Fev): Tempestade Tropical Não Nomeada - 2010 (Mar): Tempestade Tropical Anita APÓS A DEFINIÇÃO DA MARINHA PARA MONITORAR E CLASSIFICAR SISTEMAS SUBTROPICAIS E TROPICAIS Verão 2010/2011: - 2011 (Mar):Tempestade Subtropical Arani Verão 2013/2014: - 2014 (Fev): Depressão Subtropical 01 - 2014 (Mar): Depressão Subtropical 02 Verão 2014/2015: - 2015 (Jan): Depressão Subtropical - 2015 (Fev): Tempestade Subtropical Bapo - 2015 (Mar): Tempestade Subtropical Cari Verão 2015/2016: - 2016 (Jan): Depressão Subtropical Verão 2016/2017: - 2016 (Nov): Tempestade Subtropical Deni - 2016 (Dez): Tempestade Subtropical Eçaí Verão 2017/2018: - 2017 (Dez): Tempestade Subtropical Guará Verão 2018/2019: - 2019 (Mar): Tempestade Tropical Iba TOTAL DE SISTEMAS (DEPRESSÕES/TEMPESTADES/FURACÕES) DESDE 2004: 15 SISTEMAS POR CLASSIFICAÇÃO: SUBTROPICAL: 10 TROPICAL: 5 SISTEMAS POR TIPO: DEPRESSÃO: 5 TEMPESTADE: 9 FURACÃO: 1 SISTEMAS POR MÊS: NOVEMBRO: 1 (Tempestade) DEZEMBRO: 2 (Tempestades) JANEIRO: 3 (Depressões) FEVEREIRO: 3 (2 Tempestades, 1 Depressão) MARÇO: 6 (1 Furacão, 4 Tempestades, 1 Depressão) LANDFALLS: BA: DEPRESSÃO TROPICAL 2004 SC: FURACÃO CATARINA 2004
  22. DEPOIS DE 6 DIAS, IBA CHEGA AO SEU FINAL... FIM DO IBA E DO MONITORAMENTO
  23. CENTRO HIDROGRÁFICO DA MARINHA DEPRESSÃO TROPICAL IBA - AVISO Nº 10 (28/03/2019) VENTOS SUSTENTADOS: 56km/h - PRESSÃO: 1008hpas - MOVIMENTO: E A 8km/h Imagens de Satélite desta manhã mostram que a circulação de Iba morreu. Provavelmente este será o último aviso do CHM para Iba Em análise da Dvorak o NOAA já reporta dificuldade em visualizar o LLC TXST21 KNES 280627 TCSSTL A. 01Q (IBA) B. 28/0530Z C. 23.5S D. 33.1W E. THREE/GOES-E F. T1.0/1.5/W1.0/24HRS G. IR/EIR/SWIR H. REMARKS...THE LLCC IS BECOMING MORE DIFFICULT TO LOCATE. DT OF 1.5 IS BASED ON CIRCULAR CLOUD LINES WITH A CENTER LT 1.25 DEG FROM A SMALL AREA OF ACTIVE CONVECTION. MET AND PT ARE 1.0. FT IS BASED ON MET. I. ADDL POSITIONS NIL ...RAMIREZ
  24. IBA EM SEUS ÚLTIMOS SUSPIROS DE VIDA O Centro Hidrográfico da Marinha rebaixou Iba nesta tarde a Depressão Tropical, conforme o gradual enfraquecimento que vem apresentando o sistema. A última passagem do Scartômetro pela América do Sul no final desta manhã, mostra de fato Iba bastante enfraquecido, com máximo de ventos entre 25-30 nós (45-55km/h), o que justifica o seu rebaixamento para Depressão Tropical. Durante essa quarta-feira, Iba ainda produzia convecção, porém de forma mínima e quase que insignificante. O seu centro ficou totalmente exposto, e com aparente desconfiguração do seu Centro de Circulação (LLC) denotando que o ar seco e o shear estão destruindo o sistema. Em atualização agora a tarde o NOAA rebaixou a classificação Dvorak de Iba para a escala mínima em 1.0 South Atlantic Ocean Basin: DATE/TIME LAT LON CLASSIFICATION STORM 27/1730 UTC 23.5S 34.9W T1.0/2.0 IBA 27/1130 UTC 23.0S 35.7W T1.5/2.0 IBA 27/0530 UTC 22.7S 35.9W T2.0/2.5 IBA 26/2330 UTC 22.0S 36.2W T1.5/2.5 IBA 26/1730 UTC 22.0S 37.0W T2.5/2.5 IBA 26/1130 UTC 21.3S 37.3W T1.5/2.5 IBA 26/0530 UTC 21.2S 37.9W T2.0/3.0 IBA 25/2330 UTC 20.7S 37.7W T3.0/3.0 IBA 25/1730 UTC 19.9S 37.3W T3.0/3.0 IBA 25/1130 UTC 19.4S 37.1W T3.0/3.0 IBA 25/0530 UTC 19.5S 36.5W T3.0/3.0 IBA 24/2330 UTC 19.2S 36.0W T2.5/2.5 IBA 24/1730 UTC 18.9S 35.9W T2.0/2.0 IBA 24/1130 UTC 18.6S 35.6W T1.5/1.5 90Q 24/0530 UTC 18.0S 35.8W T1.0/1.0 90Q TXST21 KNES 271817 TCSSTL A. 01Q (IBA) B. 27/1730Z C. 23.5S D. 34.9W E. FIVE/GOES-E F. T1.0/2.0/W1.5/24HRS G. IR/EIR/VIS H. REMARKS...SHEAR PATTERN WITH LOOSELY DEFINED CLOUD LINES LESS THAN 75 NM FROM VERY SMALL COLD OVERCAST YIELDS A DT OF 1.0. MET = 1.5 AND PT = 1.0. FT IS BASED ON DT. I. ADDL POSITIONS NIL ...KIBLER A nova previsão emitida pelo CHM agora a tarde informa que Iba irá perder todas as suas características tropicais entre hoje a noite e amanhã de manhã, quando deverá se tornar uma baixa extratropical e seguir mar adentro. AVISO ESPECIAL AVISO NR 229/2019AVISO ESPECIALEMITIDO ÀS 1830 HMG – QUA - 27/MAR/2019DEPRESSÃO TROPICAL “IBA” COM PRESSÃO CENTRAL ESTIMADA DE 1008 HPA EM 23S035W E VENTOS MÁXIMOS ESTIMADOS EM 25/30 NÓS.POSIÇÃO ESTIMADA:280000 HMG: 23S034.5W - 1008 HPA - VENTO MÁXIMO MANTIDO ESTIMADO EM 25-30 NÓS - DEPRESSÃO TROPICAL280600 HMG: 23S034.5W - 1010 HPA - VENTO MÁXIMO MANTIDO ESTIMADO EM 28-40 NÓS –BAIXA PRESSÃO281200 HMG: 23S034W - 1010 HPA - VENTO MÁXIMO MANTIDO ESTIMADO EM 28-40 NÓS - BAIXA PRESSÃO281800 HMG: 22S034W - 1010 HPA - VENTO MÁXIMO MANTIDO ESTIMADO EM 28-40 NÓS - BAIXA PRESSÃO290000 HMG: 21.5S033.5W - 1010 HPA - VENTO MÁXIMO MANTIDO ESTIMADO EM 28-40 NÓS - BAIXA PRESSÃOESTE AVISO SUBSTITUI O AVISO NR 221/2019. O sistema frontal que avança pelo litoral de São Paulo nesta tarde, irá absorver Iba, e assim será o responsável pelo fim da Depressão Tropical. Com isso Iba está chegando nas suas horas finais de vida!
  25. CHM REBAIXA IBA PARA DEPRESSÃO TROPICAL AGORA A TARDE. CENTRO HIDROGRÁFICO DA MARINHA DEPRESSÃO TROPICAL IBA - AVISO Nº 09 (27/03/2019) VENTOS SUSTENTADOS 56km/h - PRESSÃO: 1008hpas - MOVIMENTO SSE A 8km/h
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.