Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

Rodolfo Alves

Moderators
  • Content count

    5751
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    36

Everything posted by Rodolfo Alves

  1. NOVO TÓPICO PARA MONITORAÇÃO DE CICLONES SUBTROPICAIS/TROPICAIS NO ATLÂNTICO SUL Tópico Antigo Fechado (para consultas) ---> Histórico dos Principais Ciclones Subtropicais/Tropicais no Brasil (Sempre Atualizado) ---> ================================================================================== 5 INFORMAÇÕES ÚTEIS PARA A MONITORAÇÃO: 1) Há um Temporada de ocorrência definida? Não Existe. Porém os principais sistemas conhecidos pós-2004 [highlight=yellow]se formaram entre Janeiro e Março, sendo este o período mais favorável para ocorrência.[/highlight] Há ocorrências isoladas entre Novembro e Dezembro, porém estes sistemas não entram para a lista, por não terem assumido forma simétrica. 2) Quem é o órgão Responsável por Monitorar e Emitir Aviso? Embora não haja um Centro designado pela OMM para monitorar Sistemas Tropicais no Atlântico Sul. Desde 2011, ficou definido que o [highlight=yellow]Centro Hidrográfico da Marinha do Brasil (CHM), será o órgão oficial para monitorar e emitir avisos para o território brasileiro, bem como aplicar o sistema de nomeação, que da qual criou, sobre as baixas subtropicais/tropicais que se formarem no Atlântico Sul na sua área de responsabilidade.[/highlight] A nomeação e classificação aplicada pela Marinha por ser oficial, tem que ser aceita por todos os órgãos de meteorologia nacionais, e virando referência nos órgãos internacionais. Internacionalmente, sistemas que apresentarem características tropicais, devem receber classificação INVEST (com súfixo "Q" ou "SL" dependendo do órgão que emitir a classificação), mas estes órgãos não nomeiam ou classificam os sistemas. 3) Cobertura e Monitoramento: A área de cobertura da Marinha para monitoração de sistemas tropicais e subtropicais será a [highlight=yellow]área marítima correspondente ao território Brasileiro[/highlight] a partir de 20 graus Oeste de Longitude, conforme mapa abaixo. Qualquer sistema que venha se desenvolver fora desta área, não será monitorado ou classificado pela Marinha Brasileira, por não se tratar de sua responsabilidade, assim como sistemas formados dentro do território brasileiro não serão monitorados após sairem da área de responsabilidade. 4) Classificação dos Sistemas que poderá ser adotada pela Marinha: Em caso de distúrbios (Sistemas de baixa pressão/cavados, que apresentam potencial para desenvolvimento, com consistência mínima de 24 horas): - Distúrbio Subtropical ------------------------------------------------------------------------------------- Em caso de serem tropicais (Núcleo quente em baixa e alta troposfera): - Depressão Tropical: Quando a baixa apresenta circulação fechada e ventos inferiores a 64km/h. - Tempestade Tropical: Quando a baixa apresenta circulação fechada e ventos entre 64 e 117km/h. - Furacão: Quando a baixa apresenta circulação fechada e ventos igual ou acima de 118km/h. * A partir de furacão, o sistema passa a entrar na Escala Saffir Simpson, que vai de 1 a 5: Categoria 1: 118-153km/h, Categoria 2: 154 a 177km/h, Categoria 3: 178 a 208km/h, Categoria 4: 209 a 251km/h, Categoria 5: Acima de 251km/h PS: Sistemas no Brasil acima de 118km/h serão designados oficialmente de "Furacão", assim como no Atlântico Norte e Pacífico Leste. Em 2004 Catarina ficou adotado internacionalmente como um "Ciclone Tropical", que é a designação genérica para furacões. ----------------------------------------------------------------------------------------------- Em caso de serem subtropicais: (Núcleo quente em baixa troposfera e fria ou morno em alta troposfera): - Depressão Subtropical: Ciclone Subtropical com ventos inferiores a 64km/h. - Tempestade Subtropical: Ciclone Subtropical, com ventos igual ou acima de 64km/h. PS: Qualquer baixa com essa configuração independente da velocidade de ventos, será um "Ciclone Subtropical", somente serão subdivididas em depressão e tempestade. Não existe "Furacão Subtropical". ------------------------------------------------------------------------------------------------ 5) Lista de Nomes: A partir de 2011, a Marinha elaborou uma lista de 10 nomes em ordem alfabética e em tupi-guarani, para nomear sistemas Subtropicais e Tropicais que se formarem dentro de sua área responsável pela monitoração. Essa lista deverá ser rotatória, isto é, os nomes se repetem sempre que chega ao último da lista. [highlight=yellow]Um sistema será nomeado, sempre que ele atinge a classificação de Tempestade seja ele Subtropical ou Tropical[/highlight]. Depressões Tropicais ou Subtropicais e Distúrbios Subtropicais não serão nomeados. O Catarina, e a Tempestade Tropical Anita não foram nomeadas pela Marinha, portanto não entram na lista. Já a Tempestade Subtropical Arani que foi nomeada pela Marinha em 2011, é o primeiro nome. Mais recentemente em 2015, Bapo e Cari foram nomeadas. Assim sendo, o próximo nome da Lista será Deni. Lista elaborada pela Marinha: Arani (Subtropical - Já usado em 03/2011) Bapo (Subtropical - Já usado em 02/2015) Cari (Subtropical - Já usado em 03/2015) Deni Eçaí Guará Iba Jaguar Kamby Mani
  2. CARTA SINÓTICA DA MARINHA 12Z MOSTRA QUE KURUMI TORNOU-SE ASSIMÉTRICA. FIM DO CICLONE KURUMI E SEU MONITORAMENTO O PRÓXIMO NOME PARA SISTEMAS SUBTROPICAIS/TROPICAL NO ATLÂNTICO SUL SERÁ "MANI". LISTA DE NOMES PARA CICLONES SUBTROPICAIS/TROPICAIS - ATLÂNTICO SUL ARANI (2011) BAPO (2015) CARI (2015) DENI (2016) EÇAÍ (2016) GUARÁ (2017) IBA (2019) - TROPICAL JAGUAR (2019) KURUMI (2020) MANI OQUIRA POTIRA RAONI UBÁ YAKECAN
  3. INMET ESTÁ EMITINDO UM NOVO ALERTA VERMELHO PARA CHUVAS FORTES, NO LESTE DE MG
  4. MAIORES ACUMULADOS DE CHUVA (JANEIRO) - BELO HORIZONTE/CONVENCIONAL - INMET 850,3mm - 1985 807,5mm - 2020 781,6mm - 2003 651,2mm - 1991 636,6mm - 1961
  5. É A EMOÇÃO DESTE MOMENTO HISTÓRICO PARA VOCÊS KKKKKKKK
  6. ACUMULADOS DE CHUVA EM BELO HORIZONTE E REGIÃO EM JANEIRO ATÉ AQUI (Entre as 9:00 de cada dia)
  7. NESTE MOMENTO CHOVE FORTE DE FORMA GENERALIZADA NO SUL DO ES, INCLUINDO EM ICONHA. É UMA ÁREA QUE MERECE EXTREMA ATENÇÃO PARA ESTA MADRUGADA! NOVAS ENCHENTES E DESLIZAMENTOS PODEM OCORRER AÍ
  8. 2019 NO BRASIL, VIA INMET
  9. NOTÍCIA GRAVE E TRISTE AGORA A NOITE EM BH
  10. A CHUVA PRATICAMENTE PAROU EM BELO HORIZONTE... OS NÚCLEOS MAIS INTENSOS JÁ SAÍRAM DA CIDADE. AINDA PODE VOLTAR A CHOVER, MAS SERÁ DE FRACA INTENSIDADE E DE FORMA MAIS OCASIONAL.
  11. AO MENOS 4 VOOS NÃO CONSEGUIRAM POUSAR EM BELO HORIZONTE DEVIDO AO MAU TEMPO.
  12. ACUMULADOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS DO INMET SOMENTE ENTRE AS 20:00 E AS 22:00 BELO HORIZONTE - PAMPULHA: 88,2mm BELO HORIZONTE - CERCADINHO: 84,8mm
  13. CHUVA COMEÇA A DAR SINAIS QUE ESTÁ ENFRAQUECENDO EM BH.
  14. ESTAÇÃO AUTOMÁTICA DO INMET NA PAMPULHA ACUMULA 52,4mm DESDE AS 21H00
  15. PLANTÃO LOCAL DA TV GLOBO NO INTERVALO DA NOVELA DAS 9.
  16. ESTAÇÃO AUTOMÁTICA DO INMET BELO HORIZONTE/CERCADINHO ACUMULOU 44mm NA ÚLTIMA HORA
  17. RADAR AS 21:40 CHUVA PROSSEGUE NA GRANDE BELO HORIZONTE
  18. ESTAÇÃO AUTOMÁTICA DO INMET NA PAMPULHA ACUMULOU 32,8mm (1h) ÀS 21h00
  19. ULTIMA IMAGEM DO RADAR, MOSTRA CHUVA FORTE EM TODA A BELO HORIZONTE E REGIÃO. POR ENQUANTO NÃO VAI PARAR.... CAOS VINDO!
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.