Jump to content
Brasil Abaixo de Zero

All Activity

This stream auto-updates     

  1. Past hour
  2. Instabilidades provindas do MS fizeram chover hoje perto das 17h, e durou mais ou menos uma hora, foi uma chuva bem fraca, tanto que só acumulou 1,2mm na estação do Simepar, a temperatura caiu de 32° antes da chuva para 23° agora, mas a sensação de abafamento é enorme, acho que preferia os 32° só que seco, céu agora ainda com um pouco de chuva à Oeste e Noroeste
  3. No Rio um domingo com céu predominantemente nublado (algumas aberturas de sol) e temperatura agradável, sob influência da borda de uma massa de ar frio pouco intensa. A máxima na beira da baía em Niterói não passou dos 23ºc e mesmo os bairros mais quentes do Rio mal chegaram aos 25ºc hoje, e a umidade um pouco menor junto com ventos fracos/moderados constantes ajudou a deixar a sensação térmica confortável. Agora temos céu nublado, 21/22ºc em Niterói e 16,2ºc na rampa da Pedra Bonita, onde a máxima não passou dos 19,9ºc hoje. A influência da borda dessa massa de ar mais fresco permanece até amanhã, quando teremos mais um dia de muitas nuvens e temperaturas amenas, mas um ar mais tropical já ingressa a partir de terça-feira, o que vai causar o retorno de algum abafamento e o aumento das mínimas já na madrugada de terça. As máximas não devem sofrer alterações significativas até quarta-feira (exceto por um leve aumento na terça se o sol conseguir sair), quando áreas de instabilidade devem deixar o tempo mais fechado (pelas últimas previsões, a chuva se concentraria entre o final de terça e a quarta-feira, podendo beneficiar o interior/norte no RJ, onde é mais necessária também). Na Região Metropolitana do Rio a chuva desta semana deve ser fraca, no máximo moderada em pontos, mas aqui não estamos precisando de chuva, então que chova mais onde mais precisa (norte do RJ, centro-norte de MG, grande parte ES), como mostram alguns modelos. Com a abertura gradual do tempo e um ar já plenamente tropical, o abafamento se intensifica a partir de quinta-feira, e o próximo final de semana promete bastante calor. Sobre o Cemaden, gente ele está praticamente abandonado, algumas estações ainda recebem manutenção dos parceiros e só (o INPE mesmo não tem uma equipe rodando para isso), a tendência é o número de estações inoperantes aumentar cada vez mais, aliás o site dos pluviômetros já fica mais tempo inoperante que operante. Não há alocação de verbas para o projeto, e que se f* a ciência e a prevenção. Quando vierem os temporais basta culpar o aquecimento global (isso nunca aconteceu antes!!!) e tirar o corpo fora, enquanto cada vez mais gente vive dependurada em encostas instáveis e os juízes ficam com peninha de remover até gente que mora em construção ilegal de miliciano feita num solo tão estável quanto gelatina (vide Muzema).
  4. Today
  5. Médias parciais Out. (inmet), inclui hoje: Curitiba: 14,7°C | 26,1°C Paranaguá (conv.): 19,2°C | 26,3°C Morretes: 18,0°C | 27,0°C Mirante: 17,5°C | 29,0°C Sesc-Interlagos: 16,6°C | 26,5°C
  6. Semana começa com o estabelecimento de uma ZCOU a partir do dia 22 de outubro, atuando desde o sul do Amazonas, norte do Mato Grosso, de Goiás, de Minas Gerais, Espírito Santo e sul da Bahia. Este canal de umidade terá duração prevista de 3 dias, se mantendo até o dia 24 de outubro. Ao longo do canal de umidade esses dias serão com muitas nuvens e chuvas periódicas, principalmente no período da tarde e noite, onde tenderão a ser mais intensas. Os acumulados mais significativos de precipitação se concentrarão entre o norte de Goiás, de Minas Gerais e o Espírito Santo. Volumes elevados de precipitação poderão provocar transtornos e riscos.
  7. SIM. Maravilhoso o clima hoje, mas não está frio não, ainda estou de camisa e shorts, tá fresquinho. Agora com 15 c, mas seria bom uns 4 c agora. Mas hoje tá bom, pena que logo vai mudar... É triste mesmo
  8. Verdade, eu também já tinha lido que a temporada de tufões no pacífico estava fraca, e de fato está bem tranquila, tanto que dois dos maiores “imãs” de tufão do mundo (Taiwan e Filipinas) não tiveram um impacto direto sequer nesta temporada, sendo que a janela para Taiwan já se fechou (Filipinas é outra história, basta lembrar de Haiyan/Yolanda e Pablo/Bopha, este último um dos raros super tufões em Mindanao), mas claro isso não significa que este ano acontecerá alguma coisa, é só para ressaltar que a janela em Taiwan, por estar mais ao norte, é fechada mais cedo. Até o Japão, país que foi mais afetado nesta temporada, teve apenas dois impactos mais significativos este ano (três contando com Lingling em Miyakojima), o que está longe de ser um número digno de nota (embora Faxai tenha sido o mais intenso na baía de Tóquio desde 1938, e Hagibis um dos mais chuvosos e danosos no centro-norte da ilha de Honshu). Penso ainda que a atividade global está um pouco abaixo da média em 2019 também, embora eu não tenha os números exatos. Lembrando que no Atlântico Norte, por conta da maior agressividade do NHC em nomear e “intensificar” tempestades no século XXI, é praticamente certo que as médias históricas oficiais (principalmente de sistemas nomeados, mas em menor grau até de ACE também) estão abaixo do que seriam se as mesmas metodologias de hoje fossem utilizadas desde o início da era dos satélites. Entre os sistemas nomeados que foram questionados em 2019 (com mais ou menos propriedade; não digo que todos os sistemas abaixo não teriam sido nomeados, muito longe disso, mas tenho certeza que no mínimo dois ou três dos ciclones a seguir não seriam nomeados até o fim dos anos 90) estão Andrea, Chantal, Erin, Karen, Imelda e Nestor (e pela primeira vez na história uma tempestade sem convecção profunda perto do “olho” foi elevada a furacão, o Barry). Tudo isso vem levando alguns a pensarem que o NHC passou a fixar os próprios alvos (ou seja, fazem a previsão de número de tempestades nomeadas por temporada que eles mesmos podem, em algum grau, “perseguir” depois, como se fosse uma meta a ser atingida e não uma mera previsão, já que eles são os responsáveis por nomear ou não). A falta de transparência e as mudanças de critérios sem a devida explanação acabam levantando suspeitas, que não são de todo injustificadas pelo que tenho visto. Admito sim que algumas suspeitas são exageradas, até pela questão política que infelizmente está cada vez mais entranhada nas ciências atmosféricas. Sinto saudades do NHC nos tempos de Max Mayfield, assim como de uma empresa aqui do Brasil nos tempos do Eugênio, mas isso já é off-topic demais, então paro por aqui..
  9. Como você mesmo citou, anomalia grande no Brasil sem El Niño e Atlântico ok. É interessante observar que a delimitação do bioma cerrado (+ mata atlântica) é muito semelhante à região de anomalia positiva sobre o Brasil Central. Onde acaba o cerrado, acaba a mancha vermelha, tanto pra leste, quanto pra oeste. Onde acaba a mata atlântica, a sul, a mesma coisa. Na África, ocorre algo parecido, as estepes e desertos da Namíbia e África do sul mais quentes, e na transição pra savana ao norte a anomalia desaparece Além disso, o gelo no ártico atualmente continua no seu mínimo absoluto, superando 2012, e dá pra ver aí os estragos no mapa.
  10. 20 de Outubro e a acumulação para o mês continua em zero.
  11. Não vai aumentar, dezembro é um mês de pouca atividade nessa região devido ao grande cisalhamento de vento nesta época do ano (mencionada na frase e também é o início do período seco). A temporafa de tufões de 2019 vem sendo abaixo da média, tanto nos números de tormentas quanto nos números da energia ciclonica acumulada que está em 166 quanto o normal pra esta época do ano é de aproximadamente 229. Grande parte disso, se deve à praticamente nula atividade tropical no primeiro semestre do ano e da baixa atividade tropical nos períodos de pico na região (entre julho e setembro). Houve também um grande número de tempestades fracas e passageiras que geraram pouca energia ciclônica e também poucos dias com tempestade nomeada ativa. Novembro não é um mês referência pra alta atividade no Pacífico Noroeste e sim apenas para sistemas poderosos, mas não deve servir de base. Nos modelos meteorológicos atuais, indicam que a fase desfavorável de instabilidade irá atuar nesta mesma área que mencionou ser o ápice do ano, então a possibilidade de vermos nada ou no máximo 2 sistemas nomeados no último mês do ano cresce a cada semana. Estamos com 20 sistemas atingindo a intensidade de tempestade tropical, lembrando que a Tempestade Kajiki NÃO atingiu ventos de 40 mph na escala saffir simpson (1 min) e sim na escala medida pelo JMA que é diferente (10 min). É bem provável que o final dessa temporada um total máximo de 24-26 tempestades tropicais nomeadas, mais uns 2 ou 4 tufões e eu ainda acho que mais uns 2 tufões possam atingir o status de super tufão ou se aproximar da classificação (lembrando que essa classificação é dada a partir de que o tufão tenha ventos de 150 mph), talvez 1 deles atinja a categoria 5.
  12. Chuva intensa no sertão do Pernambuco. O satélite das 14h20 mostra instabilidade crescendo na região.
  13. Interessante que boa parte da área subtropical do hemisfério sul teve grandes desvios positivos, enquanto as áreas equatoriais ficaram abaixo da média. Notável tb é o aquecimento absurdo que as altas latitudes vem sofrendo. São as áreas mais afetadas do planeta?
  14. Sobre o Neoguri(Perla) e o Bualoi: o primeiro se tornou um tufão de categoria 1 e deve passar próximo de Tóquio na terça-feira(já bastante enfraquecido) conforme imagem atualizada acima O segundo é uma tempestade tropical e as previsões indicam para um forte tufão, entretanto o Bualoi deve ficar restrito ao mar e afastado do Japão durante sua trajetória. O Bualoi, inclusive, já é o 40° sistema a ser formado nesta temporada(considerando tufões, tempestades tropicais/subtropicais ou depressões tropicais), e o 21° a se tornar um tufão ou tempestade tropical em 2019. É uma temporada bem ativa no Pacífico Noroeste(que é a mais ativa do mundo). E deve aumentar ainda mais porque daqui até dezembro vai acontecer o ápíce da temporada de tufões na região central do Vietnã e em áreas das Filipinas.
  15. Olha essa mancha horrorosa bem em cima de São Paulo, Sul e Brasil central. Terrível
  16. Também tenho essa impressão, cigarra era de fins de novembro pra frente. Já escutei até antes de outubro, quando dava aquelas anomalias bizarras.
  17. Boa tarde à todos... O frio está de volta e junto com ele, o pacote curitibano completo: vento úmido, algum chuvisco e céu cinzento. Matheus e todos os adeptos da seita do "inverno eterno" devem adorar esse tipo de clima.. Temperatura 14,4°C (meio-dia e 30) 👇 ...mas é primavera, pelo menos as flores dizem q é... VID_20191020_115915963.mp4
  18. Ar polar, de uma intensidade mediana, chegou a Juiz de Fora nesta tarde. Temperaturas muito aprazíveis agora, com temperaturas entre 20C e 22C. Céu encoberto. Na expectativa da chuva, isso sim é o mais importante.
  19. Está muito elevada, mas acho que essa semana pode trocar.
  20. 6 estações em SC negativaram neste Domingo: -1,16°C - Urupema -0,44°C - Urubici/Vacas Gordas -0,4°C - Urubici/Jararaca -0,4°C - Bom Jardim Da Serra/Santa Bárbara -0,2°C - São Joaquim/Pericó -0,2°C - São Joaquim/Rincão Do Tigre Ah se eu tivesse uma negativa em Outubro aqui em casa!
  21. Médias mínimas e médias máximas. Mas o recorde mesmo será de maior mínima absoluta.
  22. Amanhecer friozinho a cá, 6,7ºC. No momento sol entre nuvens, 16/17ºC pela cidade.
  23. A média mínima parece estar bem "porca" aqui no Vale. Mês para esquecer.
  24. A estação oficial de Ipanguaçu registrou 74 mm, para uma média de 2.2 mm. O recorde de outubro mais chuvoso do município foi quebrado:
  25. Balanço da chuva de ontem, 25mm no Cemaden em Lafaiete e 36mm no INMET Ouro Branco, o que dá mais ou menos 20% da média de outubro que até então estava zerado. Foi uma chuva abençoada e hoje o tempo está nublado e faz 21 graus no momento. Previsão de chuva prossegue por todos os próximos dias😊 O período de chuvas vem chegando e a maioria dos pluviômetros do Cemaden estão inoperantes. Em Lafaiete tem 7 no site, 5 na área urbana e 2 em distritos. Hoje apenas um na área urbana (Bairro Santa Efigênia) e o do distrito de Buarque de Macedo (12 km ao sul do centro) estão funcionando. O mesmo ocorre em outras cidades. Que está acontecendo com a manutenção deles?
  1. Load more activity
×

Important Information

By using this site, you agree to our Guidelines.